sexta-feira, março 7

Sucesso no Feminino

A promoção da igualdade de oportunidades entre homens e mulheres constitui um eixo
fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e, simultaneamente, mais democrática. No nosso país, diferentes organizações têm trabalhado, directamente, em prol da defesa do direito à igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, mas também no combate a todas as formas de discriminação.
Neste Sociedade Civil, antecipando o Dia Internacional da Mulher, analisamos o trabalho destas associações e organizações e percebemos algumas das novas dinâmicas sociais em prol da mulher do séc. XXI.

13 comentários:

lady_blogger disse...

Se há o Dia da Mulher, por que não há também o Dia do Homem? Ou serão todos os outros?!

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

A existência deste dia em particular, dá a ideia de que somos diferentes, de que para nos darem alguma atenção precisamos de ter dia próprio.

Gosto que sejamos enaltecidas por alguns factos (nomeadamente pela maternidade), mas acho que os homens também poderiam sê-lo.

CC

Maria Mendes

António disse...

Quase que me apetecia ou devia ser indelicado, talvez. Mas, como conheço mulheres inteligentes e sabedoras que nem todas são iguais, fico só por dizer porquê as cotas na assembleia da república (sei que escrevi com minúsculas), e no resto não. Nas escolas, alunas e professoras um horror, sim um horror, gosto muito de mulheres mas a arrogancia e o mau humor delas são incompatíveis com aprendizagem, sim conheço excepções e óptimas excepções, etc, etc. Por parte de muitas estas que fazem opinião e alienam mentes de outras em casa, não lhes interessa a igualdade. Querem, sim a superioridade e a negação da procriação. Claramente, o resto é treta. Engenharias há mais homens, claro é mais difícil e nem sempre dá mais dinheiro. A mim não me enganam, já passei e vi muito.
Mas há mulheres fantásticas, essas é raro aparecerem porque não dizem mal dos homens.

Anttónio

António disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
SudEx disse...

Uma das áreas que mais contribuíu, a seu tempo, para a afirmação da Mulher no mundo do trabalho, sabem qual foi? A Ferrovia!

O Caminho-de-Ferro em Portugal, foi um factor importantíssimo para que se começasse finalmente a dar trabalho à Mulher, e a dar à Mulher a liberdade e a independência que elas tanto tempo tiveram sonegadas.

Não só mas também, com as célebres "Guardas" das Passagens-de-Nível, uma profissão em vias de extinção.

Quanto ao "DIA DE...", isso há-se sempre dar celeuma.. o Dia de é muitas vezes um dia de consumismos, só mais um.... Ou então, o dia de uns se exaltarem por outros se mostrarem e dizerem: "hey, estou aqui, sou como tú.", etc e tal... (e sim, já estu a puxar a brasa à minha sardinha LGBT... ;)

Neste caso, amanhã é (mais um) dia para se arranjar uma flor e oferecer a "uma Maria" (que seja bonita! ;) e esteja ao nosso alcance. =)

DN
www.ocomboio.net

António disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
lady_blogger disse...

Gostava que entre os vossos convidados estivesse pelo menos um homem, só para assistirmos a uma perspectiva diferente.

CC

Maria Mendes

Pedro disse...

Boa tarde,
A competência é asexual. Sou homem e considero profundamente desprestigiante para as mulheres existirem cotas para que acedam a determinados cargos. Se existem PESSOAS competentes, o precurso para determinados cargos tem de ser realizado de forma equitativa. Sejamos felizes na diferença. Homens e mulheres sabem reconhecer quem inspira confiança e conhecimento. O que me parece que de algum modo causa algma confusão a muitas mulheres, é que possivelmente os homens de algum modo tem uma maior tendência para se equipararem e não tanto para competirem entre si. Falo de experiência de trabalho em meio com mulheres e elas eram sempre mais competitivas entre si detriorando em certa forma o espirito de equipa. Mas espero que fossem excepções!!
Valorizemos o que cada sexo e acima disso, cada pessoa tem de melhor.

Pedro
Lisboa

lady_blogger disse...

Reconheço que entre homens e mulheres existem bastantes diferenças, nomeadamente no universo das oportunidades de trabalho, porém vejo na existência de um dia dedicado à Mulher, um reforçar dessa diferença. Contudo não discordo totalmente com a existência desse dia comemorativo, só acho é que o Homem também poderia ter um dia dedicado a ele.
Se falamos de igualdades, seria justo que também eles tivessem um dia comemorativo.

CC

Maria Mendes

Anónima_30 disse...

A discriminação existe entre as próprias mulheres no trabalho! As mulheres empresárias, na minha área profissional da farmácia comunitária, não aceitam facilmente a ideia de um horário mais reduzido para que as suas colegas (em termos de categoria profissional), possam acompanhar os filhos e uma vida familiar normal em termos de horários aceitáveis!
Penso que ainda há muito que percorrer em certas actividades profissionais, no sentido de se poder equilibrar a vida familiar e a vida perfeitamente exiquível profissional...nesta actividade por enquanto não existem realmente opções compatíveis no sentido de conjugar equilibradamente as duas vidas da mulher! O respeito da mulher também é muito pouco tido em conta...despede-se de um minuto para o outro, por se querer apelar ao cumprimento de direitos sejam eles, direito à doença, à oportunidade de trabalho com filho(s), até ao próprio código do trabalho e acordo colectivo de trabalho da área profissional!

Pedro disse...

Eu sou plenamente a favor da igualdade entre os sexos mas devo dizer que muitas vezes o que constato é que muitas mulheres quere uma igualdade selectiva de oportunidades e direitos. A parte que mais lhe convém quanto aos direitos e oportunidades é bem vinda, mas outros deveres que deveriam acompanhar essas novas oportunidades são relegadas para o esquecimento. Ou admitimos a diferença e a especificidade de cada um e gerimos essa diferença ou então vamos para a utopia da igualdade e existiram sempre temas mal resolvidos.

Mario disse...

Pessoalmente acho que já é um preconceito analizar o "sucesso no feminino" como algo menos comum: é equivalente a asumir que existe como que uma discriminação racial, que me parece hoje absolutamente anacrónica: prende-se mais com a oferta de oportunidades e com o nível de desenvolvimento do mercado de trabalho de cada país.

Curiosamente e talvez seja um pre-conceito meu, mas parece-me que as mulheres que lideram, contam mais com a proactividade profissional por dos homens no seu caminho para a liderança, do que entre as mulheres...

Trabalhei em duas empresas lideradas por mulheres (uma das quais presidida por Vera Nobre da Costa) e a minha experiência, é que a sua relação com funcionários homens é bastante profissional e objectiva.

Há mulheres extremamente bem sucedidas nas suas carreiras profissionais mas que podem não ser tão bem sucedidas como mães de familia, se não contarem com ajudas extra, nomeadamente num homem que as complemente nessa parte importante da sua vida.




Ps.A propósito: fui há uns meses atrás convidado para a festa de primeiro aniversário da empresa da qual Isabel Vaz faz parte na administração. De entre os vários discursos que foram feitos, ouvi-a fazer, objectivamente, o mais galvanizador e poderoso de todos.

Mario Almeida