quarta-feira, outubro 22

Açúcar em excesso nos alimentos infantis

Um estudo internacional coordenado pela Deco conclui que cada 100 gramas de cereais comprados na Europa contêm o equivalente a 4,7 pacotes de açúcar. Das 10 marcas testadas em Portugal, nenhuma foi aprovada nas avaliações.
Num país em que uma em cada três crianças é obesa, alguns especialistas alertam para a necessidade de educar o paladar dos jovens, demasiado habituados a produtos açucarados.
O estudo pretende alertar, também, para a urgência de um marketing mais responsável, principalmente em produtos direccionados para as crianças. Para quando uma legislação como a da Suécia, que proibe a publicidade a alimentos nocivos para as crianças? Como podem os pais educar os mais novos para a alimentação?

Convidados:
Ana Rito
- Investigadora do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e especialista em Obesidade Infantil
Maria de Lurdes Torre - Pediatra
Pedro Queiroz - Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares
Ricardo Miranda - Publicitário

47 comentários:

lady_blogger disse...

Não tenho o hábito de tomar o pequeno almoço, sei que faço mal, mas não começo o dia com fome. Por vezes próximo do almoço, como um pouco de queijo, ou um iogurte ou 4 cubos de chocolate, mas hoje decidi comer um pão sem sal barrado com manteiga e polvilhado com umas pedrinhas de açúcar. Quando era petiz às vezes comia assim pães recheados talvez com a mesma frequência que hoje em dia, ou seja menos de 6 vezes por ano. Sabemos que faz mal, mas sabe bem e além disso não é uma constante.
Não dou estes pães à minha filha, mas não consigo evitar que os amigos lhe deêm goluseimas na rua.

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Confesso que sou gulosa e que gosto muito de comer, não necessariamente de comer muito. Exagero nos doces, sim eu sei. Mas quem não é guloso...?!
Passei a ser mais gulosa quando descobri o gosto tardio pela culinária. Hoje em dia colecciono livros de culinária que quando em vez vou comprando. São já mais de 400 ou 500, fora fascículos e revistas. Nunca gastei muito dinheiro com eles, porque sei onde comprar barato e bom. Entretanto estou a pensar dar-lhes uma estante com lugar especial na minha cozinha lá da terra.
Não sendo uma cozinheira de mão cheia, sou uma apreciadora nata da nossa cozinha e tenho a sorte de ainda "caber na porta da entrada".
Como é boa a nossa cozinha.. nham! nham!
E por falar nisso, não me posso distrair, tenho o almoço para fazer e ainda nem o programei. Talvez seja um arroz de grelos com alheira transmontana.Eu sei Fernandinha, você ficava-se pelo arroz.

CC

Maria Mendes

Marco disse...

Ola... Tenho um filho com 10 anos e tenho imensa dificuldade na alimentação dele. Sei que o que ele come tem muito açúcar, mas quando lhe tento dar algo menos calorico ele nao quer pois não dá na televisao ou entao nao tem aquele brinde que ele quer. Para alem disso devido ao facto de estar muito tempo no colegio é-me quase impossivel controlar as suas refeiçoes. Estou preocupado com este facto, mas não sei como hei-de mudar esta situação. Alguem no programa me pode ajudar?
Parabens pelo programa e pelo tema...

Família de Pinho Marques disse...

Olá, boa tarde!
Os meus filhos não tomam cereais ao pequeno almoço! Eu sou totalmente contra os cereais e acho mesmo q os pais q dão cereais aos filhos, n querem ter trabalho. O meu filho, pq a outra ainda só tem 9 meses, toma sempre leite magro, simples ou com mt pouco chocolate, pão c queijo, fiambre ou manteiga e fruta, sendo q agora c o frio tenho mais dificuldade em dar-lha. Eu levanto-o uma hora antes de ele entra na carrinha da escola, p q tome um peq-almoço descansado e em condições, tb vê um pouco de bonecos, claro, antes de sair.

Mas neste momento estou ater imensos problemas na escolinha do meu filhote... Uma escola privada, onde o coloquei, exactamente por achar q ia ter menos problemas... Elas dão cereais 4x por semana ao peq-almoço e ao lanche, sendo q no dia q sobra, comem pão com chocolate! Isto p mim é impensável!! Para além de darem ovos mexidos e atum Às refeições de crianças com 3 anos e menos! Já marquei uma reunião c a directora da escola em questão, pois tenho q tomar medidas. Não estive com o meu filho em casa 3 anos, a ensinar-lhe a comer correctamente para agora me acontecer isto! Mas eu n entendo... Será q ninguém se preocupa com este tipo de situações? Existe alguma coisa q eu possa realmente fazer?

Família de Pinho Marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Família de Pinho Marques disse...

Em casa também uso os produtos magros e excluímos totalmente coisas como bolycaos, gomas, batatas de pacotes entre outros menos conhecidos! Também exigi q o meu filho lavasse os dentes na escola e quando estamos fora de casa masca sempre pastilhas sem açúcar! Ainda assim, sou tida como exagerada, paranóica e até mesmo "maluca"...

manucha disse...

Boa tarde
Finalmente um estudo sobre cereais para crianças, é de louvar, mas já devia ter sido feito há muito, agora só falta proibir a publicidade gratuita de alimentos nocivos para as crianças!
A comida para bebés também devia ser alvo de estudo, também esta têm demasiado açúcar, sem razão de ser, pois o paladar do bebé não sabe o que é doce ou salgado!
O grande problema da obesidade infantil devia ser corrigido desde os primeiros meses de vida!
Tenho dois filhos de 3 e 5 anos, dou-lhes ao pequeno almoço, alternadamente, cereais sem açúcar com leite e uma colher de geleia de milho e fruta ou pão integral com queijo, leite e fruta.
Garanto-lhes que eles gostam e não é difil de providenciar.
Basta reeducar-mos a nossa alimentação,aqui é essencial que os pais dêm o exemplo, esta é a melhor forma de educar!
Esta é a minha sugestão, experimentem!
Obrigado

lady_blogger disse...

Como sabem gosto de chocolate, mas gosto pouco que façam trocadilhos de mau gosto em anúncios a chocolate ou outros produtos quaisquer.
Por isso, venho aqui insurgir-me contra um dos mais recentes anúncios televisivos ao chocolate kinder, onde aparece uma família e onde terminam a publicidade dizendo "porque há filhotes que têm mais sorte que outros." A lógica é fazer com que as crianças digam aos pais que prefeririam ser filhos de outros que lhes dessem aquele chocolate? É vender passando por cima de valores familiares? Recuso-me a comprar aquele chocolate exactamente pela falta de respeito e a desudacação que transmite.
Proibam este anúncio na televisão! E à semelhança deste, outros haverá a excluir. E acabem com os anúncios intermináveis típicos de Natal. Em tempo de crise como o que estamos a ultrapassar, divulguem a solidariedade e não tanto as vendas, principalmente as que desvalorizam determinados valores sociais.

CC

Maria Mendes

Família de Pinho Marques disse...

Também concordo que certo tipode publicidade, deveria ser totalmente proíbida porque, ainda que eu tente controlar a tv que o meu filho vê, não o consigo integralmente!

O Homem dos Leões disse...

-Semana internacional para a dor crónica.
-Dia mundial da gaguez.

Estamos a falar de também um assunto problemático. Para quando a penalização das mães e pais, que fornecem constantemente gomas, chupas, batatas fritas em casa, não é a desculpa do pacote e outras atrocidades. Exercicio físico? credo!!, o que eu passei para por os meus leãozinhos em forma, agora, já não "mando neles", ficaram um pouco só um pouco à deriva, a físicamente já se nota.
Quem me dera comer, agora nem dinheiro tenho para isso, mas isso não se fala, porque é coisa de pobres. Foi um assunto mundial da semana passada. Isto foi escrito sem gagejar.

Mas temos no sábado a começar de manhã, no Pav. Atlântico, uma exposição mundial de gatos. Tomam banho de 15 em 15 dias os "peludos" e os outros mês a mês. Eram em tempos uns naturais recicladores, hoje, alguns são só mais, entre outos, seres especialmente preveligiados, e muitos obesos.

tt

Florbela disse...

Boa tarde,

Tenho um filho e para já, quem tem controle sobre a sua alimentação sou eu, vario bastante, pois sei que é desde pequenino, que se criam os bons hábitos alimentares.
O que me preocupa, é o futuro!
Vejo pela minha sobrinha, de 7 anos, leva para a escola um lanche saudável, como iogurte e fruta, mas, como vê os colegas com chocolates, bolicaus entre tantos outros, o lanche chega a casa quase intacto.
Conclusão: ou não lancha ou os amigos partilham as golusices!
Ficam os pais mal vistos, porque não lhe dão o que está na moda, ela não tem os ditos brindes para trocar com os coleguinhas... bem, é um stress.

Flor

lady_blogger disse...

Estou consciente da importância do pequeno almoço.
Mas deveria tomá-lo mesmo sem ter fome?
No meu caso não é falta de apetite, porque nas restantes refeições eu tenho apetite.
Isto de não tomar o pequeno almoço acontece por fases, pois durante a gravidez não conseguia passar sem ele e noutras alturas também.

CC

Maria Mendes

Casalinha disse...

Cá em casa optámos no ano passado por comprar uma máquina de pão e fazer pão integral em casa (quentinho, logo de manhã), e em termos de cereais de modo a agradar miúdos e graúdos, fazemos uma mistura de corn flakes, aveia, passas, fruta desidratada, e claro está um cereal infantil tipo flocos de trigo de chocolate ou arroz tufado. Assim há sempre opção entre pão ou cereais e é engraçado que o meu filho opta muitas vezes pelo pão. O pecado maior é o doce no pão mas muitas vezes também é caseiro, ,o que significa que podemos cortar no açucar e nem se nota.

Florbela disse...

Ainda no tema da escola.
Isto é como a roupa de marca!
Se a minha amiga tem, eu também quero ter, ou seja, se ela come, eu também quero comer.

Florbela disse...

Em relação aos cereais, acho que toda a gente fica estafada e baralhada quando tem que escolher.
A publicidade é tanta, que acaba por confundir o consumidor.
E as outras compras?
Se demorarmos o mesmo tempo, tão cedo não saímos do super mercado!

lady_blogger disse...

Por falar em alimentação nas escolas, só este ano percebi que na escola da minha filha os funcionários têm um almoço diferente do das crianças. Se o almoço fosse bom daria para crianças e adultos. Ou será que o almoço das crianças não presta?
Será esta atitude da escola correcta?

CC

Maria Mendes

Casalinha disse...

concordo com Florbela. o meu filho de 6 leva para a escola pão integral com doce e uma peça de fruta e acha que é diferente, pedindo-me bolos e bolachas, pois é o que os colegas levam. Na reunião de pais, a professora tinha frisado a questão dos meios da manhã e tarde e a necessidade de comer comida saudável, mas acho que os miúdos vencem alguns pais, que não seja pelo cansaço.

conchita disse...

Boa Tarde a todos.Tenho uma filha de 4 anos. Sempre tento modificar o seu pequeno almoço, entre cereais com leite, leite e pão com manteiga,papas nestum e panquecas (faço em casa de forma artesanal); nunca adiciono açúcar. Assim que ela iniciar a escola irei introduzir fruta ao pequeno almoço e no lanche da escola. Por norma ela não gosta de alimentos muito doces,prefere iogurte natural com uma colher de açúcar. Adora fruta(mas não de manhã), gosta muito de sopa, a unica coisa frita que come são as batatas feitas em casa e nunca ponho sal. Quando faço pipocas não ponho nem sal e nem açúcar. Quanto à doçaria faço tudo em casa, pois assim posso tirar mais açúcar do que esta indicado nas receitas,dando prioridade à canela,à raspa de limão, à essencia de baunilha. É claro que quando vamos às compras ela pede um chupa, ou um pão com chocolate ou um iogurte com cereais (nem sempre pede). Quando pede muitas coisas damos a oportunidade de escolher ou isto ou aquilo, por dois motivos, primeiro não há dinheiro para tudo, segundo essas coisas fazem mal se comer muito. Ela escolhe uma coisa e não faz birra.

manucha disse...

Não há duvidas que esse tipo de publicidade é manipuladora para os adultos, quanto mais para as crianças!!
Em vez de se pôr brindes nas batatas fritas, pq não pô-los num alimento saudavel?
A mentalidade da industria têm que mudar, caso contrário quêm vai pagar um preço bem alto vão ser as nossas crianças!

Fi disse...

Receita para dois filhos de barriga cheia em tempo recorde:
-leite
-uma peça de fruta
-uma mão-cheia de flocos de aveia
-mel
Triturar tudo, coar e servir.
O que sobrar bebe a mãe com o café.
Pode beber-se em casa, no carro, levar para a praia ou para o parque. Os miúdos gostam e a fruta varia o sabor.
Simples, não é?

Filipa, Lisboa

carla,filipa e zilá - eteam disse...

Conhecem o trabalho que se faz nas escolas da Madeira a nível da Educação Alimentar?
Um verdadeiro exemplo!

manucha disse...

Claro que o papel dos pais é fundamental, mas porque não remamos todos para o mesmo lado?
Um metodo errado que os pais têm o hábito de fazer é de oferecer o doce como recompensa!
Eu nunca disse aos meus filhos , se não comeres a sopa, não comes a sobremesa!
Hoje para eles a sopa é tão bom como uma gelatina!
Os metodos educacionais dos pais são mto importantes!

O Homem dos Leões disse...

Muito bem Senhor Criativo, de seu nome Ricardo. Realmente chamamos de forma normal, depois se não há reacção ou esta não é satisfatória, fazemos "macacadas", terei de me conter, senão ainda mudo de espécie. Mas, ainda não é hoje e corro o risco de entrar em espiral.
Repito-me, o elo está quebrado, de quem é a culpa?
Tenho os pés frios, vou comer uma cebola crua, tentar chorar e fazer marmelada, com marmelos

lady_blogger disse...

Fi, gostei da receita, mas a minha filhota não gosta de mel nem doce.

(Estive no seu blog, e vi o post "Medo". Que susto para si e para os Biscoitinhos...)

CC

Maria Mendes

conchita disse...

Acho que uma forma de introduzir os bons alimentos é a forma como os podemos apresentar e confeccionar. Por vezes oferecem grandes quantidades de espinafre, feijão verde, alface, tomate, etc, visto que moramos numa zona com uma forte componente de agricultura biológica. Os espinafres são bons na sopa, mas um quiche de espinafres com outros legumes é delicioso e a minha filha adora, porque esta apresentado de outra forma.
Os pais devem ser criativos na cozinha. A sopa é uma arma infalível, pois podemos cozinhar os legumes que pretendemos e depois passar tudo com varinha. As crianças nunca sabem que estão a comer aqueles legumes que "não gostam", já que é imperceptível.ww

vouconseguir disse...

Não tinha o hábito de tomar o pequeno-almoço, pois nunca sentia fome. Na hora do almoço a fome era tal que preferia comer um hambúrguer ou um cachorro quente todos os dias, porque acha que um prato de comida dita normal não era suficiente. Devido a esse maus hábitos alimentares, comecei a engordar a um ritmo alucinante, cheguei ao cumulo de pesar 119 quilos, tenho 22 e há mais ou menos um ano que estou a apreender a comer, e hoje o meu peso é 77 e meço 1.71 de altura. Aprendi a procurar informação sobre os alimentos que como, como por exemplo ler os rótulos, é claro que tenho ajuda de um nutricionista, hoje não acredito 100% na publicidade alimentar. Outra coisa de deixei de fazer foi ver tv nas horas das refeições. Também deixei de ser sedentária faço exercício 5 a 6 vezes por semana.

becas disse...

Boa tarde!
Desde sempre o pequeno-almoço é a refeição fundamental na minha alimentação. Tenho que o tomar sentada, com a mesa posta adequadamente com um serviço de emsa próprio e é composto por cereais integrais (sob a forma de pãp), café com leite, sumo de laranja ou outra peça de fruta. Habituei os meus filhos desde de cedo a tomarem esta refeição da mesma forma. Todos os dias durante o tempo de aulas o despertador toca 15 minutos antes para a familia tomar o pequeno-almoço e, confesso, quando por algum motivo de força maior este momento tem que ser ultrapassado para mim o dia já não começa tão bem. Por vezes levo o pequeno-almoço à cama aos pequenos e aí sirvo cereais, mas cá em casa cereais ditos para criança não entram, apenas integrais daqueles publicitados para as mamãs ficarem em forma...e os meninos adoram-nos.
O Dia da Alimentação foi comemorado na escola dos meus filhos e as mensagens veiculadas pelas professoras foram muito bem aceites e até promoveram algumas alterações no nosso pequeno-almoço: abolimos a adiçaõ de 1 colher de chocolate no leite. Agora só bebem leite branquinho por que bebem o leite escolar que já é achocolatado.
Para terminar, e uma vez que estamos em época de poupança, um pequeno-almoço de cereais, principalmente, dos publicitados para crianças, fica muito dispendioso. O pequeno-almoço tradicional fica muito mais em conta.
Obrigada!

AFREITAS disse...

Boa tarde a todos.



Intervenho por esta via só para chamar a atenção, principalmente ao Sr. Pedro Queiroz, que na generalidade dos casos a informação nutricional constante das embalagens dos produtos não constitui uma relação directa com o peso do conteúdo, ou seja:



- Por exemplo, numa embalagem de 170 gr de batatas fritas, a informação nutricional é transmitida, para a ingestão de 25gr e 100gr respectivamente. Isto significa a leitura da informação não é directa e obriga a duplicar a atenção na aquisição de produtos, bem como a possuir alguns conhecimentos de matemática.



Cumprimentos

Luís Clemente disse...

Qual a solução?
Os cereais o pão branco as tostas os bolos, tudo isso está cheio de hidratos de carbono que causam um aumento imediato do nivel de açucar no sangue que vai ser removida pela insulina e o excesso será transformado em gordura, e aqui o problema não é só a obesidade e os problemas esteticos, mas sim os problemas de saude que causa este pequeno-almoço nada saudavel. É a principal causa da diabetes, da pressão arterial alta, do ganho de peso, do colesterol, e também da falta de concentração de energia as dores de cabeça e de praticamente todos os problemas de saude que hoje em dia já se consideram normais e inevitaveis.
Nós precisamos de proteina dos nutrientes vitais e de agua que é muito importante, como obtemos isto ao pequeno-almoço.
É optimo este debate, mas qual será a solução para o pequeno-almoço no nosso dia a dia? para crianças e adultos...
Cumprimentos
e parabens pelo programa

LC

Mário Tavares disse...

A Juventude Cruz Vermelha (JCV) vai dinamizar este ano nas escolas a nível nacional uma campanha de alimentação saudável.

Campanha “A brincar e a jogar, descobre como te alimentar!”, promoção de hábitos alimentares saudáveis, tem como principais objectivos o de prevenir o aparecimento de doenças e transtornos relacionados com a nutrição nas crianças; oferecer informação sobre os diferentes aspectos que integram as condutas alimentares saudáveis; consciencializar os adultos, através dos mais novos, sobre a importância de hábitos alimentares adequados para a sua Saúde; fomentar a participação das crianças em actividades lúdicas, favorecendo a integração e convívio com o seu grupo de pares. Por meio de um jogo os mais novos irão aprender o mais importante para seguir uma dieta adequada e saudável. Destina-se a crianças dos 8 aos 12 anos de idade, dinamizada em espaço escola.

Em Portalegre a JCV local já foi contactada para estar presente em escolas da região.

Muitos parabéns pelo programa.

Os melhores cumprimentos,
Mário Tavares

Filipa Carneiro disse...

Boa tarde,
Uma pergunta pertinente: porquê que numa padaria/pastelaria uma sandes de queijo/fiambre custa 1,20€ e um bolo custa 0,70-0,80€?? Curioso, não é?

O Homem dos Leões disse...

REALMENTE ESTAMOS A BRINCAR.
ESTAMOS A FALAR DE QUEM? Quem tem comida farta, que até dá para brincar, ou a assistir agora à parte do programa de humor negro?

Atena disse...

Amiguinhos,
vamos mas é lá comer o pãozinho com um bocadinho de manteiguinha, o iogurtinho e a maçanzinha e toca a andar. "Ah, e tal... os cereais é que são rápidos..." Poupem-me! Dá cá um trabalho lavar uma maçã,abrir um pão ao meio e tirar o iogurte do frigorífico! Aliás, no meio disto tudo, a ajuda do adulto só me parece necessária para cortar o pão ao meio...

becas disse...

E por que não fazer uma horta em casa? Não tem espaço exterior? E uma varanda? Há plantas, como os tomates cereja, que podem estar em vasos.
Os meus filhos participam em várias tarefas relacionadas com a alimentaçãocomo a pôr e levantar a mesa. Por exemplo, a mesa para o pequeno-almoço fica posta sempre de véspera.

conchita disse...

Aquilo de cortar o pão para dar forma a uma borboleta ou seja lá o que for é um desperdicio...
Onde vai o resto do pão? para o lixo?

Filipa Carneiro disse...

Realmente... quem é que no seu perfeito juizo vai desperdiçar meia fatia de pão de forma (de referir que o pão de forma foi das piores invenções que se fez - tem pouco cereal e muito açucar).

linhasebolinhos disse...

Estou a achar muito importante o V. programa e gostaria de deixar aqui a minha experiência pessoal relativamente ao assunto que trataram sobre o facto de a cozinha ser um espaço para as crianças. Eu adoro cozinhar, tenho 2 filhos e o mais velho com 3 anos e meio costuma com muita frequência ajudar-me a fazer o jantar. É também uma forma de chegarmos a casa, mantê-lo entretido, estarmos um com o outro e ainda ensiná-lo a fazer qualquer coisa útil, para que ele perceba as transformações que os alimentos sofrem até terem o aspecto final que têm no prato. Ele adora e é o próprio a perguntar-me se me pode ajudar a fazer o jantar. Escolhe o avental que quer pôr e vamos os dois para a cozinha. Quando a minha bebé for maior, espero que possamos ir os 3 para a cozinha.

Cláudia Pais - Barreiro

conchita disse...

Acho que falta um pequeno pormenor nisto tudo. Nem todas as crianças são fáceis de alimentar, e os pais por vezes tem de jogar com aquilo que os filhos gostam.
outra questão: o que é preferível, que uma criança coma cereais com leite (imaginemos que não come mais nada, pois há crianças assim e sei do que falo e não é culpa dos pais) e vá para a escola com a barriguinha bem composta ou que vá sem comer porque os cereias engordam?

O Homem dos Leões disse...

Filipa eu explico-lhe se me permite.
Quando as pastelarias ten fabrico próprio tem toda a possibilidade de praticar melhores preços. Quanto muito poderão fabricar o pão, mas não fabricam nem o queijo nem o fiambre, que tem um preço, substancialmente mais caros e atenção com perdas diárias, secam estrangam-se e muito vai para o lixo. Também tem um preço o acto de conservar estes ingredientes, o tempo dos funcionários que gastam a fazer as sandes e as máquinas caras que são necessária para o produto final. Quando não existe fabrico próprio, acresce outra questão que é a concorrência com quem tem. Não é simples a questão para além da qualidade dos bolos de hoje, nomeadamente aqueles que só são pasteis se metade do seu peso for gordura. Etc...

Trata-se de serviços prestados.
tt

conchita disse...

o livro 1,2,3 tenho a já 4 anos

manucha disse...

O sr. Pedro Queiroz, vai me desculpar, está um pouco desfasado da realidade.Antigamente as crianças iam ás compras com os pais na praça ou mercado, lá não se via batatas fritas com tatuagens como brindes, cereais com bonecos do homem aranha e com barbies,etc. Temos que ser razoaveis, tempo com a familia sim, mas não num hipermercado, onde uma ida ás compras se pode tornar nun campo de batalha!

manucha disse...

E já agora não posso de deixar referencia ás guloseimas com bonequinhos nas caixas de pagamento, são fantásticas!
Quando a criança está mais cansada e saturada , quando os pais estão também já cansados,atrasados possivelmente para ir para casa a correr fazer o jantar e talvez ansiosos com a conta!Essas guloseimas nas caixas são simplesmente fantásticas!

lady_blogger disse...

Homem dos leões, no seu comentário das 14:24 estava mesmo a falar de si?
Se precisar, disponha da Organização do Pai Natal para solicitar qualquer ajuda.

CC

Maria Mendes

Sociedade Civil disse...

Obviamente que o pão que sobra das sanduiches com "recortes" não vai para o lixo; não foi focado na reportagem porque não viria a propósito... mas estas aparas, depois de torradas, usam-se em sopas ( tipo "croutons") evitando o desperdicio de dinheiro na sua compra; podem tambem ser usadas na confecção de outros pratos. Também aqui , recomenda-se imaginação.

Saudações Civis