terça-feira, novembro 11

S. Martinho: castanhas e vinho... portugueses?

Hoje é dia de S. Martinho e a tradição manda comer castanhas e beber bom vinho… tudo com moderação e de preferência com qualidade. Mas a água-pé e as castanhas à mesa dos portugueses ainda são 100% nacionais? O consumo de produtos de época, para além de ser mais económico, promove a produção nacional. Numa época em que comer certos alimentos importados da América do Sul ou do Oriente poderá vir a ser um verdadeiro luxo, poderão os produtores nacionais aproveitar a situação e transformá-la numa oportunidade para a agricultura portuguesa e também europeia?

Convidados:
Francisco Mateus
, Director Departamento Organização, Estudos de Mercado e Promoção do Instituto da Vinha e do Vinho
Maria Antónia Figueiredo, Engenheira Agrónoma da Confederação das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal
Eugénio Sequeira, Presidente da Liga para a Protecção da Natureza
Hélder Oliveira, Economista

13 comentários:

lady_blogger disse...

A tradição do S. Martinho, não manda comer castanhas e beber bom vinho, mas sim comer castanhas e provar o vinho ou beber água-pé ou jorpiga.
Como sabem bem umas castanhinhas assadas ou cozidas para nos aquecerem nestes dias de Inverno!
Outrora faziam-se fogueiras, enfarruscavam-se as caras dos amigos, hoje não se pode fazer fogueiras ao desbarato(o que acho correcto), e sujar a cara dos amigos pode ser visto como violência. A tradição está a perder-se devido a alguns exageros e também porque os valores sociais são já outros.

CC

Maria Mendes

Martinha disse...

Boa Tarde

"No dia de S. Martinho, mata o teu porco, prova o teu vinho e zanga-te com o teu vizinho."

Quanto ao Verão de S. Martinho, aqui em Vila Real não estou a ver nada. Está mesmo mau tempo, frio, chuva e nevoeiro.

Martinha (não sou Marta)

FramusDiablo disse...

"No dia de S. Martinho vai-se à adega e prova-se o vinho!"
"No dia de S. Martinho comem-se castanhas e prova-se o vinho"

Florbela disse...

Boa tarde,

Concordo com o lema:
"O que é nacional é bom" só lamento, que os preços sejam os mais elevados e não estão de acordo com a nossa carteira.
Já vi castanhas nacionais a custar quase € 4,00/Kg!!!

Florbela

lady_blogger disse...

Relativamente ao preço das castanhas, tenho visto de tudo. As maiores e melhores vi-as no mês passado a 2,25 euros. As mais baratas vi-as ontem a 1,50 euros. à medida que nos deslocamos para sul, o preço vai aumentando. As mais caras, vi-as hoje a 4 euros e pouco. O que pode também estar a encarecer o valor destas é o facto de até à comercialização final haver inúmeros intermediários. Este compra ao produtor, depois vende num mercado, e de seguida alguém compra nesse mercado para ir vender a uma loja, edaí por diante...

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

Faz hoje 2 anos, estava eu na praia a dar o último mergulho de "Verão" de 2006. No ano passado e este ano, o tempo não está para mergulhos na praia, mas sim para estar à volta da fogueira a deleitarmo-nos com as tradições do Magusto.

CC

Maria Mendes

EviL disse...

Atenção ao código barras.
Há pouco tempo comprei castanhas embaladas de marca nacional, logo com código barras 560, quando para minha surpresa tinha escrito em letras pequenas: Origem: China.
Francamente transportar 8000km ou mais castanhas quando as temos cá é absolutamente ridículo.
Já para não dizer que não prestavam e foram quase todas para o lixo.
Saiu caro o quilo!

Cmpts,
Nelson

O Homem dos Leões disse...

Não entendo o porquê de não compreenderem o circuito de preços principalmente dos perecíveis, para além do mercado livre e a lei da concorrência e sua aplicação, é necessário que os camiões pagam seguros, gasóleo, ordenados, impostos (pesados), portanto não se admirem dos preços. Para além que o produtor entrega o produto barato, pois muitas as vezes não lhe paga o trabalho e o investimento, com as mesmas coisas mais os herbicidas e fungicidas, mas o distribuidor "manda" para o lixo muitas as vezes quantidades enormes de produto. Quem compra no supermercado, reclama do preço, mas é um privilegiado ter dinheiro para o fazer. Etc…..

Barraka Obana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Barraka Obana disse...

Até a introdução escrita do programa, parte de pressupostos errados, para além do português duvidoso. Produtos nacionais? Quais? Ainda não perceberam, cá não se faz nada, nada. Não quer dizer, que muita gente não trabalhe sacrificadamente, são coisas diferentes. Que bom ter um banco, para me sentar, claro está.
Boas vidas, só para alguns, castanhas com whisky "malta" 12 anos.

Paulo dos Santos disse...

Boa tarde.
Foi utilizado no programa a palavra "climactérico", isso é da medicina e refere um momento da vida da mulher, um ponto crítico.
O que se queria dizer era "Climático" de origem do clima.
Obrigado

Martinha disse...

Castanhinhas assadas com borrego ou com rojões, tão bom!!

Bom S. Martinho para todos! Por aqui, felizmente, o sol resolveu aparecer no final da tarde. Ainda bem.

Martinha

Martinha disse...

Esqueci-me de dizer ontem que a alimentação da minha família, que tenho aqui por casa, é baseada fundamentalmente em produtos biológicos, produtos aqui da terra como a castanha, as uvas e muitos outros. Algumas vantagens de ter saído da minha querida cidade, o Porto. E depois tenho sempre a possibilidade de ir lá regularmente.
Terminava dizendo que o Outono aqui está ao rubro. Os castanheiros estão com cores fantásticas: laranjas, amarelos, verdes claros... Temos que seguir os conselhos do Dr. Fernando Pádua e passear, aproveitando o que de melhor a natureza tem para nos dar.

Martinha