segunda-feira, abril 30

TABACO - UMA NOVA LEI

Na próxima quarta-feira, 2 de Maio, a lei do tabaco é discutida, na generalidade, na Assembleia da República. Está em causa a discussão sobre a proibição de fumar em locais públicos. Os direitos dos não fumadores esbarram inevitavelmente com os dos fumadores? Afinal, o que é que está previsto na nova lei? Que locais são obrigados a não ter fumo? Que alternativas vão restar aos fumadores?

30 comentários:

homo vegetus disse...

Muito boa tarde,

É com grande satisfação que vejo este tema ser abordado num programa televisivo em que é dada a oportunidade aos espectadores de contribuírem, pois aquilo que pretendo aqui fazer é dar a conhecer à maioria dos fumadores uma realidade que estes certamente ignoram. É que os principais prejudicados, no que diz respeito ao tabaco, não somos nós, são outros primatas e outros animais, vítimas de dolorosas experiências laboratoriais - muitas vezes levadas a cabo pelas próprias empresas tabaqueiras. Estas experiências são feitas para se compreender melhor as implicações para a saúde de fumar e vão continuar a ser feitas enquanto houver pessoas a insistir neste vício, sujeitando-se a fazer parte das estatísticas de vítimas de doenças pulmunares ligadas ao tabaco. Se o consumo de tabaco diminuísse significativamente, o mesmo aconteceria com as doenças relacionadas e não haveria tanta necessidade ou pressa em se realizarem estas experiências.

Ricardo Almeida

Anónimo disse...

Olá Boa Tarde!

Espero sinceramente que a lei do tabaco, nos moldes em que foi apresentada, seja aprovada, e não seja "minimizada" por interesses dos estabelecimentos comerciais.

A sugestão de implementar as mesmas leis que em Espanha parece-me inconsequente. Se ficar ao critério de cada empresário, não irão existir alterações à situação actual. Ninguém, ou quase ninguém irá passar a proibir o tabaco no seu estabelecimento porque sabe que vai ter prejuízos.

Se por outro lado, não for permitido fumar em nenhum estabelecimento (com a tal excepção dos 30% acima de 100m2) todos os estabelecimentos estarão em pé de igualdade.

E esta é, na verdade, a única forma de alterar as coisas de forma a proteger os não fumadores.

Sinceramente, estou cansado do argumento "só vens ao bar porque queres", que dá a impressão que os não fumadores deveriam ficar em casa como alternativa a respirar fumo.

Anónimo disse...

Os cigarros (e outros semelhantes) favorecem unicamente a indústria do tabaco, uma indústria que é corrupta e criminosa que de forma directa e indirecta ganha milhars de milhões devido ao sofrimento de muitos milhões de pessoas que ficam com a sua saúde prejudicada e pela morte anual de várias dezenas de milhares de pessoas por todo o mundo, isto sem contar com a enorme poluição atmosférica que o fumo dos cigarros provoca.

A indústria tabaqueira chegou ao ponto de durante décadas ter literalmente encomendado estudos ditos "científicos" que falavam dos benefícios do tabaco para a saúde, estudos estes claramente falsificados e realizados por cientistas corruptos que recebiam dinheiro dessa mesma indústria.

Só nos anos 90 é que houve estudos independentes que comprovavam os imensos problemas do tabaco, não só para quem fuma mas quem é "fumador passivo".


Por tudo isto deveria ser proibido fumar em todos os edificios/locais públicos, restaurantes, bares, etc. Fumar só deveria ser permitido em casa de cada pessoa ou somente na rua.

Liberdade significa também respeitar a saúde de outras pessoas, o que claramente não acontece sempre que um fumador fuma à frente de outras pessoas não fumadoras, sem sequer perguntar se pode-o fazer.

Paulo

Anónimo disse...

(Para deixar bem claro...)


É ridiculo que fumadores falem sobre a questão de poderem ser respeitados e ter liberdade no sentido de poderem fumar onde quiserem e quando quiserem, mesmo que estejam com não fumadores ao lado (como crianças, idosos, etc).

Como é mais que sabido que o fumar provoca graves problemas de saúde, como cancros e mesmo a morte, não são os não fumadores que devem respeitar os fumadores no sentido de "os deixar" fumarem ao seu lado mesmo se estiverem incomodados, mas sim os fumadores que DEVEM RESPEITAR QUEM NÃO FUMA e não fumar ao lado de quem não é fumador. Por isso o mínimo que cada fumador deve fazer é perguntar a todas as pessoas perto de si se pode fumar caso não o possa fazer num sitio aberto.

É uma grande irresponsabilidade e falta de educação que um fumador de forma arrogante ache que pode ter a liberdade de fumar perto de outras pessoas sabendo-se que não está só a prejudicar a sua saúde como especialmente de outras pessoas que são inocentes, que não pediram nem querem sentir sequer o fumo de outros.

A liberdade de uns termina onde ocmeça a liberdade de outros.

Paulo

Heliocoptero disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Como já referi sou fã do seu programa e vejo um pouco sempre que posso.

Os convidados hoje são pessoas que admiro mas... neste caso ambém me considero um exemplo e desculpem-me a "imodéstia"!

Fui fumadora desde jovenzinha (o meu marido também e temos 50 anos!) e ambos deixàmos de fumar de repente, por decisão própria, sem pressões nem médicos a dizerem-nos que faz mal.

A força de vontade, em minha opinião é o caminho!

Continuação de "bons programas".

Maria Amorim
Arcos de Valdevez

Pedro Manuel disse...

Olá... Boa tarde aos presentes, e desde já, os sinceros por todos os programas que têm sido feitos no Sociedade Civil.

Parabéns para a nova lei do tabaco, mas gostaria que os nossos políticos, e temos uma ilustre representante, não cedessem a interesses de ninguém. A saúde está em primeiro lugar, pois mais saúde menos despesas com a mesma.
As receitas que o Estado possa vir a adquirir com a venda do tabaco, nunca suplantarão as despesas, com as consequências da actual situação de saúde do país. Penso que é urgente e que à semelhança do que acontece nas nossas estradas, também se trava "uma guerra civil" na saúde.
Penso que menos despesas com a saúde é sempre igual a melhores serviços de saúde.

joao borges disse...

Boa Tarde!

Começo por dizer que tenho um espaço comercial onde que está proibida a acçao de fumar no seu interior.

Não sou fundamentalista mas acho que é uma questão de ética e puro bom senso, porque não é preciso haver leis para que as coisas sejam feitas da melhor maneira.
Mas infelizmente parece que vivemos numa selvagaria e apenas as leis é que ditam não estarmos a matarnos uns aos outros.

Toda a gente sabe que a culpa é do Governo Português porque é a entidade que mais lucra com os impostos sobre o tabaco e a sua produçao. Portanto não faz muita força para fazer as coisas como deveriam ser feitas (...).

Tal como se fez com as ameaças da "gripe aviária", ou de outras pragas que afectaram e afectam a sociedade, onde se eliminou o mal pela raíz, também acho que no caso do Tabaco, ele deveria ser banido de comercialização em Portugal.
Se faz mal retira-se do mercado e ponto final.

Claro que se depois dessa atitude vier " uma lei seca/fumarenta" então que venha e que os fumadores sejam penalizados com precariedade de saúde, mas ao menos temos a certeza que o Governo se empenhou e que não é um embuste.

O Tabaco é uma doença mas um mal menos face a outras questões sociais mais graves que ocorrem em Portugal, como a fome, os desalojados, ou a desigualdade económica.

Obrigado pela atençao.
Bom programa!

Heliocoptero disse...

A quem argumente que uma proibição de fumar nos locais de diversão nocturna limitaria a vida de bares e discotecas, aconselho, em resultado de experiência própria, uma estadia de uns quantos meses na Suécia: não é por lá não se permitir o consumo de tabaco em estabelecimentos com muito mais de 100m2 e até com mais de um piso que a vida nocturna sueca é menos animada, lucrativa ou até decadente.

O tabaco não é parte fundamental da animação em bares e discotecas e não, nos países onde foi proibido não houve nenhuma revolta popular ou recessão econónimca. Houve, isso sim, coragem e sentido de responsabilidade da parte da classe política que seria bom ver reproduzida em Portugal.

José disse...

Fiz uma viagem a Hong Kong, que dura 11h sem fumar, quando lá cheguei acendi um cigarro e senti-me tão mal que pensei que ia desmaiar; lamento não ter deixado de fumar logo aí. Agora ando em consultas de desabituação.

Anónimo disse...

No vosso programa dizem que anualmente e derivado ao tabaco, que morrem cerca de 5 milhoes de mortos directos (fumadores)... não sabemos os números de fumadores passivos.

Por vários motivos é correcto dizer que esses 5 milhões de mortos por doença directamente relacionada com o tabaco, foram assassinados pela indústria tabaqueira.

No entanto os responsáveis não estão no tribunal, isto porque apesar de ser uma verdadeira indústria da morte, é uma indústria que é legalizada. Mais uma vez o dinheiro fala mais alto.



Nota: uma das estratégias que a indústria tabaqueira usava e usa para angariar mais consumidores, é não oficialmente, através do uso de outros jovens e adultos oferecer cigarros a crianças nas escolas, discotecas, etc.

Paulo

Fundamentalista disse...

Fui fumador durante mais de 30 anos e nos ultimos anos a média era de 3 maços por dia.
Em Julho do ano passado, olhei para o unico cigarro que tinha no maço e disse-lhe: "meu sacana, estou farto de ti, vais ser o último". Andei um mês a dar cabeçadas na parede mas agora estou na maior.
Deixar de fumar, não custa nada a não ser uns quantos galos na testa!
Força, acabem com isso. Só precisam de força de vontade.
É bom, barato e dá milhões.

Anónimo disse...

Boa tarde,
sou fumadora... começei ha uns meses. Sempre fui contra o tabaco, estragava os cigarros aos meus pais, aconselhava os meus amigos a deixar de fumar. Agora sou eu que vivo essa realidade. Embora ainda não me tenha mentalizado que vou deixar de fumar, sei que esta nova lei vai criar certos contrangimentos que estimulam outros comportamentos aos fumadores. Espero e defendo que a lei seja aprovada...

Daniel Cecílio disse...

Muito bem. Felizmente existe a lei, mas como vão colocar em vigor?
Todos sabemos que, por exemplo, o tabaco (e não só) estão plenamente enraizados nos hábitos nocturnos dos portugueses. Quem nunca ouviu falar dos fumadores ocasionais mas, mesmo parecendo estranho à noite parece que os fumadores se multiplicam.

Quem nunca entrou numa discoteca e não passou a noite inteira com medo de ser queimado? Eu já fui duas vezes queimado.

Quem não entra numa discoteca e acaba a noite com um cheiro insuportável de tabaco na roupa.

A lei do consumo do tabaco deve a meu ver passar sobretudo por uma consciencialização para o respeito por quem não fuma.


Cumprimentos e sucessos para o programa

. disse...

olá, deixei de fumar à 10 anos e fumei durante 8 anos. Eu fumava 2 a 3 maços de tabaco por dia e deixei de um dia para outro, pois descobri o PRAZER de NÃO FUMAR !!!!!
Respiro,sinto-me bem melhor, e o meu nivel de vida aumentou desde esse dia.

Alvim

Joao Carlos disse...

Boa tarde a todos (os nao fumadores)

Pergunta: Porque nao proibir simplesmente o tabaco?

Porque da jeito ao orçamento de estado e a outros orçamentos.

Diz-se: "Tirar o fumo dos espaços publicos". Os fumadores nao querem fumar em espaços publicos mas sim em espaços semi-publicos, sob vontade dos proprietarios. Em vez de se barrar os fumadores porque nao barrar os nao fumadores que coitados pobres de espirito nao sabem escolher onde vao. É na pluralidade de sitios e da compreensão da diferença que se baseia a democracia.

A minha liberdade em cafes ou restaurantes especicificamente para fumadores nao abalroa a liberdade dos outros. Esta lei obviamente violenta-me e agride-me.

Esta lei sera imposta aos fumadores mas tambem aos nao fumadores. Quando amanha os nao fumadores que gostam de hamburgueres, alcool, desportos de risco, ... ... etc, forem proibidos de fazerem o que querem eu estarei na primeira fila a aplaudir e a dizer" Quem nao preza a liberdade dos outros nao merece a liberdade que tem.

Em memoria do vosso programa ja fumei dois cigarrinhos

Saudaçoes

JC

Naturalmente nao estou à espera que leiam este comentario no vosso programa. É assima democracia portuguesa, qua ainda nao sabe lidar com o politicamente incorrecto.

Anónimo disse...

Esta lei já vem tarde. Tenho uma prima que morreu com um cancro no pulmão, pois trabalhou 25 anos em cafés . Qual direito dos fumadores? Fumem na rua se quiserem. Tem o direito de suicidarem mas não de cometerem homícidio...

. disse...

Um produto alimentar mal embalado, é o suficiente para ser retirado do mercado, pois "PODE" fazer mal à saúde.
O tabaco TEM 4000 substancias venenosas que MATAM.

Como o Tabaco dá milhões de €€€ ao estádo...., Será que o governo está a por a economia à frente da saude????

Alvim

Anónimo disse...

"Anónimo said...
Esta lei já vem tarde. Tenho uma prima que morreu com um cancro no pulmão, pois trabalhou 25 anos em cafés . Qual direito dos fumadores? Fumem na rua se quiserem. Tem o direito de suicidarem mas não de cometerem homícidio...

15:06"



É mesmo ESSA toda a questão do tabaco e de ser necessário o proibir em espaços públicos, porque o tabaco não prejudica e mata apenas quem fuma mas também TODOS aqueles que estiverem a vários metros e a respirar o fumo dos outros.

Se a pessoa quiser destruir a sua saúde, apesar de não concordar que o faça, é a SUA escolha, agora todos os outros não fumadores não devem ser obrigados a "fumar" (fumo passivo) quando não o querem/sentem-se incomodados.

Senhores/as fumadores, respeitem a saúde de quem não fuma.

Paulo

Anónimo disse...

Boa tarde,

Gostaria que fosse discutido neste programa, a posição incoerente do Estado que regulamenta leis para limitar o consumo do tabaco, mas que é o principal beneficiado pela venda de tabaco. Por outro lado, os tratamentos e "medicamentos" são demasiado caros, o que desincentiva os fumadores a deixar de fumar.
Não me falem na falta de dinheiro para comparticipar este tipo de medicamentos, porque a relação do custo de tratamento de doentes pelo tabaco versos o custo das possíveis comparticipações a este tipo de medicamentos, a curto prazo, sairia bem mais barato ao Estado investir na comparticipação.
Num país que pretende diminuir o n.º de fumadores, o mais indicado será tratar os fumadores e actuar na prevenção junto dos jovens.
Cumprimentos.

Rui

Anónimo disse...

"Como o Tabaco dá milhões de €€€ ao estádo...., Será que o governo está a por a economia à frente da saude????"



O problema não é o dinheiro que o Estado "ganha" com o tabaco, porque este é canalizado para o serviço de saúde de forma a ajudar a *minimizar* os gastos que o Estado paga para ajudar as pessoas que sofrem de forma directa e indirecta com problemas de saúde relacionados com o tabaco. Na realidade em termos monetários o Estado tem um saldo muito mais negativo porque gasta muito mais para pagar essas despesas de saúde.

A questão sim reside no facto que como em qualquer outro país, a indústria do tabaco faz lobbie e corrompe os politicos de forma a impedir que certas medidas e leis sejam aprovadas.

Se por exemplo na Suécia os politicos aprovaram medidas mais fortes de controlo do tabaco, é porque são mais sensatos e menos corruptos que politicos em outros países.

Paulo

Luís Pinto dos Reis disse...

Não sei se estaria a escrever estas palavras se não tivesse deixado de fumar há vinte anos. Aproveito para endereçar à Maria de Belém os meus melhores cumprimentos. Fomos caloiros no mesmo ano de 1966/67 e, nas aulas, pouco mais de seis metros nos separavam, até o Sr Santos(bedel) fazer a chamada. Um abraço para si. Pode ser que a encontre um dis destes lá para A Praia das Maçãs.

Luís PINTO dos REIS

Ricardo Henriques disse...

Boas Tardes,

Mal ouvi o tema do vosso programa não hesitei em vir dár o meu comentário. Tenho 21 anos e detesto tabaco, porquê? Porque grande parte dos fumadores não têm o mínimo de respeito porque quem não fuma.

Por causa do tabaco fui posto de parte, ainda tinha 16 anos, eu queria integra-me no novo ambiente escolar, e por esse simples facto nínguem falava comigo e isolavam-me completamente.
Hoje tenho paranoia devido a isso, e todos me acusam porque não respeitar quem fuma.

Acho muito bem que seja proibido em espaços publicos, podem ver um excelente caso que é a Singapura, onde o unico sitio onde se pode fumar é em cabines pequenas.

Quem fuma tem escolha de fumar ou não fumar por isso não são os não-fumadores que têm de mudar de lugar constantemente.

Infelizmente hoje tenho de ser rude e mal criado quando alguém do nada manda fumo para cima de mim, só assim posso beber o meu café descansado e livre de fumo.

Joao Carlos disse...

Paulo

Se nao sabes os numeros é melhor nao falares sobre o assunto.

Sobre os espaços. Le o que escrevi. Os fumadores nao querem espaços mistos. Querem cafes so para fumadores dos donos aos clientes onde os nao fumadores sejam proibidos de entrar (detesto proibir coisas, mas se os nao fumadores nao querem apanhar com fumo e coitados nao sabem escolher, entao proiba-se o acesso destes a lugares so de fumadores).

Saudaçoes

JC

Joao Carlos disse...

Bom

Parece que perceberam.

Vou tomar cafe e fumar um cigarro

Ate à proxima

Saudaçoes

José Araújo disse...

Cuidado com a radicalização quando a sociedade portuguesa na sua generalidade é propicia a fundamentalizar toda a regra ...

Um teste:
Se se fizer um questinário com a seguinte pergunta:
"É a favor da aplicação da pena capital , emcrimes de violação de menores?"

A precentagem será favorávél , entenderam...?

Nesse programa se declarou que para contornar os vicios há que transmitir emoções positivas , sem qualquer necessidade de invocar as negatividades de possiveis vicios, algo que não concordo , quando é pelo confrontação dos factos que leva crianças e jovens a constatarem os maleficios de certos vicios desde drogas leves a pesadas, entre outros vicios...

Quanto a fumadores , que eu já fui e deixei por própria vontade sem qualquer necessidade de leis de imposição , porque sempre sabia quando devia fumar ou quando não devia , essa conciência é parte de nós , quando a ética , não se impôe por terceiros e muito menos por leis que quanto a estas são radicalistas , que bem podem gerrar outros conflitos sociais , quando o português adora e facilmente descrimina por incubida influência...

E não acreditem que é só fumadores que defendem a ponderação e a moderação das leis , neste ponto , como em outros que está ficando (digo eu) assutador , ao ponto de estarmos a aumentar a descriminação social pela a obsesidade , tabagismo,...segindo um dogma de modernidade perfeita , que bem pode no futuro gerrar outros mais profundos maleficios e que esses não derivados da paranóia 100% saudávél , mas doenças psicológicas , para não falar do risco da liberdade individual...

Este estado paternalista ,, que sempre invoca um bem geral , pela a colocação de poder virtual nas mãos do cidadão comum é algo surreal...

Que o exemplo americano nos sirva de lição , que aliás nesse programa pouco referiram , que é a debilidade social pela a tamanha descriminção , em prol da paranóia estética...


Cuidado o radicalismo sempre cria maiores males...Por isso informar, apoiar , é o bastante , o resto cabe a cada um decedir e não por imposições que bem pode criar desigualidade social...


Estou a exagerar...? A sociedade está ficando (Mais)austera , quando é motivade a agir de forma arbitraria sobre outrém...Um legado de muitos anos e não só de um estado novo...

Há lugar para toda a gente , quando também existe melhores formas de educar sem violar cada liberdade...

Ou qualquer dia já até condenamos , os anti-modismos , porque não agem como a generalidade , pela a lealdade aos seus próprios desejos , ideias , e ideais

José Araújo disse...

João Carlos , este tua frase já diz tudo sobre a nossa sociedade...

"Boa tarde a todos (os nao fumadores)"

Serviu bem para o meu raciocinio (inflizmente)

E logo quando tudo que é lei europeia é bom para auto-consumo...somente porque é uma lei de suposto consenso , mas será mesmo?

homo vegetus disse...

É uma pena que o programa não tenha sido em Directo, resultando que nenhum dos comentários pode ser ouvido.

Joao Carlos disse...

jose araujo

quando cheguei a esta pagina como, podes confirmar, os comenmtarios sao o que se ve. Para alem disso os convidados do programa na televisao tinham aquele discurso paternalista que eu ja tou farto. dai a minha entrada mais provocadora, e a primeira pergunta.

em todo o caso os dois argumentos seguintes devem ser lidos com atençao e seriedade (nao implica que as pessoas concordem, com é obvio).

Saudaçoes

JC

José Araújo disse...

João Carlos , na altura percebi mal o teu intuito , deixo aqui as minhas desculpas pelo o facto

Também concordo contigo , mas acho não parte do programa mas da própria cultura que é muito alinhada..Fazia falta umas fagulhas marginais...Marginais no sentido de usarem uma argumentação mais irreverente...

Para quando na RTP? Quando os galos deixarem de cantar para ludicamente discursarem

Um abraço