sexta-feira, fevereiro 8

Catástrofes naturais e ajuda humanitária


Assinalou-se recentemente mais um aniversário do tsunami que atingiu a Ásia e ceifou centenas de milhar de vidas. Nesta, como noutras catástrofes naturais – desde as cheias no rio Zambeze, em Moçambique, até às secas no Sudão – há ONG portuguesas que avançam rapidamente e em força, sendo as primeiras a chegar aos locais atingidos para iniciar o auxílio às populações.
É em boa medida graças às intervenções destas ONG que o número de voluntários tem aumentado – entre os quais jovens que iniciam a sua vida activa no voluntariado.
Vamos saber quem está na linha da frente do auxílio às populações e como cada um pode ajudar nestas missões.

10 comentários:

lady_blogger disse...

Qualquer pessoa pode ser voluntária, não necessitando para tal de se agregar a qualquer organização.
Dar sem esperar nada em troca, já é voluntariado.
Se todos, ricos ou menos abastados, dessem um pouco do tanto que têm, haveria menos miséria no mundo. Quando falo em dar, não me refiro tão somente a bens materiais, mas também a serviços que por vezes são bem mais necessários que um objecto. Tomar conta de um idoso é mais importante que dar-lhe uma peça de roupa. Alimentar uma criança é mais importante que dar-lhe mais um brinquedo. A verdadeira humanidade não se encontra nos objectos mas sim nos sentimentos e acções.

Já que se fala em tsunamis, e dada toda a imagem de pesar daquele fatídico Dezembro que ainda facilmente recordamos, acho de mau tom que exista uma marca de computadores precisamente com o nome Tsunami. Até parece que se faz um hino a estas ondas gigantes devoradoras de vidas.

CC

Maria Mendes

jon disse...

Boa tarde a todos os convidados.

OS meus parabéns para os intervenientes, para as organizações e todos os voluntários que ajudam a fazer uma mudança positiva e construtiva para um mundo melhor.


Considero que fazer voluntariado é uma responsabilidade e "obrigação" de TODAS as pessoas. Todos nós temos no dia-a-dia, uma responsabilidade de contribuir para um mundo melhor, mesmo que com pequenas acções, pois mesmo estas podem fazer uma grande diferença, em especial se em conjunto com outras pequenas acções de outras pessoas.

Em relação aos sem-abrigo por exemplo, não é só da responsabilidade do estado (que pouco faz) ou das organizações independentes de ajudar os sem-abrigo ou outras pessoas pobres, a sairem da sua pobreza e terem os meios para poderem ter uma vida mais digna e repleta, mas é sim responsabilidade de TODA a sociedade civil.

A verdadeira mudança na sociedade depende de cada um de nós, e as organizações só subsistem com o nosso trabalho de voluntariado e através de donativos.

ACTUE E AJUDE.

Pense globalmente, actue localmente.

jon disse...

Se em Portugal não houvesse CORRUPÇÃO e o dinheiro fosse bem gasto, que não haveria pobreza.


Dando um exemplo flagrante - Sabia que:

- Se todo o dinheiro que vai ser gasto inutilmente no novo aeroporto, estimado em cerca de pelo menos uns 3/5 mil milhoes de euros, fosse usado para ajudar quem precisa, que seria suficiente para terminar com toda a pobreza em todo o portugal?


- Sabia que um novo aeroporto não é necessário pois já foram apresentadas provas (que foram suprimidas/abafadas) que o aeroporto da portela ainda tem capacidade para suportar o número de aviões, durante bastantes anos?

- Sabia que só há pressões para construir um novo aeroporto porque há interesses económicos que querem ganhar com isso?

- Sabia que TODOS os estudos realizados sobre o novo aeroporto (tanto da OTA como Alcochete), são PARCIAIS e incorrectos, pois foram financiados por empresas que ganham com esse projecto megalomano?

- Sabia que, como o pico do petroleo já foi atingido, e como os combustiveis vão ficar muito mais caros, que os preços dos bilhetes de aviões vão subir e muito, sendo que dentro de anos menos pessoas irão utilizar aviões, o que transformará o novo aeroporto num gigante elefante branco?


Se o estado gastasse bem o dinheiro, a financiar projectos humanitários através de instituições do estado e financiando organizações independentes, não haveria pobreza.

Se existe pobreza, não é por falta de recursos, é pelo desinteresse, é pelo egoismo, é pela corrupção.

Se virem o caso de países como a Suécia, veram excelentes exemplos do que se deve fazer.

lady_blogger disse...

Talvez ainda não tenham ouvido falar da organização do Pai Natal. Esta organização que funciona somente on-line desde Dezembro último, tem por fim estimular actos humanitários, onde se pode trocar ou doar serviços de voluntariado nas àreas que aí sejam solicitadas. Também estimula a poupança de bens, possibilitando a dádiva de objectos.
Aproveitem para conhecer esta organização Pai Natal.

CC

Maria Mendes

jon disse...

Talvez o maior problema das ONGs seja encontrar voluntários dedicados e sérios, isto é fundamental, o segundo maior problema são os recursos monetários.

Muitas vezes nem é preciso uma grande estructura e muitos fundos para se fazer uma grande diferença na comunidade local ou outras, basta a vontade de querer ajudar.

Pedro disse...

Boa Tarde,
É com enorme tristeza que encaro o panorama mundial relativamente às desigualdades que encontramos na qualidade de vida das pessoas. É vergolhoso sermos a população mundial que em termos históricos mais recursos e tecnologia tem ao seu dispor e a que não tem coragem para entrar para a história como aquela que conseguiu colocar um fim aos casos vergonhosos que se vêm em todo o mundo em particular no hemisfério sul. Queria terminar por dar os parabéns aos convidados e a todos os voluntários pois são eles que mantêm a esperança viva.

jon disse...

Caro Sociedade Civil,

Gostaria que perguntassem aos intervenientes e representantes dessas ONGs, o PORQUE de a Santa Casa da Miserdicórdia, ter ordens expressas do estado ou da direcção da Santa Casa, para não ajudar nenhum sem-abrigo que seja considerado imigrante ilegal, mesmo se esse sem-abrigo estiver com graves problemas de saúde e precisar de internamento urgente??

Eu sou testemunha de terem recusado ter feito isso.

Afinal sem-abrigo ilegais já não são considerados humanos???


É óbvio que isto é ILEGAL e vai contra a carta dos direitos humanos que portugal também assinou.

Seria muito urgente e importante dizer isto de forma pública para sensibilizar e pressionar o estado para mudar a sua política contra os imigrantes ilegais, que são também humanos.

Pedro disse...

Gostava de colocar uma questão relativamente ao auxilio que Portugal e em particular toda a costa litoral sul, entre Lisboa e o Algarve, relativamente ao risco de tsunami e sismo? Será que temos resposta para uma possível calamidade como a de 1755 que foi um dos mais violentos sismos documentados? Teremos de recorrer a auxilio externo e temos algum plano de acção definido? Será que as populações estão intruidas para agir em caso de calamidade?

jon disse...

As alterações climáticas são o maior perigo para a sobrevivencia das especies animais e vegetais, incluindo é claro a sociedade humana, por isso é urgente proteger o ambiente.

Quase todas as catastrofes naturais dos ultimos 10 anos, têm a ver com as alterações climáticas, sendo que vão ficar muito piores do que já estão, prejudicando tudo e todos no planeta.

A culpa é da sociedade humana.

AXFDASILVA.BLOG disse...

boas