segunda-feira, abril 21

Aprender a ser pai / mãe

Apostar na formação dos pais de forma a evitar que as crianças sejam retiradas à família e institucionalizadas é a ambição do programa “Crianças e Jovens em Risco”, recém-criado pela Fundação Calouste Gulbenkian em parceria com oito associações da área social.
Portugal continua com um elevado número de crianças institucionalizadas: 14 mil.
Daniel Sampaio, o coordenador científico deste projecto, revela que quase dez anos passados sob a publicação do diploma que previa apoiar os pais a fim de evitar a institucionalização, não tem havido programas estruturados. É um milhão e duzentos mil euros que a Fundação Gulbenkian vai investir no trabalho com as associações envolvidas. Neste SC vamos ficar a saber como se fazem bons pais, para garantir bons filhos.

9 comentários:

lady_blogger disse...

Bom dia!

Eu também sei na pele o que é passar por lá... e digo-vos que é das piores experiências de vida.
Como já aqui referi noutras ocasiões, eu acabaria com as instituições internas, pois há por aí quem precise de ajuda mas há também gente disposta a ajudar, o que poderá evitar a institucionalização.

CC

Maria Mendes

PEDRO DE CASTRO disse...

Bom dia,
A experiência parental é certamente das que experiências com maior capacidade de alterar a forma como encaramos o mundo.
Existia o velho ditado que dizia "Filho és, pai serás, assim como fizeres, assim receberás", será que ainda hoje se aplica? O contexto familiar é sem dúvida caracterizador da nossa personalidade e dos modelos que adoptamos. Ou seguimos o modelo dos nossos pais ou adoptamos o modelo que gostariamos de ter tido na nossa infância adolescência.
Sem dúvida, ser pai e mãe é uma condição que vem sem instruções e que parte da consciencia pessoal para se conseguir vincular a melhor educação a um filho.
Nesse ponto gostava de saber qual a posição quanto a forma de repreensão mais eficaz, porque também é amor saber dizer não e saber repreender a criança quando faz algo de errado. Hoje em dia na sociedade ficamos escandalizados quando se vê um pai/mãe a dar uma palma na criança, mas pergunto se uma palma da altura certa e por motivos válidos não será mais eficaz para a aprendizegem da criança do que estar a sujeitá-la a constantes sermões e até por vezes a pressão psicológica? (refiro que por palmada não estou a considerar espancamento!!)

José disse...

Engraçado, há uns meses atrás escrevi no meu blog (http://oraculodavida.blogspot.com) isto sobre os Pais:

Os vossos pais precisam mais de vós do que vocês precisam deles. Vocês são a esperança deles! Vocês ainda estão lá! Eles têm mais tendência para estar fora do Vosso Mundo! Aquele Mundo que depois mais tarde vos ensinam como sendo o Céu. Aquele Mundo do qual vocês nasceram e fazem parte integrante dele e cujo cordão umbilical ainda não foi cortado mas que há sempre alguém que o tenta cortar! Vocês sabem o que quero dizer… Vocês são a Pureza deste Mundo. Porque ainda não estão nele! Estão a entrar nele, ou pelo menos é o que os vossos Pais (bem intencionados) querem que vocês o façam! Mas há algo em vós que vos diz: “Mas eu não quero entrar nesse Mundo!” “Já viste bem Pai, Mãe? Que Mundo horrível é este? Porque é que há tantas doenças?” “Porque é que há crianças a morrer tão dolorosamente à fome ou com doenças?” “Porque é que há tanto sofrimento físico e espiritual?” “Porque é que eu tenho de seguir um padrão que simplesmente não funciona?” “Porque é que eu tenho que fazer parte deste Mundo?” “É isso que tu queres para mim?” “Ou queres que eu altere este Mundo?” “Queres que eu o revolucione?” “Ou queres que eu faça parte dele?” “Queres que eu Ame o meu inimigo e abrace os meus problemas para tentar mudar o Mundo?” “Ou queres simplesmente que eu fuja dos meus problemas e dos problemas dos outros e fique na minha e cuide apenas de mim?” “Queres que eu veja televisão para ver as notícias e o estado do mundo apenas para me informar e alimentar a minha cultura e depois num suspiro como a avó faz, dizer: Ai Meu Deus como este Mundo está!” “Ou queres que esteja atento ao que se passa no Mundo para perceber e encontrar a fonte da verdade da origem dos principais problemas Mundiais?...

:)* Beijinhos Fernanda.

Continuação de Um Excelente Dia para Todos! ;)

IN disse...

Gosto muito de ouvir, que tantos projectos, nesta áreas estão já em funcionamento na nossa sociedade.
Só tenho pena que os projectos financiados continuem a ficar, apenas, para as zonas onde existem mais sinalizações (compreendo proquê), mas em zonas mais pequenas também são necessário apoios.
Digo isto porque há 4 anos mudei-me para a zona de Coruche, sou Psicóloga, tenho 4 filhos e desde cedo percebi as faltas de apoio que existem aqui.
Já candidatei dois projectos nesta area, mas foram sempre rejeitados porque a população alvo é pouca (devo relembrar que as zonas rurais estão cada vez mais desertas, mas não deixam de ter problemas, muitos e graves).
Obrigado por tudo

Ana disse...

Boa Tarde, parabéns pelo excelente programa.
Lamentavelmente verifico que não se encontra representada qualquer CPCJ no vosso programa, entidade esta que trabalha tão de perto com esta população.
Sera positivo convidarem/ouvirem a perspectiva de Assistentes Sociais neste tipo de programas.
Obgda.

Cpts,
Ana Pedroso Silva.

José Faria disse...

Pois, os pais não têm tempo para brincar com os filhos, não têm tempo para eles. Mas...

Têm tempo para ver o futebol, para as novelas, para os amigos deles, etc. E nem nos intervalos têm tempo para desviar a atenção dos anúncios para os filhos, enfim...

Basta comparar a percentagem de pais que vêm futebol e novelas com a percentagem dos que brincam com os filhos.

É duro para os filhos serem preteridos sempre, e se protestam, os pais respondem que trabalharam o dia todo e que têm direito àqueles minutinhos.

Obviamente que existem excepções, mas são 6%, não é verdade :(

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Grande parte das pessoas tem a sorte de ter escola garantida para os filhos, ou ter uma criada ou uns pais por perto a quem delegam muita da responsabilidade. Assim muitos não chegam a assumir o seu papel de pais.
Serão estes bons pais?
Talvez ninguém seja um exemplo de bom pai ou mãe, pois todos falham na educação dos filhos, e pior é a situação de quando a falha advém de "formadores" desta matéria.

CC

Maria Mendes

José disse...

Se os Pais não têm Amor pelos filhos o suficiente para darem continuidade a essa "aprendizagem" de ser Pai/Mãe, é porque na Verdade não querem ser Pai nem Mãe, logo tentam fugir dessa "responsabilidade" social que tem vindo desde há muitos anos considerada como uma responsabilidade de Peso e altas medidas de subsistência e educacionais, repleta de dificuldades, de impossíveis e de ser só para alguns e não para outros, os mais fracos dizem eles, tem-se que trabalhar, trabalhar muito para sustentar, olha que agora és Pai, olha que agora és Mãe, já viste bem? Não é brincadeira, dizem eles! Pressão, Dedos apontados e Muito Muito Medo!
Quando na Verdade, é tudo muito mais simples. Temos a tendência de criarmos problemas e preconceitos onde eles não existem e isso só traz Medo a uma sociedade que já é suficientemente medrosa para lutar pelos seus direitos e justiças sociais! Há crianças de 16 anos a serem mães e a se tornarem mais sensíveis e naturalmente mais responsáveis! Se o nosso criador ou Força Cósmica ou seja lá o que voçês lhe querem chamar não quisesse que tivéssemos filhos aos 15 ou 16 anos, não teria Ele o Poder suficiente para nos fazer seres reprodutores aos 30? Mas afinal ele é ou não é omnipotente? Quem é que anda a brincar com quem? Vamos ao cerne da questão nisto de "aprender" a ser Pai! Não há aprendizagem aqui! É tudo uma questão de tocarmos no núcleo, na causa de todos estes problemas e que reside em: Todos Nós! Tabus Sexuais, Sexo só depois do casamento, dogmas, doutrinas descabidas e contraditórias, instituições fundamentalistas e o mais importante, o próprio julgamento social a que todos estamos sujeitos mal saímos à rua! Essa é a verdadeira causa deste "problema" se é que se pode chamar problema, eu chamaria mais de "oportunidade de evolução social" ;)

lol, desculpa Fernanda, deixei-me levar completamente pelos meus thoughts e feelings,
:D kisses and good bye
Farewell,
bjs