quinta-feira, novembro 27

Claques fora da lei

Já fazem parte do ritual futebolístico. Jogo que se preze entre os grandes tem insultos, ameaças, violência e outras imoralidades ou ilegalidades praticadas pelas claques dos clubes. Mas quem integra estes movimentos? Dizem-se fãs do clube, amantes do desporto rei, mas as rusgas policiais encontram na sua posse armas e droga. Os clubes afiançam nada terem a ver com as claques, mas vendem-lhes bilhetes mais baratos (caso da No Name Boys).
Devem ser proibidas as claques ilegais (quase todas o são)? Em vez de protecção policial das claques nos grandes jogos deve haver investigação policial às suas actividades? A discutir no SC.

Convidados:
Jorge Silvério, Psicologia do Desporto na Universidade do Minho
Salomé Marivoet, Socióloga da Universidade de Coimbra
Intendente Pedro Gouveia, Director do Departamento de Operações da PSP
Ribeiro Cristóvão, Jornalista Rádio Renascença

14 comentários:

Cultura Juvenil disse...

Na minha opinião um dos problemas das claques é o facto de se tornarem um meio de alívio de stress por parte dos membros, o facto de os membros das claques não possuirem sensibilidade suficiente para ajirem de forma civilizada. Creio também que os clubes deveriam ter uma participação mais activa na manutenção das claque sensibilizando as mesmas de que o que fazem não é benéfico para nenhum dos lados (clube e adeptos). No fundo estas actitudes mostram a grande crise de valores que se vivencia.

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

No meu seio familiar há quem seja até sócio de uma das famosas casas de um dos mais conhecidos clubes, enquanto eu não ligo nada a futebol, sou de um determinado clube por ser desde pequena, mas não gosto e acho que os jogadores dos grandes clubes são demasiadamente bem pagos e não concordo com isso. Sei que a carreira futebolística é de curta duração, mas como para qualquer outro desempregado, há sempre outras oportunidades de trabalho, e por isso acho que não deviam ser financeiramente tão bem compensados.

Falando agora dos problemas gerados durante um jogo entre o público, julgo que o mais preocupante são os hooligans.
A violência entre claques acontece porque há quem não saiba perder e porque há rivais ferrenhos.

Eu que nem gosto de futebol, postei num blog umas fotos do Barcelona. Podem vê-las em tudoportudo.

CC

Maria Mendes

sonharamar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe disse...

Boa tarde.
Sou adepto Académica e sócio da Mancha Negra.
Se querem fazer um programa sobre claques, primeiro tem que saber o que é o espírito Ultra e o espírito Hooligan, depois em Portugal não existem só os ditos 3 grandes e em seguida façam uma viagem com as outras claques que existem neste país.
Já agora, também podiam falar que nas claques a faixa étaria varia entre os 5 e os 99 anos, pois a muita gente que tem 40, 50, 60 anos e que pertence as claques, já agora que esta a falar do Natal falem das campanhas de solidariedade que as claques já fizeram ao longo destes anos e doações de sangue e por ai adiante, já agora uma pergunta porque é que é só a violência que vem para as TV's e não vem outras notícias?
Porque é que não falam que as claques são muitas vezes as únicas a ir apoiar o seu clube fora e muitas vezes a pagarem 10/20€ por bilhete?
Porque é que também não falam do afastamento dos adeptos devido as horas do jogos, ao dia dos mesmo e também ao preço, porque é que não se tenta fazer leis para isto, acham que se deve pagar 40/50€?
Não havia violência nos anos 60, não se chamavam nomes nessa altura ao clube adversário?
Não existe muita violência entre dirigentes que até puxam os adeptos para a violência?
Eu sou adepto e pago mais de 80€ para ver a minha equipa em casa toda a época, agora se tivesse tempo para ir ver o jogo ao Porto iria pagar 20€, directamente não sofro nenhuma ajuda da direcção da Académica.
Já agora vejam em que lugar anda sempre Académica e vejam se isto não é amor e não perco um único golo da minha briosa ou do clube adversário.
Já agora as claques pertencem a sociedade e as claques tem doutores e delinquentes.
Mais policia é quase impossível só quem não tem noção disso é que pode pedir mais.

sonharamar disse...

Mas o país é só futebol? Mesmo no sociedade civil só se fala de claques de futebol? Há imensos outros desportos e imensas outras claques que não de futebol.
É pela importância que se dá ao futebol que este tipo de fenómenos acontece.
Gasta-se milhões com futebol e há atletas de outras modalidades que têm dificuldades sequer em treinar ou em ir a competições desportivas.
É uma vergonha.
Só existem claques por interesses externos aos valores do desporto.
As claques são autenticas organizações criminosas que só fomentam a violência a intolerância e a criminalidade. Mas como são de futebol tudo se perdoa.

ASS: Pedro Silva

Florbela disse...

Boa tarde,

Actualmente, tenho medo de ir ao futebol.
Aquando mais jovem, ía com o meu pai, mas porque tinha lugares cativos. Sempre era mais seguro!

Florbela

Santos disse...

As claques de futebol deviam acabar, ponto.

Na Argentina, país sul-americano onde o fenómeno do futebol também é vivido muito fervorosamente chegam a haver cursos para outras claques, nomeadamente internacionais.

Não são raros casos de membros de claques inglesas irem até lá aprenderem a fazer porcaria, porque realmente tem que ser dito.

E claro, esses fundos não vão parar a nenhuma instituição social.

Depois temos também as entidades que regulam o futebol que simplesmente têm comportamentos dúbios.

Na famosa competição que é a Liga dos campeões os adeptos do Marselha foram jogar no estádio do Atlético de Madrid, sendo que houve um grupo de radicais franceses que incitaram à violência contra a polícia, claro que a polícia não ficou de braços cruzados.

Por culpa dessa carga policial, o Atlético apanhou como multa ter jogado o ultimo jogo de portas fechadas, sem adeptos no estádio.

Os franceses levaram a deles avante.

Esta semana, esses mesmos angélicos adeptos franceses assistiram ao jogo entre o Liverpool e o Marselha.

Neste caso, um adepto da claque francesa arremesou um isqueiro que acertou no jogador do Liverpool Gerrard.

A UEFA neste caso não fez nada, talvez porque a polícia não se envolveu com esses angélicos adeptos.

Já se baniu muita coisa de entrada nos estádios mas sabe-se que um very-light pode ser de um tamanho de um vulgar cigarro e com certeza que esses estúpidos saberão mil e uma maneiras de esconder as coisas por entre a roupa sem ser notada pelos stewards ou polícia.

infelizmente, enquanto for assim recuso-me a deixar o sofá.

sonharamar disse...

Os adeptos portugueses nem sequer gostam de bom futebol. Desde que o seu clube ganhe está tudo bem. Mesmo se jogarem pessimamente ou se for devido a erros do arbitro. o que interessa é ganhar.
Em países civilizados como no Reino Unido por exemplo os adeptos gostam é de bom futebol gostam que as suas equipas joguem bem e não ficam contentes se a sua equipa ganhar mas tiver feito um mau jogo. Mas claro que nesses países existem mais desportos para além do futebol.

ASS: Pedro Silva

tito guedes disse...

Eu acho que a selecção não ganhou o Euro 2008 porque não foi até à Suiça pelo próprio pé. Literalmente.

Andreia R. Silva disse...

Eu sou a favor das claques, os cânticos e as coreografias enaltecem a beleza do espectáculo, quando se vai ver um jogo ao estádio ´sente-se essa vibração fantástica que elas trazem. E por alguns elementos não se deve estereotipar todo um grupo..
No dia 16 de Abril de 2008 fui ao estádio com a minha familia apoiar o Sporting CP e vimos o jogo na bancada do Benfica (os bilhetes foram adquiridos por um amigo sócio do Benfica)- em momento algum sentimos perigo, e não sofremos ameaças enquanto festejávamos cada um dos 5 golos históricos daquela partida.
Apenas quando o jogo acabou e nos mantiveram presos mais de 1/2h, para que os adeptos e claques do SCP saissem do estadio, é que a impaciência se instalou entre os benfiquistas, e entre nós também.

Foi uma noite memorável, convido a todos a partilharem um momento assim.


Andreia Silva

Martinha disse...

Muito bom dia a todos

Só quero dizer-vos que esta noite nevou em cima da minha casa, uau... já há dois anos que não tinha caído tanta neve!! hoje vai ser um dia para a brincadeira. Vá lá não fiquem com inveja...!!!!!!!!

Martinha
Vila Real

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.