quarta-feira, julho 9

Beleza pura

Desde a beleza de Afrodite representada em Vénus de Milo, passando pelas formas voluptuosas de Marilyn Monroe, pelos lábios carnudos de Brigitte Bardot ou pela magreza de Kate Moss, o conceito de beleza alterou-se.
Um estudo recente, elaborado por matemáticos de Cambridge, revela que as medidas de cintura e anca de Jessica Alba têm o rácio perfeito para promover um andar sexy. Esta ideia da proporção esteticamente ideal e de beleza natural remonta ao matemático do séc. XIX Fibonnaci. No entanto, os ideais de beleza veiculados pelas principais marcas femininas alteraram a sua forma de comunicação nos últimos tempos assumindo que o mundo em termos físicos não é perfeito.
Neste Sociedade Civil, queremos perceber o que define a beleza.

Convidados:
Teresa Herédia, Nutricionista
José António Tenente, Estilista
Vânia Fernandes, cantora, Vencedora Operação Triunfo

144 comentários:

Andromeda disse...

Tenho desde já uma crítica a fazer à reportagem passada no início do programa. Mostraram imagens de duas modelos que não são reais mas sim alteradas pelo Photoshop. Basta uma rápida pesquisa na internet para descobrir que aquelas fotografias foram alteradas de modo a fazer as modelos paracerem anorécticas. É possível ver as fotografias originais lado a lado com as fotografias adulteradas sendo a diferença notória. Não acho nada correcto da parte do programa mostrar imagens que nada têm de real.

Quanto à beleza, penso que acima de tudo o que conta é a personalidade. Contudo, a aparência física é o nosso "cartão de visita". Quando um homem passa por uma mulher na rua (e vice-versa) aquilo que faz com que ele para ela duas vezes é a sua beleza física e não a sua beleza interior. O homem apenas terá hipótese de conhecer e apreciar a
beleza interior da mulher após prestar atenção à sua beleza exterior.

Deragnu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Ferreira disse...

O conceito de beleza é subjectivo e relativo, ou seja, deriva da plural concepção do que se considera ser belo ou feio.

Esta realidade está associada à “estilização da estética”, ou seja, adequam-se modos ou estilos de vida à componente estética e física do ser humano. Diferentes sociedades valorizam de diferente forma o “belo”, o “feio”, o físico e a personalidade individual e societal. Por exemplo, na antiguidade idealizava-se que a mulher fosse mais anafada, actualmente, que a mesma adquira um aspecto mais elegante, mais esguio, mais linear. Em relação ao homem, não há grandes idealizações, dado que os valores a eles atribuídos mantiveram-se ao longo do tempo. No entanto, a publicidade, desde há algum tempo, faz do homem sensual, atraente e preocupado com o seu aspecto visual. Esta questão está ligada à representação social do homem e da mulher na sociedade, o que nos leva também a reflectir sobre a desigual atribuição de papéis a homens e mulheres na sociedade, apesar de uma ligeira mudança.

Ora, a idealização do “belo” constitui uma representação, uma realização do imaginário ou da imagética do corpo humano que ganha um contorno simbólico. Esta simbologia contém um significado passível de interpretação: o papel crítico da arte, da estética e da avaliação da qualidade de obra de arte. Todos somos formas de arte que podem ser esculpidas ou moldadas, de acordo com os modelos de pressão exterior ou coerciva. Isto é, a sociedade exerce uma força e perspectiva que cada actor social seja capaz de ter uma experiência estética e de responder à mesma por meio de “espelhos” e da reflexão do “eu” em relação ao “nós”. Para isso, o ser humano conjuga a componente física, com os valores da auto-estima e da personalidade. Logo, as relações humanas derivam da relação face a face e da relação do “eu”consigo mesmo.

A ideia que formamos de nós mesmos pode ser o reflexo da história social em que desde sempre estivemos envolvidos e da influência do corpo colectivo ou do meio social, que nos leva a criar determinada ideia ou imagem sobre nós mesmos. Assim, a auto-estima está relacionada com a auto-confiança, pois diz respeito ao efeito produzido pelas acções, procedimentos e decisões de uma pessoa, que a torna mais ou menos segura de si mesma. Na verdade, a auto-confiança não é inata, mas vai-se aprendendo e apreendendo, ao longo do ciclo vital de vida de cada agente social. Em contrapartida, surgem mitos e crenças populares de que a auto-estima é herdada e depende, na sua maioria, dos genes de cada indíviduo, mas não passa de um paradoxo e de uma ideia pré-concebida sem fundamento. Deste modo, a auto-confiança permite que cada pessoa ou agente seja capaz de aquilatar as suas agilidades e habilidades, podendo ser medida, em “confiança em excesso” ou “carência de confiança”.

Na realidade, uma das condições para a vida em sociedade é conjugar aspectos físicos com aspectos internos como a personalidade, a auto-motivação e a auto-confiança.

Cumprimentos.

lady_blogger disse...

O olhar de cada indivíduo vê até onde quer e até onde pode ver, e vê tudo de modo diferenciado dos demais observadores. Além disso a concepção de belo é bastante heterogénea. Eu posso encontrar beleza no que a maioria caracteriza de feio. Posso até encontrar um sentido estético em algo que não é passível de ser caracterizado pela dualidade belo/feio. O tema de hoje recorda-me o poeta feminino António Aleixo, que até na doença encontrava beleza; dizia ele: “é tanta alegria em minha dor que estou doente com delícias”.
Relembro aqui duas expressões populares que traduzem esse cunho próprio que possuímos para a conceptualização do belo: 1. “Quem feio ama, bonito lhe parece.”, 2. “Que seria do branco se todos gostassem do amarelo?”.

CC

Maria Mendes

Micael disse...

Boa tarde so sei que uma coisa e verdade aquilo que esta representado no vosso questionario na pratica nao e verdade por se um rapaz vir uma rapariga gorda nem se quer se aproxima dela.Isto e na maioria!!!!!Hoje em dia para as raparigas e rapases o que mais importa e o corpo e o rosto!!!!!

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Deragnu disse...

Aguardem o lançamento do meu livro "Sem medo Manel", o lançamento será quando a Maria estiver a jeito. (mentira)
- Modas; a seguinte será "Obama".

Então e os pré-conceitos em relação à idade, ao estatuto social, ao poder económico, etc.

Anttónio

lady_blogger disse...

Há gordinhas bem bonitas, e magras bem feias.
A imperfeição é que faz a beleza.


CC

Maria Mendes

LM disse...

Boa tarde

Belo tema apresentado hoje no programa.
Passei só para deixar um comentárizinho!
A votação está algo pouco difícil de escolher, o facto de eu gostar de homens gordinhos não deixa para trás todos os outros aspectos e claro que a primeira impressão é a corporal logo tem influencia é certo.
Como é claro cada um tem o seu perfil estético ideal e sei bem que não é normal as pessoas terem o mesmo gosto que eu mas também não é caso para esconder, alias devemos é falar disso para tornar algo normal e ninguém estranhar quando nos virem com algum tipo de relação com uma pessoa assim.

N-Gin disse...

Sem duvida que o rosto e o corpo são o que nos leva a querer conhecer uma pessoa. Ninguém olha para uma pessoa que dentro dos seus parâmetros de beleza seja feia que fique com uma enorme vontade de a conhecer.
Mas estes factores contam só para a primeira impressão para a maior parte das pessoas e após conhecerem alguém ligam muito mais á personalidade do que á beleza.

Resumindo quando conhecemos alguém temos tendência a não ligar tanto á aparência do que quando não conhecemos esse alguém.

Cumprimentos,
Gil Pinto 17anos

P.S. Sou um fã incondicional da Vânia Fernandes e por isso lhe mando cumprimentos especiais. :)

.lado errado do coração disse...

No quotidiano em que todos vivemos, é claro que o nosso corpo e aparência são como que um cartão de visita ao produto interior; quando conhecemos as pessoas pela primeira vez, temos tendência a julga las pelo que vemos e pela ideia que a sua aparência nos transmite.

No entanto, nessa primeira impressão que temos das pessoas, não é o facto de sermos altas, baixas, gordas, magras ou loiras que nos torna mais ou menos atraentes, penso que se trata tudo de uma questao de atitude.

A atitude que tomamos diz muito do que somos, se gostarmos de nós e tivermos auto-confiança para nos acharmos minimamente bonitos, somos bonitos e basta. Porque ao acreditarmos que somos bonitos, estamos a transmitir essa "energia" às outras pessoas que vão começar a ver-nos como autênticas beldades.

No fundo, é a personalidade e atitude que constroi a nossa beleza; o resto, são meros promenores.

sejam belos e acreditem!

Andreia
18 anos

Susana disse...

Uma correcção: Le Corbusier não determinou que o homem ideal teria 1.83 m de altura - essa medida correspondia, isso sim, à altura média do homem europeu, a que Le Corbusier chegou depois de efectuar variadas medições para conseguir um modelo humano que o auxiliasse durante o acto de projectar em arquitectura. Depois de efectuar uma viagem à América Latina, já a meio da sua carreira, Le Corbusier percebeu que o seu modelo estava desadaptado naquela parte do mundo, pelo que criou um novo modelo, com cerca de 1.7 metros. Portanto, estas medidas não representam de forma alguma o conceito de homem ideal para este arquitecto, mas sim as medidas do homem real para o qual ele projectava.

Sininho disse...

Beleza

Creio não ter os olhos do mundo para ver a Natureza em plena proporção harmoniosa, mas penso que os humanos já pouco possuem de belo...

Não nos querem computorizar?
Qual a beleza de um chip?
De uma tecla?
De uma circuito eléctrico?
De...?

Nem conheço o vocabulário científico.

Já ninguém se preocupa com a Beleza, mas com o que os outros vêm.

"Achas-me bonita?"
"É claro que sim"
Mas se lhe vamos a perguntar, nem a cor dos olhos dela/e sabe!!!

O mundo já não vive em harmonia
Vive de uma sede de números e quereres que a Beleza não domina, porque ser belo não é ser sensual:
é desencadear no outro um sentimento de euforia pura, sem existir, no entanto, o dito desejo carnal.

Marta

Micael disse...

Mas tambem e verdade que a rapazes senciveis que sim esse para eles é tudos diferentes tudos iguas!!!!
Mas são poucos!!!Um como um rapaz para mim importa mais a beleza interior doque a beleza exterior!!!!

Susana disse...

O meu aspecto físico não podia estar mais longe do de uma modelo. Mas isso não significa que queira ver pessoas "reais" em produções de moda.
A moda não tem apenas que ver com roupa, mas também com fantasia, sonho e beleza. E por isso sim, eu quero ver mulheres altas, lindissimas e invulgares.
Não quer isso dizer que eu - e qualquer outra pessoa - não saiba distinguir fantasia e realidade. A falta de amor próprio tem raízes muito mais profundas que os padrões de beleza da publicidade.
Alguém se lembrou da falta de auto-estima das mulheres magras há 500 anos atrás?

lady_blogger disse...

86-60-86 já era!
Cada qual deve gostar de si como é, ou tentar mudar sem se prejudicar!
Porquê padronizar os ideais de beleza?
Até parece que nunca ninguém ouviu dizer que "ninguém é perfeito".
Todos somos belos ou por características de personalidade e/ou físicas e todos somos feios por isso mesmo.

CC

Maria Mendes

disse...

Antes de se discutir que tipo de beleza se quer, se espera na sociedade de hj, onde de facto a futilidade é quem manda e apenas se presta atenção à aparência, vendendo imagens de figuras esteriotipadas de pessoas, prometendo isto e aquilo para tornar a aparência mais condizente com o padrão de hoje em dia, o que importa discutir e definir um conceito que seja aceite por todos é: o que é o Belo? O que é que faz com que algo seja belo ou não? A que critérios tem de obedecer? Quais os fundamentos no estabelecimento desss critérios? Há algum conceito de Belo? Sem estas perguntas a discussão irá incidir apenas em questões laterais. Definem, objectivamente, primeiro o que é o Belo e o Feio e depois, se se chegar a alguma conclusão objectiva que seja adequada ao que se prentende saber, e só depois podem discutir a beleza. Beleza Pura? O que é isso?

With you, always. disse...

Fiquei surpreendida quando vi a Vânia no programa mas, muito contenta também :)
Ainda tenho 14 anos e sou gordinha também, entrei para uma nutricionista há 1 ano e 2 meses e consegui emagrecer quase 10 kilos, para alguns, pode não ser nada de especial, mas a médica ficou contente e eu também, claro.
A Vânia pode não ter um corpo ideal mas, tem voz... e é isso que falta a algumas cantoras, nomeadamente, a Shakira...
Quero dar os meus sinceros parabéns à Vânia, porque além de ter uma MARAVILHOSA voz, é uma menina muito bonita, querida , muito simpática e humilde.
Um beijinho para ela *

Cristina disse...

De facto, à 1.ª vista não é a personalidade que salta à vista (passe o pleonasmo), sejamos francos. Concordo com o JAT, o medo de envelhecer (principalmente nas mulheres) é tal, que às vezes se cai no ridículo. Se a minha mãe saisse à rua com uma mini-saia... acho que tínhamos de conversar!!! Tenho 32 anos e muito orgulho nas minhas brancas... As pessoas deviam preocupar-se mais com a sua idade «mental» do que em fazer plásticas e aplicar Botox!!! Parabéns pelo programa e pelos convidados.

ana maria lopes disse...

tenho 20 anos e sou bastante magra, mas não faço nada para assim ser, é digamos genetico é o meu metobolismo.do mesmo modo que chamar gorda a uma pessoa não é agradavel chamar magro tambem não. ouvir comentarios do genero deve ser anotectica,ai que magrinha, não comes?
acho que cada pessoa deve sentir se bem do modo que é. não podemos ser todos iguais e é na diferença que esta a verdadeira beleza como o titulo do programa a beleza pura.

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AnjoNegro disse...

por mais que prevaleça o rosto e o corpo como foi dito há pouco para mim o mais ridiculo é a corrida contra o tempo que pessoas mais velhas fazem para ficarem parecidas com filhas e netas, isso sim é completamente ridiculo!

Mariana Reis disse...

Eu sempre usei tamanho M, sempre fui gorducha. Agora, nas lojas só consigo caber num L (e mal!)! PORQUÊ REDUZIR O TAMANHO DE ROUPAS?? Fazem roupa para "barbies"!

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tercio disse...

Longe de me considerar perito na matéria, gostaria de expor a minha opinião sobre o tema de hoje
Antes do mais, a beleza de uma pessoa é uma temática complexa e como tal deve ser abordada numa perspectiva multidisciplinar. Convêm então perceber o seguinte: O que é ser belo? Como definir objectivamente uma pessoa como bela?
Complicado... A meu ver, em primeiro lugar deve-se separar dois tipos de beleza: a psicológica e a física; Fixar-me-ei predominantemente na beleza física, passível de ser mais objectivamente estudada, penso eu. Esta por sua vez pode ser entendida em três dimensões intimamente interligadas entre si: uma dimensão individual, uma sociocultural e uma biológica/ genética
1. dimensão individual: nem todos temos os mesmos gostos de beleza física em parte porque a nossa percepção é influenciada pelas nossas próprias experiências pessoais, pelo círculo de amigos e familiares ou a falta deles e o próprio meio sociocultural ... enfim, pela nossa personalidade e maneira de ver o mundo.
2. dimensão sociocultural: o conceito de beleza física varia com o tempo e com o espaço, sendo uma relação díficil de explicar, como de resto são todos os fenómenos sociais e, por isso, deixo-a para os entendidos na matéria. Apenas dou um exemplo: Em certos períodos históricos gordura era sinónimo de formosura (possivelmente uma pessoa gordinha seria entendida como mais resistente a doenças em tempos em que as privações alimentares eram uma constante e, portanto, este pensamento correlaciona-se com a dimensão biológica na medida em que contribui em ser uma vantagem na perpetuação da espécie); hoje a magreza, não em excesso, claro, é sinónimo de beleza (hipoteticamente, por estar associada a um corpo saudável e por não estarmos em período de escassez alimentar... ou pelo menos, por enquanto).
Outro exemplo, determinados individuos que representam valores que no contexto sociocultural são bem-vindos tendem a ser considerados bonitos, digamos que é uma espécie de efeito bola de neve conformista aumentada pelos grotescos media.
3. dimensão biológica/ genética: é a área em que me sinto mais à vontade, visto ser estudante de medicina. Na realidade, é bastante díficil separar esta componente das supra-mencionadas, mas podemos fazê-lo analisando as características de beleza física que praticamente não se alteraram com o passar da história e se mantêm invariavelmente de local para local, e a partir de estudos estatísticos duplamente cegos credíveis. Na realidade, segundo vários estudos, a beleza física poderia ser representada por esculturas como, por exemplo, o David de Miguel Ângelo, em que as proporções corporais que foram minuciosamente estudadas são consideradas como as ideais, ou melhor, as normais. Ao que parece, uma pessoa tende a ser vista pelos outros como bela se tiver as tais proporções renascentistas. Este é um processo puramente inconsciente e, portanto, impulsivo, que curiosamente parece ter uma função biológica: A presença destes parâmetros antropométricos tende a estar correlacionada com uma boa genética do individuo e menor probabilidade de transmitir a gerações vindouras erros genéticos graves; Aliás, é sabido que determinadas doenças genéticas têm fenótipos que não se coadunam nas lei renascentistas. Cruel, não é! Mas ao que parece é a lei natural das coisas. Sem darmos conta, tendemos a escolher os melhores genes.
Um outro estudo revela que quanto mais simétrico for um rosto de um individuo, mais belo ele será. Mais, isto parece não acontecer só nos humanos, mas também noutros animais. A hipótese de que a simetria do rosto também se relaciona com boa genética não é de todo descartável. Felizmente ninguém é perfeitamente simétrico! Sabe-se também que pessoas adultas com uma face redonda, anormalmente quase perfeita e similar ao dos bebés, despertam maior empatia e confiança em pessoas estranhas, uma vez que inconscientemente desenvolvem um sentimento paternal ou maternal sobre essas pessoas e, curiosamente, por feedback positivo, os ditos individuos de facies redonda ao percepcionarem uma reacção inicialmente positiva tendem a tornar-se mesmo empáticos. Digamos que é um ciclo vicioso em que empatia gera empatia. O contrário se aplica a pessoas com rostos pouco arredondados, mas claro, não generalizemos! Nem tudo é preto ou branco.
Ao que parece do ponto de vista biológico/ genético a beleza física tem inconscientemente uma utilidade biológica que se enquadra na hipótese darwinista da selecção natural, mas atenção não entremos em generalizações hitlerianas ou preconceitos, algo que infelizmente a nossa Sociedade tende a fazer, muito por culpa da falta de conhecimento tanto cientifico, como emocional. Tender não é o mesmo que ser!


Apesar de muito mais haver a dizer sobre o conceito de beleza física, não podemos ignorar a outra componente: a da beleza psicológica, conceito mais relativo e menos passível de ser estudado e definido objectivamente, creio eu; No entanto, não tentando perder a objectividade, pondo alguma moral/ relativismo pelo meio e talvez, correndo o risco de simplificar fenómenos demasiado complexos, defino-a como: um balanceamento entre o QI e o QE individual, devendo-se dar mais importância ao último indicador. Surge pois a questão de como quantificar devidamente o QE e o QI e se serão esses métodos aceitáveis na catalogalização das pessoas, se é que se deva de catalogar pessoas...! De facto, eu próprio reconheço a complexidade e controvérsia da questão, mas não encontro forma melhor de tornar maleável e explicito este meu conceito de beleza psicológica.


Chega a vez de discutir as perguntas de 1 milhão de euros, não dólares que estes estão baratos de mais...

Será imperioso que uma pessoa considerada bela fisicamente pela maioria dos seus amigos tenha uma auto-estima maior do que alguém considerado feio? Ou será que a auto-estima não é antes um produto de uma reestruturação equilibrada e continua de valores menos superficiais ao longo da vida?

Não serão os novos jogos da Internet elucidativos do florescer de uma esteria obcessiva de beleza física a nível mundial? Ou será que desde sempre houve esta obcessão desmedida que apenas é potenciada pelos novos meios de comunicação e pelo fenómeno da globalização?

Será que o actual modelo de corpo belo esculpido ao mm é resultado de politicas excepcionais de propaganda médica com vista à promoção da saúde das populações, ou é puramente mais um dos produtos de uma Sociedade de massas, consumista e exibicionista?


Porque razão certas pessoas não aceitam o inevitável, o envelhecimento? Não valorizarão elas exclusivamente a componente física, superficial, menosprezando muitas vezes a beleza psicológica que tende a aumentar até certo ponto com a idade?

Num relacionamento amoroso o que contará mais actualmente: A beleza física ou a psicológica? Terão as pessoas fisicamente pouco dotadas necessariamente de se submeter a um extreme makeover? Ou será que se anda a promover uma ditadura de ideal de corpo?

Algumas questões são um pouco retóricas...
Quanto à minha opinião pessoal; é simples, gosto de ser baixo e feio.





Desculpem-me a pouca brevidade, mas não me pude conter:
Tercio Tavares

lady_blogger disse...

Diz-se que em algumas tribos as mulheres são mais bonitas se tiverem os seios descaídos, e isso na nossa cultura seria motivo para recorrer-se ao implante de silicone. Prova de que o conceito de beleza difere também devido a diferenças culturais.

CC

Maria Mendes

Mariana Reis disse...

Eu sempre usei tamanho M, sempre fui gorducha. Agora, nas lojas só consigo caber num L (e mal!)! PORQUÊ REDUZIR O TAMANHO DE ROUPAS?? Fazem roupa para "barbies"!

Andromeda disse...

Gostaria de saber o que pensam da recente "transformação" da modelo Karolina Kurkova, que de uma mulher com medidas de modelo passou a ter uns kilos a mais e foi severamente criticada numa passagem de modelos no Brasil.

Antes:

http://img170.imageshack.us/my.php?
image=karolinakurkova
11170704gk8.jpg

Depois:

http://img95.imageshack.us/my.php?
image=karolinakurkova0
6250801tx6.jpg

http://img262.imageshack.us/my.php?
image=karolinakurkova0
6250803kc3.jpg

casimiro disse...

concordo que o rosto e o corpo é o
que salta logo á vista mas isso nao passa de uma primeira impresao, porque a maior parte das vezes julgamos as pessoas e depois de conhecermos melhor a pessoa aquela ideia de "é gorda nao é minha amiga" muda e pode mesmo ate ser a nossa melhor amiga, acho que cabe a nós jovens mudar isto pois nós somos o futuro do mundo....... vânia ao contrario do que certas pessoas dizem és uma rapariga bonita, lembra-te as aparencias eludem.....força!!!!!!!

jmmtc disse...

Apenas um comentário:

é colocado sempre enfâse nas mulheres "perfeitas"... e em relação aos homens "perfeitos" ?

aquele homem baixo de 1,68 , magro, mas sem musculos, como é? tb é sempre desvalorizado por essas pseudo-normas da beleza!

Tomaz disse...

A discriminação começa quando as pessoas em vez de dizer gordas(os), dizem gordinhas(os), porque ninguém chama magrinhas(os) às magras(os), dá a sensação que é um palavrão.
Votei rosto, para mim um olhar atrai-me, um corpo cativa-me mas normalmente apaixono-me pela personalidade, não necessariamente por esta ordem.

Aqui Estou... disse...

Beleza... é como um restaurante. A aparencia, o corpo, o rosto são apenas o cartão de visita. o que determina uma proxima visita é a comida (personalidade). Nao me considero bonita, não me considero feia... sou apenas o que sou e sou feliz por isso.

a beleza esta nos actos que se praticam

Micael disse...

E a aparencia hoje em dia importa mais para as raparigas!!!sim porque essa tem a mania que se vestem bem com roupas de marca e são menhores doque as outras que nao têm dinheiro para isso!!!E so olham para os rapazes que se vestem bem e têm uma boa aparencia!!!!

wentworth miller disse...

embora no questionário apresente na maioria que o que é mais importante é a personalidade, na realidade não acontece isso...

as pessoas mais gordinhas são sempre postas em parte... Por vezes até se criam "grupos" dessas pessoas...

patricia disse...

Na minha opinião beleza é relativa...parte da mentalidade individual de cada um!
Mas acho que ja chega-mos a extremos!Temos por exemplo clinicas na China em que colocam-se ferros aparafusados no fémur e na tibia e que à medida que o tempo vai passando, a paciente(normalmente são individuos do sexo feminino) vai rodando os parafusos!Este engenho permite "crescer" ate 10cm!!! Passa-se por dores horriveis e a recuperaçõa é lenta alem de que esses ditos ferros sao prejudiciais à saude da pessoa, apenas para atingir uma altura ideal que em parte é influenciada pela sociedade!
Mas temos outro exemplo como a vocalista do grupo britânico The Gossip!
A vocalista é gorda e aparece na capa do album lançado há quase um ano sendo este um grupo bastante sucedido!
Vânia nao se preocupe :)

Mariana Reis disse...

Eu acredito em mim, aas lojas de roupa é que não acreditam em mim! Sempre usei M, agora só uso L e não estou mais gorda! Fazem com que as gorduchas se sintam enormes!!

Patrícia disse...

Boa tarde!
Sou uma jovem de 21 anos. Segundo a sociedade, estou na “flor” da idade. Mas como todas as flores, também somos frágeis. E refiro-me à beleza. Hoje em dia, a estética está cada vez mais implementado na nossa sociedade, e muitos jovens (principalmente) sofrem muito com isso.
Cada vez mais se sofre por não se ser perfeito. O corpo não tem as medidas ideais, e não só pelo peso, mas porque se tem um rabo maior, ou pouco peito. O cabelo não tem as formas maravilhosamente onduladas. Os olhos não são verdes e de manhã não acordamos com uma pele magnífica.
Por muito que se queira ou se negue, a beleza hoje em dia está acima de tudo: da personalidade, da beleza interior. Porque por muito belo que se seja por dentro, se o que se vê exteriormente não agradar, de nada serve!

wentworth miller disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Marcinha disse...

Boa Tarde! Chamo-me Márcia, tenho 25 anos. NA minha opinião, a sociedade caminha no sentido de criar uma imagem que marque cada indivíduo. O estereótipo criado pela sociedade massiva é de que todos temos de cheirar bem, todos temos de nos vestir de igual e principalmente, tudo o que usamos tem de ser de marca. Eu não sou assim. Afasto-me de tudo isso e também gosto de o fazer. Gosto de coisas simples e marco a minha diferença por isso. Durante 4 anos tive rastas e todos ohavam para mim de uma forma diferente, mas continuo a ter muitos amigos (e cada vez mais) porque a diferença não nos afasta, mas une-nos.Acho que as gerações mais novas é que vão sofrer porque não têm educadores à altura de os ensinar que a diferença vem do nosso interior e não está marcada no exterior!

KatarinA disse...

Os adolescentes hoje em dia sofrem complexos com a sua beleza. Eu propria o senti no inicio da adolescencia, mas com o tempo fui percebendo que existem pessoas ao meu lado que conseguem ver a minha "beleza", ao contrario de outras que sempre me influenciaram negativamente.

Hoje gosto muito de como sou e de como me vejo, tenciono ir a agencias de modelos para tentar ser modelo fotografica, porque apesar das minhas ancas largas eu confio em mim e na minha fotogenia. :)

Um conselho para todas as jovens e' para que nao se deixem influenciar pelos comentarios das outras pessoas, pois ao valorizarem-se mais estão no caminho ideal para se amar mais a si e aos outros.

Catarina Almeida
16 anos

Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Catita disse...

Personalidade mais valorizada que a aparência? TRETA.
Por mais que nós digamos que o que conta é o interior, a personalidade, nós temos sempre preconceito com a aparência. Por exemplo, por mais que eu seja alegre, bem disposta, carinhosa, sendo feia nunca um rapaz se vai aproximar de mim. Por mais que digamos que não têm preconceitos têm nos sempre. É o mesmo com homossexualidade dizemos que não temos preconceitos temo-los. É a porcaria de sociedade que temos nos dias que correm.
Aproveito para deixar os meus parabéns ao programa, e á Vânia. ;)

Cumps.

Rita. 15 anos.

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...

Nao concordo com a afirmaçao de que uma pessoa que é gorda e diga que se sente feliz assim, seja verdade, penso que é apenas um mecanismo de auto-defesa. Quem é que gosta de ir a uma loja e nao encontrar roupa para vestir?

Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

wentworth miller disse...

Vânia a tua voz é maravilhosa e és muito GIRA...

FORÇA

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Andromeda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Portáteis e.escol@ disse...

Apesar de ainda ser um pouco nova vou comentar este assunto porque acho que é um assunto interessante.
Eu penso que lá por uma pessoa ser um pouco mais "forte" não se deve discriminá-la.
Eu tenho uma colega minha na minha turma que é relativamente mais forte do que os outros alunos.Mas não é por isso que deixa de ser bonita.
Ela é bonita de cara , de amizade e muito inteligente... E mesmo assim são muitos os meus colegas que a descriminam...
Chamam-lhe gorda e muito mais.

Eu pensa que não devemos julgar as pessoas pelo seu aspecto fisíco mas sim, se essa pessoa for uma boa pessoa. Uma pessoa que ajude os amigos... Enfim que tenha um boa personalidade.

Espero que gostem...

Carla
13 anos

Dominic Oliveira disse...

A questão dos pêlos, será um homem peludo bonito ou feio? será um bom para a saúde os pelos? para a protecção da temperatura corporal no inverno?

Super Guerreiro disse...

Tal como a experiência, os conceitos de beleza padecem do mesmo parâmetro: tempo.

Uma coisa é certa, estou como os gregos "Mente sã em corpo são!"

Gostaria de perguntar ao Tenente se conhece algumas raparigas que já foram a uma Zara, ou uma Mango, por exemplo, vestem um 34 ou um 36 na realidade, e que nesses estabelecimentos não existe número para elas? Quem fiscaliza esses formatos? Não deveriam ser universais?

Cumprimentos Académicos!

Miss Piggy disse...

Boa tarde, estava a fazer zaping e deparei-me com o vosso programa. Eu sou uma pessoa bastante gorda mas façoi tudo para não parar porque se eu parar sei que será pior... sempre fui assim e o que mais me revolta não é para com os meus pais, mas essencialmente pelos médicos que nunca pensaram que não seriam saudável estar acima do peso e eu fui crescendo sempre com complexos de vestir numeros maiores que as minhas amigas. Eu confesso que não gosto do meu aspecto e que tento fazer tudo para ter no munimo um peso aceitável, como ja foi dito na vossa reportagem eu invento mil e uma coisa, vou ajudar amigos nos seus trabalhos, faço limpeza em casa, levo o dia inteiro a estudar, etc e tento manter-me ocupada para assim não pensar no meu problema. E depois as pessoas gordas têm um grave problema com as lojas e os numeros das roupas. Estou de prefeita concordância com a atris Cristina, pois as pessoas discriminam as pessoas não só os gordos, mas tambem com qualquer pessoas que apresente algo que não seja o "sociavelmente aceite".
Obrigada e Parabens pelo programa

Dominic Oliveira disse...

A questão dos pêlos, será um homem peludo bonito ou feio? será um bom para a saúde os pelos? para a protecção da temperatura corporal no inverno?

mafalda disse...

Boa tarde.dou os parabéns ao programa pelo tema mas não queria deixar de deixar o meu testemunho: tenho 23 anos e tenho bulimia há 4 anos. Muitas vezes é fácil rotular, apontar o dedo, criticar. mas o sofrimento, a dor, a vontade de querer mudar, melhorar e aperfeiçoar aquilo que sentimos que somos, por vezes é tremendamente difícil de suportar. As pessoas conseguem ser muitas vezes crueis, pela sua incompreensão, pela sua exigência. Por vezes a auto-estima é simplesmente utópica e o que se estima é simplesmente o que vemos nos outros e desejamos ver em nós próprios.

Dominic Oliveira disse...

Sinto-me descriminado, tentei expor as minhas duvidas e não fui ouvido. Sou forte sim, mas sou um ser humano!!!!

Dominic Oliveira disse...

Sinto-me descriminado, tentei expor as minhas duvidas e não fui ouvido. Sou forte sim, mas sou um ser humano!!!!

Corrigo, nao sou forte, infelizmente sou obeso!!

Rake de Rama disse...

Tenho uma duvida e uma critica a fazer.

Quanto ao inquerito em questao, nao posso de deixar de demonstrar que discordo dos resultados. A primeira coisa que uma pessoa ve quando conhece outra é a cara e o corpo, e logicamente nao se vai sentir atraida por alguem que ainda nem abriu a boca ou que conhece ha 5 min. por isso acho que esta a haver muita hipocrisia nestas respostas.

Em segundo, falou se do IMC, eu fui atleta de ginastica durante varios anos e sempre fui muito pesado e sempre que fiz os testes deu um indice obeso, no entanto em termos de aspecto sou uma pessoa completamente normal, nada gordinho ou roliço. No entanto apos ter terminado com os treinos, emagreci, na balança, aproximadamente 10 kg e no entanto aumentei o meu volume. Por isso tambem nao concordo que IMC seja sempre o mais indicado para tirar consideraçoes sobre a saude de uma pessoa, como ja aqui foi dito.

Dominic Oliveira disse...

Sinto-me descriminado, tentei expor as minhas duvidas e não fui ouvido. Sou forte sim, mas sou um ser humano!!!!

Corrigo, nao sou forte, infelizmente sou obeso!!

Junquilho disse...

Infelizmente, os jovens têm, cada vez mais, tendência para seguir os modelos veiculados pela comunicação social, principalmente os padrões de Hollywood, e cabe aos pais e educadores incutir-lhes que o importante é ser e não ter ou parecer.

Margarida Quinteiro

. disse...

******IMPORTANTE*****
Parece ser a teoria da conspiração, mas isto dos tamanhos diferentes, tamanhos pequenos é apenas para os fabricantes conseguirem Poupar no tecido e na mão de obra. Tamanho pequeno= menos tecido e menos tempo de mão de obra a coser, menos linha.
Mesma coisa para as cuecas fio dental, menos material mas o mesmo preço do que as cuecas "normais"

Xangel Xará disse...

Quero desde já felicitar o programa pelo óptimo trabalho desenvolvido até agora.

Quanto ao tema de hoje penso que o me faz voltar a cabeça para voltar a ver uma pessoa ou até ir falar com ela é um olhar ou um sorriso e nem tanto o seu aspecto físico, não vou logo "medir" uma pessoa antes mesmo de falar com ela.

Patrícia Xará, 14 anos

Sofi disse...

Olá, muito boa tarde a todos.
Sempre que posso assisto ao vosso programa, que penso ser um dos melhores da televisão portuguesa.
Ser magro ou ser gordo é uma questão presente na sociedade actual e o conceito de beleza é algo que começa a despertar a partir da adolescência.
Fui uma criança "normal", uma pré-adolecente "cheinha", uma adolescente com anorexia nervosa e hoje volto a ser uma jovem "normal". No meu caso a anorexia ultrapassou muito para além da restrição alimentar, tocou o limite extremo da baixa autoestima, da auto-negligência e da auto-exclusão social. Hoje tenho os sinais físicos, psicológicos e sociais desta doença, que alterou tudo na minha personalidade, na minha vida e na vida da minha família.
Hoje em dia olho para as adolescentes e penso que a atenção que lhes é dada é maior do que na minha época, no entanto penso ser fundamental uma intervenção mais eficaz e mais dirigida nas escolas, que implementem estratégias que contribuam para a adopção de estilos de vida saudáveis pelos jovens, detectem os jovens com factores de risco e lhes dê acesso a informação clara e "de choque" acompanhada também da possibilidade da prática de actividade desportiva gratuita, principalmente nos grandes centros urbanos, que não se igualam às iniciativas de alguns municípios como, por exemplo Tavira.
Assim sendo, poderá no futuro, ser remodelada a defenição de beleza, auto-estima e bem estar consigo próprio.
Sofia

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

JoanaMartins disse...

Boa tarde a todos, felicito desde já o vosso programa, a apresentadora e todos os convidados. Em relação ao tema de hoje, eu vejo-me no padrão dos mais "gordinhos". Embora tenha peso a mais, sinto-me bem comigo mesma, no entanto, há dias em que a minha auto-estima altera rapidamente, principalmente naqueles dias em que tentamos vestir uma roupa que adoramos e que não nos favorecem, aquelas roupas que marcam todas as formas que gostaríamos que ninguém reparasse. Outro factor que nos deprime é também o facto de tentarmos comprar roupa, e quando pedimos a uma funcionária : Desculpe, tem o 44 destas calças? nao nao só vamos até ao 42. Embora todos estes factos nos deprimam, acho que o mais importante é gostarmos de nós, porque só gostando de nós é que os outros gostarão tambem. Por baixo de uns quilinhos a mais ou a menos, normalmente estão sempre boas pessoas. Beijinhos a todos.

Mariana Reis disse...

Não tenho problemas em vestir um L. O problema é que o número maior que existe na loja às vezes não me serve - quando eu só sou gorducha!! É FRUSTRANTE IR ÀS COMPRAS!

JoanaMartins disse...

Boa tarde a todos, felicito desde já o vosso programa, a apresentadora e todos os convidados. Em relação ao tema de hoje, eu vejo-me no padrão dos mais "gordinhos". Embora tenha peso a mais, sinto-me bem comigo mesma, no entanto, há dias em que a minha auto-estima altera rapidamente, principalmente naqueles dias em que tentamos vestir uma roupa que adoramos e que não nos favorecem, aquelas roupas que marcam todas as formas que gostaríamos que ninguém reparasse. Outro factor que nos deprime é também o facto de tentarmos comprar roupa, e quando pedimos a uma funcionária : Desculpe, tem o 44 destas calças? nao nao só vamos até ao 42. Embora todos estes factos nos deprimam, acho que o mais importante é gostarmos de nós, porque só gostando de nós é que os outros gostarão tambem. Por baixo de uns quilinhos a mais ou a menos, normalmente estão sempre boas pessoas. Beijinhos a todos.

JoanaMartins disse...

Boa tarde a todos, felicito desde já o vosso programa, a apresentadora e todos os convidados. Em relação ao tema de hoje, eu vejo-me no padrão dos mais "gordinhos". Embora tenha peso a mais, sinto-me bem comigo mesma, no entanto, há dias em que a minha auto-estima altera rapidamente, principalmente naqueles dias em que tentamos vestir uma roupa que adoramos e que não nos favorecem, aquelas roupas que marcam todas as formas que gostaríamos que ninguém reparasse. Outro factor que nos deprime é também o facto de tentarmos comprar roupa, e quando pedimos a uma funcionária : Desculpe, tem o 44 destas calças? nao nao só vamos até ao 42. Embora todos estes factos nos deprimam, acho que o mais importante é gostarmos de nós, porque só gostando de nós é que os outros gostarão tambem. Por baixo de uns quilinhos a mais ou a menos, normalmente estão sempre boas pessoas. Beijinhos a todos.

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

ariana disse...

Boa tarde,

Sou gorda, tenho 1,69 e peso 80.
Fui mãe à 15 meses e ainda não perdi os 10 kilos que ganhei.
O primeiro dia da praia sempre foi um sacrilégio, tirar a roupa era um grande sacrificio.
Este ano a odisseia começou qd decidi comprar um fato-de-banho(pq fiquei c estrias na barriga)e nao consegui e optei por um biquini e um vestidinho para conseguir estar à vontade para brincar c o meu bebe no seu primeiro dia de praia.
MILAGRE!!!Fui para a praia e de biquini e tirei o vestido, brinquei o tempo todo e senti-me mto bem.Adorei o dia e tenho a certeza que o meu bebe tb gostei.Agora sim, vou fechar a boca e emagrecer!!!

. disse...

*****IMPORTANTE*******

Os tamanhos é apenas para os fabricantes pouparem tecido.
Tamanhos pequenos=menos tecido e menos tempo para confeccionar, menos tecido menos linha, distâncias mais pequenas.
Cuecas Fio dental, mesma coisa, menos matéria prima, mas o mesmo preço que as cuecas normais.

Questão para José António Tenente.
João Menezes

tatiana disse...

beleza sinónimo de prisão

em relação aos inquéritos,
apesar da significativa percentagem a favor da personalidade, a verdade é que no momento de "decidirmos" o que é ou não atractivo, não nos desprendemos das características aliadas ao físico.

quanto ao conceito de beleza que predomina na sociedade (entenda-se, o que é promovido pela moda, pelos media...) é certo que não dá espaço para a diversidade e para a diferença.

por que não uma passerelle com altos, baixos, gordos, magros, reais, no fundo...?

queremos congratular o debate deste tema e a mesa de convidados que estão a dar importantes contribuições para o mesmo.

e já agora, somos duas irmãs consideradas com um peso "normal" e o que é certo é que todas as calças que vestimos são 40 e 42!!

Lia e Tatiana

Mariana Reis disse...

Não tenho problemas em vestir um L. O problema é que o número maior que existe na loja às vezes não me serve - quando eu só sou gorducha!! É FRUSTRANTE IR ÀS COMPRAS!

Mariana Reis disse...

Não tenho problemas em vestir um L. O problema é que o número maior que existe na loja às vezes não me serve - quando eu só sou gorducha!! É FRUSTRANTE IR ÀS COMPRAS!

boy_blogger_ disse...

Este é sem duvida o século da imagem, é quase obrigatorio ter as medidas certas para conseguir vencer. Eu tenho 21 anos, sou bastante alto e demasiado magro. Não é por isso que vou deixar de vestir o que gosto ou fazer dietas loucas para engordar, limito-me a tentar sentir-me bem com o meu corpo. Claro que ha dias que parece que o espelho não mostra a mesma imagem; mas nesses dias, ainda faço um esforço para me vestir melhor, para vencer aquela imagem "distorcida"...

comprimentos a todos os comentadores. Parabéns ao Tenente, pelo seu maravilhoso trabalho.

Mariana Reis disse...

Não tenho problemas em vestir um L. O problema é que o número maior que existe na loja às vezes não me serve - quando eu só sou gorducha!! É FRUSTRANTE IR ÀS COMPRAS!

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

sigur disse...

Numa sociedade que se acha cada vez mais feia, a beleza surge como solução fácil.

srilho disse...

Saudações a todos os presente no programa !!

Permitam-me apenas dizer isto:

" As mulheres/homens querem-se como os rojões, com um bocadinho de gordura entremeada !!!"

Só para desanuviar as mentes ..

Bem hajam.

Sandro Rilho
Ovar

sigur disse...

Aqueles que criticam o fanatismo pela beleza, o procuram igualmente nss outros pessoas, entramos assim num círculo vicioso.

Joana do Açúcar disse...

Estou a ver o programa e não posso deixar de dar os parabéns pelo tema.
Gostaria de relembrar que beleza é saúde. E saúde, neste aspecto de magreza ou obesidade, passa pela quantidade da massa muscular e da massa gorda. Posso ter 70 kilos por ter apenas massa muscular! O que me torna saudável e livre de ricos de saúde.Espiritualmente, há que fomentar a auto-estima!

Deragnu disse...

Se fosse novo, com dinheiro, bastava ser manhoso, para ter as mulheres que quisesse. Foi o que vi durante anos a fio.

Bom rapazinho para as mulheres é treta, elas querem-nos maus e com massa, só depois com a convivência ou não, e os "maus tratos", Sem medo Maria, é que começam os divórcios.

Quem está a estreitar os limites não são os homens de certeza, até porque eles assim como eu, gostam de ter onde agarrar, certo?

Anttónio

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Ana Verdeperto disse...

Todos nós temos uma forma de ver a beleza.
Felizmente sei ver a beleza em "gordinhos!".Apartir do momento em que me apiaxonei por um "gordinho" aprendi a ver a beleza que há em cada um dos corpos...
importante e fazer com que as pessoas se sintam bem consigo próprias,sendo gordas ou magras.

Carina disse...

Realmente a factor beleza é relativo! Infelizmente na nossa sociedade, gordura é sinonimo de doença e complexo. è o passaporte muitas vezes para o insucesso pessoal e profissional

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Ana Botas disse...

Gostaria de partilhar convosco uma situação que aconteceu a uma amiga minha no ginásio esta semana:

Um daqueles rapazes cheios de energia, e que vai "levantar ferro" todos os dias na esperança de ver os seus "maravilhosos" músculos aumentarem de tamanho dirigiu-se a ela e fez o infeliz comentário (olhando fixamente para a zona abdominal dela): - Olha, desculpa, não quero ser indelicado, mas não estás com uma pneu a mais?!
Como seria de esperar a minha amiga não respondeu. Depois ao comentar comigo disse: - Eu tenho espelhos em casa, não preciso que ninguém venha fazer esses comentários, além disso tenho uma grande auto-estima!
Para finalizar a minha amiga é de constituição normal, IMC normal, lindíssima e de uma sensibilidade enorme.

A sociedade e determinadas pessoas é que em vez de se ocuparem com elas próprias, destorcem o conceito de beleza.
A beleza somos nós que a definimos, acima de tudo, está dentro de nós.

Lanço um desafio aos mais perspicazes, tentem ver apenas a beleza interior do ser humano,encontrarão pessoas maravilhosas!!!

Parabéns Vânia.

Ana Verdeperto disse...

Desde que me apaixonei por um "gordinho",soube aprender a ver a beleza que há nos "gordinhos", e deixei de achar a magreza tão apelativa.

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Duarte disse...

Boa tarde antes de mais gostaria de felicitar a vania fernandes pelo seu perucrso musical o qual sigo com muita atenção. Também sou madeirense tenho 16 anos e já tive complexos com o meu corpo e ainda tenho já tentei varias maneiras de emagrecer até o deixar de comer impressionante mas é o caminho entre os adolescentes a seguir. ja tentei até concorrer uma agencia de modelos mas pedem tamanhos como da cintura peito etc.. mas acabo por desistir talvez por falta de auto-estima ja agora aproveito a presença do estilista para lhe perguntar quais os tamanhos ideias de um modelos masculino ou os tamanhos ao menos aceitaveis. Já agora deixo esta questão se as roupas são feitas nos diversos tamanhos porque não existem modelos para os exibir nos diversos tamanhos?

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Debora Santos disse...

Boa tarde!
Julgo que o principal problema das pessoas gordinhas surge quando vão às compras. Na tentativa de mudar o guarda-roupa ou simplesmente para adicionar alguma peça que gostem, surge sempre a barreira do tamanho da roupa. Já visitei lojas dos mais variados tipos (das + baratas às + caras) e não encontrei nada que gostasse, que fosse digno de usar no local de trabalho, e, principalmente, que me servisse. Axo que aí se inicia um processo de frustração e pena por não podermos vestir como as outras pessoas, com roupas normais. sabendo que existem roupas que escondem os quilinhos a + nas zonas problemáticas.
Acho que bastava as pessoas puderem usufruir do mesmo leque de opções de se apresentar exteriormente, para começarem a se sentir melhor.
Porque pode-se iniciar uma dieta, pode-se perder peso, mas é um processo demorado e no entretanto a pessoa pode sentir-se melhor consigo mesma.

carlos disse...

Porque é que as medidas não são iguais? Um XL numa loja de marca é diferente dum XL de outra marca menos conhecida...porquê?

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Ana disse...

E a cor da pele? Penso que também conta muito, e não me refiro a brancos/negros.

Apesar que viver no Algarve, a minha pele é bastante branca (lixívia ou branca de neve como já me chamaram), e com este factor farto-me de ouvir "Vai à praia!", "Bronzeia-te!", "Ai tão branca, até encadeia!"... Pergunto eu desde quando é que ao apanhar Sol eu passo a ser uma melhor pessoa. É o que eu respondo a estes comentários mas é um facto que, ao verem as minhas pernas as pessoas riem-se.


Ana, 18 anos.
Albufeira.

casimiro disse...

cada pessoa é como é, e ninguem tem o direito de julgar as pessoas por isso, se fosemos todos iguais o mundo seira monotono, eu acho que ao contrario de certas pessoas nao procuro sempre roupa com o mesmo numero eu uso o L e e a maioria das vezes compro o XL......

Todos diferentes, todos iguais!!!!

Nawa Photo disse...

Olá!

Como fotógrafo fetichista dou a minha visão da estética do feminino.

Idolatro o corpo da mulher, mas o meu estilo pessoal tem mais enfoque no detalhe q no geral, porque toda mulher real tem uma fracção da beleza idealizada.

A fotografia de moda tem culpa na criação de estereotipos. Faço fotografia glamour, onde conta a atitude da mulher em detrimento da beleza ou roupa.

Quando escolho modelos, alerto q aceito mulheres simpáticas, vaidosas e humildes e dispenso as bonitas arrogantes e convencidas .

Na vida privada, há muito concluí q a beleza estereotipada apenas existe até 30 cm de proximidade ou 3 dias de intimidade. Vencidas essas distâncias, o aspecto exterior não sobrevive.

Quando fotografo, consigo melhor resultado com a autoestima do que a "beleza".


Quanto á obesidade, uma coisa é formosura, outra é desleixo. Muitos, sejam homens ou mulheres, parecem menos atraentes pela obesidade, porque a deficiencia de autoestima tem na obesidade apenas uma das consequências.

Quanto a mulheres q se consideram com alguns quilos a mais, infelizmente não valorizamos em Portugal como fazem os brasileiros as "gostosas", como apelidam as mulheres bonitas, rechonchudas com curvas (sem chegarem a ser obesas).

Todos temos gostos diferentes e procuramos coisas diferentes. Os americanos gostam de seios enormes, eu prefiro XS. Sou careca com nariz grande mas as minhas amigas consideram-me charmoso e com mãos bonitas.

Em suma, é preciso que as pessoas, principalmente as mulheres, distingam a Beleza estereotipada da autoestima ou do desleixo .

Leonel Marques
nawa.photo@gmail.com
www.myspace.com/nawaphoto

P.S. Em jeito de curiosidade, confesso que a minha companheira tem uma beleza discreta (aparentemente abaixo da média). Quando se maquilha e sente feliz é belissima. Tem um corpo que cuida e considero deslumbrante, com altura abaixo da média e sim, tem alguma celulite. Mas acima de tudo, tem personalidade e foi preferida por um homem que adora mulheres "bonitas".

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carlos disse...

Porque é que se há cada vez pessoas mais fortes há cada vez mais dificuldade em arranjar roupa p/ essas pessoas? Nas lojas só há numeros pequenos!!! Porquê?

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Rosana disse...

Temos que acabar com o preconceito de que as pessoas gordinhas são assim por causa da comida, isso é uma total e grande mentira, a grande maioria das pessoas tem peso a mais por motivos hormonais, metabólicos ou hereditários e por mais que faça dietas, ou até deixe de comer nunca vai perder peso e ser saudável.
Os principais impulsionadores deste preconceito são os póprios médicos que logo á partida diagnosticam que uma pessoa tem peso a mais porque come demais e logo receitam dietas, sem saber até se essas dietas são benéficas para a saude da pessoa ou não, não é assim que se deve fazer, primeiro devem descobrir qual a razão exacta e depois tratar.

Vânia não emagreças mais, estás linda

Rosana

Marta Santos disse...

Para mim a beleza não é o exterior mas sim toda a pessoa, ou seja o que é visivel e o que não é. Não é por top-models terem um corpo fantastico que temos de ter um corpo igual ao seu. Temos é de nos sentir bem connosco.

André disse...

Sou um jovem de 17 anos tenho 1,74m e 50 quiolos. sinto-me mal com o meu corpo. Ser um rapaz magro é dificil, custo a encontrar roupa que me fique bem. Para além de tudo isto a minha auto-estima não é das melhores, não gosto do meu corpo e as rpariaga muito menos. Devido ao meu aspecto fisico até já tive um professor a perguntar-me se eu andava na droga.

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aléxya disse...

A roupa L e XL em Portugal geralmente é roupa sofisticada e para pessoas mais maduras, assim so nos resta vestir fatos de treino e roupas largas sem forma.

Dominic Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Mariana Reis disse...

E qual é a desculpa para a moda das calças de cinta descida? Isso não fica bem a quase ninguém e só se vendem essas em praticamente TODO o lado!!

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

lady_blogger disse...

Se por aí os elementos da vossa redacção não gostam de se ver ao acordar, acho estranho.
Talvez porque me vejo sempre igual, sem pinturas, até nem acho feio o meu aspecto ao acordar, isto se não acordar de mau humor por ainda estar cheia de sono. É tão giro aquele ar ainda ensonado, de olhos piscos...
Cá está um caso prático que prova a diferença de conceptualização de beleza.

CC

Maria Mendes

Mariana Reis disse...

E qual é a desculpa para a moda das calças de cinta descida? Isso não fica bem a quase ninguém e só se vendem essas em praticamente TODO o lado!!

Mariana Reis disse...

E qual é a desculpa para a moda das calças de cinta descida? Isso não fica bem a quase ninguém e só se vendem essas em praticamente TODO o lado!!

Marta disse...

Tenho agora uma filha com um ano, e de vez em quando dou comigo a pensar no porquê de toda a gente fazer o comentário "é gordinha" quando no fundo ela esta até abaixo dos percentis.
A minha afilhada com 5 anos já se recusava a comer porque os colegas de escola a chamavam gorda.
Será que estamos assim tão evoluidos no que toca a relações interpessoais e respeito pelo outro? Não me parece.

Marta Carmo

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

Dominic Oliveira disse...

Boa tarde sou professor catedrático e obeso, desde que fiquei assim não me param de crescer pelos, será que é normal? estou a ficar triste, gostaria que me esclarececem a minha questao

vitor Goncalves disse...

Os nutricionistas podiam também utilizar as pregas adiposas para analisar a massa corporal ao invés de utilizar o IMC que é um indicador pouco preciso, exemplo disto é uma pessoa musculada que pode ter um IMC elevado. Portanto através deste exemplo podemos verificar que o IMC é pouco consistente.

Cristina disse...

Acho frustante, tal como a Mariana Reis afirmou, ir a uma loja e experimentar o tamanho que sempre usamos e ele não nos servir!

Ja há bastante tempo uso o 36/38 dependendo dos modelos, mas ultimamente quando quero comprar um par de calças normalmente enho que comprar o 40 só porque sao uma rapariga com um porte mais atletico e por isso mesmo as minhas coxas sao mais musculadas e nao cabem nas calcas 38.

Eu sei que parte de nos querermos ser belas mas a auto-estima e muito abalada quando experimentamos todas as calças da loja e apenas um par é que nos serve!

Cristina
17 anos

Super Guerreiro disse...

Não querendo ser politicamente correcto como a Andreia de 18 anos, e olhando para o lado economicista da "Beleza Pura", pergunto se não é de interesse desta sociedade fraca em ideias e objectivos comuns, cultivar preconceitos sobre ideais de beleza.

Hoje em dia, o jovem de 12 anos, sofre influências para comer as bolachas "PRINCE" aquelas na qual o puto reguila engata a miuda do 8ºano e que já tem a tatuagem nas costas... por outro lado em casa, os pais continuam a fazer um bife com batatas fritas e arroz, sendo mesmo a comida favorita do "puto reguila", mas não é um prato normal... é um prato em que metade é um bife (a la sola de sapato) e do outro lado a batata frita "Ruffles" (aos montes)!

Comida saudável não haja dúvidas... e as "pitas malucas" que passam a vida a comer aquelas tabletes "lights" (porque é chiquetérrimo) de cereais prensados, ricos em fibras para ver se vão mais vezes à casa-de-banho... quando se não tivessem preguiça de descascar a fruta, poderiam ter mais e melhores resultados?

Enfim, fala-se muito inclusivé senhores "doutores" (sim porque hoje qualquer um que esteja de bata branca é doutor...) que muitas vezes contrariam-se mutuamente...

Beleza hoje é ainda mais um negócio:

- marcas de roupa têm interesse em números pequenos, pois aumentam as receitas (menos dinheiro para matéria prima, preços relativos ao kilo da peça aumentam assim, as pessoas que estão fora do padrão standard pagam a dobrar...);
- clínicas, ginásios,...;
- indústria alimentar,...;

Enfim... não é ético o mundo que a gente vive, existe demasiadas máscaras, sobretudo que actuam sobre um nicho de mercado na quais os clientes não se podem defender muito bem, pois ainda não adquiriram competências de autonomia e de análise da situação por si sós, como são os jovens entre os 6-16 anos.

Muitas vezes nem mesmo os de 16-20 anos sabem o que isso é...

Cumprimentos Académicos!

PS: Excelente programa... já agora, para quando um "agora escolha" para o resto da tarde?

Sociedade Civil disse...

caro Dominic

deve estar com um bug ja que a sua pergunta aparece muitas vezes no blog.

a sua situação poderá ser alteraçao hormonal pelo que deverá consultar um/a endocrinologista

no entanto deixamos aqui o contacto do consultorio da nutricionista Teresa heradia, convidada de hoje - 213210120

saudaçoes civis

Super Guerreiro disse...

Ser magra(o) e ser gorda(o) ao mesmo tempo pode existir?

Como funciona isso da massa gorda e massa muscular?

Não acredito em pessoas com massa gorda=0, por isso, quais os valores padrões do clinicamente perfeito?

Cumprimentos Académicos!

Natalia ferreira disse...

Hoje tenho 58 anos e 5 quilos acima do peso recomendado para a minha altura.No entanto reflectiu-se na minha vida sentimental, no meu casamento, no meu caracter e na minha maneira de estra na vida, tudo o que me disseram enquanto fui mais nova, pela razão de ser magra,mesmo tomando suplementos não conseguia engordar.E quando a própra mãe e irm~~as nos fazem sentir mal com comentários, como: que vergonha, que desgosto, não arranjas namorado, os teus peitos são só uma amostra,ninguém olha para ti, pareces uma tuberculosa, como é que fazes quando um dia casares, etc. etc. etc.Vi vi sempre complexada com sentimentos de inferioridade, com vergonha, mais tarde inclusivé do meu marido,porque quando a própria mãe e irmãs nos dizem estas coisas é porque certamente estão certas.As pessoas á nossa volta podem ser muito cruéis, e nem se dão conta do quanto sofremos, e o que isso nos pode afectar para o resto da vida.Como disse no ínicio hoje tenho 5 quilos a mais, e o meu marido passa o tempo a dizer para eu ter cuidado e não comer para não ficar mais gorda, como se aos 58, eu pusse ter corpo dos meus 25 e que toda a gente me criticava, ao ponte de eu nunca olhar para o meu próprio corpo com vergonha da minha magreza.Hoje tenho desgosto de não me ter apreciado, porque no fim dos meus filhos fiquei com a barriga toda partida, têm sido outro grande problema com o qual eu tenho vivido.Tudo por causa dos outros.
Um grande abraço.... è a primeira vez na minha vida que conto este meu segredo.bem hajam

Guida disse...

Apesar do programa já ter terminado , só agora posso comentar.
A mim o que mais me fascina no outro é o seu bom humor, não há nada melhor em alguém do que ser bem humorado.
Claro que a beleza conta, mas pouco.
Guida