sexta-feira, setembro 21

ALZHEIMER - DOENÇA EM CRESCIMENTO

Neste Dia Mundial de Alzheimer, o Sociedade Civil pretende explicar por que motivo o Alzheimer acompanha o aumento da esperança de vida, e avaliar a qualidade dos serviços prestados às pessoas portadoras desta doença - qual o caminho desde os primeiros sinais até aos cuidados paliativos, passando pela importância do diagnóstico precoce. Com os melhores especialistas, conheça também os avanços mais recentes na pesquisa desta doença que afecta mais 70 mil pessoas em Portugal.

23 comentários:

Klatuu o embuçado disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RUTE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RUTE disse...

Sou "toda ouvidos"...
Como é que a doença de Alzheimer acompanha a esperança de vida?
Quer dizer que é uma doença em expansão? Que o número de pessoas vitimas de Alzheimer tem aumentado na proporção do aumento da esperança de vida?
Estou muito curiosa pois sempre associei esta doença a uma falta de utilização do cérebro, para além do envelhecimento normal.
Ou seja, embora não existam causas concretas, suponho que há maior incidência de Alzheimer em pessoas de baixa instrução.
Dai que julgava que o número de doentes tinha diminuido.

lady_blogger disse...

Olá Fernanda e equipa SC!

Comemora-se hoje o dia Mundial do Doente com Alzheimer.
Alzheimer não é só uma doença das pessoas de idade avançada, recordemos a título de exemplo o caso do actor americano Michael J. Fox.
Ainda bem que abordais este assunto, porque desta forma ajudais a perceber os sintomas e a saber lidar com quem padece desta doença.
Tanto quanto sei, esta doença progressiva do cérebro, pode provocar falta de orientação, falta de memória, cansaço fácil nas actividades quotidianas, linguagem descoordenada, perda da noção das horas e dos dias, desiquilíbrio emocional e de personalidade.
Estes são talvez os sintomas diagnosticáveis com relativa facilidade, porém existirão outros.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

lady_blogger disse...

Há um livro infantil que ajuda a perceber um pouco o que é esta doença. "O Pequeno Elefante Memo" custa 12,50 euros e encontra-se à venda em Lisboa na Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes Com Alzheimer.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

lady_blogger disse...

Já que falais em cuidados paliativos, será útil referir que está a decorrer desde hoje e durante 3 dias um curso de cuidados paliativos em Idanha, e no Porto decorrerá no IPO em Outubro nos dias 19, 20 e 27.
Quem quiser ser voluntário de cuidados paliativos ainda vai a tempo de se inscrever no curso que será ministrado no Porto.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

Pedro Marinho disse...

Querida Dra Fernanda Freitas

Deve-se informar o paciente?

MUITOS que cuidam de um ente querido que tem Alzheimer perguntam-se se devem, ou não, informá-lo a respeito da doença. Se você decidir informar, como e quando fazê-lo?

Pedro Marinho de Arcos de valdevez

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Olhe Pedro Marinho, eu sou da opinião que se informe para que o doente não fique mais confuso; se já devido à doença anda um pouco baralhado, mais confuso fica se nada lhe disserem e até pode pensar que é uma doença que o pode aniquilar daí a dias.
Se você contraísse esta doença não quereria saber isso?

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Porém sei que muitos doentes cujo diagnóstico é feito em estado avançado da doença, talvez já não tenham discernimento mental para perceberem de que doença padecem, e portanto só nesses casos talvez seja dispensável uma explicação sobre qual é o seu problema de saúde.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

Anónimo disse...

Fumar é mesmo uma tolice

Um estudo recente na Holanda diz que “fumar mais do que dobra o risco de desenvolver demência e mal de Alzheimer”, noticia o International Herald Tribune. O estudo entre 6.870 pessoas com mais de 55 anos revelou que os fumantes têm 2,3 vezes mais probabilidade de desenvolver mal de Alzheimer do que os que nunca fumaram. O risco de quem parou de fumar era só um pouquinho maior do que o de quem nunca fumou. O mal de Alzheimer, que destrói gradativamente as células do cérebro, é “a forma mais comum de demência”.

Pedro Marinho de Arcos de valdevez

Pedro Marinho disse...

Mal de Alzheimer — Como aliviar o sofrimento

Ele é chamado de “a principal doença crônica da velhice”. Embora o mal de Alzheimer seja fisicamente indolor, causa muita dor emocional. Qual é a melhor maneira de os familiares cuidarem do doente?
Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Marta Fernandes disse...

O actor Michael J. Fox não sofre de Alzheimer mas sim da doença de Parkinson.

Pedro Marinho disse...

Estudo Inconclusivo

• O mal de Alzheimer é incurável e aflige três milhões de norte-americanos. Nos estágios finais, as vítimas perdem a memória, a fala, a coordenação motora, e o controle das funções orgânicas. Mas, recentemente suscitaram-se esperanças de um tratamento útil quando a revista Neurosurgery publicou os resultados dum estudo preliminar que envolvia quatro vítimas do mal de Alzheimer e que receberam injeções de cloreto de betanecol no cérebro. Com que resultados? “Repetidos relatos [dos membros da família] de decrescente confusão, crescente iniciativa, e melhora nas actividades da vida cotidiana” para todos os quatro pacientes, informou o estudo. Uma semana depois de isso ser publicado, os centros médicos especializados na doença foram inundados de indagações. Mas os médicos admitem que os resultados do seu estudo são inconclusivos, talvez coincidentes. “Os veículos noticiosos apenas se agarraram a esta coisa, e uma porção de falsas esperanças foram suscitadas por causa disso”, afirmou David Roberts, um dos médicos que dirigiram o estudo.

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

Perguntas que a família pode fazer ao médico

· Como a doença evoluirá e qual será o desfecho?

· Que sintomas haverá e como os controlar?

· Que alternativas de tratamento existem?

· Quais são os possíveis efeitos colaterais, os riscos e os benefícios dos diferentes tratamentos?

· O que se pode fazer para melhorar a situação e o que se deve evitar?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

Como dar apoio

Algumas pessoas evitam visitar ou oferecer ajuda por não saberem o que dizer ou como lidar com a situação. Outras têm a tendência de ser dominadoras e impor o que acham ser de ajuda, o que acaba por aumentar a pressão sobre a família. Como, então, dar apoio aos que têm um membro da família com uma doença crônica sem invadir a privacidade deles?

José Costa - Casal do Marco disse...

A minha esposa morreu com a doença dos pézinhos (paramiloidose familiar ou PAF). Os meus filhos receberam a mesma doença pela transmissão hereditária tendo um deles já sido sujeito a um transplante no Curry Cabral. Como é uma doença com origem em depósitos da proteína Amilóide do mesmo tipo do Alzheimer e como tenho netos, gostaria de saber em que medida essa descoberta (Da qual já tinha ouvido falar há um ano)pode ser aplicada no tratamento ou prevenção da paramilóidose. Os meus agradecimentos !
A "talhe de foice" seria excelente que a Fernanda pudesse fazer um programa sobre a parte da assistência social aos doentes com este tipo de doenças sem cura e qualidade de vida limitado,pois estes doentes têm sido abandonados pela assistência social que é basicamente fornecida SÓ pela família.

RUTE disse...

DÚVIDA:
Mas se a doença de Alzheimer se caracteriza pela diminuição das substâncias através das quais se transmite o impulso nervoso entre os neurónios, podem os estimulos aumentar a segregação dessas substâncias?
A que nivel vão funcionar os estimulos externos como as actividades artisticas e lúdicas?

lady_blogger disse...

Obrigada Marta Fernandes pelo esclarecimento, mas por acaso tinham-me dito que era de Alzheimer.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

RUTE disse...

Que pena hoje existirem poucos comentadores no Blog!!
Em relação ao video sobre nutrição e qual a sua relação com Alzheimer, não estariam um pouco a mistura a ARTERIOSCLEROSE a nivel cerebral com a doença de Alzheimer?
A Arteriosclerose é o termo genérico para espessamento e endurecimento da parede arterial causada pelo acumular de gordura e de colesterol nas artérias.
Dai que uma alimentação vegetariana, por exemplo, pode baixar os niveis de gordura no sangue.
Onde é que andam os vegetarianos cá do Blog...

RUTE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RUTE disse...

Segundo o que li, o diagnóstico da doença é feito através da exclusão de outras doenças que podem ter os mesmos sintomas e que podem também evoluir para quadros demenciais, como por exemplo:
» Traumatismos Cranianos;
» Tumores Cerebrais;
» Acidentes Vasculares Cerebrais;
» Arteriosclerose;
» Efeitos Colaterais de medicamentos;
» Intoxicações por Drogas e Alcool;
» Depressões, etc, etc...

Pelo que não convém confundir. Pois caso não seja Alzheimer pode ser tratável através duma alimentação correcta ou de uma desintoxicação.