quarta-feira, junho 6

ESTAMOS A ALIMENTAR BEM OS NOSSOS FILHOS?

A obesidade infantil tem dados assustadores no país. Enquanto o período escolar está a decorrer os pais preocupam-se apenas com as refeições de final do dia e de fim-de-semana. E agora, com as férias? O que levar para a praia? Como controlar se a criança se alimenta devidamente?
Ouça os conselhos dos melhores especialistas na área da nutrição infantil e adequo-os aos hábitos alimentares da sua família.

154 comentários:

Anónimo disse...

(Boa tarde Fernanda, como não podia deixar de ser, já deve imaginar o que vou dizer)

-------------


Actualmente a alimentação das crianças (e pessoas em geral) é muito má. Isso deve-se a vários factores, em especial devido à manipulação e promoção de produtos nocivos à saúde por parte das empresas que os produzem.


As crianças e jovens de hoje ingerem demasiado açucar, sal, carne, lacticinios, ovos, gorduras (animais), OGMs (nos óleos de fritar, nas carnes e derivados como leite e ovos), bebidas como regrigerantes e as colas, alimentos com aditivos químicos, etc.

Todos estes pseudo "alimentos" prejudicam e muito à saúde.


Para além disso, ainda cometem outros erros nutricionais, como comer muito pouca diversidade de vegetais, legumes, frutas, cereais.

A escola, que deveria ser obrigatoriametne um local onde vendesse apenas alimentos saudáveis, é pelo contrário um dos locais que promove alimentos pouco ou nada saudáveis, por questões UNICAMENTE económicas/empresariais, prejudicando a saúde dos alunos e mesmo o seu desempenho escolar.


A educação alimentar começa desde muito cedo com a responsabilidade (ou irresponsabildiade) dos pais, dos hábitos incultidos e continua depois na escola.

Infelizmente a maioria das pessoas não faz ideia dos problemas que causam na saúde com o tipo de alimentação que têm.



Conheço um caso flagrante, de um pai que, na hora de jantar, estava a dar de comer à sua filha de 2 anos, que consistia unicamente em frango frito (tão frito que estava quase preto), e nada mais. Será que não faz ideia do quão terrivel isso é para a saúde da menina? Para cúmulo do rídiculo, ainda criticou uma outra pessoa que comia várias variedades de fruta para o jantar, sendo que a fruta é dos melhores alimentos para Humanos.

Será falta de consciencia e responsabilidade?



O ideal alimentar, não só para a saúde mas também o ambiente, é ter uma alimentação o mais natural possível, diversa, excluir produtos transformados e com químicos, biológica e vegetariana.

Paulo

Anónimo disse...

O ideal alimentar, não só para a saúde mas também o ambiente, é ter uma alimentação o mais natural possível, diversa, excluir produtos transformados e com químicos, biológica e vegetariana.

Mais informações:

www.avp.pt.vu
www.centrovegetariano.org
www.sejavegetariano.org


-----------------------


ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA

Para a melhor saúde das crianças, estas deveriam ter um regime alimentar vegetariano.

Este regime alimentar é muito mais saudável e natural, ideal para TODAS as idades.


Bebés e Crianças Vegetarianas
Vegetarianismo em Casos Específicos

• E quando o meu bebé nascer? Será possível dar-lhe uma alimentação vegetariana?

O melhor alimento para recém-nascidos é o leite materno. Se o bebé não puder ser amamentado, poderá optar pelos leites de soja especiais para bebés. Bebés vegetarianos que estejam a ser alimentados à base de leite de soja especial devem ser expostos à luz solar de fraca intensidade, durante passeios ao ar livre ao fim da tarde ou pela manhã, duas horas por semana, de forma a sintetizarem a vitamina D necessária. Alguns bebés, especialmente aqueles que vivem em climas frios, deverão beber leite de soja especial enriquecido com vitamina D. Mulheres vegetarianas que estiverem a amamentar devem ter o especial cuidado de consumir boas quantidades de alimentos ricos em vitamina B12, pois os níveis desta vitamina no leite materno são afectados pelas escolhas alimentares da mãe e são importantes para o bebé.

A partir do quarto ou quinto mês de idade já se poderão incluir outros alimentos na alimentação do bebé. A adição de novos alimentos deve ser feita lenta e gradualmente, adicionando um alimento de cada vez:

4 a 5 meses:

Alimentos ricos em ferro poderão ser adicionados, tais como os cereais enriquecidos. O primeiro cereal que deverá ser incluído na alimentação do bebé deve ser o arroz, podendo ser adicionado ao leite materno ou ao leite de soja especial.

6 a 8 meses:

Nesta fase deve fazer-se a introdução dos vegetais. Estes devem ser consumidos com uma consistência pastosa (bem cozidos e reduzidos a puré). Batata, feijão verde, cenouras e ervilhas são boas escolhas. Após a inclusão dos vegetais na dieta diária, as frutas deverão ser o próximo alimento a incluir nas refeições diárias do bebé. Frutas em puré, como as bananas ou os pêssegos maduros, e sumos de fruta – por exemplo, sumo de maçã – são formas eficazes de apresentar ao bebé novos alimentos.

A partir dos oito meses:

Aos oito meses de idade, a maioria dos bebés já está pronta para incluir na sua alimentação bolachas, pão (e outros cereais secos) e alimentos proteicos, tais como o tofu (bem cozido e reduzido a puré), ou algumas leguminosas, como o feijão (bem cozido e reduzido a puré). A evolução de uma alimentação vegetariana cada vez mais variada e convencional, embora sempre com os devidos cuidados para que seja completa e equilibrada, deverá acontecer, a partir dos oito meses, exactamente como aconteceria se não fosse vegetariana – a única diferença que existe são os alimentos que os bebés comem, mas os processos de alimentação e crescimento são os mesmos.

• A minha filha tem 8 anos, gosta muito de animais e diz que não os quer comer. Não será muito nova para ser vegetariana?

As crianças e os adolescentes necessitam de uma alimentação muito nutritiva e energética. No entanto, o seu estômago ainda é bastante pequeno. Para ter a certeza de que a criança está a ingerir as quantidades de energia necessárias para um eficaz desenvolvimento e crescimento, poder-se-á seguir uma dieta polifraccionada, ou seja, que inclua várias refeições ao dia, com alimentos ricos em hidratos de carbono complexos, fibras, vitaminas e minerais, conjugando nos lanches da manhã e da tarde cereais e frutas.

Encorajar as crianças a mastigar bem os alimentos é uma forma simples de contribuir para uma melhor absorção e aproveitamento destes. Com base nos mais recentes estudos nesta área, pode-se afirmar que as crianças que têm uma dieta baseada em frutas, vegetais, cereais e legumes, entre outros produtos de origem vegetal, desenvolvem-se mais saudavelmente do que crianças que fazem uma alimentação omnívora.

Os bebés amamentados naturalmente, bem como os bebés alimentados a leite de soja especial, apresentam um desenvolvimento mais lento em comparação com bebés alimentados com fórmulas especiais à base de leite de vaca, o que sugere que existe uma proximidade entre a alimentação natural (leite materno) e a alimentação vegetariana (leite de soja), sendo esta a mais adequada ao ritmo natural de crescimento do bebé. Tal como acontece com os bebés, as crianças vegetarianas apresentam um desenvolvimento menos acelerado do que as crianças não vegetarianas porque não incluem na sua alimentação alimentos nutricionalmente enriquecidos de uma forma artificial (como é o caso dos alimentos animais). Esta diferença é evidente durante a infância, mas dissipa-se na adolescência e não tem consequências negativas para estas crianças e para o seu desenvolvimento posterior.

http://www.sejavegetariano.org/index.php?option=com_content&task=view&id=26&Itemid=50



----

Mais artigos sobre alimentação infantil e vegetariana:

http://www.centrovegetariano.org/Cat-34-Sa%25FAde%2Binfantil.html

Anónimo disse...

2 perguntas para os nutricionistas:


- Considera que uma alimentação à base de alimentos biológicos, não transformados e sem aditivos químicos, seja melhor para a saúde?

- Concorda que uma criança possa obter todos os nutrientes que precise através de uma alimentação vegetariana, e que este tipo de alimentação para bebés e crianças, desde que bem cuidada, seja mais saudável que uma alimentação omnivora?

Caso a resposta seja negativa, como explica que existam milhões de bebés/crianças vegetarianas e de boa saúde por todo o mundo? (pessoalmente conheço várias)


Paulo

Anónimo disse...

Gostaria de fazer mais uma pergunta:

- Em relação à saúde, e sendo que existem muitos estudos independentes que PROVAM que os OGMs fazem mal à saúde, pergunto, qual a sua opinião sobre os "alimentos" geneticamente modificados na questão da saúde, se concorda com esses estudos, se concorda que haja riscos como esses estudos o comprovam?

(ver alguns em www.stopogm.net )


NOTA: Os transgénicos estão presentes em muitos óleos de fritar, alguns outros produtos mais gerais, e em especial nas carnes e derivados, pois os animais são alimentados com soja, milho (etc) transgénica.

Pedro disse...

“ Somos aquilo que comemos”.
A frase não podia ser mais acertada. De facto, uma alimentação equilibrada é determinante para o bem estar físico e mental. Só que esta relação causa-efeito está a passar ao lado da maioria. A prova está na adesão massiva ao fast-food que além de atrair os graúdos, cedo conquista os miúdos. Sem se substituir aos pais, há quem veja na escola um espaço privilegiado para a educação alimentar. Certo é que a “Roda dos Alimentos” sempre constou dos currículos das disciplinas de ciências. Mas aquilo que se come nos refeitórios escolares, está de acordo com o que os livros ensinam?

Pedro Marinho
Arcos de Valdevez

Pedro disse...

Outros aspectos há ainda a considerar: gestão dos espaços, funcionamento dos refeitórios, controlo higiénico-sanitário de instalações, funcionários e alimentos e até os projectos de educação alimentar específicos. Tudo importa para sabermos o que se come nas nossas escolas, para no final sabermos quem é a nossa população estudantil. De pequenino se torce o pepino…”A educação do paladar deveria começar no momento em que a criança deixa o leite materno e inicia uma alimentação diversificada. Se deixarmos o açúcar e o sal fora da dieta, elas vão ter menos apetência para os paladares doce e salgado.” Independentemente do grau de ensino, o refeitório deve ser visto como um espaço de educação e enquanto tal “pode não contribuir para uma mudança imediata dos hábitos alimentares, mas terá sempre de funcionar como modelo de alimentação a seguir.”

Pedro Marinho
Arcos de Valdevez

Pedro disse...

Os Professores dêem o exemplo comendo nas cantinas e não nos restaurantes porque os alunos se apercebem de algo não está correcto, as crianças no seu discernimento entendem certas atitudes que para nós adultos são normais e passamos indiferentes mas para eles tudo conta, é fundamental criar jovens saudáveis e regras para todos nos padrões da educação porque eles frequentam uma escola onde se ensina e não um mero espaço que por vezes se torna numa selva onde cada um sobrevive como a mãe natureza lhe permite.

Pedro Marinho

Arcos de Valdevez

Pedro disse...

“ Somos aquilo que comemos”.
A frase não podia ser mais acertada. De facto, uma alimentação equilibrada é determinante para o bem estar físico e mental. Só que esta relação causa-efeito está a passar ao lado da maioria. A prova está na adesão massiva ao fast-food que além de atrair os graúdos, cedo conquista os miúdos. Sem se substituir aos pais, há quem veja na escola um espaço privilegiado para a educação alimentar. Certo é que a “Roda dos Alimentos” sempre constou dos currículos das disciplinas de ciências. Mas aquilo que se come nos refeitórios escolares, está de acordo com o que os livros ensinam?” Outros aspectos há ainda a considerar: gestão dos espaços, funcionamento dos refeitórios, controlo higiénico-sanitário de instalações, funcionários e alimentos e até os projectos de educação alimentar específicos. Tudo importa para sabermos o que se come nas nossas escolas, para no final sabermos quem é a nossa população estudantil. De pequenino se torce o pepino…”A educação do paladar deveria começar no momento em que a criança deixa o leite materno e inicia uma alimentação diversificada. Se deixarmos o açúcar e o sal fora da dieta, elas vão ter menos apetência para os paladares doce e salgado.” Independentemente do grau de ensino, o refeitório deve ser visto como um espaço de educação e enquanto tal “pode não contribuir para uma mudança imediata dos hábitos alimentares, mas terá sempre de funcionar como modelo de alimentação a seguir.” Nos níveis de ensino abrangidos pelo estudo da DECO, o CE é o responsável número um pelo refeitório. Assim, mesmo que ele esteja concessionado a uma empresa de restauração, a administração da escola deve sempre fiscalizar a qualidade nutricional das ementas, a higiene do espaço e dos manipuladores de alimentos. E é fácil perceber porquê. Ainda que os técnicos de acção social das Direcções Regionais de Educação (DRE) e dos Centros de Área Educativa (CAE) confirmem que o trabalho de supervisão e acompanhamento da actividade dos refeitórios seja uma das suas funções, todos concordam que é in loco que se detectam os problemas. Torna-se, assim, claro que só o CE, sempre presente na escola, poderá fazer fiscalização de forma contínua, visando sempre controlar também a conduta dos alunos no momento que aguardam nas filas de forma ordeira fiscalizando todo o ambiente da cantina evitando sempre actos de violência que por vezes se registam nas filas, como também é importante que os Professores dêem o exemplo comendo nas cantinas e não nos restaurantes porque os alunos se apercebem de algo não está correcto, as crianças no seu discernimento entendem certas atitudes que para nós adultos são normais e passamos indiferentes mas para eles tudo conta, é fundamental criar jovens saudáveis e regras para todos nos padrões da educação porque eles frequentam uma escola onde se ensina e não um mero espaço que por vezes se torna numa selva onde cada um sobrevive como a mãe natureza lhe permite.

Pedro Marinho

Resposta do Governo
Para: Pedro Marinho

Presidência do Conselho de Ministros
of.n.20326
E.N.19449
P.N.11373/2006

Exmo. Senhor
Encarrega-me o Senhor Primeiro Ministro, Eng.º José Sócrates, de acusar a recepção do e-mail de V. Exa., de 4 de Dezembro, sobre alimentação nas escolas e de informar que lhe foi prestada a devida atenção.
Com os melhores cumprimentos
O Chefe de Gabinete
Pedro Lourtie

joana disse...

tento ter cuidado com a alimentação da minha familia, mas por vezes é complicado dizer a 1 criança q ela não deve comer certos e determinados produtos, e por trás, os avós oferecem-lhe uma variedade imensa de goluseimas!!!no meu ponto de vista, todos nós devemos comer de tudo, mas com conta,peso e medida, sem exageros nem radicalismos, como é o caso do vegetarianismo! olhemos p a roda dos alimentos, não se encontra lá o famoso tofu!!!Se houver 1 pouco de bom senso, nota-se q mtos dos produtos vegetarianos são de conserva, todos enlatados!!!

As conservas fazem mal à saúde, certo?

Sara disse...

Boa tarde!

Não. A produção de alimentos é cada vez mais invadida pela introdução de pesticidas, químicos, OGM’s, etc.. A maioria dos animais e das plantas são “cultivadas”, “produzidos” em regime intensivo, sujeitas a tudo isso que é muito prejudicial à saúde e que, apesar de o ser, continua a ser implementado, fomentado e apoiado, mesmo com mentiras…

O que é que esses animais comem? Não, não é ervinha fresquinha e natural do pasto! Será que o que eles comem é saudável? Não. Basta lembrarmo-nos de certas doenças por que passaram certos animais de regime intensivo como os suínos e as vacas (lembram-se da doença das vacas loucas? E da recente gripe das aves?). Então, como é que o consumo que alimentos “doentes” pode ser saudável? E as regras de higiene, será que são sempre cumpridas? A fiscalização existente assegura isso? Não me parece…

Também gostaria de saber o que pensam os convidados do Sociedade Civil acerca das questões que o Paulo fez. Obrigado.

Maria disse...

Penso que a melhor alimentação será aquela que é o mais variada possivel.

Anónimo disse...

(Fernanda, desculpe ser "chatinho", mas aqui fica uma 4ª questão para os nutricionistas)


- Considera que a carne, que é produzida de forma intensiva (ou seja, 99% da carne), que contem muitos quimicos, hormonas, antibióticos, etc, seja saudável para a saúde?

(NOTA: Excepto carne biológica, toda a carne contêm estes produtos)

Tiago disse...

Tofu é feito a partir de soja, uma leguminosa. Rever a proporção de leguminosas que se aconselha na roda de alimentos.

Pedro disse...

http://blogs.arcosdigital.com/linguaafiada/?p=108

Sara disse...

Boa tarde,
Apenas um comentário relativo ao significado da palavra "breakfast": ao contrário do que foi dito no programa, não quer dizer intervalo (break) rápido (fast), mas sim quebrar (break) o jejum (fast).
Sara Silva

Mário disse...

Qual é a diferença entre o pão escuro e o pão claro!!! se podessem dar exemplos Se faz favor!!! e já agora para combater a obesidade infantil, porque que a obesidade não é considerada doença para que se possa por no IRS patins, bicicletas, e outras actividades que ajudem a combater a doença que para os nossos governantes não é doença!!!

Sara disse...

Outra coisa: acho que cada vez nos preocupamos menos com aquilo que comemos.

Normalmente as pessoas preferem comer aquilo que lhes sabe bem, coisas que gostam independentemente de serem ou não saudáveis. E isso até nas cantinas de qualquer escola, faculdade, etc. se vê. Muitas vezes aderem a refeições como pizzas, fritos, rissóis, lasanhas, etc., não deixando alternativa aos indivíduos que lá têm que comer quase diariamente (por razões de trabalho ou estudo, por exemplo).

E quê? Vamos andar a trazer coisas e casa e a fazer picnick's? =)

Marta disse...

Não sou mãe, mas não consigo compreender como é que existem pais que são tão negligentes ao ponto de permitirem que as suas crianças usem e abusem de doces e sal. E infelizmente, não é preciso ligar as tvs para se ouvirem esses estudos. Tenho o exemplo de uma criança em que o seu pequeno almoço são 4/5 bolos de chocolate e um leite de chocolate, que faz birra sempre que não come pizza ou hamburgeres... Neste caso não falamos em questões economicas, pois o valor que os pais pagam por todas estas coisas, vai de encontro a qualquer tipo de carne ou peixe. Infelizmente neste caso falamos de desleixo e da falta de tempo dos pais para com este filho que é compensado por guloseimas. E se por vezes tentamos dizer alguma coisa dizem-nos que ele faz desporto e por isso estes "miminhos" não lhe faz mal. Esta criança tem 10 anos e já pesa cerca de 50kg... Felicidades para o programa, para os convidados e para a Fernanda

Tiago disse...

Julgo que o uso de Hormonas em animais para consumo humano é ilegal na União Europeia.

Quanto às conservas vegetarianas, produtos "ecológicos", "verdes" e tal é nicho promissor de mercado. Equivalente talvez ao número previsto de centrais de biomassa para Portugal, que necessitarão de árvore propositadamente criadas para as alimentar, pois não existe matéria florestal morta que chegue para as alimentar (empresas madeireiras já usam estes restos em seu benefício).

Tiago disse...

Fabrico caseiro de tofu:

http://www.bryannaclarkgrogan.com/page/page/3009045.htm

O tofu que já comprei não era de conserva.

Anónimo disse...

Gostaria de saber, para uma família vegetariana que não come peixes nem carnes, se é necessário tomar algum suplemento vitamínico?
Obrigada e parabéns pelo programa.

Sílvia

Anónimo disse...

"olhemos p a roda dos alimentos, não se encontra lá o famoso tofu!!!Se houver 1 pouco de bom senso, nota-se q mtos dos produtos vegetarianos são de conserva, todos enlatados!!!"


Cara Joana,

A roda dos alimentos ainda está imperfeita, apesar de ter melhorado bastante nos ultimos anos. Nos anos 90 a percentagem de carne e derivados que aconselhavam para comer, era ENORME, os próprios médicos aconselhavam a que TODOS os dias se come-se carne e derivados... é claro que todos estavam errados, e a prova disso é que agora estão a admitir que só se deve comer muito moderadamente.

A realidade é que a "roda dos alimentos" não é verdadeiramente baseado no que é alimentação natural e saudável, mas sim é criada por pressão dos lobbies... para bom entendedor.


Isso dos enlatados não é verdade, a maioria não é enlatados, e quanto da carne também não é enlatada? Enlatado não significa que seja negativo para a saúde, depende isso sim dos ingredientes.

Eu pessoalmente raramente como alimentos enlatados, quanto mais natural for melhor, para mim e o ambiente.

Experimente ver os sites que indiquei no inicio da página para ter mais informação.

Paulo

(PS: o que a Sara disse é bem verdade)

Francisca disse...

Um pedido:

Diz-se que hoje em dia os maus hábitos alimentares estão associados ao poder do marketing, à falta de tempo para os filhos, ao stress da cidade...

E antigamente? Antigamente a informação de uma dieta saudável não chegava às aldeias e as pessoas comiam de tudo! Os pais iam trabalhar, deixavam as crianças à mercê de familiares ou de uma ama particular e estas que impregam a ideia do "quanto mais gordinhos melhor, é sinal que não passam fome" impingiam comida às crianças a toda a hora. Por favor, falem sobre isto, porque gostava de compreender o porquê disto.

Marta disse...

O pão deve ser desmistificado! Ou não?

Afinal quantos pães podem-se comer por dia? A minha filha adora pão torrado (sem nada!) e come cerca de 3 ou 4 ou mais por dia. Será que é um erro? Ela gosta de comer um pão e fruta.

Eu própria também sou apreciadora de pão, e compro quase sempre pão de mistura e de soja. Já agora, o pão de soja é recomendável?

Obrigada e muitos parabéns pelo excelente programa!

Anónimo disse...

"Qual é a diferença entre o pão escuro e o pão claro!!!"

O pão branco não tem nenhum valor nutricional e é preferivel não ingerir pão branco. Pão "escuro", é pão integral (normalmente) e assim, de muito boa qualidade comparado com o branco.

Cuidado com os ingredientes, porque muitos pães têm aditivos que fazem mal à saúde.

Deve-se optar sempre por pão integral, arroz integral, etc etc.


Paulo

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Devemos fazer compras sempre depois do almoço...já não temos fome e compramos menos "gordura",percebem.

Pedro Marinho
Arcos de Valdevez

Anónimo disse...

"Gostaria de saber, para uma família vegetariana que não come peixes nem carnes, se é necessário tomar algum suplemento vitamínico?
Obrigada e parabéns pelo programa.

Sílvia"


Não.

Não é necessário qualquer suplemento.
O segredo é ter um regime alimentar DIVERSO que contenha legumes, cereais, vegetais e frutas.


Só nos casos de vegetarianos puros (veganos), é que tem de se ter cuidado com a B12, mas isso é muito fácil de solucionar.

Paulo

Sara disse...

Há alguns meses tive que ir a um infantário algumas vezes para fazer um trabalho de grupo de faculdade. Uma das educadores que falou connosco relatou vários casos de crianças mal alimentadas. Vários encarregados de educação não se preocupam em deixar pequeno almoço e lanche para a criança, ou deixam certos alimentos menos apropriados como batatas fritas. A mãe de um menino, inclusive, foi alertada por uma educadora porque todas as manhãs alimentava o seu filho apenas com 1 bolicao. E ela respondeu à educadora que não tinha mais o que dar à criança e se elas não concordavam, que fossem elas a dar-lhe de comer... (E, felizmente, neste caso elas asseguram-lhe o pequeno almoço)

Pedro disse...

Vão fazer uma Fusão de duas Escolas aqui em Arcos de Valdevez, como se vai dar de comer a 2300 alunos...numa cantina, 90% das crianças estão na escola e comem lá que alimentação será esta haverá qualidade???

Pedro Marinho
Arcos de Valdevez

Tiago disse...

Embalagens de vidro para conservas não será uma melhor solução?

Outro problema associado às conservas são os resíduos e todo o processo industrial

Anónimo disse...

"Afinal quantos pães podem-se comer por dia? A minha filha adora pão torrado (sem nada!) e come cerca de 3 ou 4 ou mais por dia. Será que é um erro?"


Sim é um erro.

Não se deve comer grandes quantidades de pão por dia, em especial pão branco, e o pão torrado faz mal à saude.

Paulo

Anónimo disse...

""quanto mais gordinhos melhor, é sinal que não passam fome" impingiam comida às crianças a toda a hora. Por favor, falem sobre isto, porque gostava de compreender o porquê disto."

Isso é uma questão de má informação e de mentalidade.

A informação é que cria sensibilização, muda as mentalidades e os hábitos.

Paulo

Paulo Sempre disse...

Boa tarde, fernanda

Culpados pela obsidade infantil:
- Sociedade de consumo;
- Ausência de tempo suficiente, por parte dos país, para, com o seu afecto e relação de proximidade, poderem dar, em quantidade suficiente, o melhor alimento: "afecto".
A falta de afecto é substituido por uma "alimentação de plástico" sem controlo. Importa, para muitos país - e outros encarregados de educação - é que a crianças os deixem em sossego mesmo sob pena de lhes oferecer rebuçados, bolos e afins...
Para a praia devem ser levados. disponibilidade, atenção, sorrisos e afectos, o melhor alimento das crianças...

Paulo Sempre

Anónimo disse...

"Embalagens de vidro para conservas não será uma melhor solução?"


As embalagens de vidro são, de longe e de todos, a MELHOR forma de armazenar alimentos e proteger o ambiente.

Vidro pode ser 100% reciclado indefinidamente e não emite quaisuqer produtos tóxicos para os alimentos.

Pelo contrário os pacotes tretra pack, embalagens de aluminio, plástico (Etc), fazem mal à saúde e são prejudiciais ao ambiente.

Devia ser obrigatório usar-se só vidro.

Paulo

Mário disse...

Já viu o preço da fruta? acha que vão descer a margem de lucro de um pacote de batatas para o de uma salada de frutas!!!

Daniela disse...

Concordo com tudo o que se tem dito, mas também acho que os pais hoje em dia concedem tudo e mais alguma coisa aos filhos por 2 razões: 1º por falta de tempo, os pais não têm tempo para os filhos e por isso dão-lhes tudo o que querem; 2º porque na tv passam todos os dias imagens sugestivas com indicações sugestivas, como por exemplo refrigerantes sem acuçar, sumos de fruta ligth.
Será que estes pais não terão também medo que os filhos sejam alvo de exclusão na escola, é que como sabemos é muito diferente uma criança que tem um lanche de 1 pão e 1 iogurte e uma criança que leva um bollicao e uma cola?
Hoje em dia já não se vê muitas crianças a irem de lancheira para a escola.

Anónimo disse...

O PRINCIPAL responsável pela obesidade infantil é a gordura animal, que faz muito mal à saúde, para além do açucar.

Encontramos gordura animal em TUDO que seja carnes, manteiga, leite, yogurtes, queijo, ovos, etc.

Nas plantas a gordura que existe é de boa qualidade e não provoca esses problemas, sendo que a gordura do azeite é considerada a melhor.

Só se fritar a gordura vegetal é que esta se pode tornar nociva.


A MELHOR SOLUÇÃO PARA A OBESIDADE::
Ser vegetariano

Paulo

vfanunes disse...

Estudo numa escola secundária cooperativa (semi-privada). Do bar foram retiradas as batatas fritas e os refrigerantes, no entanto há sempre bolos de pastelaria do dia. Não será obrigação do Ministério da Educação ou de outra qualquer instância zelar pela saúde alimentar dos alunos portugueses? Se não houver hipotese de escolha creio que ninguém rejeita uma alimentação saudavél.


Vanessa Nunes 16anos

Alexandra Andrade disse...

Boa tarde! Penso que a alimentação na escola secundária (ensino que eu frequento) é péssimo, não há pão de mistura, há imensos bolos, fritos e sumos. Penso que quem decide e quem escolhe o que se deve ter nos bares para consumo deveria rever seriamente com ajuda de alguém qualificado as prioridades!!por exemplo na escola básica onde eu andei deixaram de ter fritos todos os dias para terem fritos apenas uma vez por semana.. é um principio!!
Quanto ao almoço nas cantinas não há razão de queixa...

Maria Gonçalves disse...

Sou professora numa escola básica e, numa destas manhãs em que cheguei mais cedo à escola estive a apreciar a chegada da camioneta dos alunos. Qual não foi o meu espanto quando verifiquei que em vez de se dirigirem logo para a porta da escola se dirigiram para a "lojinha" para comprar gomas, rebuçados, chicletes, coca-cola, etc... obviamente não vendidos na escola!
Costumo ir comer à cantina da escola, para melhor apreciar o que por lá se come, e refilo sempre com os alunos que recusam os pratos cque não têm nada "verde". Também é verdade que de legumes só costumam servir alface ou ervilhas...

Maria Filomena disse...

Lembro-me sempre daqueles pequenos-almoços das novelas brasileiras, com café, sumo, bolos, croissants, doces, frutas, ... Então isto é um bom estereótipo ou não? Aquele pequeno-almoço é saudável, recomendável,...? Ou é só uma bela imagem veiculada pela televisão que para além de não acontecer na realidade ainda é pouco recomendável?

Ana Botas disse...

Tenho 28 anos e ainda não sou mãe, mas muito sinceramente estou extremamente preocupada com o que está à disposição das crianças hoje em dia! Começando pelas escolas... Mesmo que os pais queiram incutir nos filhos uma alimentação saudável, a maior parte das refeições que eles fazem é fora de casa. É completamente impossível os pais controlarem isso. Na minha cidade o Dia da Criança, foi comemorado levando as crianças, PELOS PROFESSORES da escola do 1º Ciclo, até ao Mac Donald's!!! SEM COMENTÁRIOS...

Sara disse...

Sim, e o caso dos preços dos produtos?

Fica mais barato sobremesas e chocolates e batatas fritas e outros deste género do que os legumes e a fruta e os vegetais e outros alimentos saudáveis, que são cada vez mais caros!
Isto é fomentar o consumo de alimentos prejudiciais à saúde!

teresa disse...

ola..
boa tarde,eu queria dizer que muitas das vezs a saude das criaças e niglegenciada,pela familia,eu tenho uma sobrinha de 12 anos(mas veste roupa de 8 anos),que tem varios problemas de saude graves,onde os medicos pedem para ela comer fruta e legumes,mas no entanto isso so e feito nos primeiros dias que ela sai do hospital,pq logo a seguir vem as goluseimas,as batatas fritas,(sao uma constante)e nao come sopas nem nada,ja discuti por diversas vzes com a mina sogra que e a pricipal responsavel,mas parece que nao liga...ps:a miuda vai ter de ser transplantada a um rim,tem anemia,e possivelmente ainda nao detectado sofre de doença de cronh
...teresa silva ourem

Francisca disse...

Preocupa-me também o facto de os supermercados estarem repletos de alimentos OGM e ninguém se aprecebe disso, pois nem é evidenciado nos rótulos!! Marcas bastante conhecidas...

Anónimo disse...

"Lembro-me sempre daqueles pequenos-almoços das novelas brasileiras, com café, sumo, bolos, croissants, doces, frutas, ... Então isto é um bom estereótipo ou não? Aquele pequeno-almoço é saudável, recomendável"


Café, bolos, doces e sumos que tenham ingredientes químicos fazem mal à saúde.

Frutas e sumos naturais são um dos alimentos mais importantes.

Paulo

iMiguel Duarte disse...

Boa tarde pessoas!!

Então... doenças como cancro e os diabetes são causadas em grande parte pela péssima alimentação tão característica desta sociedade actual. Morrem todos os anos imensas pessoas devido a estas doenças e outras parecidas mas com uma causa comum: a má alimentação.

Torna-se então necessário encontrar a cura para estas doenças apesar de todos sabermos que o melhor remedio é a prevenção. Mas o facto de estarem milhares de 'cérebros' por todo o mundo a trabalhar e a fazer pesquisas no sentido de encontrar uma CURA DEFINITIVA para o cancro e as diabetes, faz-me acreditar quase cegamente que vamos chegar á cura mais cedo do que imaginamos. Sim, falo da cura definitiva, neste caso dos diabetes e do cancro porque são das doenças mais graves que advêm de uma má alimentação...

A minha mãe acha-me ridiculo por sustentar esta tese e eu acho a mesma coisa por ela achar o contrário...

Qual é a vossa opiniao?

marta disse...

OK. A minha filha come pão torrado, mas não é esturricado, bem sei que faz mal se estiver muito torrado; torrado é aquecido, pronto, quente e com uma "corzinha"; e ela come pão de mistura ou soja. Mas ela não come manteiga, fiambre, queijo, chocolates de barrar, etc., dentro do pão; simplesmente gosta de comer o pão antes de comer a fruta (eu cá desconfio que isto foi algum truque de nutrição que ela leu algures). Mas afinal ela faz bem ou mal?!

Anónimo disse...

"Preocupa-me também o facto de os supermercados estarem repletos de alimentos OGM e ninguém se aprecebe disso, pois nem é evidenciado nos rótulos!! Marcas bastante conhecidas..."


Infelizmente as empresas colocam "contêm organismos geneticamente modificados" em letras muito, muito pequenas e quase escondidas. É preciso ter cuidado de se ler TODA a embalagem antes de se comprar o produto paa evitar comprar produtos com OGMs.

Produtos que contenham OGMs, só é obrigatório rotular a partir de 0,9%.

No entanto TUDO o que seja de origem animal contem OGMs, pois não é obrigatório rotular a carne e derivados.

Mais um bom motivo para se ser vegetariano.

Paulo

Francisca disse...

Gostava que falassem dos riscos do café...

Filipe Albuquerque disse...

Comer intervaladamente e com moderação,não abusar do sal ou dos açucares, evitar os refrigerantes,os fritos assim como os doces em exagero, fazer uma alimentação variada e portanto Omnivora...todos estes são os passos evidentes de 1 alimentação saudavel e equilibrada porque a oferta é muita e independentemente da origem muitos produtos não tem a qualidade devida...algums destes são aparentemente politicamente correctos,visam uma classe média ilustrada vendendo o que não são ...produtos light ou enriquecidos com cálcio e vitaminas suscitam uma segurança aparente que nem sempre é REAL!

Matilde disse...

Os pais não se devem desmarcar da alimentação das crianças, mas penso que as escolas também não. Não adianta em casa dizermos aos nossos filhos para não comerem o que lhes faz mal, se eles chegam à escola e se têm à sua disposição tudo e mais alguma coisa. Devia existir uma cooperação entre pais e escolas. Não adianta ter uma Roda dos Alimentos exposta na cantina se no bar ao lado tem tudo e mais alguma coisa que eles não devem ingerir.
São hábitos e costumes que já vêm do tempo em que eu andava na escola em que não havia a preocupação de sermos gordinhos ou não, e o que queriamos era comer tudo o que gostavamos.
Quantos mais anos e estudos serão precisos para que as mentalidades mudem?
Ou pior ainda quantas mais doenças serão necessarias para que as pessoas e governos tomem consciencia do que se tem de fazer?
É que a sensação que tenho, é que durante um tempo vamos realmente fazer alguma coisa para mudarmos o rumo das coisas, mas daqui a uns meses já não vamos ligar em nada ao estudo que fizeram e lá vamos nós voltar ao mesmo.
Felicidades para o programa!

ruter disse...

Bem alimentar os nossos filhos é uma tarefa muiiito díficil. AS FESTAS e as PRENDINHAs que se distribuem no final das festas em SAQUINHOS cheios de DOCES e guloseimas que são hábitos que já vieram para ficar. Quando me calha a mim, opto por plasticinas, desenhos da net para pintar, balões, etc Tenho mais trablho mas é uma questão de princípio. Evito levar o meu filho ao supermercados porque acabo por ceder trasendo chocapits, estrelitas com aliciantes brinquedos previamente mostrados nos canais para crianças.
Temos muitos INIMIGOS à nossa volta.

Anónimo disse...

"OK. A minha filha come pão torrado, mas não é esturricado, bem sei que faz mal se estiver muito torrado; torrado é aquecido, pronto, quente e com uma "corzinha"; e ela come pão de mistura ou soja. Mas ela não come manteiga, fiambre, queijo, chocolates de barrar, etc., dentro do pão; simplesmente gosta de comer o pão antes de comer a fruta (eu cá desconfio que isto foi algum truque de nutrição que ela leu algures). Mas afinal ela faz bem ou mal?!"


Dessa forma não será tão negativo, mas também não é positivo. O ideal será que ela coma isso sim, apenas pão integral, e não aquecer esse pão, muito menos fazer torrada.

Mas nesse caso não parece ser um assunto grave, apenas não é aconselhável.

Paulo

Anónimo disse...

"Gostava que falassem dos riscos do café..."

O principal problema do café é a cafeina, que é adictiva (considerada mesmo uma droga leve) e ainda por cima descalsifica os ossos. Outro problema é o açucar usado que também faz mal.

Paulo

Anónimo disse...

gostava de saber se a ausência da carne na alimentação das crianças tem algum peso ou nem por isso? o que dizer das crianças vegetarianas?

Contra-balançar disse...

Sr. Paulo,

sejamos todos vegetarianos e o mundo será um lugar melhor.

Dê respostas adequadas às sociedades contemporâneas, por favor, sem juízos de valor!

Não podemos fechar os olhos à realidade que nos cerca e ao facto de os hábitos alimentares serem uma construção social longa que está de acordo com muitos aspectos geográficos, etc. Portanto não vamos fazer o elogio do vegetarianismo; nem ponho em causa o vegetarianismo; simplesmente temos que verificar o que comem, como, porquê, e o que fazer para mudar os hábitos alimentares da generalidade da população portuguesa, e neste contexto bem sabemos que os vegetarianos são uma minoria e as opções vegetarianas no mercado são escassas e inflacionadas.

Sejamos realistas.

Francisca disse...

Paulo, as frutas e os vegetais não biológicos são OGM.


Ser vegetariano é não comer carne? Se eu só como peixe, posso dizer que sou vegetariana?

Anónimo disse...

"Evito levar o meu filho ao supermercados porque acabo por ceder trasendo chocapits, estrelitas com aliciantes brinquedos previamente mostrados nos canais para crianças.
Temos muitos INIMIGOS à nossa volta."


Esses inimigos são as empresas, que não têm escrupulos para vender qualquer produto que seja, por mais nocivo que seja.

Neste caso é a vida das crianças e o seu desenvolvimento que está em causa, e os pais e encarregados DEVEM obrigatoriamente tomar acção para impedir que a criança seja prejudicada.

Paulo

Teresa de Souza-Cardoso disse...

Boa tarde Fernanda
Sou Educadora de Infância e Coordenadora Pedagógica de um Centro da Obra Diocesana de Promoção Social e, apesar dos nossos Centros se destinarem, principalmente, a crianças carenciadas dos Bairros Sociais do Porto, venho testemunhar ser a alimentação fornecida às nossas crianças, absolutamente criteriosa e devidamente supervisionada por um Nutricionista.
Inclusivamente o nosso Projecto Pedagogico é a "Alimentação e Saúde".
Posso pois testemunhar estar a Obra Dicesana de Promoção Social do Porto a alimentar bem os nossos filhos. Teresa de Souza-Cardoso

Cláudia disse...

Olá , sou mãe de dois meninos, um de 2 anos e meio e outro de 2 meses, sou médica e toda a vida fui gorda.Jurei que os meus filhos não o vão ser, devo estar no bom caminho porque o alimento favorito do Miguel são broculos e apesar de estar no percentil 95 de peso tb está no comprimento. A minha pergunta é se estarei a exagerar quando peço para no infntário não lhe darem pão com tulicreme e leite com chocolate 3 vezes por semana (é o único que nesse dia come pão com manteiga e leite simples...

Francisca disse...

A genética também influencia, mas não determina.

Anónimo disse...

"Francisca said...
Paulo, as frutas e os vegetais não biológicos são OGM.

Ser vegetariano é não comer carne? Se eu só como peixe, posso dizer que sou vegetariana?"


Não, na Europa produtos OGMs TÊM de obrigatoriamente ser rotulados. Na Europa os produtos OGMs que mais se vendem são a soja e milho, que são quase todos utilizados para alimentar animais de criação intensiva.

O único problema dos alimentos não biológicos (e não OGM obviamente), é terem sido produzidos com químicos, o que faz mal ao ambiente e a nossa saúde.

Por isso preferencialmente, sempre que possível, compre biológicos.


Se comer peixe não é vegetariana, no máximo pode-se dizer que é TENDENCIALMENTE vegetariana.

Vegetariano é aquele que não ingere NENHUM tipo de carne.

Paulo

Anónimo disse...

"A minha pergunta é se estarei a exagerar quando peço para no infntário não lhe darem pão com tulicreme e leite com chocolate 3 vezes por semana (é o único que nesse dia come pão com manteiga e leite simples..."


O ideal era que as crianças não comessem esxses produtos em nenhuma altura. Todos esses produtos fazem mal, sim, mesmo o leite simples faz mal.

Paulo

Helena Batista disse...

Boa tarde a todos,

Embora seja imperioso promover a educação alimentar nas crianças e adolescentes, penso que primariamente teremos de tentar educar e informar os pais, pois são estes que fazem as opções alimentares para o agregado familiar. Infelizmente, os filhos estão sujeitos às escolhas alimentares erradas dos pais.

Obrigada

Anónimo disse...

Conheço o José Neves da reportagem.
São vegetarianos, ou mais concretamente VEGANOS, e dou os meus parabéns por terem adoptado esse tipo de regime alimentar, que é muito mais saudável.

Prova-se bem nas imagens que mostra tanto eles como a criança em bom estado de saúde.

Ao contrário do que o nutricionista afirma, ovos e leite fazem mal à saúde, ajuda a provocar obsidade, osteoporose (devido à proteina animal) e colesterol por exemplo.

Paulo

Anónimo disse...

Acho que é um crime estar a proibir uma criança de comer produtos de origem animal, principalmente leite, ovos e peixe. Devia ser-lhe disponibilizado todo o tipo de alimentos e ela sim deveria decidir se queria seguir uma dieta vegetariana ou não.

Anónimo disse...

Dietas não são convicções religiosas/morais...

Filipe Albuquerque disse...

O Vegetarianismo é essencialmente uma Filosofia não tem nada que ver com a qualidade alimentar...

Isabel disse...

Caro Paulo,

"Ao contrário do que o nutricionista afirma, ovos e leite fazem mal à saúde, ajuda a provocar obsidade, osteoporose (devido à proteina animal) e colesterol por exemplo."

Eu como de tudo e sou saudável! Não tenho nem obesidade, nem osteoporose ou qualquer outra coisa que o Paulo diz que os vegetarianos não têm (que não é verdade) e os outros têm!

Anónimo disse...

Boa tarde Fernanda,

Sim, é verdade que existem vegetarianos (veganos) gordos, conheço pessoas assim, embora sejam muito raras.

Isso pode ter a ver com questões genéticas e principalmente com questões de se ingerir açucares, fritos, etc etc etc.

Só porque se é vegetariano não significa necessariamente que a pessoa tenha uma alimentação saudável se a pessoa em questão comer fritos, açucares, quimicos e outras ... porcarias.


Paulo

Isabel disse...

"O Vegetarianismo é essencialmente uma Filosofia não tem nada que ver com a qualidade alimentar..."

Apoio completamente e subscrevo o que disse o Filipe Albuquerque.

Anónimo disse...

(...) "simplesmente temos que verificar o que comem, como, porquê, e o que fazer para mudar os hábitos alimentares da generalidade da população portuguesa, e neste contexto bem sabemos que os vegetarianos são uma minoria e as opções vegetarianas no mercado são escassas e inflacionadas."


Como estamos a falar de alimentação saudável, obviamente que se deve falar do vegetarianismo (e alimentos biológicos, etc etc), visto que regra geral, é MAIS saudável que a omnivora, e isso está comprovado cientificamente.

As opções vegetarianas no mercado são muito mais diversas que as omnivoras, visto que alimentos vegetais existem em TODAS as lojas e super/hipermercados. Todos nós comemos vegetais, se não o fizessemos morreriamos.

Além disso o que custa mais, 1Kg de carne ou 1Kg de fruta?

Paulo

Tiago disse...

Quais serão os critérios de qualidade que reguladores usam para avaliar um hamburger do macdonald's por exemplo (por ser uma possível escolha livre de uma criança)... Ah, talvez isoladamente não seja um problema...

Filipe Albuquerque disse...

Respeito todo o tipo de crenças porque é dessa liberdade que se fazem as democracias modernas...No entanto importa referir que muitas destas crenças são mitologias de uma classe média histérica que ocupa o Tempo com uma demagogia inutil e desadequada para uma solução séria e de compromisso com as necessidades REAIS das maiorias...

Ana disse...

O Paulo deve ser uma pessoa inteligente, mas por favor não fale do que não sabe. Os vegetarianos não são mais saudáveis que os não-vegetarianos, assim como o contrário também não está correcto. Há vegetarianos saudáveis e não saudáveis, assim como há não-vegetarianos saudáveis e não saudáveis. O que distingue as pessoas saudáveis das não saudáveis, não é o regime alimentar vegetariano ou não que decidem adoptar, mas sim a qualidade dessa dieta.

Anónimo disse...

"Filipe Albuquerque said...
O Vegetarianismo é essencialmente uma Filosofia não tem nada que ver com a qualidade alimentar... "


Tem sim. Depende da pessoa e dos motivos que a levam a fazer isso.

Pode ser por questões éticas, ambientais, espirituais, de saúde, de moda, etc etc.


Eu sou-o por questões de ética (respeito pelos animais), ambientais e de saúde. A maioria dos vegetarianos que conheço são também pelos mesmos motivos.

Normalmente só aqueles que o fazem por "moda" ou para emagrecer é que não o sabem fazer, é de pouca duraçao e cometem erros nutricionais.

Paulo

homo vegetus disse...

Olá, Já que se falou tanto em Veg*ismo, vejam a minha página, tem imensas ligações para excelentes fontes de informação sobre o tema e não só:

http://www.alunos.dcc.fc.up.pt/~c0507046

Ricardo

Tiago disse...

Talvez quem escolha ser vegetariano também tenha a preocupação de saber o que come, já que se apercebe como pode ser fácil comer de uma forma errada ao procurar informação sobre nutrição.

Normalmente a maioria das pessoas não tem essa preocupação, basta ver como a maioria dos restaurantes apresenta os seus pratos... A roda dos alimentos parece estar completamente invertida.

Anónimo disse...

"Os vegetarianos não são mais saudáveis que os não-vegetarianos, assim como o contrário também não está correcto. Há vegetarianos saudáveis e não saudáveis, assim como há não-vegetarianos saudáveis e não saudáveis. O que distingue as pessoas saudáveis das não saudáveis, não é o regime alimentar vegetariano ou não que decidem adoptar, mas sim a qualidade dessa dieta."


1º - Em termos de percentagem, a MAIORIA dos vegetarianos É mais saudável que a maioria de omnivoros. Isto por vários motivos que estão explicados no sites indicados no topo. Muitas pessoas que conheço que eram omnivoras, quando se tornaram vegetarianos, deixaram de ter gripes/constipações, curaram-se mesmo de algumas doenças, etc etc.


2º- Como já disse, só porque uma pessoa é vegetariana, não implica em "verdade absoluta" que seja mais saudável que outros, por que isso depende de pessoa para pessoa, do tipo de alimentos que come. Se for adepto do fasto food, é claro que terá uma saúde de baixa qualidade. Aqui o factor importante para ajudar é ter-se informação nutricional.


Paulo

Isabel disse...

Toda a gente é livre de escolher a dieta alimentar que quer fazer, não deve por isso ser julgado pelos outros. Respeito os vegetarianos e a sua escolha, só não percebo porque é que eles (neste caso o Sr. Paulo) não nos respeitam a nós e dizem sempre à força que a alimentação deles é melhor e mais saudável que a nossa, sabendo bem que isso não é verdade!

Anónimo disse...

"Na minha cidade o Dia da Criança, foi comemorado levando as crianças, PELOS PROFESSORES da escola do 1º Ciclo, até ao Mac Donald's!!! SEM COMENTÁRIOS..."


Simplesmente inacreditável. Pior não poderiam ter feito.

Filipe Albuquerque disse...

Estive a viver em Londres há uns anos atras, fui pioneiro do consumo de produtos Biológicos ainda em Portugal não se sonhava com o assunto e no entanto sou o primeiro a recomendar moderação nas posições estremadas que por aqui se vão emitindo e que informam mal as pessoas...Pagar para dormir bem á noite é um luxo Hipocrita a que pude recorrer por conveniencia e por ter um salário elevado, tenho porem plena consciencia da verdadeira raiz das minhas acções, não aprecio demagogia nem tirania de opinião ,não serve o interesse publico nem é o proposito deste espaço...

Ana disse...

"1º - Em termos de percentagem, a MAIORIA dos vegetarianos É mais saudável que a maioria de omnivoros. Isto por vários motivos que estão explicados no sites indicados no topo. Muitas pessoas que conheço que eram omnivoras, quando se tornaram vegetarianos, deixaram de ter gripes/constipações, curaram-se mesmo de algumas doenças, etc etc.”

Para fazer esta comparação é preciso que a qualidade alimentar dos vegetarianos e omnívoros seja a mesma.
E para que conste, sou omnívora e todas essas coisas que relata que acontece com os vegetarianos, também se aplicam a mim.



“2º- Como já disse, só porque uma pessoa é vegetariana, não implica em "verdade absoluta" que seja mais saudável que outros, por que isso depende de pessoa para pessoa, do tipo de alimentos que come. Se for adepto do fasto food, é claro que terá uma saúde de baixa qualidade. Aqui o factor importante para ajudar é ter-se informação nutricional."

O próprio Paulo disse e muito bem que “depende de pessoa para pessoa, do tipo de alimentos que come.”

Anónimo disse...

"Então... doenças como cancro e os diabetes são causadas em grande parte pela péssima alimentação tão característica desta sociedade actual. Morrem todos os anos imensas pessoas devido a estas doenças e outras parecidas mas com uma causa comum: a má alimentação."



Exacto, a má alimentação (e o contacto com os químicos sintéticos) são a razão principal para tantas doenças que existem.

Ao nos estarmos a alimentar bem, estamos também a fazer "medicina preventiva", pois vamos prevenir muitas das doenças que se poderia obter com má alimentação.

"mais vale prevenir que remediar"

Paulo

Anónimo disse...

"Anónimo said...
gostava de saber se a ausência da carne na alimentação das crianças tem algum peso ou nem por isso? o que dizer das crianças vegetarianas?"


Como já disse, melhora a qualidade de saúde das crianças e previne muitas doenças provocadas pela má alimentação, além de grandes vantagens éticas e ambientais.

Ver os sites no tipo para mais informações.

Paulo

Anónimo disse...

"Acho que é um crime estar a proibir uma criança de comer produtos de origem animal, principalmente leite, ovos e peixe."



A mim parece-me sim ser um crime dar-se produtos para crianças que sabemos por estudos cientificos, que provocam problemas de saúde e ainda por cima torturam e matam biliões de animais por ano e destroem o ambiente... especialmente quando as crianças ainda não percebem toda esta informação e por isso não conseguem decidir só por si (especialmente quando os pais insistem que devem comer esses produtos nocivos).


Um pai que percebesse bem destes assuntos (nutrição) e soube-se que produto X e Y realmente são nocivos para a saúde da criança, era capaz, de forma consciente dar esse produto para a criança?


Paulo

Anónimo disse...

É muito importante que se faça uma alimentação variada e equilibrada, tal como sugere a roda dos alimentos.

http://www.publico.clix.pt/docs/pesoemedida/Panfleto_Roda_Alimentos.pdf

Não tem que ser necessariamente vegetariana para ser saudável, mas se essa for a opção, tenha em atenção na mesma para ter uma alimentação equilibrada e saudável.

Anónimo disse...

http://www.publico.clix.pt/docs/pesoemedida/
Panfleto_Roda_Alimentos.pdf

Anónimo disse...

"Tiago said...
Talvez quem escolha ser vegetariano também tenha a preocupação de saber o que come, já que se apercebe como pode ser fácil comer de uma forma errada ao procurar informação sobre nutrição.

Normalmente a maioria das pessoas não tem essa preocupação, basta ver como a maioria dos restaurantes apresenta os seus pratos... A roda dos alimentos parece estar completamente invertida."



EXACTO.

Regra geral (nem todos claro), quem é vegetariano tem mais preocupações com o que come e está mais bem informado sobre nutrição, e por isso tem muito mais cuidados.

Paulo

Anónimo disse...

"Isabel said...
Toda a gente é livre de escolher a dieta alimentar que quer fazer, não deve por isso ser julgado pelos outros. Respeito os vegetarianos e a sua escolha, só não percebo porque é que eles (neste caso o Sr. Paulo) não nos respeitam a nós e dizem sempre à força que a alimentação deles é melhor e mais saudável que a nossa, sabendo bem que isso não é verdade!"


1º- Nunca disse em lado algum que não respeito pessoas que comam carne, que é totalmente falso.

2º- É um FACTO CIENTIFICO que se bem feita, a alimentação vegetariana É mais saudável que a omnivora. Mais uma vez para procurar os dados cientificos pesquise os sites indicados no topo.

Assim o que fiz foi somente indicar FACTOS.

Se pesquisar/informar-se bem, irá confirmar o que lhe disse.

Paulo

Tiago disse...

Veganismo e vegetarianismo é demagogia? Manipula os factos para condicionar a maioria? Isso parece mais a dieta convencional que é confiar no que entidades reguladoras lhes põem no prato, pois não têm condições económicas para aceder a informação e consumir produtos de qualidade, nem tempo porque têm que sustentar o mercado e suas entidades reguladoras.

maria disse...

Adoro bacalhau com grão e era incapaz de o deixar de comer, embora não o faça tantas vezes quanto isso. Mas gosto imenso de peixe, vegetais, carne (embora mais de frango do que as outras) e penso ter uma dieta equilibrada (mesmo que às vezes desequilibrada) e sou bastante saudável, vou mais ao médico apenas por rotina.

Em relação às doenças provocadas pelos alimentos, tanto vegetarianos como omnivoros estão susceptiveis a ficar doentes, pois os microrganismos andam por todo o lado...e tem muito a ver com a higiene dos alimentos e não pelo tipo de alimentos.

Tiago disse...

Basta cozinhar os alimentos que os microrganismos ficam destruídos, ao contrário de toxinas e outros elementos tóxicos introduzidos pelo homem.

Anónimo disse...

"Isso parece mais a dieta convencional que é confiar no que entidades reguladoras lhes põem no prato"


As entidades reguladoras passam por enormes pressões, lobbies e corrupção para promoverem ou aprovarem determinados produtos, que depois mais tarde se revelam muito perigosos para a saúde.

Quem não se lembra do famoso DDT, agora dos OGMs, e tantos mas tantos outros produtos nocivos.

A realidade é que é tudo uma questão de dinheiro.

Isto lembra-me um exemplo de um estudo dito "cientifico", que tentava mostrar indicios e afirmar que consumir carnes não provoca problemas de saúde como colesterol, problemas de coração, etc etc, e que o seu consumo até era necessário. E quem é que fez o estudo? A indústria dos Bifes dos EUA.

Para bom entendedor...

Paulo

Anónimo disse...

"Adoro bacalhau com grão e era incapaz de o deixar de comer"



No entanto não o poderá fazer por muito tempo, pois o bacalhau está em vias de extinção (assim como o atum, e tantos outros), devido ao consumo desses animais pelo Homem.

Nunca pensou no porque de o bacalhau estar cada vez mais caro?

Não somos os responsáveis directos pela extinção destas e de outras milhares de espécies, por questões meramente egoistas.



Sobre a questão dos microorganismos na alimentação, isso é o menos, o mais importante é isso sim, o tipo de ingredientes que cada alimento contem que é que vai determinar o grau de perigo para a saúde.

Paulo

Anónimo disse...

"Não somos os responsáveis directos pela extinção destas e de outras milhares de espécies, por questões meramente egoistas."


Errata:

Não = NÓS.

Helena Batista disse...

Pedido de esclarecimento ao Sr. Paulo,

Gostaria de saber qual é a sua formação académica e por que razão não indica o seu apelido?
Do ponto de vista ético parece-me que o senhor apenas deveria prestar conselhos na área da alimentação caso tenha uma formação nessa área, ou seja, o senhor é nutricionista, engenheiro alimentar, endocrinologista, etc.? Com que autoridade o senhor toma a liberdade de responder a questões que apenas devem ser esclarecidas por técnicos especializados?
Fiquei impressionada pelo facto de algumas pessoas lhe pedirem esclarecimentos sem sequer terem informação sobre as suas habilitações! Como é que as pessoas podem certificar-se de que as suas respostas têm fundamento científico?
Espero que se o senhor não é um técnico de saúde nesta área, tenha o bom senso de não responder às questões do foro alimentar, pois desde já lhe digo que, sendo eu estudante de nutriçao, o senhor incorre em alguns erros nas suas respostas. Aliás, o senhor já foi advertido por um interveniente acerca do tema do vegetarianismo!
Queria alertar as pessoas de que, se querem obter esclarecimentos fiáveis,peçam ao vosso médico de família para vos encaminhar para uma consulta de nutrição!

Sejam cuidadosos com a fonte das vossas informações!

Helena BAtista

Filipe Albuquerque disse...

Ouça caro Paulo, porventura os Vegetarianos não vivem em apartamentos ,não se deslocam em automoveis,não poluem, ou não ocupam o espaço Fisico como os outros?Acaso foi por isso que se tornou Vegetariano ,para se sentir melhor com a sua vida e para moralizar de forma fundamentalista com quem não cocorda comsigo(sim porque nem Deus, para quem acredita, nem a Natureza concordam...)Acaso vê os canais da cabo,Discovery, BBC National Geografic etc etc o consumo de carne é natural,aberrante é não consumir sob o pretexto quase Biblico e pseudo paradisiaco da defesa dos pobres animais, penso que tudo o que estes precisam é de melhores condições e de + respeito mas é só...não seja Demagogo porque penso que não precisa disso...

maria disse...

“Nunca pensou no porque de o bacalhau estar cada vez mais caro?”

Foi por isso que eu disse “embora não o faça tantas vezes quanto isso”, porque realmente não é muito frequente comer bacalhau, embora goste.
E para que conste, tenho muito respeito pelas espécies animais e vegetais.


“Sobre a questão dos microorganismos na alimentação, isso é o menos, o mais importante é isso sim, o tipo de ingredientes que cada alimento contem que é que vai determinar o grau de perigo para a saúde.”

É por pessoas pensarem como o Paulo que continuam a haver muitas intoxicações alimentares…não sabe os riscos que podem advir dos microrganismos nos alimentos?

Tiago disse...

Não sabia sabia que família e formação académica eram requisitos para dizer o que quer que fosse neste fórum.

Se é aceite que lacto-vegetarianos, por exemplo, poderão ter mais facilmente carências de ferro e vitamina B12, mas que podem ser colmatadas nessa dieta, qual é o problema com o lacto-vegetarianismo?

Parece-me também que a alimentação tradicional de grande parte das culturas do mundo se aproxima mais da alimentação vegetariana do que o modelo normal de alimentação das massas (os que devem ser protegidos de demagogia). Seria bom que falassem de algo concreto também em vez de puxar por galões. Ou às massas basta acenar o status?

ana disse...

A questão da Helena Baptista é muito pertinente, afinal qual é a formação do Sr. Paulo para estar a responder às perguntas formuladas pelos telespectadores? Podem eles ter confiança no que é dito por si? São realmente dados científicos e provados? Não pode estar a responder sem ter a certeza absoluta e comprovada daquilo que diz.

Anónimo disse...

Nunca tinha visto um vegetariano tão obcecado como o Sr. Paulo.

homo vegetus disse...

A questão da formação é facilmente resolvida. Vejam o paper da American Dietetic Association - a maior organização de alimentação e nutrição do mundo - sobre o Vegetarianismo, ou as declarações da Dietitians of Canada. Todas explicam como o Vegetarianismo pode ser saudável e como pode ajudar a combater ou eliminar certas doenças graves.

Para quem ainda não sabe, o site da ADA é http://www.eatright.org

Outra perspectiva para o Vegetarianismo: certamente que, por cidadãos conscientes que devem ser, se lembram que da última vez que mediram a vossa Pegada Ecológica, a primeira coisa que perguntam é: "É Vegetariano? Come carne? Que quantidade?"

http://www.earthday.net/Footprint/index.asp

Ricardo

Sara disse...

"Não sabia sabia que família e formação académica eram requisitos para dizer o que quer que fosse neste fórum.

Se é aceite que lacto-vegetarianos, por exemplo, poderão ter mais facilmente carências de ferro e vitamina B12, mas que podem ser colmatadas nessa dieta, qual é o problema com o lacto-vegetarianismo?

Parece-me também que a alimentação tradicional de grande parte das culturas do mundo se aproxima mais da alimentação vegetariana do que o modelo normal de alimentação das massas (os que devem ser protegidos de demagogia). Seria bom que falassem de algo concreto também em vez de puxar por galões. Ou às massas basta acenar o status?"

APOIADO!
Isto é um espaço onde qualquer pessoa pode opinar, dizer o que pensa, o que defende!

Obviamente que não existe a mínima garantia de que o que qualquer indivíduo aqui diga esteja correcto, nunca sabemos qual o grau de veracidade e isto acontece em qualquer lugar, com qualquer pessoa, mesmo pessoalmente!

O que interessa é ler e filtrar o que nos interessa e depois ir confirmar por fontes seguras!
Temos liberdade de expressão, livre arbítrio e o tempo de censura já acabou! Nada nem ninguém agrada a todos! Quem não gostar, que respeite! O Paulo deu a sua opinião e, a meu ver, sem desrespeitar ninguém!

Se têm dúvidas sobre o que ele ou qualquer pessoa diz, procurem confirmar! É claro que não vamos chegar ao cúmulo de acreditar em qualquer coisa sem confirmar, por fonte segura, a sua veracidade!

Viva a liberdade!

Sara disse...

E quem é que garante que uma pessoa sem formação específica mas que se informa regularmente de determinado assunto ou tem experiência nele, não saiba mais aprofundada e acertadamente que um outro indivíduo com formação na área?

E qualquer pessoa formada também pode dizer coisas que, na realidade, são falsas ou não são totalmente verdadeiras!

Formação para opinar... Já agora... Identificação e tudo... Isto é com cada uma!...

Sara disse...

"A questão da formação é facilmente resolvida. Vejam o paper da American Dietetic Association - a maior organização de alimentação e nutrição do mundo - sobre o Vegetarianismo, ou as declarações da Dietitians of Canada. Todas explicam como o Vegetarianismo pode ser saudável e como pode ajudar a combater ou eliminar certas doenças graves."

CONCORDO! Quem tem dúvidas, então que se informe!

Anónimo disse...

O TRINCA-ESPINHAS



É muitas vezes um tormento

Uma criança alimentar,

Quando a fartura é tanta,

Nem sabe por onde começar!



Vem a mãe e dá-lhe a sopa,

Não a pode nem cheirar.

Vem o pai e dá-lhe a papa,

Não quer nem começar.



Vem salvá-lo um iogurte,

Que mal chega a provar,

A socorrer um blédine

Que se teve que encetar.



A criança está confusa,

Os pais zangam-se na confusão,

Lamentam o que foi para o lixo

E tantas crianças sem pão.



O meu filho não come nada,

Mais parece um trinca-espinhas.

Queixam-se os pais ao doutor,

Que receita vitaminas.



A seguir vai ao café

Leva a barriga a dar horas,

Faz birra que quer um gelado,

E logo o tem sem demoras.



Se é mais cómodo e eficaz,

Para quê dizer que não?

Se não lhe fazem a vontade

Põe o café ao chão!

Mª Trindade G. Pereira
Educação de Infância

Filipe Albuquerque disse...

Parabéms Trindade pelo ar fresco e simpático que o seu poema traz para este espaço...resumio o fundamental do que importa para muitas familias e foi elegante!Obrigado!

Filipe Albuquerque disse...

O problema fundamental dos vegetarianos não está no facto de o serem,mas nas razões pelas quais o são...
Se alguem me disser que não consome carne porque não lhe sabe bem, ou porque é alérgico, dai não advem nenhum mal ao mundo...
o problema é que essa não é a razão pela qual eles justificam a sua posição...
Supostamente á semelhança de 1 Religião com condutas fundamentalistas e portanto inconscientes ou hipocritas eles alegam uma maior consciencia civica e uma superioridade moral
e ética...
muito conveniente...
A destruição dos ecossistemas e da Biodiversidade a nivel mundial não se deve a este ou aquele prencipio filosófico pelo qual posicionamos o nosso comportamento moral...

A SUA CAUSA É FUNDAMENTALMENTE UM DESEQUILIBRIO NO CONSUMO DE ENERGIA...

De facto (e os mais conscientes sabem disso...) os cidadãos Vegetarianos tambem contribuem no mundo moderno para o problema ecológico e ambiental...

deslocam-se de carro como os outros, consomem em escesso e passeiam-se em centros comerciais aos fims de semana...

Para falar em termos cientificos o seu consumo de energia em relação ao peso fisico e á massa dos seus corpos é largamente superior aquele que é praticado pelo resto do Reino animal...

São portanto pretenciosas ou profundamente ingénuas as suas Eco-convicções...

O PROBLEMA FULCRAL DO DESEQUILIBRIO NO MACRO-ECOSSISTEMA PLANETÁRIO SITUA-SE EVIDENTEMENTE NO AUMENTO EXPONENCIAL DA POPULAÇÃO MUNDIAL ASSIM COMO DOS NIVEIS CRESCENTES DE CONSUMO DE ENERGIA QUE ESTA PRATICA...

A destruição das florestas e do solo arável deve-se no seu aspecto fundamental a esta crescente pressão, que é obviamente exercida por todos nós enquanto individuos independentemente do credo da raça ou até mesmo das nossas convicções mais intimas...

TER consciencia disto é um acto de lucidez e de humildade que importa mais que nunca compreender...
Essa é a mais valia da nossa geração que vive num mundo globalizado na dita sociedade da comunicação...

Preocuparmo-nos legitamente, com estes e outros problemas complexos que põem em causa e afectam profundamente o nosso futuro, não pode estar sustentado num coorporativismo Territorialista instintivo (...ESPAÇO ÈTICO...)

COMUNICAR È PARTILHAR COM ABERTURA DE ESPIRITO ,COM LEGITIMA BOA VONTADE,COM O INTERESSE GENUINO DE PERCEBER EM CADA MOMENTO COMO O NOSSO CONHECIMENTO È SEMPRE LIMITADO E INSUFICIENTE...

SÃO ESTES OS PRENCIPIOS DO HOMEM ILUSTRADO.

A QUALIDADE DO CONHECIMENTO NÃO É A SOMA NEM A QUANTIDADE DE CITAÇÕES E DE FONTES A QUE PODEMOS RECORRER PARA DEFENDER UMA IDEIA
ESTE É TÃO SOMENTE UM ELEMENTO REGULADOR DESTE MESMO CONHECIMENTO,TRATA-SE UM PROCEDIMENTO DO COMPLEXO PARA O SIMPLES ,NÃO O CONTRÁRIO...

É ALIAS MUITO CURIOSO CURIOSO PENSARMOS QUE OS INTELECTUAIS DE HOJE SOFREM Á SEMELHANÇA DO COMUM DOS MORTAIS DE UMA ESQUIZIOFRENIA DE CONSUMO,

NO SEU CASO ESPECIFICO CONSOMEM INFORMAÇÃO EM QUANTIDADE MAIS DO QUE COM QUALIDADE, DILUINDO COM ESTA CONDUTA ENERVANTEMENTE INGÉNUA, OS TEMPOS NATURAIS DE REFLEXÃO QUE OS ANTIGOS SÁBIOS TÃO INTUITIVAMENTE APLICAVAM...

HOJE OS LIVROS, QUANDO NÃO SE ACUMULAM, (...PELAS PRATELEIRAS DA CASA DE ALGUMS ILUSTRES...) LÊEM-SE TRANSVERSALMENTE E Á PRESSA, SÃO NO SEU PROPRIO PROCESSO DE ESCRITA RESUMOS DE RESUMOS DE COISAS ABSTRACTAS QUE NORMALMENTE NÃO CONCLUEM COISA NENHUMA, SÃO AS TESES DE DOUTORAMENTO SOBRE NADA, COM O PRAZO DE VALIDADE DE UM IOGURTE, SÃO JÁ, UM PRODUTO DE MASSAS ORIENTADO PARA O EDONISMO FUTIL DE UM STATUS APARENTE LIGADO AO CONHECIMENTO...

É PRECISO ACORDAR DESTE SONO TORPE DESTE DESLUMBRAMENTO INFANTIL...QUE VIVE Á VOLTA DE SIMBOLISMOS INGÉNUOS SUBSTITUINDO AS ACÇÕES DE FUNDO REESTRUTURANTES DE QUE TANTO NECESSITAMOS, PARA UM FUTURO VIAVEL...

Filipe Albuquerque disse...

POST SCRIPTUM :

ABERTURA E MODERAÇÃO em lugar de DESINFORMAÇÂO E CONFUSÃO...

FILIPE ALBUQUERQUE - COIMBRA

(F.A.A.M.S)

Anónimo disse...

Ser vegetariano é necessário de forma a combater a fome mundial e proteger os recursos naturais para a produção de alimentos.

---


FEEDING THE WORLD

"The world must create five billions vegans in the next several decades, or triple its total farm output without using more land."
Dennis Avery, Director of the Centre for Global Food Issues .
(...)

http://www.vegansociety.com/html/environment/land/

-


World Hunger Demands Vegetarianism

If American-type countries would reduce their meat consumption by just 10%, enough grain would be saved to feed 60 million people.
This figure is close enough to the number of people that die from hunger-related diseases each year. It would also free enough land and resources to grow over 12 million tons of grain annually -- enough to feed all those who died of starvation.

(...)

http://www.innvista.com/HEALTH/nutrition/diet/vworld.htm

Anónimo disse...

PRODUÇÃO DE CARNE PREJUDICA GRAVEMENTE O AMBIENTE E ESTIMULA A FOME MUNDIAL

Nos países desenvolvidos é impossível ignorar a relação entre a produção animal e o desastroso impacto económico-ambiental. O custo da criação intensiva de gado, aves, porcos, cabras, carneiros e peixes, para alimentar uma população humana excessiva e em contínuo crescimento, inclui a fome nos países do terceiro mundo, o uso indevido da água e do solo, o alto nível de contaminação produzido por fezes de animais, o aumento nas taxas de doenças cardíacas assim como outras enfermidades degenerativas e a destruição das florestas. A permanência desta situação contribuirá para a desertificação, a extinção de muitas espécies animais e vegetais e as alterações climáticas.

Desmesurada e consumidora excessiva de recursos, a produção animal é portanto, incompatível com os recursos naturais e ecossistemas da Terra.

(...)

http://www.portalverde.com.br/ecologia/prod_alimento_fome.htm




---



Go vegan (Vegetarian) to help climate, says UK Government


It would help tackle the problem of climate change if people ate less meat, according to a Government agency.

A leaked email to a vegetarian campaign group from an Environment Agency official expresses sympathy with the environmental benefits of a vegan diet, which bans dairy products and fish.

The agency also says the Department for the Environment, Food and Rural Affairs (Defra) is considering recommending eating less meat as one of the "key environmental behaviour changes" needed to save the planet.

(...)

http://www.telegraph.co.uk/earth/main.jhtml?xml=/earth/2007/05/30/eavegan30.xml

Filipe Albuquerque disse...

esse é um problema no médio prazo...

no longo,é absolutamente irrelevante...

O gasto energético de que falei não se resume a alimentação...mas ao consumo em geral...

trata-se repito de um problema poli-complexo de fundo...

o abate da floresta deve-se essencialmente ao crescimento da população e ao desenvolvimento...

continuamos a não discutir as coisas devidas com a devida honestidade e respeito

é lamentavel que sintam a necessidade comportamental tipica de todas as minorias que é a de serem agressivamente tão corporativos...

trata-se obviamente de 1 problema de AUTISMO nitido

Anónimo disse...

Caros participantes
(para alguns que perguntaram sobre o vegetarianismo)


Alguns comentários que poderia fazer já outras pessoas como a Sara, Tiago e Vegetus disseram...


Sobre a questão dos conhecimentos que tenho sobre estes temas, bastará dizer que trabalho nestas áreas e por isso que entendo bastante sobre estes assuntos e questões.

Além disso todos nós podemos simplesmente dar uma opinião, e em especial se percebermos do assunto, até o devemos fazer para desmistificar mitos e ajudar quem não entenda do assunto para estar informada/o.

Até agora, do que referi, ainda ninguém apresentou factos cientificos de estudos credíveis, que demonstrassem o contrário. Eu (e algumas outras pessoas) pelo contrário já apresentei vários que apoiam o que disse.

Posso dizer sem quaisquer dúvidas que em relação ao regime alimentar vegetariano, que percebo mais do assunto que a maioria dos médicos e nutricionistas que pouco ou nada estudaram sobre este assunto, o que é lamentável e irónico. Isto não se deve somente à falta de informação factual, mas em certos casos acontece mesmo porque alguns defendem os lobbies da carne, assim como alguns fazem também com medicamentos de marca.
Felizmente, já existe um número razoável de médicos e nutricionistas que REALMENTE percebem de nutricionismo e sendo ou não vegetarianos (eles próprios), aconselham mesmo o vegetarianismo. Já conheci médicos que, ao conhecerem vegetarianos, literalmente sorriam, batiam palmas e davam os seus parabéns e total apoio.


De resto não tenho mais nada que justificar e entrar em questões meramente pessoais, a meu ver, sem sentido algum. Não é para isso que aqui estamos, mas sim APENAS para debater os temas de uma forma saudável e respeitosa, lamentavelmente alguns têm falhado imenso nisso.

Parece sim que não se está preocupado em falar sobre o tema e os factos, mas sim começar a entrar no campo pessoal, tentar encontrar defeitos e outras justificações para assim, não atacar/denegrir sequer a mensagem (porque são FACTOS, e contra factos não há argumentos) mas sim o mensageiro/s (estratégia típica de quem não consegue aceitar os factos), como está claramente a acontecer no caso do senhor Filipe que está a desrespeitar e descriminar imenso tanto eu como milhões de pessoas. Da minha parte não entrarei nesse joguinho de ofensas e comentários infelizes que são simplesmente lamentáveis.



Sobre a questão da informação, na realidade a questão é "simples":

Se têm dúvidas sobre as questões que eu e outros falam, então encorajo mais uma vez (como sempre o fiz), a que pesquisem por conta própria sobre o que foi referido... se pesquisarem bem e estiverem de mente aberta, chegarão aos mesmos factos que anunciei e por consequinte à mesma conclusão. alguns artigos com esses dados e factos científicos já coloquei no blog, mas existem milhares de outros, é só pesquisar.

Não acreditem somente na palavra de uma pessoa (muito menos de empresas, politicos e pessoas que tenham interesses monetários a proteger), mas sim pesquisem e informem-se. Isto é VITAL.


Paulo

Filipe Albuquerque disse...

O gasto energético de que falei não se resume a alimentação...mas ao consumo em geral...DO QUAL VOCÊS TAMBEM PARTICIPAM!!!

Filipe Albuquerque disse...

Discuti o problema do ponto de vista Ético-filosófico = Motivos REAIS para o Veganismo...

Trata-se de uma pretensão um elefante crer voar, é ridiculo e anti natural, contraria prencipios cosmicos de Evoluçao... DARWINISMO é Competitividade

A alimentação no seu todo como sistema de trocas de energia de forma natural em nenhum lado do planeta o consumo de carne...

Querem corrigir a "mão de Deus"(Natureza) ???

12 biliões de anos de Evolução, a troco das convenções de 1 espécie que anda cá á 100.000 anos?

NO MORE COMENTS...

Filipe Albuquerque disse...

A alimentação no seu todo como sistema de trocas de energia de forma natural não nega em nenhum lado do planeta, nem em nenhum ecosistema complexo, o consumo de carne...

Anónimo disse...

:: A CARNE É FRACA ::

Excelente documentário sobre o Vegetarianismo, Ambiente, Nutrição e Animais.


Alguma vez você já pensou sobre a trajetória de um bife antes de chegar ao seu prato? Nós pesquisamos isso para você e contamos, neste documentário, aquilo que não é divulgado. Saiba dos impactos que esse ato - aparentemente banal - de consumir carne representa para a sua saúde, para os animais e para o planeta. Realizado no Brasil, pelo Instituto Nina Rosa.

Ver vídeo completo (Português):

http://video.google.com/videoplay?docid=-6718434770864499282&q=carne+%C3%A9+fraca


Ver vídeo em partes (1 a 6):

http://www.youtube.com/results?search_query=a+carne+%C3%A9+fraca

Tiago disse...

O Sr. Filipe Albuquerque não pode falar do que não sabe, está a ser reducionista a caracterizar pessoas pelos seus hábitos alimentares, ao usar estereótipos demagógicos de pessoas que nem conhecem nenhum vegetariano. É claro que acabam por ser consumistas (alguém disse que não?), não existem muitas alternativas, até "verde" e "eco" já se tornaram boas marcas para produtos. Mas acho que provavelmente têm mais consciência dos seus contributos prejudiciais dos que se limitam a cumprir/aceitar conceitos de qualidade por entidades reguladoras que se movem por vários interesses, por vezes contraditórios. Ou não? E pelo menos no aspecto da alimentação já contribuem uma melhoria.

Fala nos sábios da antiguidade, porque não fala dos hábitos alimentares da antiguidade? Poderiam caracterizar-se mais como dietas essencialmente vegetarianas do que como as dietas das massas contemporâneas.

Se algumas pessoas tentam reduzir ao máximo o seu consumo e o apoio a estratégias de produção não apenas pouco éticas, mas sobretudo NÃO-SUSTENTÁVEIS!!!!!! as massas (outra vez as massas, as tais vítimas dos fundamentalistas vegetarianos... :D) não têm essa opção. Acham que vão comprar um produto que custa o dobro do que outro que lhe impingem como de qualidade?

Como há uns dias um representante chinês disse: países ricos transferem a manufactura para países mais pobres e depois culpam-nos por poluírem o ambiente, ao mesmo tempo que dificultam a partilha de tecnologias mais limpas. (E ao contrario do que passa na televisão, produtos chineses não são apenas aqueles que se vendem nas lojas chinesas. A maioria dos brinquedos que se vendem na Europa são fabricados na China.)

Tiago disse...

"A alimentação no seu todo como sistema de trocas de energia de forma natural não nega em nenhum lado do planeta, nem em nenhum ecosistema complexo, o consumo de carne..."

Não sabia também que fábricas de carne eram fungos que aparecem do nada em qualquer lado....

Então vamos aceitar humanos como factor natural da Natureza, tudo o que fizermos será perfeitamente natural... Claro. vamos ser reducionistas e fugir o mais que pudermos da esquizofrenia... A Natureza certamente irá ser boazinha com o topo da cadeia alimentar...

Anónimo disse...

http://en.wikipedia.org/wiki/Ad-hominem

Filipe Albuquerque disse...

Vejo nitidamente que não percebeu o que lhe quis explicar...

O problema não é o consumo de Vegetais em deterimento de carne...

São os motivos que alegam para tal comportamento, isolando esse elemento do contraditório de outros...

(em relação ao consumo e não me diga pelo respeito que lhe tenho que são todos um poço de virtudes...em todas as areas)

Falei-lhe no longo prazo ,isso percebeu mas não comentou...

Anónimo disse...

http://en.wikipedia.org/wiki/Ad-hominem

An ad hominem argument, also known as argumentum ad hominem (Latin: "argument to the person", "argument against the man") consists of replying to an argument or factual claim by attacking or appealing to the person making the argument or claim, rather than by addressing the substance of the argument or producing evidence against the claim. It is most commonly used to refer specifically to the ad hominem abusive, or argumentum ad personam, which consists of criticizing or personally attacking an argument's proponent in an attempt to discredit that argument.

(...)



-----------



Exactamente.

Era essa a estratégia que referi mais acima, que está plenamente demonstrado pelas atitudes de falta de respeito demonstradas em especial pelo senhor Filipe.

Haveria muito que poderia responder e com factos, a certas questões do senhor Filipe, que são muito incorrectas, falsas e mesmo descriminatórias, que pouco ou nada têm a ver com o verdadeiro Ambiente e Natural (como chegar-se ao cúmulo do ridiculo de insinuar que a indústria intensiva da carne senmpre existiu e sempre foi um sistema natural e sustentável na Natureza... sem comentários), mas não vale a pena tentar dialogar com alguém que é agressivo e ofensivo.


Para finalizar, regra geral, quase todos os vegetarianos que conheço não só ajudam e muito o ambiente (plantas e animais) ao não comerem carne (produto altamente destructivo no ambiente), como geralmente têm atitudes no dia a dia que visam em TODAS as formas e áreas proteger o Ambiente, como fazer eco-consumo/consumo ético. Pelo contrário, a maioria das pessoas omnivoras que conheço, não adoptam esse mesmo estilo de vida mais saudável, natural e alternativo, não só em relação ao vegetarianismo como em relação a tudo o resto relativo ao Ambiente e ética.

Porque? Porque regra geral (não são todos é claro), vegetarianos que o sejam por questões éticas e ambientais, estãos muito mais sensibilizados para estas matérias que a maioria das pessoas. Claro que não quer dizer que não haja muitas pessoas omnivoras que não façam também muito pelo ambiente (ou outros), mas em termos de percentagem os vegetarianos são muito mais sensíveis e conscientes nestes aspectos.


Conclusão final:
Ser Vegetariano não é a única solução, mas é uma das MAIS importantes, fáceis e o primeiro grande passo para proteger o ambiente.


Cumprimentos a todos de boa vontade.
Paulo

Filipe Albuquerque disse...

Falei-lhe na falta de coerencia extrutural entre o discurso e os FACTOS...você mesmo concordará que muitos dos seus colegas de clube (perdoe-me a brincadeira)não são coerentes quando colocamos o vegetarianismo a par com o resto das suas atitudes...trata-se de 1 comportamento simbólico muito conveniente,

Tiago disse...

E a ser um problema estritamente ético, onde está o problema? Como sabe que é uma decisão estritamente ética? Se eu encontrar uma solução que levanta menos problemas e exige menos esforço comum (ao contrário de exigir esforço de alguns), parece-me uma boa solução.

Como pode falar que é um problema de médio prazo e que a longo-prazo é irrelevante? Como pode saber isso? A mim parece-me um efeito de bola de neve. Ou espera que a selecção natural elimine os que não se adaptem? Certamente o fará.

(Como factor anedótico: Q: Abelhas usadas em polinização de culturas convencionais estão a desaparecer, plantas não serão polinizadas, como polinizar/o que fazer? [de referir que abelhas selvagens e usadas em agricultura biológica não estão a desaparecer, embora ainda não se tenha determinado com exactidão porque estão a desaparecer]

R: Fazer com que as abelhas se restabeleçam.
R: Encontrar uma solução tecnológica.
R: Encontrar outro insecto que possa tomar o lugar das abelhas.

Filipe Albuquerque disse...

Ouça quando falo no consumo de carne FALO da NATUREZA...ANIMAIS CARNIVOROS....AOS MILHARES ALGUNS COM * DE 400.000.000 de anos
já ouvio falar na Teoria UNIFICADA?
E na do CAOS?(que afinal não é caos é ordem complexa)Não estou aqui para discutir comsigo mas para dialogar abertamente, se em algum momento elevei o tom do discurso deve-se ao tom que durante a discussão de ontem se criou, na forma como vocês trataram o tema, tenha paciencia...e foi, você sabe, tendencioso, dê-se ao trabalho de ler por ai abaixo...

Filipe Albuquerque disse...

Abomino a forma como tratam os animais na industria que referiu, pela mesma razão, eu proprio, sempre que posso consumo produtos Biologicos como já ontem expliquei...que tem isso a ver com a dieta omnivora? DISTINGA, se me perceber, PRENCIPIO de CONDUTA..

As maiorias pelo facto estatistico de o serem, tem necessariamente um maior leque de erros no seu curriculo é isso a diversidade

Outra ideia profundamente errada, o ser HUMANO não é SUPRA-NATURAL...

COMENTE

Tiago disse...

Percebi mal então. É que eu procurei mais as motivações humanas e como afectam o mundo não-humano, e por extensão nos afectam a nós, ainda que a longo prazo. Talvez tenha sido parcial.

Filipe Albuquerque disse...

...quando muito ,por um acto simples se lógica elementar será INFRA-NATURAL

Tiago disse...

Mas é isso mesmo não somos algo supra-natural. Quando afectamos mecanismos naturais quem nem conhecemos bem, estaremos a prejudicar-nos também. É que somos de longe a espécie mais bem sucedida no planeta, certamente seremos quem mais sofrerá com a destabilização ecológica. Se quiser justificar qualquer acção humana como natural, terá que aceitar uma das formas de regulação naturais: a extinção.

Filipe Albuquerque disse...

Outra ideia profundamente errada, o ser HUMANO não é SUPRA-NATURAL...

...quando muito ,por um acto simples se lógica elementar será INFRA-NATURAL

Filipe Albuquerque disse...

Não tenha duvidas que é isso que nos espera no longo prazo talvez menos...

homo vegetus disse...

"Supostamente á semelhança de 1 Religião com condutas fundamentalistas e portanto inconscientes ou hipocritas eles alegam uma maior consciencia civica e uma superioridade moral
e ética..."


Vê-se nitidamente que o sr. Albuquerque tem uma visão completamente distorcida e falsa sobre os Vegetarianos. Não sei o que estes alguma vez lhe fizeram, a si e a outros, para lhes chamarem de fundamentalistas, inconscientes e hipócritas.

O seu discurso agressivo e abundante em MAIÚSCULAS também deixa muito a desejar. Perante tão grande condicionamento, de pouco valerá às outras pessoas que, se não me engano, usam por norma o seu tempo de forma útil e activa na sociedade, continuarem esta discussão consigo.

Ricardo

ps: Pobres Gandhi, Einstein e Tolstoy, inconscientes, hipócritas e fundamentalistas......

Anónimo disse...

"É que somos de longe a espécie mais bem sucedida no planeta, certamente seremos quem mais sofrerá com a destabilização ecológica. Se quiser justificar qualquer acção humana como natural, terá que aceitar uma das formas de regulação naturais: a extinção."


Diria isso sim, que somos a espécia MAIS DESTRUCTIVA e desligada da Natureza que existe. Isto é um facto, triste, medonho, mas um facto.

Significa que o ser Humano está literalmente e em todos os níveis, a destruir o planeta e TODA a vida nele.

Quantas dezenas (ou centenas) de milhares de animais e plantas já não foram extinctos, e quantas centenas de milhões serão extinctos se o curso destructivo se manter?

Todos os outros animais e plantas que estejam no ambiente (livre) vivem de forma natural, estão integrados na Natureza, o ser Humano é o único que não está e que FORÇA outras espécies a ir nesse sentido, como na criação intensiva de animais.


Se não mudarmos URGENTEMENTE de atitutes, o planeta e toda a vida estão condenadas, incluindo nós e nossos filhos.

Paulo

Filipe Albuquerque disse...

era necessário,de uma forma lenta e controlada, por causa da economia e da rutura do sistema de segurança social, devido ao envelhecimento da população activa reduzir a população a nivel planetário para os 1000.000.000 milhões ....o ideal seria ter um só continente colonizado com uma economia sustentada e não poluidora...

Tiago disse...

Talvez se possa aferir que se entidades reguladoras são representativas das massas, não seja muito positivo usar "por norma o seu tempo de forma útil e activa na sociedade"

Filipe Albuquerque disse...

o problema repito pela enésima vez não está em ser Vegan ,mas em argumentar que quem não o é esteja necessáriamente errado na sua conduta ,não é o TEMA mas a FORMA...

Filipe Albuquerque disse...

Não me diga que pensa que as extinções em massa começaram hoje...quanto ao sermos desligados da natureza isso é uma pretensão trascendente e METAFISICA Percebe a que me refiro?...nem sequer é lógico, senão numa verbata popular de café...

Filipe Albuquerque disse...

Somos ligados ao ARTIFICIAL que é o NATURAL estatisticamente ESTRANHO...(PARA ISSO HÁ NECESSARIAMENTE 1 DESIGNIO...ENTENDE?

ESPERO que o tom, como se quer, seja de parte a parte humilde...

Vocês por imaturidade ou demagogia é que generalizaram acusações desde inicio...Nunca pretendi senão esclarecer,outras perspectivas...e naturalmente com alguma indignação...

Filipe Albuquerque disse...

não pretende falar em Bohr,Eisenberg,Einstein na relatividade, restrita ou geral, na radiação de Hawkings,nos pares de particulas no horizonte de acontecimentos de 1 worm hole,no desenvolvimento e expansão de quasares... etcaetra, etc...porque isso é o oposto da complexidade que demonstrou perceber, para quem ler com atenção (...e haverá alguns...) quanto á literatura tem que ler mais de cada 1 dos autores que nomeou e de outros...(este comentario é particular ,não se ofendam os demais!)

Filipe Albuquerque disse...

Ter 1 discurso SIMPLES é COMPLEXO...

Ter 1 discurso TÈCNOCRATICO é COMPLICADO e ANTI-DEMOCRÀTICO...

...para bom entendedor...

Anónimo disse...

"É por pessoas pensarem como o Paulo que continuam a haver muitas intoxicações alimentares…não sabe os riscos que podem advir dos microrganismos nos alimentos?"


Microorganismos não são necessáriamente maus, existem muitos que são benéficos para a nossa saúde, tanto na pele, como nos intestinos, como nas plantas (bactérias que produzem B12), e tantos outros exemplos.

Claro que há alguns que são nocivos, mas podem ser facilmente eliminados pela lavagem ou cozedura dos alimentos.

O problema da intoxicação alimentar não é exactamente devido a essa questão (embora esteja interligada), mas sim devido principalmente à questão de alimentos estarem fora de prazo (estragados).

E sabia que a esmagadora maioria das intoxicações alimentares provêm de alimentos de origem animal (carne, e derivados)? Isso acontece devido ao alimento em si e ao facto de estar cheio de químicos, introduzidos de propósito nos animais pelo Homem ou devido a poluição.

Paulo

Filipe Albuquerque disse...

AS MAIUSCULAS são para enfatizar não para ofender..que péssimismo provinciano ai em baixo...
quanto á agressividade eu entendo-a como vivacidade... não abordeinada nam ninguem a 1 nivel pesoal...Antes pelo contrário considero que discuti o assunto EXATAMENTE NO PLANO EM QUE ELE DEVE SER COLOCADO...

Filipe Albuquerque disse...

A Respeito do bom nome; Não sou Empresário ,não pertenço a nenhum lobbie, nem sequer sou politico, ainda que aprecie e acompanhe...sou simplesmente OMNIVORO e defendo o direito a sê-lo sem ter que ser visto como um dos que contribuem em especial para a destruição do planeta...

... é essa a ideia que fica de quem lê o que algums de vocês escrevem, e que pela mesma razão sucitam naturalmente reacções mais ambiguas...

Sara disse...

Ninguém disse que vegetarianismo é igual a perfeição!

Trata-se apenas de um passo saudável e mais amigo do ambiente e da vida animal (Cuja maioria que se destina ao consumo é produzida em regime intensivo. Aproveito para, uma vez mais, deixar aqui um link muito interessante sobre isto mesmo (o filme está em 10 partes):
http://www.youtube.com/watch?v=VQHVCzHM-4k )

Obviamente que existem muitas outras pequenas grandes coisas que cada um de nós pode fazer, se se interessar minimamente, por um ambiente e forma de vida mais natural e saudável.

O ser humano é o único ser destruidor habitante no planeta. E, já que se auto-proclama racional, ser pensante, então que faça uso desse título e aja em benefício do Planeta, daquilo que continuamente destrói, e de toda a vida pertencente a este Mundo (lembrêmo-nos que somos apenas uma espécie entre biliões de outras e que estamos a conduzir todo o Mundo à degradação, e logo, toda a vida).

Há uma parte de uma música do Gabriel Pensador que gosto muito: "Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo com a mudança da mente. E quando a mente muda a gente anda pra frente."
Isto reflecte bem aquilo que fundamentalmente quero dizer com este comentário quanto aos pequenos grandes passos que cada um de nós pode (e deve, pelo bem estar do Mundo) dar.

Se todos nós contribuirmos (e há, repito, imensas coisas possíveis, nomeadamente Reduzir, Reciclar e Reutilizar) o mais que pudermos, a diferença notar-se-á (quanto mais e melhor cada um e em grande nº fizer, mais rapidamente se notarão as mudanças).

Se, pelo contrário, nos deixarmos levar pelo comodismo e porque a maioria faz assim ou assado, então só se poderá esperar que a degradação do Mundo continue...

Maria disse...

Espero que este espaço não se torne alvo de disputas entre modos de pensar e agir, crenças, etc., pois cada um de nós tem a liberdade de acreditar no que quiser e tomar as decisões que entender.

Em relação aos temas aqui debatidos, vou apenas dar a minha opinião, pois somos todos diferentes, pensamos de maneira diferente e isso não é necessariamente mau, desde que não obriguemos os outros a pensar da mesma maneira que nós, por sermos nós quem tem razão e não os outros.


É óbvio que não é necessário ter formação para participar neste blog, toda a gente pode perguntar, comentar sugerir e até argumentar, desde que saiba o que está a dizer, pois há pessoas que procuram este espaço para esclarecer dúvidas e para ficarem mais informadas sobre determinado assunto que está a ser debatido (já que este é um programa de qualidade e bastante credível) e podem ser influenciadas por informações menos correctas, por não terem qualquer noção sobre o assunto. Cabe também ao administrador do blog (Sociedade Civil) impor regras e limitações se assim o entender, mas até lá toda a gente é livre de fazer e dizer o que entender.

Logicamente que todas as pessoas que procurem esclarecer as suas dúvidas e ficarem mais informadas sobre os assuntos, devem também procurar mais formas de o fazer, como especialistas na área e não só na internet, pois há por aí muitos sites duvidosos e incorrectos.


Tanto quanto sei, não é crime comer carne e ser-se omnívoro, tal como não o é ser-se vegetariano, são simplesmente escolhas individuais que cada pessoa faz. Não há que julgar as opções de vidas das outras pessoas, sejam elas qual forem, pois ainda somos livres de fazermos o que entendermos. Os vegetarianos não são mais saudáveis que os omnívoros e nem o contrário acontece.



Discordo de algumas coisas que foram ditas, nomeadamente:

“Pelo contrário, a maioria das pessoas omnivoras que conheço, não adoptam esse mesmo estilo de vida mais saudável, natural e alternativo, não só em relação ao vegetarianismo como em relação a tudo o resto relativo ao Ambiente e ética.
Porque? Porque regra geral (não são todos é claro), vegetarianos que o sejam por questões éticas e ambientais, estãos muito mais sensibilizados para estas matérias que a maioria das pessoas. Claro que não quer dizer que não haja muitas pessoas omnivoras que não façam também muito pelo ambiente (ou outros), mas em termos de percentagem os vegetarianos são muito mais sensíveis e conscientes nestes aspectos.
Paulo
15:14”

Não generalize as coisas, pois o seu círculo de amigos ou conhecidos não é equivalente à totalidade da população existente no país ou no mundo. Eu conheço bastantes pessoas com o tipo de alimentação omnívoro e que são bastante preocupadas com as questões éticas e ambientais de que fala. O facto de se ser omnívoro não é equivalente a ser-se indiferente ou despreocupado com essas questões, tal como ser-se vegetariano não é equivalente a ser-se mais sensíveis a essa problemática. São simplesmente escolhas diferentes na dieta alimentar. Por isso, uma coisa não está directamente relacionada com a outra.


“Ser Vegetariano não é a única solução, mas é uma das MAIS importantes, fáceis e o primeiro grande passo para proteger o ambiente.
Paulo
15:14”

Ser-se vegetariano não é, de longe, a solução mais importante para proteger o ambiente e se é assim tão preocupado com o ambiente, sabe perfeitamente que assim não o é, há muita, mas muita coisa a fazer… Podíamos até ser todos vegetarianos, que isso não implicava ter um ambiente puro e saudável como todos tanto ambicionamos. Se dissesse antes que deveríamos andar todos a pé, de bicicleta ou de transportes públicos, reciclar tudo o que pudéssemos, poupar água, electricidade, etc., ai sim dar-lhe-ia toda a razão do mundo.


“Claro que há alguns que são nocivos, mas podem ser facilmente eliminados pela lavagem ou cozedura dos alimentos.
Paulo
16:43”

Não é bem assim…a maior parte dos microrganismos, até mesmo os patogénicos, são eliminados durante a cozedura dos alimentos, mas também há microrganismos que produzem toxinas, e estas são resistentes à cozedura, daí constituírem grande perigo para a saúde do consumidor. Por isso é que também é muito importante a conservação dos alimentos nas melhores condições.


“O problema da intoxicação alimentar não é exactamente devido a essa questão (embora esteja interligada), mas sim devido principalmente à questão de alimentos estarem fora de prazo (estragados).
E sabia que a esmagadora maioria das intoxicações alimentares provêm de alimentos de origem animal (carne, e derivados)? Isso acontece devido ao alimento em si e ao facto de estar cheio de químicos, introduzidos de propósito nos animais pelo Homem ou devido a poluição.
Paulo
16:43”

Quem acha que são os responsáveis pelo alimentos estar estragado? São os microrganismos os responsáveis pela putrefacção dos alimentos ou os chamados alimentos estragados.
As intoxicações alimentares podem ser provocadas pelas toxinas produzidas pelos microrganismos presentes nos alimentos, estas intoxicações sim são a grande maioria e não têm nada a ver com o facto do alimento ser de origem animal ou vegetal, mas sim pelas condições que favorecem o seu desenvolvimento e multiplicação. Muitas intoxicações podem ser provocadas pela própria água que consumimos.

Anónimo disse...

Ambientalistas que comem carne: uma contradição?


Nota de Imprensa - União Vegetariana Europeia

5 Junho 2007

Não é preciso muito para chegar à conclusão de que, em termos de consumo de terra, água e energia, é de longe mais eficiente viver de plantas do que alimentarmo-nos dos cadáveres de animais que, por sua vez, tiveram que comer enormes quantidades de plantas para abastecer o seu próprio crescimento e desenvolvimento.

Estudos de veganos (dieta sem produtos animais), vegetarianos (comem leite e ovos), e omnívoros (que comem carne e peixe) demontraram já, sem sombra de dúvida, que os seres humanos, crianças incluídas, podem ser perfeitamente saudáveis sem comer carne.

A novidade é o crescente reconhecimento de que estamos a atingir os limites de capacidade dos recursos do nosso planeta, e a aceitação, por parte de entidades internacionais com autoridade, de que a razão principal desse facto é a crença geral - a nível mundial e ainda a aumentar - da necessidade de se comer carne.

O aquecimento global é cada vez mais aceite como o desafio do séc. XXI, e o mais recente relatório da FAO (Food and agriculture organization, ou seja Organização para a alimentação e agricultura), das Nações Unidas, intitulado "Livestock's long shadow" (A enorme sombra do gado), mostra, sem a menor dúvida, a importância da nossa escolha em termos alimentares no que se refere a este assunto:

"O sector da agro-pecuária é um dos dois ou três que mais contribui para os mais graves problemas ambientais, tanto a nível local como global.

O sector agro-pecuário ... é responsável por 18 por cento das emissões de gases de efeito de estufa, medidos em equivalentes a dióxido de carbono (CO2). É uma percentagem mais alta do que os gases emitidos por meios de transporte.

A procura de carne e de alimento para os animais para abate tem originado a destruição de florestas e, como consequência, o aumento massivo das emissões de CO2.

Apesar das provas mais que evidentes de que é necessária uma mudança de hábitos, a maior parte destas organizações continua a achar que a carne vai estar sempre presente nas nossas vidas. Enquanto que reconhece o impacto negativo do consumo de carne no ambiente, a FAO estima que o consumo de leite e carne seja o dobro do actual em 2050.

Eles viram o problema, e a solução está à frente dos seus olhos, contudo parece que os líderes mundiais simplesmente não conseguem imaginar um futuro que não dependa dos produtos animais.

No entanto, se nós não conseguimos imaginar um futuro assim E dar imediatamente os passos para torná-lo realidade, então não teremos mesmo nenhum futuro. Se dermos o salto rapidamente ainda nos poderemos dar ao luxo de olhar para as gerações passadas do miradouro do único futuro viável - de onde um ambientalista que come carne será visto como um conceito tão absurdo como um esclavagista igualitário.

Renato Pichler
Presidente da European Vegetarian Union (União Vegetariana Europeia)
www.euroveg.eu
president@euroveg.eu


http://www.centrovegetariano.org/index.php?id=22582

Anónimo disse...

Cara Maria,

O que disse sobre a questão de quem está mais consciente sobre estas materias foi que, em termos de PERCENTAGEM (não falamos em numeros totais, porque não se pode comparar dezenas de milhoes com milhares de milhoes), a maioria dos vegetarianos preocupa-se com o ambiente/animais/direitos humanos, esta é a pura realidade, sei bem disso pois trabalho nestas áreas e contacto com muitas pessoas de todos os quadrantes. É raro encontrar algum vegetariano que nao se preocupe com estes temas, e eu pessoalmente conheço muitas centenas de pessoas.
Pelo contrário, em termos de PERCENTAGEM, a maioria dos omnivoros não se preocupa verdadeiramente com estes assuntos, existem é claro, mas em termos de PERCENTAGEM, são em MUITO MENOR número (percentagem) que pessoas omnivoras. Isto acontece porque como disse vegetarianos regra geral são-no por motivos éticos e ambientais, e por isso são pessoas que estão muito mais conscientes sobre estes assuntos. (Nota: que fique claro quem o é faz muito mais que simplesmente não comer este ou aquele produto, tenta ajudar o planeta de muitas outras formas).


Se tiver dúvidas faça uma experiência:

Na rua pergunte a pessoas dos 15 aos 50 se é vegetariano ou omnivoro, depois pergunte se essa pessoa realmente FAZ alguma coisa de concreto para ajudar o ambiente, animais e direitos humanos, ou seja, fazer voluntariado e activismo para além de fazer coisas no dia a dia como eco-consumo, entre outros. Irá verificar que em termos de percentagem, é aquilo que lhe disse.


(Nota: mais uma vez, claro que não quer dizer que não haja muitas pessoas omnivoras que não façam muito pelo planeta, porque as há, mas estamos a falar em termos de percentagem)


-


"Ser-se vegetariano não é, de longe, a solução mais importante para proteger o ambiente e se é assim tão preocupado com o ambiente, sabe perfeitamente que assim não o é, há muita, mas muita coisa a fazer… Podíamos até ser todos vegetarianos, que isso não implicava ter um ambiente puro e saudável como todos tanto ambicionamos."


Se todos fossem vegetarianos, então poderia-se produzir mais de 10 a 20 vezes mais alimentos para todos no planeta, não haveria centenas de bilioes de animais a serem torturados e mortos, a poluição mundial poderia ser reduzida em cerca de 25%, a floresta amazonia e da indonesia seriam salvas da destruição, pouparia-se imensa água e energia, etc etc etc.

Mesmo se uma pessoa só fosse vegetariana e não fizesse nada mais (e casos desses são muito raros), estaria a ajudar mais o planeta que alguém que não o seja e apenas recicle, poupe água e luz.

Como é mais que óbvio e já disse várias vezes, ser SÓ vegetariano NÃO é suficiente, é preciso fazer muito, mas muito mais. Ser-se vegetariano é um dos primeiros e mais importantes passos mas é preciso ter-se uma vida mais ecológica e ética a todos os níveis na vida.

Existem muitos websites que explicam como fazer isso, afinal, para quem percebe do assunto, o "reciclar, apagar a luz e fechar a torneira", são os passos mais básicos. E mais importante que reciclar, é REDUZIR (o consumo).

Informação é muito importante para sabermos agir.


-


"também há microrganismos que produzem toxinas, e estas são resistentes à cozedura, daí constituírem grande perigo para a saúde do consumidor."


Esses casos são raros, quase todos os problemas de intoxicação alimentar acontecem porque a comida estava estragada, por ter passado o prazo, ter estado fora de frigorifico, por ter sido mal cozinhada, ou poluição.

Posso dizer que conheço pessoas que mal comeram peixe pescado a vários kms de lisboa, em 10 minutos vomitaram e ficaram a sentir-se muito mal... Porque? porque o peixe estava contaminado por metais pesados, quimicos, etc etc, tudo obra da sociedade que está a tornar os mares e oceanos, literalmente como lixeiras gigantes da Humanidade.



"Quem acha que são os responsáveis pelo alimentos estar estragado? São os microrganismos os responsáveis pela putrefacção dos alimentos ou os chamados alimentos estragados."


Tinha referido que estava tudo interligado, mas há uma diferença essencial:
Os microorganismos JÁ existiam ANTES mesmo de o produto se ter estragado, e eles existem por TODO o lado, por isso se a pessoa comer antes de se estragar (com os mesmos microorganismos) não há problemas. A questão não é ingerir os microorganismos porque isso fazemos sempre que comemos, mas sim o de o produto se ter estragado pelos motivos que já anunciei.

A carne e derivados são muito mais pereciveis que os vegetais, demoram muito menos tempo para se estragarem, para além de que contêm ovos de parasitas, têm muito mais microorganismos que os vegetais regra geral não têm (bactérias e virus, alguns que são muito nocivos), e contêm MUITO mais químicos (de vários tipos)... os peixes regra geral estão contaminados por poluição, hoje em dia é raro encotnrar-se um peixe que tenha vivido em águas limpas.

Por isso é que estes ditos "alimentos" são muito mais perigosos, e a probabilidade de provocarem intoxicações alimentares é muitissimo superior, como se prova pelos casos que se ouve nos média, quase sempre só falam de carnes ou produtos com derivados (ovos, leite).


Paulo

Anónimo disse...

"Algumas verdades são difíceis de ouvir porque, se você realmente
as ouvir, e entender que elas são realmente verdade, então você
tem que mudar. E mudar pode ser muito inconveniente."

Anónimo disse...

Os pais são os grandes responsáveis. E encontram, todos os dias, diversos obstáculos, que terão que enfrentar e ultrapassar da melhor maneira.
O diagnóstico estratégico, designado de análise swot, feito em gestão - na minha modesta opinião - deveria ser adoptado para tudo (e não só às empresas). A explicação mais detalhada remeto para o artigo da pmelink.pt, em http://www.pmelink.pt/pmelink_public/EC/0,1655,1005_39755-3_41097--View_429,00.html#02
E não sou de gestão!!!
Identificando pontos fracos e pontos fortes de determinada opção (por ex. a nível alimentar das crianças), as oportunidades e as ameaças (tantas que se falaram no programa,como as cantinas nas escolas, os lanches dos outros meninos, a falta de tempo e paciência para "tomar a refeição em família", etc.), nós - PAIS - saberemos melhor como traçar objectivos e transformar as ameaças em oportunidades.
Um exemplo:
Tenho uma filha de 2 anos que ainda não sabe sequer para que serve um rebuçado ou chupa-chupa. No entanto, cada vez mais lojas oferecem estas goluseimas às crianças. Nós pais só temos que dizer NÃO. A minha filha, não pede chupa-chupas, nem quando vai ao supermercado.

Anónimo disse...

não compreendo como é sugerido no vosso programa de hoje o consumo de "enlatados", quando me parece já ter lido que os "enlatados" são cancerígenos. Não será melhor os "enfrascados" , mas tendo atenção aos aditivos - os ditos "E"s? E ler sempre atentamente os ingredientes

Anónimo disse...

"não compreendo como é sugerido no vosso programa de hoje o consumo de "enlatados", quando me parece já ter lido que os "enlatados" são cancerígenos."



Depende do material de que são feitos, e depende dos ingredientes que cada produto alimentar dentro tem. Alguns são sem dúvida perigosos.

Mas existem bastantes produtos enlatados que não representam perigo, depende do caso.


Paulo