quinta-feira, julho 12

TRABALHO TEMPORÁRIO



Por esta altura, enquanto meio país vai de férias, os recém-licenciados iniciam estágios nas empresas e outros tantos jovens procuram trabalhos temporários, cá ou além fronteiras, enquanto não regressam aos estudos. Neste Sociedade Civil queremos dar a conhecer que oportunidades existem e perceber as vantagens e desvantagens de embarcar num projecto de trabalho nestas condições.
Agradecemos que os comentários sejam sintéticos (máximo 300 caracteres c/ espaços) e que coloquem questões. De outra forma é impossível ler os comentários em directo. No fundo da página consulte outras recomendações.

70 comentários:

Anónimo disse...

Olá, boa tarde

Numa altura em que o desemprego cresce em termos reais, o número de pessoas que recorre a trabalho temporário é maior?

Como é sabido a maior parte dos jovens licenciados não consegue emprego na área em que se especializou, tem aumentado a procura de trabalho temporário em jovens recém licenciados e em que àreas de formação?

Ouvimos diáriamente notícias sobre os trabalhadores que vão para o estrangeiro e aí são explorados. Qual o papel das empresas de trabalho temporário? Há controlo quando apresentam estas propostas de emprego?

Anónimo disse...

Tenho um familiar desempregado a terminar o curso de relações púbicas, falta apenas a apresentação da monografia. Que propostas para ele? Onde pode dirigir-se?

Anónimo disse...

Qual a definição de trabalho temporário ao nível do conceito em si e do tempo que lhe está implícito?

Tenho a ideia de que o trabalho temporário são oportunidades que de uma forma estética promove a exploração dos trabalhadores. Quais as regalias de que dispõem em termos de salário/horários/ esquema de protecção social?

Anónimo disse...

Duas perguntas:

- Que beneficios/direitos têm os trabalhadores que arrangem emprego por empresas de trabalho temporário em relação aos outros trabalhadores, e o que é que essas empresas de trabalho temporário ganham com esse serviço?

- Porque é que os estágios nunca são pagos e permite-se utilizar essa desculpa para EXPLORAR o trabalhador universitário durante muitos meses, sem pagar um centimo que seja? O estágio existe só para beneficiar as empresas e é uma tremenda injustiça para os trabalhadores.

lady_blogger disse...

Boa tarde

O trabalho temporário é como uma migalha na cova de um dente, tapa um buraco temporariamente e nada mais. A precaridade deste tipo de trabalho não é garantia de vida para ninguém.

O meu marido esteve em Inglaterra a trabalhar um mês como funcionário e os restantes como manager e sentiu na pele o que é ser explorado, porque quando regressou a Portugal, a empresa abriu falsa falência e recusava-se pagar os salários incertos em falta. O meu marido trabalhava uma média de 16 horas diárias porque era responsável por muita coisa. O contrato de trabalho estipulava que ele tinha de trabanhar 8 ou 9 horas. Só lhe pagaram os tais salários porque os ameaçámos com um processo.
Há de facto muita exploração neste tipo de trabalho.
Eu própria já trabalhei em Portugal neste regime por pouco tempo, e apesar do meu contracto estipular que o meu horário de saída era um, a entidade empregadora nunca disse nada directamente, mas insinuava que havia coisas para fazer e eu sentia-me na obrigação de ficar pelo menos mais duas horas, as quais não me eram pagas.
Tanto eu como o meu marido trabalhámos neste regime, mas tendo sempre pelo meio aquelas empresas mediadoras de contratação de trabalhadores para empresas suas clientes.
No caso do meu marido, ele nem pôde recorrer à empresa que o "levou" para Inglaterra, porque logo após a sua chegada também abriu falência e deste caso também ela quis "lavar as mãos".

Quem regula estas empresas em portugal e no estrangeiro?
Há alguma legislação relativa aos direitos dos trabalhadores temporários? Têm algum sindicato (isto para o caso dos que fazem do trabalho temporário um modo de vida)?

CCivis

Maria Mendes

Anónimo disse...

Eu sou um jovem bastante activo que estudo e nesta altura de férias acho uma chatice ficar em casa. Sim porque os meus pais trabalham, e não têm mais de 2 meses de férias. Onde me devo dirigir para encontrar trabalhos de férias nos quais não explorem a nossa boa vontade?? Muitas empresas recusam-se a aceitar-nos, afirmando que é por pouco tempo e sse tempo ia ser perdido e não ia dar lucro porque era o tempo necessário para ensinar somente.

Maria disse...

Como se processa?
Quais os direitos e deveres do trabalhador e da entidade empregadora?
Quais as garantias?

Anónimo disse...

olá muito boa tarde!

Sou estudante de design e, apesar de ter consciência de que há cada vez menos mercado nessa área, gostaria de saber se através de estágios não remunerados em vários ateliers, é possível arranjar contactos para mais tarde trabalhar num desses estabelecimentos.

Obrigada

Conchinha

Anónimo disse...

Boa tarde,

É possível um trabalho temporário tornar-se fixo?

Margarida Correia

Sociedade Civil disse...

Caros anónimos peço-vos que se identifiquem por favor. Basta assinar o vosso texto.

Saudações civis

Anónimo disse...

Muito Boa Tarde,

Uma pessoa há 25 anos numa empresa corre risco de despedimento?

Obrigada

Margarida Correia

Maria disse...

Quanto tempo pode durar um trabalho temporário, nos termos legais?
Quantas vezes pode ser renovado um contrato de trabalho temporário?
Após ser renovado o contrato de trabalho temporário as vezes possíveis, pode tornar-se efectivo?

Anónimo disse...

Boas,

Será que ainda há empregos fixos? há 20 anos atrás talvez houvesse, mas agora tudo mudou. Quando entrei na minha empresa eramos 8000 trabalhadores e agora estamos reduzidos a 2000 e a empresa não sofreu com todos esses despedimentos. Porquê?

Marina Correia

Anónimo disse...

Olá a todos,

Porque é que quando alguém opta por uma carreira militar tem emprego garantido?

José Luis

Anónimo disse...

Boa Tarde:
Gostaria de colocar a seguinte questão: Por questões de maternidade decidi reduzir a minha vida profissional e trabalhar em Part Time ou até mesmo a partir de casa para desta forma continuar com alguma actividade. Tenho tido sempre trabalho mas sempre a RV, o que se torna complicado ao nível dos descontos para a Seg. Social, visto serem RV de quantias baixas e eu ser obrigada a fazer descontos como trabalhadora independente. Há alguma forma contornar esta situação? Se eu me tornar empresária em nome individual por exemplo terei vantagens???
Obrigado
Rita

Maria disse...

Os estágios são igualmente temporários. Nos termos legais, quem faz estágio tem os mesmos direitos que teria num contrato de trabalho temporário?

Cátia Pereira, 14 anos disse...

Desde de já,deixei-me saudar-vos a todos que participam neste magnífico programa.
Coloco uma questão pertinente, à qual a resposta é um pouco ironica.
Faz-me imensa confusão saber que à licenciadaos que infelizmente por imensos indicadores condicionantes não possuírem um emprego na àrea que se especificaram e por vezes outros, que não concluiram o ensino básico até estarem engressados em empregos relativamente satisfatórios.

Cátia Pereira

Cátia Pereira, 14 anos disse...

Desde de já,deixei-me saudar-vos a todos que participam neste magnífico programa.
Coloco uma questão pertinente, à qual a resposta é um pouco ironica.
Faz-me imensa confusão saber que à licenciadaos que infelizmente por imensos indicadores condicionantes não possuírem um emprego na àrea que se especificaram e por vezes outros, que não concluiram o ensino básico até estarem engressados em empregos relativamente satisfatórios.

Cátia Pereira

Maria disse...

Quais as empresas de trabalho temporário credíveis?
Esta pergunta vem a propósito das empresas fantasma que só servem para burlar as pessoas.

Anónimo disse...

Boa Tarde.
Fala-se bastante em contratos a termo e sem termo. Estou a trabalhar a recibos verdes, nao tendo um contrato assinado, existe algum tipo de conttrato subjacente?Ou a qualquer momento, a empresa pode considerar trabalho temporario e rescindir unilateralmente?

Anónimo disse...

Ofereceram-me trabalho temporário por um valor muito baixo e a ser pago sem fazer qualquer desconto para a seg. social(ou seja proponham-me ficar a margem da lei).

Recusei, alias nem lhes dei resposta porque não mereciam.

A lei é linda, mas não é cumprida.

João Videira

Anónimo disse...

Boa tarde!

Estive a trabalhar durante 2 anos e meio a substituir uma senhora que estava doente. Ao fim de todo este tempo a senhora faleceu e eu vim para a rua. É assim que se costuma actuar?

Chris

Anónimo disse...

ola. sou a Catia e sou da madeira. o que acontece é que no concelho onde moro existe um programa para ocupar os jovens que estao de ferias, denominado JOCA (juventude ocupacional da calheta), onde os jovens ocupam varios cargos como na praia, em centros multimedia, na camara municipal, etc. O que eu gostava de saber é se este tipo de ocupaçao pode ser denominada de "trabalho temporario?

Anónimo disse...

Boa tarde! Trabalho à 3 anos num call center da pt contact como trabalhador temporário. Posso dizer que existe exploração. Neste momento, e apesar de existir um mapa de férias, quase nenhum trabalhador tem o direito de gozar férias. Na época natalicia nenhum trabalhador teve direito de gozar o dia de natal ou o dia de ano novo. Será que isto é legal?

Luís Gomes disse...

Comparar um Gestor Temporário durante 5 anos que recebe de salário mensal 10, 20 ou 30 mil euros, com um vulgar Trabalhador Temporário que recebe digamos de 500 a 800 euros mensais com contratos temporários de 1 mês ou 3 meses, é mesmo para rir, senhor representante das empresas de trabalho temporário.
Quando finalmente os salários forem iguais aos que se praticam em França ou Alemanha, aí poderemos falar de justiça social, e os portugueses estarão dispostos a transpor para a lei portuguesa todas as leis laborais desses países...aí sim seremos Europa em Portugal....

Rita Correia disse...

Boa tarde,
acabei à dias a licenciatura e estou desde que terminei o bacharelato a trabalhar. Sempre a recibos verdes, porque nem nos dão trabalho de outra forma. Pagam mal e a más horas, e o único direito que temos o de "comer e calar". Nas aulas de direito q tive na faculdade, aprendi que após 3 meses de trabalho nestas condições, se passa a ter os mesmos direitos dos profissionais contratados, como sendo férias e respectivo subsidio, e tb subsidio de natal. Será mesmo assim que funciona? Em que é que a Lei nos pode ajudar neste sentido? é que qq conversa neste sentido leva-nos de imediato ao "olho da rua". O que podemos fazer?

Maria disse...

Um licenciado, segundo a lei, deveria ganhar 2 salários mínimos (pelo menos). Isto também se aplica aos trabalho temporários? E qual a diferença de licenciados de 5 anos e os de 3 anos (tratado de Bolonha)?

Anónimo disse...

Estou há 3 anos e 4 meses com um contrato a termo incerto numa empresa de trabalho temporário em regime outsorcing.
Nunca efectuei ao longo destes anos qualquer aditamento ao meu contrato. Estou efectivo? É legal este tipo de contratos?

Manuel Marques

Daniel disse...

Acabei agora a licenciatura em Direito! Como não consigo arranjar emprego consegui encontrar um local temporário onde me empregar...O mercado de trabalho estará assim tão mau?

Maria Joao disse...

Boa Tarde:

Trabalho a 2 anos como recibo verde numa consultora que frequentemente se candidata a concursos publicos. Como e que e possivel o estado contratar empresas onde todos os seus colaboradores estao a recibos verdes, exeptuando o director da empresa.
Obrigada

José Silva disse...

Concordo com o Sr. Luís, "é mesmo para rir, senhor representante das empresas de trabalho temporário."

Anónimo disse...

Trabalhei 3 anos numa empresa de trabalho temporario cm contratos renovaveis de mês a mês.
É uma fantasia acreditar que vai haver uma efectividade porque não interessa ás empresas e preferem colocar novos empregados.
Para não falar dos ordenados...que vão de 2€uros hora com subsidios de refeiçao de centimos

Anónimo disse...

a pt, e suponho que outras grandes empresas também, tem várias empresas de trabalho temporário para que os trabalhadores possam ir fazendo contratos, ora com uma ora com outra, sem nunca serem tidos como efectivos ou necessários à normal actividade da empresa utilizadora. aconteceu-me estar nessa situação de trabalhadora e houve algumas coisas que, apesar de legais através desses jogos, me desgostaram: o ter trabalhado por um salário e no contrato seguinte estar a fazer exactamente a mesma coisa mas ganhar menos e o ser necessária formação não paga para aceder ao contrato de trabalho temporário, mesmo que já a tivesse feito antes com aproveitamento.

portanto gostaria de perguntar que fiscalização existe às relações de dependência entre a(s) empresa de trabalho temporário(s) e a empresa utilizadora e que imposições existem a nível da formação.

maria, lisboa

Rita Correia disse...

ok, quem está a recibos verdes, não está a trabalhar temporáriamente. E quem está a recibos verdes? quando poderá ver este tema abordado no sociedade civil?

Anónimo disse...

Quais as vantagens dos recibos verdes?

Hoffmann

Joao Carlos disse...

trabalho temporario.
com esses direitos todos!!

anda toda a gente a dormir ou é areia para os olhos?

agora so se usa recibos verdes, nao ha ferias subsidios ou qualquer outro direito.

é sobre isso que deviam falar

JC

Anónimo disse...

Vendo este programa até parece que o trabalho temporário é uma maravilha..."os jovens podem utilizar o trabalho temporario". Nós é que somos explorados e bem explorados sem segurança nenhuma. Não são só jovens no trabalho temporario. Hoje em dia toda a gente está sujeita a esse tipo de contrato. Ainda não foi mencionado o estatuto trabalhador estudante que atraves destas empresas é quase proibido falar nisto.

josefa povinha

Anónimo disse...

Trabalho numa empresa de telecomunicações onde sou colaborador temporário em regime de outsorcing há 3 anos e alguns meses.
Estando este tempo todo a trabalhar sem qualquer aditamento ao 1º contrato estou efectivo por essa empresa de Trabalho Temporário? Pode haver este tipo de contratos sem termo com todo este tempo?

Carlos Alberto

Anónimo disse...

Boas,

Estando a trabalhar com recibos verdes podemos trabalhar nos locais que quisermos?

Guida

miguel disse...

é uma maravilha ser explorado.

Anónimo disse...

Uma pergunta rápida.
Enviei por diversas vezes o meu CV para empresas de trabalho temporário, no entanto normalmente so me chamam quando entrego com resposta a algum anúncio. O que fazem com os CV recebidos, sao analisados no momento ou sao arquivados?

Anónimo disse...

Bem, este programa é fantástico, mas quem hoje ouve este programa, percebe de imediato que as vozes que se ouvem são de certeza de quem não se encontra nestas circunstâncias, senão, certamente não falaria assim

Rita Correia disse...

Mto Obrigado D. Fernanda

lady_blogger disse...

Realmente eu só vejo um único benefício do trabalho temporário, que é a possíbilidade de dar uns tostões (geralmente salários mínimos) àqueles que pretendem ocupar dias de férias, para auxiliarem nas despesas de casa ou com os próprios estudos.

As empresas de trabalho temporário e as entidades empregadoras nesse regime deveriam sem pré-aviso serem vistoriadas de quando em vez, evitando assim o recurso à habitual exploração do trabalhador temporário.

Essas inspecções costumam ocorrer?

Maria Mendes

Anónimo disse...

Sou o Manuel Marques

Eu sou um trabalhador com um contrato a termo incerto desde março de 2004 pela empresa de trabalho temporário Select é legal este contrato?

Manuel Marques

Anónimo disse...

Boa tarde

Sou trabalhador temporário e há 2 anos e encontro-me em situação de final de contrato com a empresa de trabalho temporário. Irei continuar a desempenhar a mesma função mas terei que assinar contrato c/outra ETT. Recebi p/carta registada rescisão da empresa onde ainda estou no momento. A minha questão vai no sentido de saber da legalidade deste procedimento uma vez que se assinasse mais um contrato com esta empresa passaria a efectivo e também ao assinar novo contrato temporário de trabalho com nova empresa irei manter a mesma categoria e direitos.

Anónimo disse...

oi

A partir de que idade se pode recorrer ao trabalho temporário.

Margarida Correia

Anónimo disse...

Neste programa devia era estar alguem que tenha vivido ou viva a situação do trabalho temporario para poderem falar sobre a parte pratica desta questao e não sobre leis que não se aplicam.Sim, porque as empresas de trabalho temporario mal cumprem leis e como é o grande(empresa) contra o pequenino (trabalhador) é uma luta perdida. Ou calas ou vais pra rua num ápice

lady_blogger disse...

Há também a hipótese de se experimentar o exercício de outras profissões, mas como há muita exploração dos trabalhadores temporários, dificilmente o trabalhador gostará das profissões que exerça neste tipo de regime.

Maria Mendes

Anónimo disse...

a minha questão não era relativa à fiscalização do trabalho efectuado, mas ao facto de as empresas utilizadoras criarem empresas de trabalho temporário para cobrir as necessidades efectivas e duradouras de trabalhadores.

maria, lisboa

Joao Carlos disse...

nao tenho duvidas em relaçao aos recibos verdes.

aquilo que tenho, como portugues, é vergonha.

Ja agora: seis anos com um trabalho temporario!!!

mais tempo uma pessoa passa num emprego temporario que um pedofilo na prisao.

temporario uma ova.

JC

Anónimo disse...

Durante toda a minha experiencia profissional, a unica vez em que os meus direitos como trablhador foram inteiramente cunpridos, foi realmente, quando exerci funcoes contratadas por uma empresa de TT.
A minha experiencia foi bastante positiva, e foi das únicas vezes que a minha exp. profissional foi valorizada.

Anónimo disse...

Voltamos aos tempos da escravatura.
Progresso ou Retrocesso?

lady_blogger disse...

Concordo com o post das 14 h e 53m. E sinceramente gostava de ver os convidados no exercício de trabalho temporário para ver se gostavam da experiência. Deviam ter conviado pessoas com mais conhecimento de causa em termos de experiência, pois não é só o debitar de prosa que interessa aos telespectadores, mas sim relatos de experiências de vida para servirem de exemplo.

C Civis

Maria Mendes

Anónimo disse...

Para que as pessoas que nunca trabalharam numa empresa de trabalho temporário.
Sou jovem 30 anos e no meu local de trabalho tive um AVC há 3 anos onde tive que ficar 2 meses em casa com baixa.
Quando cheguei ao meu local de trabalho que estava há 2 anos e meio fui dispensado.
Afim de fazer as contas de termo contratual deram-me 2 hipoteses:
Não recebes e nós arranjamos colocação ou ficas em ficheiro vermelho.
É isto legal? Ficheiro vermelho para quem não sabe é Nunca mais entrar numa empresa de trabalho temporário. Esta empresa é a Select Recursos Humanos

Tiago Martins

Anónimo disse...

Ficheiro vermelho???!!!!!
Ainda falam do tempo do salazar

josefa povinho

Anónimo disse...

Luis do Porto, desempregado, estou inscrito em diversas empresas de trabalho temporário, e têm pedido de tudo, desde 35 Euros até 60 Euros para inscrição. Depois dizem que quando vir no Jornal para avisar, o que não tem adiantado, a seguir nada sizem do pretenso trabalho que irão arranjar. Acho que não tem existido destas empresas uma relação de boa fé. Adeus.

Anónimo disse...

respondam à duvida do Tiago Martins....

Anónimo disse...

respondam à duvida do Tiago Martins....

josefa povinho

Maria disse...

Como toda a gente sabe (ou pelo menos aqueles que já trabalharam nessas condições ou que conhecem alguém que o tenha feito) que o trabalho temporário não é assim tão bonito como estão a querer fazer parecer, mas no programa fala-se do que deveria acontecer e do que está na lei.
É lógico que a realidade não é bem assim, pois a grande maioria das pessoas não sabe dos direitos que tem e acabam por ser explorados e o objectivo do programa é alertar e informar para tudo isso.

Continuem o bom trabalho SC. :)

Anónimo disse...

Amigo, eu até sei as leis e sou sindicalizado mas não tem adiantado de nada...aliás nem posso mencionar que sou sindicalizado senao aí nem me empregam

Anónimo disse...

Olha-me este tipo a rir-se da vida de uma pessoa... tristeza!

Anónimo disse...

Realmente quem não sofre na pele...


josefa povinho

Anónimo disse...

Boa tarde,
Gostaria só que fosse esclarecido, se quando estamos pereante um contrato de trabalho na agricultura e sazonal, ele terá mesmo que ser reduzido a escrito?
não há nenhuma PRT para os contratos de trabalho rural?

Anónimo disse...

Claro que existe ficheiro vermelho. É obvio que aquele senhor tambem enche os bolsos à custa de nós.
Nada adianou recorrer à inspecção geral de trabalho pois a resposta foi só uma.
Termo incerto pode sair a qualquer momento.
Agora aquele senhor deve ter visto na pele aquilo que costuma tambem fazer.

Tiago Martins

Carvalho disse...

O mais caricato é dizerem para uma pessoa sem posses financeiras para ir para tribunal com uma empresa...

O programa de hoje foi lastimável porque só deu voz às empresas e não aos verdadeiros sacrificados, o "zé povinho"!

Alguém sabe o nome daquele convidado que se desatou a rir no final?

Anónimo disse...

Fernanda: Mais decotes!!!

Antonio Manuel disse...

O trabalho temporario é so uma maneira de tratar as pessoas como meros objectos esta é a minha opinião pois nem respeitam as pessoas e fazem o que bem lhes apetece.

Anónimo disse...

Trabalho pela Select RH de Lisboa como administrativo e sinceramente envergonha-me o acto desumano do conceito de Ficheiro Vermelho! Como pode ser possivel esta monopolizacao da vida laboral de um cidadao? Como podem ser os orgaos sociais de proteccao ao trabalhador e mesmo as proprias empresas, coniventes com este tipo de ilegalidade? Sinceramente da-me vontade de fazer como o senhor que fez a ameaca de bomba no banco porque estes lhe iam ficar com a casa! No meu caso e no dos meus compatriotas o motivo seria conseguir ter um emprego para nosso sustento, penso que uma ultima tentativa de sobreviver dignamente antes de enveredar pela vida criminal...

Onde iremos parar?

Anónimo disse...

Boa tarde!
Julgo tratar-se de um tema que muito preocupa os portugueses. Sou trabalhadora temporária mas são enormes as exigências. O que me choca é não haver qualquer tipo de vínculo laboral, apenas recibos verdes. Resido a 100 Km do meu local de trabalho, mas gosto do que faço. Infelizmente, a precariedade parece o mais certo!

Trabalho temporário é apenas uma forma suave de dizer "escravo do séc. XXI"!