segunda-feira, outubro 8

ALEITAMENTO MATERNO: UMA FORMA DE SALVAR VIDAS

16% das mortes de recém-nascidos podem ser evitadas através da amamentação dos bebés desde o primeiro dia de vida, revela um estudo recentemente publicado na revista científica Pediatrics. Na Semana do Aleitamento Materno que hoje começa vamos explicar quais as vantagens de amamentar: os nutrientes que o leite materno possui, contra que doenças pode proteger o bebé, de que forma reforça o vínculo com a mãe? Com os melhores especialistas do parceiros do Sociedade Civil, vamos perceber que implicações este gesto tem no desenvolvimento e crescimento das crianças.

49 comentários:

Anónimo disse...

Para os bebes, o leite materno é sem dúvida o melhor e mais completo alimento que estes podem ingerir durante os primeiros anos de vida.

No entanto a mãe deve evitar o mais possível fumar entre tomar outras drogas, ingerir alimentos com demasiados químicos sintéticos, demasiado processados, açucares, carnes e outros ingredientes que fazem mal, de forma a evitar que passem para o leite materno e daí, para o bebe.

Quando as mães têm de estar a trabalhar ou a fazer alguma coisa que as mantenha longe do bebe e/ou não tenham a possibilidade de dar de mamar, estas podem utilizar uma "bomba" para retirar leite numa hora para depois ser dado noutra hora, evitando assim usar leite químico ou de outros animais, o que é péssimo para o bebe.

Atenção que não se deve de forma alguma por leite quente no biberão ou qualquer outro recipiente de plástico, pois o calor faz com que o plástico liberte toxinas e estas passam para o leite e depois para o bebe. Também é preciso ter muito cuidado com as borrachas no biberão porque está comprovado que a maioria destas a longo prazo podem provocar cancro. Pode-se sim tentar utilizar um recipiente de vidro e algum tipo de borracha ou outro material menos perigoso para dar de mamar, quando não se pode dar de mamar directamente na fonte.

Para o bem do bebe, não se deve tentar alimentar o bebe com leite em pó, aqueles tipos de "leites" supostamente "próprios" para bebes, visto que isso é falsa propaganda das empresas e prejudica e muito a saúde do bebe.

Vários estudos sobre esta questão foram feitos e percebeu-se que quem ingere esse tipo de "leite" (não natural / não materno) têm probabilidades muito superiores de poder ter algum tipo de problema de saúde, especialmente se se comprar produtos da Nestle, que está comprovado que o "leite" da nestlé já matou algumas dezenas (ou mais) de bebes devido a complicações de saúde.

Para finalizar, o leite de outros animais como a vaca ou cabra, biológicamente foram feitos UNICAMENTE para os filhotes do próprio animal e NÃO para humanos.

Conclusão, o que é que bom, saudável e recomenda-se, é o leite materno.


carpe diem

---

http://www.babymilkaction.org/

http://en.wikipedia.org/wiki/Nestlé_boycott

http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&q=danger+milk+nestle&meta=

Anónimo disse...

LEITE MATERNO

Tudo o que precisa de saber para amamentar com sucesso!

http://www.leitematerno.org/



------------------

PORQUÊ AMAMENTAR:
http://www.leitematerno.org/porque.htm

O leite humano é muito diferente do leite adaptado (leite em pó). O leite materno contém todas as proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o seu bebé necessita para ser saudável.
Além disso, contém determinados elementos que o leite em pó não consegue incorporar,
tais como anticorpos e glóbulos brancos. É por isso que o leite materno protege o bebé de certas doenças e infecções.

O aleitamento materno protege as crianças de:

Otites - Alergias - Vómitos - Diarreia - Pneumonias - Bronquiolites - Meningites


(...)



O leite adaptado (leite em pó) é muito diferente do leite materno e a sua utilização tem riscos para o bebé:

- Os leites artificiais usados habitualmente, são feitos a partir de leite de vaca. Por essa razão, o uso de leite artificial aumenta o risco de alergia ao leite de vaca.

- As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de vir a sofrer de otites, amigdalites, bronquiolites, pneumonias, diarreias, infecções urinárias e sépsis.

- As crianças alimentadas com leite em pó, além de terem maior risco de sofrer as infecções referidas, as infecções de que sofrem surgem com maior gravidade, porque o seu sistema imunitário não recebe a ajuda dos anticorpos, glóbulos brancos e outros factores imunológicos presentes no leite materno.

- As crianças alimentadas com leite artificial têm maior risco de desenvolver linfomas.

- As crianças que são alimentadas com leite em pó têm maior risco de vir a sofrer de Diabetes tipo I (insulino-dependente).

- As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de sofrer obesidade na vida adulta.

- As crianças alimentadas com leite em pó têm maior risco de desenvolver eczema, asma e outras manifestações de doença alérgica.

- A UNICEF calcula que um milhão e meio de crianças morrem por ano por falta de aleitamento materno. E não se pense que é só nos países do terceiro mundo. Mesmo nos países industrializados muitas mortes se poderiam evitar com o aleitamento materno[1].


(...)

http://www.leitematerno.org/

Ania Araujo disse...

Boa tarde!
sou a mais velha de 6 irmaos e de 22 primos e sempre vi e senti a iportancia do acto de dar de mamar. sou mae ha 4 meses e meio e se muita muita força fiz para conseguir dar de mamar infelizmente so o consegui durante 2 meses e meio!

mas nao foi nada facil desde o início, porque tive os mamilos invertidos e nem a ajuda preciosa dos enfermeiros fez com que ultrapassasse isso. valeram-me os biquinhos de silicone, foi assim que consegui dar. nao estava a espera porque sempre vi a minha mae e as minhas tias a dar a mama tao naturalmente...

ultrapassei uma mastite sem precisar de secar o leite mas nesses dias ele habituou-se ao biberon e depois foi em poucos dias que ele me rejeitou o peito,. para muita pena minha!

mas penso que dei o suficiente para ele ganhar as defesas necessárias para criarmos os 2 esta relaçao de cumplicidade extrema! embora pense que este vínculo vai muito mais para além do dar de mamar...

se doi ao inicio?muito!mas nada que nao se suporte ate porque passa uns dias depois!os nossos filhos valem o esforço!

eu ca acho que dar de mamar tambem é muito pratico porque onde quer que vamos e demoremos o tempo que for preciso, temos sempre ali pronta a papinha a dar:na medida e temperaturas certas!

alem de que como o meu avô diz "as mulheres nao nasceram com maminhas so para ficar bem ou para apalpar. nao é por acaso que as mulheres as tem mais desenvolvidas e os homens nao"! a natureza esta muito bem feita!

parabens pelo programa!beijinhos**

ANA disse...

OLA BOA TARDE
SOU ENFERMEIRA DE UM SERVIÇO DE NEONATOLOGIA, E QUANDO TIVE A MINHA FILHA, QUE TEM AGORA 2 ANOS, O PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A MAMA FOI EXCEPCIONAL TIVE MUITA SORTE. ADOREI DAR DE MAMAR. MAS NFELIZMENTE AOS 2,5 MESES DE IDADE O MEU LEITE COMEÇOU A SER INSUFICIENTE (POUCA QUANTIDADE) E TIVE DE INICIAR SUPLEMENTO ALIMENTAR, COM GRANDE PENA MINHA.AINDA ASSIM,É UMA ÉTAPA MARAVILHOSA DA NOSSA VIDA, ALIMENTAR O NOSSO FILHO, É SENTIRMO-NOS MÃES EM PLENO.
ANA CRISTINA FERNANDES.

LA disse...

Mãe Freitas, um beijo de Luanda já em Lisboa. Saudades do SC. Devia emitir na RTP África.

Pedro Marinho disse...

Querida Dra Fernanda Freitas

Pergunto se o colostro que existe no leite materno será que se consegue adquirir no leite de lata vendido nas farmácias?

Porque razão o facto de muitas mães terem um peito grande não significa que tenham bom leite e em quantidade sufeciente do ponto de vista de saciamento no bébé?

A alimentação é fundamental para um bom aleiteitamento?

Existe algum exame para se verificar se o leite é de qualidade para o bébé?

Pedro Marinho de Arocos de Valdevez

Anónimo disse...

Boa tarde,

gostaria de saber até quando se deve prolongar o aleitamento materno. O meu filho tem 13 meses e ainda mama. Devo dar-lhe outro leite? O leite materno ainda traz benefícios a um bébé desta idade? Mesmo já tendo passado mais de um ano, há sempre dúvidas que nos assolam.

Obrigada,
Cristina Silva

Pedro Marinho disse...

Prevenir é preciso

A natação para grávidas ajuda em todo o processo, controlando e establizando todo o aparelho fisiológico da mamã, permitindo -lhe uma saúde que tem repercussões na fase do aleitamento, será que os médicos fazem prevenção aconselhando a boas práticas como a natação?

Prof de Natação
Pedro Marinho de Arcos de valdevez

Pedro Marinho disse...

O stress pós parto pode prejudicar o aleitamento?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Antonio Silva disse...

Boa tarde, esta questão, em debate, e muito interessante e actual, mas alguém, pode dizer-me como e que, actualmente uma mãe que trabalhe e precise realmente dos rendimentos do seu trabalho, para alimentar e vestir o filho, pode amamentar o seu filho, para alem dos 3 meses, sem ser despedida e ir para fundo do desemprego.

Anónimo disse...

Olà, Boa tarde!
Antes de mais gostava de felicitar o programa pela excelente qualidade e ainda por traer este tema a discussão.

Gostava ùnicamente de partilhar convosco a minha situação. Fui mãe à 17meses e ainda amamento a minha filha. Na minha situação a amamentação correu e corre muito bem. No inicio claro surgem as dùvidas mas com o passar dos meses instala-se a segurança.

Agradeço ao "Cantinho de Amamentação" no centro de saude da minha residencia que muito apoio me deu e o principal de tudo, paciência com a minha inesperiência.

O meu objectivo seria amamentar até 1ano de idade mas tem sido tão bom amamentar que jà vou no 17° mês e não sei quando vou parar. Sei que faz bem à minha filha e eu também adoro amamentar.
O leite materno não é sò alimento, é amor e ternura.



Beijinhos para todas.

Vera e Sara (17meses e ainda a amamentar)

Pedro Marinho disse...

Algo que noto nas recém mamãs é que durante todo este processo de gravidez e parto existe muita ansiedade, será que se pode inverter essa situação? como?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

Mas, com a mudança do estilo de vida e a popularidade da alimentação com mamadeira, observou-se estranha circunstância. The Encyclopedia Americana (1927) explicou: “A vida moderna — e em especial a vida citadina — de certo modo tornou certa proporção de mulheres incapazes de produzir leite no peito para a sua prole.”

Mais recentemente, um estudo feito na Índia verificou que mais de 80 por cento das mulheres altamente educadas não conseguiam amamentar no peito por mais de seis meses. No entanto, entre as mães pobres, desconhecia-se praticamente tal dificuldade em aleitar.

Compreensivelmente, a mãe que tenha dificuldade em aleitar, ou teme que vá ter, talvez considere uma carga ao amamentar. Mas, por que a mulher “moderna” não raro tem dificuldade em aleitar, ao passo que outras consideram isso natural e apreciam amamentar seus bebés no peito? Como a vida moderna interferiu nesta função básica da mãe?

Pedro Marinho

Antonio Silva disse...

Se a maior parte das empresas nas entrevistas, para preenchimento de, uma vaga de trabalho, no questionário, existe uma pergunta acerca das intenções de engravidar ou vir a engraviadar, percebe-se imediatamente qual será a resposta a uma trabalhadora que tencione de alguma *roubar*, tempo da empresa para amamentar o filho...havia de ser o bom e o bonito....

Pedro Marinho disse...

Alguns médicos permitem que as suas pacientes amamentem os seus bebês recém-nascidos lá mesmo na mesa do parto. Trata-se duma prática recomendável, visto que a produção de leite é estimulada pelo mamar do recém-nascido. Mas, serve para outro fim — estimula o útero da mãe a contrair-se e pode ajudar a reduzir
a hemorregia.

Pedro Marinho

S. disse...

fui mãe há cerca de 8 meses.
tudo o que sei sobre amamentação aprenci num curso de preparação para o parto no centro de saude da minha area de residencia (Setúbal - Bonfim).
amamentei durante o 1º mês. depois disso, tirei o leite para biberãos e é assim que até hoje dou leite ao meu filho. isto porque fiquei com os mamilos em chaga. mas não foi nada que não estivesse à espera. no curso prepararam-nos para todas as situações. nunca me passou pela cabeça não amamentar. sei que estou a proteger o meu filho e a dar-lhe o melhor início de vida possível. no entanto, não condeno quem faz outras escolhas.
quanto a dizerem que aprendemos com as n/ mães/tias/avós... não concordo. a minha mãe ficou sem leite muito cedo pois nunca aprendeu como estimular o peito. aprendi tambbém muito no site leitemterno.org

Pedro Marinho disse...

E a ama-de-leite, era procurada para fazê-lo. Em algumas áreas do mundo, ainda se usam amas-de-leite.

Acham correcto e aconselhável?
~
Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Papoila disse...

Eu tenho um bebé com quase 6 semanas e tive dificulades em começar a amamentar. Apesar de ter tido o meu bebé num hospital amigo dos bebés (HGO), não vim adaptada à amamentação e o meu filhote esteve uma semana literalmente à fome porque não sabia pegar no peito e chorava muito.

Apesar da pouca experiência, não desisti e ao fim de uma semana ele começou a pegar bem, curiosamente quando iniciei o suplemento. Ele tem vindo a recuperar bem, e gosta mais da mama do que do biberon.

Ania Araujo disse...

Gostava so de acrescentar uma coisa: é uma vergonha o tempo de licença de maternidade neste país e eu gostava de dar os meus parabens ás maes que conseguem manter a amamentaçao quando regressam ao trabalho!

se ja nao é facil gerir uma casa antes de ser mãe, depois é ainda mais exigente e quando para além disso temos a missao da amamentaçao durante o trabalho é de louvar!

Anónimo disse...

A minha filha tem 5 meses e até agora sempre a amamentei. Vou começar a trabalhar no mês que vem e não consigo retirar e leite com a bomba. Como ela já faz uma refeição de sopa e fruta e outra de papa possilvelmente só fará uma refeição de leite enquanto eu estiver fora.

Que leite me aconselham?

Outra questão: Estou com muita queda de cabelo e dizem-me que é de estar a amamentar é verdade? Se sim, o que posso fazer uma vez para minimizar a situação uma vez que não posso fazer medicação?

Obrigada e parabéns pelo programa.

Anónimo disse...

Boa tarde (sou uma espectadora assídua!)
O meu filho tem quase 3 anos e ainda mama. Isto é normal? Pode ser prejudicial ou é benéfico?
Obrigado
Carla Antunes (Rio de Mouro)

Sónia Sousa disse...

É possível dar de mamar e trabalhar é preciso é confiança, determinação, tenacidade, apoio (muito) e querer.
Amamentei o meu 3º filho até aos 12 meses, a trabalhar em full time; retirava leite 2 vezes por dia para não haver quebra de produção.
O importante é apoio, sobretudo do estado e do patronato para esta fase.
Bem hajam,
Sónia Sousa
Doula, instrutora de massagem infantil e mãe de 3 piratas :-)

Anónimo disse...

Estou gravida de 5 meses, e tenho Mastite.
ha algum problema qd o bebe nascer? durante o aleitamento?

Paula

Maria José disse...

Tenho um menino de 3 anos e ainda lhe dou leitinho, só à noite.
A proximidade que temos é enorme. Gostaria de saber se há alguma desvantagem em continuar a amamentar nesta idade?

Maria José

Elisabete - Esposende disse...

Boa tarde.

Uma dúvida sobre o a questão específica do tempo de amamentação:
Quando é que é mais facil para o bebé deixar de mamar no seio materno? Ao ano, aos dois anos, aos três?

Ana disse...

Boa tarde.
antes de mais felicito o V/programa com assuntos sempre tão importantes.
Fui mãe há dois meses do Tomás que no fim do primeiro mês começou a chorar e a recusar o peito. Deixou praticamente de comer. O pediatra diagnosticou refluxo gatro-esofágico e aconselhou leite anti-refluxo. Deixei de dar o meu leite durante antes do suplemento, mas ele cada vez quer menos o peito. Tenho tirado o meu lite e congelado, mas estou quase sem leite. Há alguma solução para voltar a dar do meu?
OBRIGADA

Ana Alves e Tomás

Cat disse...

Parabéns pelo programa!
tenho um filho com 18 meses que amamento com muito carinho, as doulas foram sem duvida uma grande ajuda, ainda bem que vão falar sobre isso. Todas as gravidas deviam de ter uma Doula, no parto e no pos-parto, são sem duvida um anjo da guarda.

Catarina e Rodrigo

Anónimo disse...

Fico tão triste quando vejo Mães que deixam de amamentar os filhos logo após os primeiros 2 meses e todas me dizem que o leite não chega, não era bom,etcetc.E muitas vezes por conselho do médico Pediatra.
Dei de mamar aos meus 2 filhos e em relação ao meu 1ºfilho tenho até uma passagem interessante. Ele foi operado com 20 dias a uma estnose do pilorum e no pós-operatória tinha que lhe dar de mamar só o equivalente a uma medida indicada num biberon.Era um medo muito grande pois não fazia idéia da quantidade que ele conseguia mamar, até que com tanto stress e ansiedade fiquei com a sensação de que já não tinha mais leite e iniciei a administração de biberon depois da mama. Uma semana depois da operação tive que o levar ao Hospital Maria Pia no Porto, sou da Póvoa de Varzim e porque não tinha outro meio de transporte para ir sozinha, tive que ir de comboio e seria uma trabalheira levar o biberon e todo o resto para a mamada. Arrisquei e decidi que lhe ia dar só a mama. A partir desse dia foi fantástico. Comecei a ter mais leite e ele passou a mamar muito bem. Dei de mamar até aos 12 mese de idade do meu filho, mesmo depois de começar a trabalhar dava-lhe de mamar de manhã/noite Foi uma experiência muito boa e o leite estava sempre pronto e na temperatura ideal, permitindo-me ir com ele para onde quizesse.
Parabéns pelo programa!
Maria/Póvoa de Varzim

Anónimo disse...

Olá, boa tarde!
Não é nada "animalesco" dar de mamar, como disse uma mãe,só dói nos primeiros dias.No inicio a minha sogra dizia q o leite era muito fraco e tinha q dar suplemento e felizmente nunca concordei.
Dei o peito até os 8 meses à minha filha,não dei mais pq fiquei doente. Estive os primeiros 4 meses em casa e quando recomecei a trab,tirava o leite com a bomba e por veces congelava,assim foi dos 4 aos 8 meses.
Yany.

Anónimo disse...

Como jà mencionei a minha Sara mama ainda de manhã e à noite, mas como jà tenho receio de ter pouco leite, estou tentada a dar-lhe outro leite como suplemeto.

Posso dar leite de vaca? Gordo ou meio gordo?


Vera e Sara

Dina Duarte disse...

Durante a amamentação do meu filho tive duas mastites e para finalizar um abcesso da mama que me deu muitos problemas mesmo estando a ser medicada com antibióticos. Tive que deixar de amamentar aos dois meses, com muita pena, e mesmo estando a tomar medicação para secar o leite este teimava em subir.
Sofri muito, mas num próximo filho tenho a certeza que se puder irei amamentar, pois o acto de amamentar é a coisa mais indiscrítivel e única que só uma mãe conseguirá sentir.

Anónimo disse...

A minha filha tem 4 meses e rejeita a chucha e as tetinas dos biberons, apenas quer a mama. Estou preocupada pois irei começar a trabalhar em breve e haverá a necessidade de a alimentar com biberon.O que fazer? Será uma questão de hábito?

lia disse...

Olá sou a Lia tive gemeos neste momento tenhem 26 mneses,dei de mamar até aos 4 meses exclusivamente e dei de mamar até á idade de 1 ano 3 vezes ao dia,e com este meu comentario queria chamar atenção para todas as mães que tenhem gemeos que é possivel alimentar os 2 bébes apesar de nos poderem dizer o contrario.
Eu como mãe tenho muito orgulho de ter dado de mamar aos meus tres filhos, 2 de 26 meses e 1 de 7anos todos eles mamaram até 1 ano de idade.
Tudo de bom para todos.

lady_blogger disse...

Boa tarde!

Hoje é um daqueles dias em que tenho pouco tempo disponível... mas tento sempre vir até ao blog SC.

Eu sou mãe, e sou plenamente a favor que os nossos filhos sejam amamentados com leite materno, infelizmente só pude alimentar assim durante dois meses, pois a falta de apoios e a sobrecarga de tarefas provocaram o enfraquecimento do leite e consequentemente a insaciedade do bebé.

Todas as mães deveriam sentir-se orgulhosas em puderem amamentar os seus filhos, pois para além de pouparem bastante na alimentação deste, também lhe evitam algumas doenças. As mães devem ter em atenção o que ingerem no seu dia a dia, pois pode passar para o leite que o bebé mamará.

O amamentar pode funcionar como amarra física à mãe, ou como compensação pela anterior separação física que acontece aquando do corte do cordão umbilical.

Tomei há tempos conhecimento que a esposa do actor brasileiro Thiago Lacerda iria participar de uma iniciativa de sensabilização para a amamentação.
Aproveitem o poder da influência das figuras públicas (sobre algumas pessoas...) para passarem este tipo de mensagens.

Na Antiguidade Clássica, quando uma criança falecia, junto dos seus restos mortais eram deixadas figuras simbolizando gado bovino, isto porque acreditavam que no além as crianças continuariam desta forma a dispor de leite para saciá-las.

Amamentar é amar!


Cumprimentos Civis

Maria Mendes

Sandra disse...

Olá boa tarde, o meu nome é Sandra e gostaria de tirar uma dúvida. Tenho uma filha com 17 meses que até hoje não conheceu outro leite que não seja o meu. A mama serve para a alimentar, para quando faz birra, para quando está doente, para quando tem fome ou simplesmente para dormir. Como estou a pensar engravidar novamente a minha questão é se poderei continuar a amamentar a minha filha mesmo estando grávida. Note-se que sou uma pessoa bastante magra. Obrigado.

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joana Palma disse...

Olá.
De facto todas nós temos noção que o Leite Materno é essencial, mas não nos podemos esquecer que por vezes as mães querem dar de mamar e não podem. Quando a minha filha tinha 15 dias começei a tomar a pilula (Cerazette) como me indicado pelo obstreta. Coincidência ou não o meu leite deixou de ser suficiente para a minha filha ficar satisfeita e o pediatra mandou tomar um suplemento com o meu leite. O que aconteceu foi que como ela pedia menos refeições o meu leite com 1 mês e meio secou. Foi muito complicado para mim pois senti-me a pior mãe do mundo. Por favor digam-me se é normal o leite secar assim dessa forma.
Obrigada
Joana Palma

Sandra disse...

Olá boa tarde, o meu nome é Sandra e gostaria de tirar uma dúvida. Tenho uma filha com 17 meses que até hoje não conheceu outro leite que não seja o meu. A mama serve para a alimentar, para quando faz birra, para quando está doente, para quando tem fome ou simplesmente para dormir. Como estou a pensar engravidar novamente a minha questão é se poderei continuar a amamentar a minha filha mesmo estando grávida. Note-se que sou uma pessoa bastante magra. Obrigado.

Renata e Matilde disse...

Boa tarde,
Tenho 26 anos e fui mãe pela primeira vez a dez meses atrás.

Tive uma filha muito desejada mas infelizmente tive pré eclampsia e tive de fazer uma cesariana de urgência,devido à medicação extremamente forte para controlar a tensão arterial o meu leite não estava bom.
A milha filha, pelo facto de ter nascido muito pequenina com 40 cm e 1900grs estava na encubadora e estava a ser alimentada com leite artificial.
Como queria amamentar,fui aconselhada a extrair na mesma o leite até que deixei a medicação e o meu leite estabelizou, finalmente passada uma semana pude dar de mamar e foi um momento que irei recordar para sempre.Passados três dias a minha filha teve alta e foi alimentada exclusivamente a leite materno até aos seis meses,de momento ainda amamento e tenciono fazê-lo por muito mais tempo!
A minha filha tem quase 10 meses e nunca adoeceu.
Aconselho às futuras mamãs que não desistam,pois o aleitamento materno é o melhor.
Lamento que muitas grávidas não tenham o acompanhamento necessário neste periodo tão importante, eu desisti de ser seguida pelo centro de saude pois como não tenho médico de família, uma vez era um e depois outro médico, pelo que não criava os laços e a confiança que pretendia, pelo que optei por um médico privado, que foi quem fez a cessariana,graças ao facto de ter sido ele a seguir-me a gravidez não tinha qualquer receio e confiava inteiramente nele e todo o processo foi de uma enorme alegria.
Julgo que pelo facto de ter sido bem acompanhada ajudou ao processo de amamentação pois tinha confiança em mim e que tudo correria bem.
Beijinhos a todos

Anónimo disse...

Eu estou a dar de mamar e já ouvi falar em surtos de desenvolvimento. Segundo sei são alturas em que o bebé quer mamar mais para produzir mais leite. Em que alturas (semanas ou meses) normalmente se dão esses surtos? E como é que sabemos que os períodos em que o bebé quer mamar mais frequentemente correspondem efectivamente a esses surtos? Não poderão eles querer apenas usar a mama como chucha.

Obrigada pela atenção
Sofia Carvalho

lady_blogger disse...

Já que fala em alergias ao leite, por acaso conheço um senhor a quem os médicos há mais de 40 anos não deram qualquer esperança de vida, pois nem o da mãe ele sustinha. Acho que naquele caso foi mesmo o leite de vaca ou de cabra que o salvou, quando são exactamente esses os leites contra-indicados à nascença.


CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Olá, estou a ouvir o vosso programa e gostaria de saber se amamentar até aos 2 anos (conforme recomenda a OMS)se continuo a ter a dispensa (2 horas p/ dia) de serviço.
Obrigada,
Ana Rita Domingues

Hugo Forte disse...

Boa tarde, Sou pai á pouco tempo e reparo que o meu filho desde o inicio da amamentação teve pouco interesse pela mama, mesmo insistindo, entretanto começamos a dar mais intensamente o leite em po pois senao nao se alimentava bem. apercebemo-nos então que cada vez menos queria a mama, estando horas a mamar e adormecendo. agora com 2 meses nem quer pois a mãe ja nao tem leite será que nos podem ajudar??? Hugo Forte V.N.Famalicao

Anónimo disse...

Sou estudante do 3º ano de enfermagem, e o que nos é ensinado é que a amamentação é fundamental para o recém-nascido, porque para além de todos os beneficios que o leite materno oferece (vitaminas , proteinas, anticorpos, etc) o acto que o bebé executa para "sugar" o leite, contribui para o desenvolvimento da fala e da boca.

Anónimo disse...

Boa tarde,

ainda não sou mãe, mas pretendo vir a ser brevemente e há uma questão que me persegue: sou ovo-lacto-vegetariana e gostaria de ouvir a opinião dos presentes quanto à possibilidade de uma dieta deste género ser saudável para o crescimento físico e desenvolvimento intelectual de um bebé, incluindo o aleitamento.

Débora disse...

Olá!
A minha mãe sempre disse que tinha amamentado os seus filhos até tarde.
Quando chegou a minha vez de ser mãe fiz questão de a imitar... e dei de mamar ao meu filho mais velho até ele deixar de procurar a mama, aos 39 meses!
O começo foi muito difícil e por isso percebo que muitas mães desistam. O meu mamilo ficou em carne viva, o bébé mamava leite junto com sangue, e as dores eram como se me cortassem com uma faca...Horrível. Isto além de inflamações, etc..
Contudo a perceverança foi largamente compensada: a partir dos três meses foi óptimo amamentar, e o engraçado é mamentar depois dos 9 meses, quando o bébé já interage bem connosco.
Agora tenho um bébé com 8 meses, continuo a amamentar, mas nunca tive nenhum grande problema. À segunda experiência corrigem-se muitos erros, e o maior deles foi ter tirado o leite excedente com a máquina!
Que todas as mães possam ter a coragem e a perseverança necessária para não desistirem. Serão ricamente compensadas, elas e os seus filhos.

Anónimo disse...

Tenho estado a assistir ao programa, ainda não sou mãe, tenho 30 anos e uma carreira pela frente! Se tivesse tido a oportunidade de ter filhos aos dezassete anos certamente tê-los-ia tido. Mais tarde aos vinte e pouco também senti o desejo de ter filhos. Hoje não sinto essa vontade: primeiro porque sinto a minha autonomia como mulher e como pessoa. Sou a favor da amamentação caso viesse a ter filhos e misturo os dois assuntos porque me apraz ver destacada a questão da sexualidade feminina. Pergunto e gostava de ver esclarecida esta questão: a amamantação estando integrada na maternidade tira desejo sexual? A disponibilidade de mulher torna-se apenas como mãe' Durante esses dois anos a mulher e o seu parceiro terão uma vida sexual satisfatória para ambos?... são as minhas questões, porque ao ver o programa parece que há uma dicotomia entre ser mãe e mulher. Obrigada pela atenção.
Sara

Anónimo disse...

"Anónimo disse...
Boa tarde,

ainda não sou mãe, mas pretendo vir a ser brevemente e há uma questão que me persegue: sou ovo-lacto-vegetariana e gostaria de ouvir a opinião dos presentes quanto à possibilidade de uma dieta deste género ser saudável para o crescimento físico e desenvolvimento intelectual de um bebé, incluindo o aleitamento."



Um regime alimentar vegetariano, ou ovo-lacto (que apenas exclui todo o tipo de carnes) ou vegano (exclui tudo de origem animal) é PERFEITAMENTE SEGURO e aconselhável para todas as idades e fases da vida por ser muito mais saudável, desde que quem o faz, tenha um mínimo de informação e tenha uma alimentação diversificada.

Pode obter mais dados sobre esta questão em sites como:

www.sejavegetariano.org
www.centrovegetariano.org
www.avp.org.pt


Cumprimentos e boa sorte

Ana disse...

Parabéns pelo tema desta tarde!
Eu ñ como carne há já algum tempo por opcção, digo k é o meu regime alimentar e k gosto k seja respeitado. Sinto-me mto bem,sinto que o meu sangue flui bem (grupo A) e ñ tnho problemas de peso, às vezes estou 1 bocado mais magra e outras mais pesada, como acontece a quem come d tdo..
Há quem tenha 1 percepção de mim, como alguém tranquilo, e 1 forma de estar mto serena.
Leio bastante sobre o assunto (inclusivé "A Dieta Mediterrânica","A Dieta Ideal para o seu Grupo Sanguíneo"), o que me ajudou e continua a ajudar, e tb o facto de gostar de cozinhar e a criatividade.
Aconselho a tdos a não comerem carne de porco, pois este é o animal mais próximo, em termos de aminoacidos e outros constituintes, do homem e o que faz com que as ligações moleculares nas células se tornem mais densas (corrigem-me se tiver errada), logo o sangue mais espesso.Devem também ter cuidado com as combinações, como por exemplo não comer batatas com couves.
No entanto seria aqui que eu gostaria de ter mais informação, relativamente às combinações.
Obrigada.