terça-feira, outubro 7

Afonso Henriques – afinal, onde nasceu?

Aproxima-se a comemoração dos 900 anos do nascimento do primeiro rei de Portugal. Mas uma polémica pode animar os festejos: onde nasceu o rei-fundador? Em Viseu ou em Guimarães – ambas as cidades se preparam para celebrar tal feito.
Uma tese de Almeida Fernandes, subscrita por outros historiadores, como José Mattoso e Henrique Barrilaro Ruas, defende que o rei-fundador nasceu em Viseu.
Mas para os historiadores será importante o local onde terá nascido? Ou será mais importante conhecer os feitos deste homem que gerações mais novas tendem a olvidar.

Convidados:
Barroso da Fonte, escritor
Luís Coimbra, Direcção da Causa Real
João Silva de Sousa, Historiador
Eugénia Cunha, Antropóloga Forense

25 comentários:

Pedro disse...

Boa tarde a todos,
Sem dúvida que este país não podia ser diferente do que é, ora vejamos:
O primeiro rei de Portugal era filho de um françês com uma espanhola, e que para fundar a nação bateu na mãe... humm parece que a violência doméstica vem já do berço da nação!!
Com este modelo a seguir é impossível estar melhor.

O Homem dos Leões disse...

Basta perceber se até hoje pretendemos ser sepultados onde nascemos e até foi possível construir aquele mosteiro, conhecido como Igreja de Santa Cruz, em Coimbra, eu quase que nem tenho dúvidas.

Mas realmente é para o lado que eu durmo melhor. Já há muito que não tenho ídolos.

tt

Andreia Santos disse...

De facto até era curioso saber onde nasceu o nosso primeiro rei. Mas ainda mais importante é recordar os grandes feitos que este homem fez: criou Portugal, e é a ele que devemos dar graças pela nacionalidade portuguesa. Apesar dos problemas que agora, portugueses, atravessamos, deviamos sentir orgulho por sermos quem somos!

Cumprimentos
Andreia Santos
dedohumano.blogspot.com

lady_blogger disse...

D. Afonso Henriques, nasceu na minha terra natal- é o que sempre me disseram...

CC

Maria Mendes

PEDRO DE CASTRO disse...

À que reconhecer a D. Afonso Henriques a vertente estadista que poucos governantes Portugueses alguma vez tiveram. Hoje em dia fazia-nos falta um estadista a sério pois a nossa principal crise é política e de falta de políticos com visão para Portugal.
D. Afonso Henriques teve uma visão e concretizou-a!

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
O Homem dos Leões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mariana disse...

obrigada pelo programa tão interessante! é raro debater-se história na televisão portuguesa!

apenas creio que utilizar o argumento da tradição como validação da tese de guimarães é muito frágil.

seria importante também compreender, no caso de ele ter nascido em viseu, quais as motivações e o impacto simbólico que teria deslocar o nascimento do rei para guimarães. para compreender a história é sempre fundamental compreender as motivações de quem a escreve - seja no séc. 12, seja agora.

leonelferitas disse...

boa tarde,
tirando a hipotese de portugal ter nascido em guimaraes ou viseu, muito mais importante era que todos pegasemos no exemplo do nosso primeiro rei e enfrentar os nossos problemas com a mesma coragem que ele enfrentou os mouros e espanhois. quanto a esta discusao so deveria de haver quando houvese factos que ninguem podese negar porque parece-me a mim que esta discusao por agora ninguem a vai acabar e claro que eu como vimaranense adorava que se provase que ele nascese em guimaraes

PEDRO DE CASTRO disse...

Pelo comentário da Dr. Engénia Cunha as ossadas de D. Afonso Henriques não se encontram devidamente acondicionadas. Pergunto porque as autoridades competentes pela preservação dos restos mortais não autorizam o estudo que se pretende efectuar seguido operações para a devida preservação destes mesmos restos mortais.
2ª questão- Alguma vez se considerou a transladação destas mesmas ossadas para o Panteão Nacional?

j disse...

Boa Tarde.

Não podia estar mais de acordo com o Pedro Castro e por isso mesmo deviamos estar a discutir a Monarquia ou a República isso é que era ma discussão proveitosa, discutir se D. Afonso Henriques nasceu em Guimarães ou em Viseu são meros trocos, sem qualquer significado.

Era bom que se abordasse, se realmente vale a pena implantar em Portugal uma Monarquia tolerante e participativa dos cidadões como existe nos países nórdicos, o país encontra-se neste momento sem uma referência forte, sem rumo, sem um projecto, só um Rei, um símbolo, por vários anos o poderia encarnar...obviamente com a participação popular ao nível referendário (em Portugal existe muito déficit de referendos).

Afonso Henriques foi um líder, até o Papa enganou em benefício de Portugal, é isso que nos falta neste momento. Duarte Pio até pela sua tremenda qualidade intelectual poderia ser um bom re-início da Monarquia.

mariana disse...

pedro e J:

desculpem, isto são minudências? a provar-se que ele nasceu em viseu, vamos ter que compreender porque raio andaram o tempo todo a dizer que nasceu em guimarães!!! porquê? quais as intensões?

acho que o trabalho de antropologia seria essencial, mas retirar o túmulo do rei do "seu" mosteiro seria um erro!

D.Povinho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
politicaportugal disse...

Existe um grande poder para destruir Portugal e o seu povo, basta sair de casa para ver!!!!

Portugal é maltratado.

Tenho fé no meu país e na minha gente, os outros, os outros que não gostam podem ir para a lua, aquilo lá é fixe.

PEDRO DE CASTRO disse...

Pergunto se a vasta biblioteca do Vaticano não terá referências sobreo nosso rei? Aquando da Bula Papal não terá havido registos que atestassem a data e local de nascimento comprovando o primeiro sacramento para posterior arquivo no Vaticano?

vitor rodrigues disse...

Boas tardes
A Igreja de Snt. Cruz não é Pantião?

D.Povinho disse...

E viva a censura !

j disse...

Mariana, isso é discutir o sexo dos anjos...e como os anjos não tem sexo é melhor não se discutir o tema, pois pode cair-se no rídiculo. O problema do país é mesmo esse, os bairrismos, cada um quer afirmar que a sua quintinha é melhor que a do vizinho...e assim vai Portugal o país mais antigo da Europa com 800 anos de história.

Valorizemos o que somos e olhemos para o futuro.

O Homem dos Leões disse...

Maria, o nome é uma promessa feita a uma pessoa especial.
Dou valor sobretudo a um Rei, esse sim lúcido e positivo; D. Diniz.
Enaltecer FEITOS tais como os descobrimentos e a acção deste Rei, TEMOS DE TER CUIDADO, só sei que básicamente sempre corremos atrás de poder e bens DE OUTROS, (o marticinio), seja a que preço for e foi enorme, até hoje. Quantos sacrificios de emigrantes que morrem em obras por esse mundo fora, (e cá), quantas familias destroçadas todos os dias, isso sim preocupa-me, etc, etc.
Damos um tom romãntico a coisas que na sua origem nunca teve. Claro que defendo o amor e o respeito entre todos, mas existem incompatibilidades. Porquê e se é verdade D. Afonso Henriques "bateu à mãe".
SEO

"Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! ..."

tt

14:47

D.Povinho disse...

Sr.Administrador ? Agora dão esse nome ?
E Viva a Censura !

mariana disse...

pois, o problema é mesmo descambar do interesse científico para o bairrismo. mas não creio que seja insignificante tentar descobrir onde afinal nasceu o rei. ainda assim, continuo a dizer que mais importante será continuar a debater qual a simbólica do rei...


AH! outra coisa: não há legitimação divina? então a batalha de ourique? hum...

Pipoca disse...

Boa Tarde,
Será que o mais importante será efeftivamente saber o local de nascimento de D. Afonso Henriques? (Guimarães ou Viseu).
Não será mais importante que os diversos feitos alcançados por este homen; entre eles o facto de dever-mos a ele a existência do nosso País, serem muito mais importantes que saber o local(cidade) em que o mesmo nasceu. Estes na minha opinião são verdadeiramente mais importantes para a verdadeira história deste meu País - Portugal.
Cumprimentos,
Mónica Ferreira

D.Povinho disse...

Nasceu em Cabo Verde, por isso é que ele tem muitos apoiantes por todo o Portugal que chamam xenófobos aquelas velhinhas e velhotes que por nossas aldeias se vêem confrontados com Cabo Verdianos a quem deram casa, recebem o rendimento, para comprar caçadeiras, as mesmas que serviram para encaixar nas cabeças desses espanhois que moram em lisboa, setubal, coimbra, braga, etc.

É isso e as celebrações do 25 de abril, e depois aprovam leis em que apartir de agora o primeiro ministro pela primeira vez em democracia ou fim dela, pode dizer á policia o que ela pode ou não investigar.

D.Povinho disse...

Se são Portugueses, deveriam talvez se preocupar com a razão
para que ele nasceu do que, "onde".

Os fúteis reinam hoje. Apagam a memoria com coisas
superficiais, chamam bairrismos à apreciação do destino, ao
comentario do desmembramento ideologico de uma nação,os
anti-Afonso Henrriques o comentam como se fosse um boneco da
Toys r us.

Usam a censura, contra quem ao contrario de muitos nunca se
furtou ás responsabildades de ser Portugues,como se fossem
melhores, não lhe dão voto.
Simplesmente e unilateralmente elevam a fasquia para a
Revolta, quando as posições de todos os Portugueses poderiam
muito ser debatidas ao invéz de serem Censuradas!

E isto é o Programa Sociedade Civil... veja-se!!

lady_blogger disse...

Ao d.povinho:

Até eu fui vitima de censura hoje no SC. Como se tivesse ofendido alguém... E viva a democracia, ou talvez não!

Adiante...

CC

Maria Mendes