sexta-feira, março 14

Hérnias – cirurgia é a única solução?


Basta um gesto mais brusco ou movimento extraordinariamente rápido para desencadear uma hérnia.
A melhor forma de prevenir é saber um pouco mais sobre este problema que pode ser congénito ou adquirido.
No caso de ser adquirido, poucos sabem que o tabagismo, a bronquite crónica, a obesidade e a gravidez podem ser alguns dos factores de risco.
Conheça as várias soluções terapêuticas de alívio da dor – passando inevitavelmente pela principal – a cirurgia.

12 comentários:

lady_blogger disse...

Ouve-se muitas vezes pessoas a dizer que têm uma hérnia e passado muito tempo ainda a dizem ter. Pergunto se em todos os casos uma cirurgia não soluciona este problema? Claro que haverá aqueles pacientes a quem não é aconselhável qualquer operação cirurgica.

Porque é que no texto do SC falam só em aliviar, e não em eliminar a dor.
Dão a entender que a cirurgia é só mais uma forma de aliviar a dor. Então essa operação não extrai a hérnia e a dor de vez?

CC

Maria Mendes

Pedro disse...

Boa tarde Fernanda e convidados,
Infelizmente e em virtude da minha actividade profissional estou muitas horas seguidas sentado em frente ao computador. Gostaria de perguntar aos convidados se existem alguns exercícios e dicas de postura que me permitam tonificar os músculos lombares e cervicais e que possam ser realizados em pequenas pausas ao longo do dia.
Relativamente às hérnias infantis, tenho dúvidas pois durante o meu crecimento, em particular entre os 9 e os 14 anos, época em que creci aproximadamente 30cm (do 1,52m para os 1,84m) tinha dores constantes na coluna em particular na região mais próxima da bacia. Na altura foi-me dito que poderia ter um desvio na coluna mas tal não se verificou após exames. O diagnóstico do ortopedista foi de que se tratavam de dores provocadas por peso excessivo e pelo crescimento. Poderá esta situação ser potenciadora de hérnias no futuro?

Pedro disse...

será que poderiam defenir oque é uma hérnia estrangulada?

Márcia disse...

Muito boa tarde.

Em virtude de um acidente de viação aos 21 anos originou-se uma hérnia discal na L5 (zona lombar).
Esta hérnia foi detectada 5 meses depois do acidente, durante este tempo fui sempre me queixando de dores demorava imenso tempo a conseguir por me de pé, já não andava, arrastava-me e sempre com a perna com dormencia.
Depois destes 5 meses a hérnia foi detectada dia 1 e eu fui operada de urgencia dia 4.
A minha dúvida é se fosse dectada mais cedo não teria de ser operada ou existe casos que a operação tem mesmo de ser efectuada? E depois de um mes ter sido operada foi detectado uma nova hérnia acima e a que tinha cido operada estava na mesma, será que se for novamente operada fico com mais uma hérnia?
Isto porque hoje tenho 26 anos e nunca consegui voltar a ter a vida que levava, tenho muito mais dores do que tinha anteriormente, existe dias que nem me consigo calçar...

jotenko disse...

Tenho 22 anos e sofro de dores na perna desde Setembro de 2006. Fiz fisioterapia (panos quentes, ultrasons, etc.) e acabei por ser operado em Julho de 2007. Acontece que ainda tenho dores, embora não tão fortes como tinha. Fiz agora um TAC e diz que a hérnia está "ractificada" (penso eu que se escreve assim), e que tenho "canal estreito". Será que algum dia poderei fazer o que fazia antes, por exemplo, jogar futebol? Já não sei que fazer. Não deveria ter ficado bom depois da operação? Já estou farto deste martírio.

ocpomac disse...

Fui operada a uma hérnia discal, L4 - L5, em Dezembro de 2007. Tenho dois parafusos.
Até lá, uma reumatologista, diagnosticou-me uma fibriomialgia.
Neste momento, passados 3 meses e pouco, estou praticamnete bem, mas ainda mantenho alguras dores em momentos específicos. Por exemplo se estiro num sofá, ou em cima de uam cama. Salvo essas situaçãoes, dia a dia sinto-me bem.
Pergunto: é normal? Ou já não devia ter dores?

Orísia

cesal-tina disse...

Boa tarde.

Foi diagnosticado á minha mãe três hérnias discais. No hospital de Portalegre, aconselharam-na a submeter-se a uma operação, mas a minha mãe está com receio.
A minha pergunta é a seguinte: onde é que ela se pode deslocar para poder ser tratada, tanto por fisioterapia como através da acumpunctura. Não creio que no distrito de Portalegre haja fácil acesso a esse tipo de tratamento. O médico dela terá de encaminhá-la para esse tipo de tratemento? Existe no nosso sistema nacional de saúde? Ou terá de recorrer ao privado?

Muito obrigada e parabéns pelo excelente programa!

Cesaltina

cesal-tina disse...

Boa tarde.

Foi diagnosticado á minha mãe três hérnias discais. No hospital de Portalegre, aconselharam-na a submeter-se a uma operação, mas a minha mãe está com receio.
A minha pergunta é a seguinte: onde é que ela se pode deslocar para poder ser tratada, tanto por fisioterapia como através da acumpunctura. Não creio que no distrito de Portalegre haja fácil acesso a esse tipo de tratamento. O médico dela terá de encaminhá-la para esse tipo de tratemento? Existe no nosso sistema nacional de saúde? Ou terá de recorrer ao privado?

Muito obrigada e parabéns pelo excelente programa!

Cesaltina

jotenko disse...

Peço desculpa. A hérnia era mesmo discal.
Acham que posso voltar a jogar futebol? Tenho andado a praticar natação 3 a 4 vezes por semana, 750 metros por sessão. O TAC que fiz pós-operatório revela uma "ligeira hérnia ratificada" e "existência de estruturas fibróticas".
Penso que vou começar agora a fazer sessões de educação postural. Acham que me vai ajudar?
Sabem, é que eu tenho dores há 2 anos, e sinto que esta dor já faz parte de mim e não vai saír nunca. Além da dor, isto trás graves consequências a nível educacional (estudo Eng. de Redes de Comunicações), a nível familiar e social. Altera a nossa disposição e maneira de estar.
Aconselho também a quem sofre destes problemas a rir, cantar, e pensar noutras coisas que não a dor. Pode parecer ridículo, mas resulta :)
Peço desculpa por esta confusão. Muito obrigado pela opurtunidade.

Orlando Pinheiro disse...

Boa tarde, cheguei tarde.... mesmo assim aqui vai:

Em 2000 comecei com uma dor na perna direita e dificuldade em caminhar.
Depois de vários médicos (consagrados e caros) e exames tentaram convencer-me que teria de passar o resto da minha vida com uma injecção diária de 'voltaren'.

Fui a Londres e no Hospital Cromwell foi-me dito em 5 minutos:
- você tem uma L6

adiante

Fui operado em londres, gastei o mesmo que num hospital privado português.

Quando mostrei as ressonâncias magnéticas aos médicos portugueses todos confessaram desconhecer a possivel existencia de uma L6...

João Dias disse...

Não sendo obeso, nem sedentário, nem fumador tenho diagnosticada um hérnia discal (L4-L5). No entanto tenho outros factores que suspeito que terão contribuído para esta situação:

- crescimento rápido (tinha uma estatura média agora meço 1.90 m)
- prática de ténis federado (nível competitivo)
- olhando para familiares próximos, desconfio que não serei o único portador da mesma (hereditariedade?)

O testemunho que quero deixar é uma visão positiva do desporto, apesar de este eventualmente me ter colocado nesta situação. O desporto deve ser praticado de forma pensada e com objectivos, se em certa altura nos prejudica, a partir do momento em que o fazemos do ponto de vista de nos regenerar a mobilidade é extremamente positivo.

Os alongamentos como forma de descompressão dos discos intervertebrais são uma boa medida, juntamente com um fortalecimento dos músculos através da natação (evitar mariposa e bruços) ou até, como faço, musculação. Fazer musculação é obviamente algo que depende da gravidade da patologia, mas dado que tenho um protusão volumosa e que sinto uma melhoria gradual, posso dizer que feita com extremo cuidado é extremamente profícua.

Apesar de tudo é com preocupação que vejo o futuro, dado que desde os 21 anos que a hérnia ganhou estas proporções de dor e a idade apesar dos esforços não irá facilitar esta luta diária. Mas a inércia ou o derrotismo não ajudam de certeza, e por isso acho que se deve fazer o que está ao alcance para agilizar o corpo.

Pelo que vi do programa e pelo que que fui informado, não se evita cirurgias, adiam-se o que claramente faz recear uma terceira idade penosa com perda significativa de qualidade de vida.

João Dias disse...

P.S Quando digo L4-L5, isto quer dizer que a protusão se encontra entre as vértebras numeradas entre L4 e L5.