quinta-feira, abril 26

SEGURANÇA À MESA

Cada vez mais os portugueses se preocupam com a alimentação, sobretudo quando falamos de higiene e segurança alimentar. As regras comunitárias são mais apertadas e a European Food and Safety Agency acaba de publicar um estudo sobre a detecção de altos níveis de salmonella em frangos produzidos na União Europeia. Queremos ainda tentar perceber que perigos microbiológicos (bactérias, vírus, parasitas, toxinas naturais, poluentes) existem nos alimentos e o que pode o consumidor fazer para se defender.

19 comentários:

Maria, Lisboa disse...

A segurança alimentar é fundamental nos dias de hoje e há que salientar a acção da ASAE nesse campo, que, na minha opinião, ainda devia ser mais apertada.
Se são encerrados estabelecimentos ou se são apreendidos alimentos, é porque estes não estão de acordo com a lei, não garantindo a higiene e segurança dos bens alimentícios, e se não estão de acordo com a lei, têm que ser penalizados!
Quando falamos em alimentos, temos que ter presente que se não estiver de acordo com a lei, quer dizer que não é seguro e como tal, pode até ser fatal para o consumidor.

E mais, o estado e as empresas deviam dar mais formação aos seus colaboradores (empregados), uma vez que muita gente não sabe manusear ou transportar os alimentos.

No programa Prós e Contras desta semana, falou-se na acção da ASAE…havia alguém que dizia o HACCP (Hazard Analysis and Critical Control Point - Análise de Perigos e Controlo de Pontos Críticos) foi um método criado para garantir a segurança dos alimentos dos astronautas nas viagens espaciais. Sim, é verdade, mas não se trata de uma moda, trata-se sim de uma medida preventiva para garantir a segurança alimentar, porque mais vale prevenir…

Se houvesse mais interesse por parte de todos em garantir a segurança alimentar, evitar-se-iam “incidentes”, proporcionar-se-ia uma maior confiança nos nossos produtos e provavelmente por esta altura eu já teria emprego…

Pedro disse...

Querida, Dra. Fernanda PARABÉNS PELO PROGRAMA

Pergunto:

Sou do MINHO, Eu pergunto, Existe um livro de reclamações o que acho muito bem, e porque não existe um livro de elogios?



Um beijinho

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Lina disse...

Penso que a ASAE está a fazer um óptimo trabalho. Pelo menos as pessoas já se sentem mais seguras quando vai fazer uma refeição fora, uma vez que há mais inspecções. Há bem pouco tempo atrás falava-se muito, mas não se via nada e desde que a ASAE foi criada, a sua acção está realmente a dar frutos.

Pedro disse...

Eu sou a Inês Marinho de 12 anos de idade

De Arcos de Valdevez

E pergunto

Porque é que nas escolas não nos ensinam a perceber como é que se pode reclamar num restaurante ou porque razão não nos ensinam a saber identificar os alimentos em degradação ou detectar alimentos fora de validade?

Inês, Marinho de Valdevez

Atreides disse...

A ASAE está em todo o lado?
Também está nas grandes superfícies? Já encontraram carne embalada com a etiqueta da data colada sobre outra etiqueta, escondendo a data de validade original? Eu (que raramente compro carne embalada) encontrei.

Anónimo disse...

Como se chama esse laboratório e onde está localizado?

Mário disse...

com as empresas a pensarem cada vez mais em euros que em qualidade, e natural que os alimentos que compramos não são iguais aos que ia-mos "roubar" a árvore do vizinho. a ASAE faz o trabalho que tem de fazes, se bem que pelo menos em certos chineses foi tarde, pois estava a vista de toda a gente.

Anónimo disse...

Ao contrário do que é afirmado, a EFSA (Agência Europeia de Segurança Alimentar) é uma organização corrupta, pois por exemplo, a nível de transgénicos (ogms) eles não fazem testes alguns para confirmar a segurança de produtos ogms, pelo contrário aceitam de forma totalmente cega os resultados de testes que são parciais e manipulados, das empresas de biotecnologia que produzem esses mesmos transgénicos, que claro, só se interessam em vender. A própria EFSA já admitiu isso publicamente.
Por fim, muitos dos elementos da EFSA têm interesses económicos dentro dessas mesmas empresas.

A EFSA é assim corrupta e não providencia quaquer confiança.

Daniel

ruim disse...

Há cada vez mais produtos alimentares conseguidos à custa da destruição do meio ambiente.
Ultimamente surgiu uma grande vaga de produtos à base de soja, que muitas vezes, para além de transgénica, é cultivada em terrenos conseguidos à custa da desflorestação de grandes àreas naturais. Esta soja está no leite, nos sumos, na carne e até na alimentação vegetariana. Várias multinacionais comercializam estes produtos em Portugal, mas o consumidor tem cada vez mais dificuldade em saber o que está na origem destes produtos. Estas empresas têm grandes programas de marketing, criando mesmo a ideia no consumidor que os produtos são amigos do ambiente!
Gostaria de saber qual é a garantia que nos dá o simbolo de "produto biológico" que aparece em cada vez mais produtos alimentares.

Mário disse...

só uma pergunta que esses senhores devem saber: pedem para não colocarmos o oleo queimado pelo esgoto, por causa do ambiente. ouvi dizer que os restaurantes são obrigados a aceitar garrafas de oleo queimado, isto é verdade? se não onde posso deixar a garrafa?

Anónimo disse...

Relativamente à última reportagem apresentada queria esclarecer que está a ser feita uma interpretação não muito clara do objectivo da mesma. Na análise feita ao queijo onde apresentava microrganismos patogénicos, estes não apareceram só depois de 3 dias, os três dias referidos na reportagem fazem parte da análise efectuada para se poder fazer a contagem das colónias presentes.
Pedro

Anónimo disse...

Boa tarde a todos os intervenientes do programa.
Recentemente vi na televisão uma intervenção de larga escala da ASAE na lota de Setúbal.Apreensão de pescado impróprio para comercializar. Motivo: a sua embalagem era de madeira. Será que as diligências da ASAE não deveriam começar pelos fornecedores? Sendo este produto vindo de Espanha?
Passado alguns dias este pescado foi entrega a uma instituição de solidariedade social ou seja o produto já estava bom para consumo, e quem pagou a mercadoria e os impostos para a comercializar como fica?Acham justo?Creio que as regras aqui estão trocadas!...
Atentamente

Anónimo disse...

É incrível a quantidade de imprecisões que os técnicos convidados pelo programa estão a cometer…

Anónimo disse...

Gostaria de perguntar se a descongelação através do microondas não é aconselhável de todo ?

José Araújo disse...

Mais um tema que claramente reflete o estado autoritário que presentemente se avinca , por leis de contenção arbitrária , mas que no entanto se abate com tamanha injustiça sobre o pequeno comerciante , enquanto (por exemplo) grandes superficies , cometem tamanhas violações de higiene (Sei de algumas)...

Nesse programa se salientou sobre a obrigação do restaurador ser obrigado a declarar ao cliente , sobre a constituição do prato servido...Isso para já entra em conflito com o segredo profissional e quando na maioria das vêzes o normal cliente , somente deseja , têr o prazer de uma boa refeição com tudo que o envolve desde o espaço , a simpatia e comptência de quem o serve e geralmente o cliente que deseja saber cada promenor de cada prato é o "melga"...Não estou dizendo que o cliente não tem direito sobre o que consome num restaurante mas meu deus é absurdo o radicalismo colocado pelos os vossos convidados,...Mas também um deles inspector , quando os próprios abusam do seu poder fiscalizador...Algo que acontece desde anos para cá...Embora que haja quem diga que agora estão com uma maior formação , mas não só a formação faz a competência mas também a honestidade...


Na situação que mencionaram que foi sobre roullotes de comida rápida , mais uma radicalização com motivos económicos , quando essas roullotes ameaçavam certos espaços de importantes casas de restauração , como aquela da 24 de Julho e outra do saldanha...


Mas falemos português...Será que as casas como Macdonald's , tele-pizzas,... têm por parte da ASAI ,o mesmo efeito fiscalizador? E quanto a feiras...É comicamente hilariante achar que se pode combater a pirataria,e afins...Se focando no pequeno comerciante , quando no centro e norte do pais as fabricas nascem com consentimentos camarários (Sempre a avareza de lucro rápido) Como assim se pode combater esta economia paralela , quando para mais se especula , sem qualquer ponto de defesa que é a presumivél inocência até se provar a culpa desses mesmos comerciantes, ou estamos a implementar um estado imperalista , na base de leis capitalistas , que vai ao encontro da grande economia europeia...?



Outra coisa os melhores restaurantes que tive o prazer de ir comer foram e são chineses , e o que lhes tece e mancha é mais uma vergonha tipica de português , que se esconde atrás de regras criadas, para contornar a própria defesa do pequeno comerciante em prol da demasiada pressão dos grandes empresários...


E o pior são estas ideias radicais de alineas meias ofuscadas , que salientam o que há de pior nos portuguêses...O cidadão bufo , invejoso...

Não esqueçamos que ordem sem liberdade é facismo...Ou como hoje se escreve e se diz: Neo-liberalismo capitalista...

Sara disse...

A alimentação é um factor muito importante! Deve-se comer pouco e bem. Mas o que acontece é que cada vez mais se come por prazer e pouco por fome, o que muitas vezes acaba por se traduzir em obesidade e numa série de problemas vários a nível físico e psicológico, inclusive stress. A generalização da mudança de atitudes e, consequentemente, de acções no que se refere aos hábitos alimentares passa, principalmente, pelo facto de os produtores apostarem ou não na qualidade dos alimentos (em vez de os entupir com conservantes, pesticidas e uma série de outras substâncias prejudiciais à saúde e que acabam por diminuir significativamente a riqueza do alimento em termos de nutrientes, vitaminas, aroma, etc.). E também passa pela publicidade, pela informação passada pelos meios de comunicação social(que têm uma enorme responsabilidade) no sentido de incentivar melhores hábitos e apoiar o consumo de produtos biológicos (que deviam ser mais baratos), por exemplo.

gilmontalverne@clix.pt disse...

Já tinha sido tratado o assunto dos ovos que algumas pessoas põem no frigorífico e não deviam quando liguei a Televisão. Fiquei sem saber onde os devemos colocar após a compra. (Pois se até os frigoríficos há muito que incluem umas concavidades para os colocar). Portanto gostaria que endereçassem esta pergunta à pessoa que disse onde se deviam colocar e saber a resposta correcta. Obrigado.

Anónimo disse...

conforme foi referido no programa, os ovos devem ser mantidos num local seco e sem luz, longe de humidades - como vem de resto descrito na embalagem
L.Silva

Anónimo disse...

como também foi referido no programa, o oleo deve ser deitado no lixo comum, dentro de uma garrafa por exemplo. há restaurantes que fazem esta recolha; algumas juntas também. é só procurar informação.
L.Silva