quinta-feira, novembro 27

Envelhecimento saudável

Está provado que uma dieta de restrição calórica e uma substância que se encontra no vinho tinto podem aumentar a esperança de vida. Agora, os cientistas estão a testar um medicamento que tomado diariamente pode fazer-nos viver 30% mais tempo, com saúde. Há ainda processos práticos, como fazer palavras cruzadas ou aprender novas línguas, que atrasam degeneração cerebral, impedindo a demência. Tudo isto está, ou estará em breve, ao alcance do cidadão comum. Mas será que ele sabe do que dispõe? Se não sabe, ficará a saber com este SC.

Convidados:
Alexandre Castro Caldas, Médico Neurologista
Alexandra Bento, Associação Portuguesa dos Nutricionistas
Rui Santos Ivo, Director Executivo da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica Manuel Oliveira, Psicólogo

12 comentários:

martagaspar disse...

Boa tarde. Com uma doença ORFÃ desde os 9 anos de idade, estou quase a achegar aos 72 - olá Fernanda - com melhor saúde do que até aqui.: Alimentação mediterranica sem carne; exercício físico dentro da minha Fadiga Crónica; Diploma n passado Julho do 12º RVCC; Esperando Mecenas que me publique livro de poemas feito ao longo dos tempos. De momento tenho 1276 e mails na minha conta pois ajudo animais.As m/ competencias estão agora valorizadas.Tentarei frequentar Faculdade.

lady_blogger disse...

Por algum motivo os idosos em Portugal têm uma longevidade considerável. Ainda ontem estive com um senhor de 96 anos que se encontra ainda a trabalhar, trata-se do Sr. branco, o porteiro de Pestana Palace.
Continuar a trabalhar poderá prolongar a vida. Beber bebidas alcoolicas com controlo já todos sabíamos que poderia fazer bem.
Relativamente às palavras cruzadas, estas são aconselháveis para evitar doenças tipo Alzheimer.

Acho é que deveriam introduzir outra forma de combate ao envelhecimento cerebral, que seria incentivar os idosos a jogar, não talvez frente a um computador porque pode empedernir os músculos, mas sim numa Wii onde poderão estar a exercitar o corpo e a mente, isto porque para se jogar com uma Wii é preciso mexer-se e raciocinar para tentar descortinar a lógica de cada jogo.
Poderão também instigar a jogarem com outras pessoas jogos de cartas mais complexos(mas sem estarem sentados) ou outros complicados que exijam mexer o corpo.
Fica mais esta minha sugestão!

CC

Maria Mendes

martagaspar disse...

O cancro a que me operaram no IPO do Porto não é genético, embora haja história de família. Eu sei que foi da alimentação de carne e ovos em detrimento de vegetais, legumes e fruta. Ainda fui a tempo... Ando em controle, e fui operada em 1999. Tinha 62. Nunca tive medo. Agora estou menos positiva... não sei porquê.
Beijinhos e saúde.

lady_blogger disse...

Um viva à martagaspar e um beijinho! Logo envio-lhe mais um mail!
Esta senhora minhota é um exemplo. A sua longevidade deve-se à sua perseverança, à sua irrequietude e ao frio daquela terra.

CC

Maria Mendes

martagaspar disse...

Desculpem a insistência. Mas não sendo info excluída(?) as pessoas da minha idade não levam a bem a minha inclinação pela informática. As minhas correspondentes são da época de meus 3 filhos e de minhas netas.
Só me completo com pesquisas, compras e vendas mais a nível de BANCO DE TEMPO.Pena que aulas de taichi e yoga sejam nas cidades. O resto é paisagem.

Pedro disse...

Boa Tarde

Os meus avós, com 67 e 71 anos, passam a maior parte do tempo em casa.A minha avó para além de ter diabetes, diz não ter força nas pernas; o meu avô é obeso, bebe 1 litro d vinho branco por dia e também fuma...eu tento convence-los a fazer hidroginástica,já que temos uma piscina a +/- 100 m de casa, tento tirá-los de casa mas sem sucesso,o meu avô diz q durante toda a vida foi sempre caseiro, enquanto que a minha avó está sempre a queixar-se de dores ou nas pernas,ou na barriga,ou nas costas...já não sei o que fazer,será que me podem ajudar?

Ah esqueci-me de dizer que a alimentação é um pouco desiquilibrada,pois o almoço vem sempre dum restaurante :(

martagaspar disse...

Lady blogger é uma senhora muito jovem. Para ela também as minhas felicitações e respeitos por estar atenta a problemas que nem são dela, para já, mas que se preocupa com os outros. Conhecemo-nos aqui. no SC.
E ainda bem...

Martinha disse...

Olá

Todos os avós deveriam ver este programa. Por que é que será que não andam felizes enquanto não vêem os filhos e os netos bem gordinhos? Aqui por casa somos todos relativamente magros, mas saudáveis. Apesar disso estão repetidamente a dizer que deveríamos ser mais gordinhos!!!!

carica disse...

Boa tarde,

Acho que hoje em dia, envelhecer bem não é somente uma preocupação a ter pelos cidadãos séniores ou a chegarem à terceira idade.
As características da vida que a grande maioria de nós leva hoje em dia, (como o sedentarismo, o stress, as preocupações constantes e a obrigação de fazer coisas que não nos fazem felizes em nome das obrigações), levam a um envelhecimento precoce. Ou seja, há diferença entre idade real e biológica, que leva indivíduos de 30 anos a terem um organismo de 40/50 anos.
Considero essencial bons hábitos de alimentação, exercício físico e mental, assim como ter um "escape" que permita a expressão criativa, ao longo de toda a vida. Não só a pensar num envelhecimento feliz, mas o melhor dos momentos presentes.
Pessoalmente, estou consciente disto e, passo a passo tentarei cada vez mais seguir uma vida mais saudável.

Obrigada, Ana Chagas

Francesa disse...

Boa tarde, chamo-me Sónia e tenho 31 anos. Só queria passar uma mensagem as pessoas mais velhas que tem vergonha de iniciar actividades como yoga ou hidroginastica porque se acham velhas... Eu tive experiência de conhecer pessoas em formação ou actividades físicas com idade de ser pai ou avô, e devo dizer que são sempre optimos colegas. As pessoas tem que vencer esse preconceito porque os jovens gostam de conviver com pessoas mais velhas: porque tem experiencias diferentes das nossas, porque nos ensinam muito sobre outras gerações e porque são mais descontraidas. Por isso, saem, convivem, sorriam porque basta dar aquele pequeno passo que exige coragem para depois ficar a ganhar amigos e experiências gratificantes.

carica disse...

Boa tarde,

Há anos passei por uma situação de doença derivada do stress. A minha médica de família aconselhou-me, para além da óbvia medicação, a prática de Yoga. Posso então dizer que foi um momento decisivo na minha vida, porque a partir daquele momento, fui também tirar um curso de Reiki, inseri-me num grupo de meditação com amigas, e agora estou a tirar um curso de pintura de mandalas.
Posso dizer que não cheguei a acabar a medicação, porque com as novas ferramentas que ia adquirindo senti que já não precisava deles.
Sou humana, logo ainda não sou imune a situações de stess, mas sinto que evoluí na forma como tento lidar com as situações.

Obrigada. Ana Chagas

martagaspar disse...

Já ouviram nos noticiários que aqueles que teem os vehotes no lar já os levaram para casa por causa da crise? Só para se valerem da mesada dos pobrinhos...