segunda-feira, janeiro 5

Como vai ser 2009?

Três eleições, aniversários de dois ilustres portugueses (900 anos D. Afonso Henriques, 400 P. Ant. Vieira), prestação da casa mais baixa, mas também mais desemprego, menos dinheiro, mais protestos populares. 2009 será um ano absolutamente profícuo em acontecimentos. Alguns podem ser antecipados, sobre outros apenas podemos especular. Em ambos os casos, as análises devem ser feitas por especialistas. E os mais habilitados da sociedade civil estão no Sociedade Civil, fruto de cerca de 100 parcerias firmadas com entidades sem fins lucrativos de todos os setores.
Quem quer saber, sabe no SC.

Convidados:
António Júlio Almeida - Presidente da SEFIN – Associação Portuguesa dos Utilizadores e Consumidores de Serviços e Produtos Financeiros
Armindo Monteiro - Presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários
José Manuel Fernandes - Diretor Jornal Público
Pedro Santos Guerreiro - Diretor Jornal de Negócios

17 comentários:

Florbela disse...

Oláaaa!

Já tinha saudades!

Sejam bem-vindos!

Florbela

Florbela disse...

Questiono-me muitas vezes... se a maioria dos bens subiu devido ao aumento dos combustíveis, agora que estes baixaram, porquê que os preços continuam iguais ou pior ainda, alguns aumentam mais?

Florbela

Pedro disse...

Interessante ver que na reportagem introdutória ao programa se refere Galileu, Astérix e até a Barbie mas nem uma palavra é dita sobre o Ano de Darwin. Ignorará o jornalista que se comemora por todo o mundo os 200 anos do nascimento Charles Darwin e os 150 anos da publicação da sua obra: "A origem das espécies"?

Ignorando ou não, é de lamentar que se arranje espaço televisivo para referir a Barbie mas não Darwin. Enfim, uma questão de prioridades, certamente...

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Olá e Feliz 2009!
A sociedade está a precisar de um desfibrilador para voltar a colocar as coisas no seu ritmo devido.
Apresenta-se um bom período de reflexão para decidir que modelo pretendemos seguir para o futuro. Será que o modelo capitalista se esgotou e não consegue viver sem as crises periódicas? As mesmas crises que vão acontecendo com uma frequência mais acentuada devido a uma velocidade vertiginosa da sociedade... São os choques energéticos, as crises económicas, os dilemas sociais...
Para quando se apresentaram modelos e sustentabilidade e desenvolvimento a curto, médio e longo prazo? Torna-se indespensável traçar objectivos e definir as estratégias para os alcançar!
Não se pode manter uma atitude passiva de espetador aguardando para ver o que acontece.
De grandes problemas surgem grandes soluções, e nós temos o que é preciso.
Capacidade, engenho e espirito criativo.

Pedro C
Lisboa

Pedro disse...

Os portugueses têm de passar de ACOMODADOS a INCOMODADOS!
A única coisa que temos que melhora com o tempo é o vinho do Porto, por isso é necessário por mãos à obra e agir agora.
Com sinceridade e confiança estabelecem-se as fundações para o futuro... e é aí que temos a nossa maior crise! A falta de uma classe política com reconhecida competência. Políticos com sentido de Estado! Talvez um dia a tenhamos, mas até lá vamos tendo apenas políticos de desenrasque e para quem ser político é um estatuto e não uma vocação.

martagaspar disse...

Benvindos(as).Meu velho professor de história dizia « a caridade bem ordenada começa dentro de casa» O mesmo se aplica à economia.Mas...indo à casa do vizinho...no dia primeiro do ano, fui meter gasolina a Espanha, em Tui, frente a minha terra Valença do Minho.Preços: Gasolina 95 em Tui 0.838. Em Valença, na Repsol, a mesma 95 :1.099.Além dos 26.10 de diferença, antigos 52$20, o preço psicológico dos 99...chicos espertos, é mesmo!
Beijinhos

antónio disse...

boa tarde e bom ano.

ao contrário do q diz o senhor do jornal de negócios, acredito muito em mim e não acredito minimamente neste sistema financeiro. Aliás, basta este sistema ser feito e regulamentado pelos próprios financeiros e supervisionado pelos seus patrocinados para não ser bom. E basear a nossa sobrevivência no jogo da bolsa não me parece realmente inteligente, como já se comprovou várias vezes. Há que voltar atrás e regulamentar as actividades de acordo com as vontades e necessidades dos cidadãos e não de pelos interesses de quem já tem tudo e nos quer tirar o resto.
Será em 2009 que os Constâncios deste país serão presos? Infelizmente, não me parece.
Enquanto os interesses destes senhores se sobrepuserem às nossas necessidades e à justiça social, não vejo como poderemos ter anos bons.

martagaspar disse...

É verdade: Além de Darwin, Galileu, Astérix e Barbie, neste mês de Janeiro também eu faço - se estiver viva - 72 anos...

JBilro disse...

Bom Ano

Ora aqui temos, várias opiniões que adicionadas às do blog Sociedade Civil, nos levarão a encontrar o "fundo do túnel"...
Parabéns.

JBilro disse...

Bom Ano

Ora aqui temos, várias opiniões que adicionadas às do blog Sociedade Civil, nos levarão a encontrar o "fundo do túnel"...
Parabéns.

Ana Rita Torres disse...

Julgo que o grande problema desta situação actual é o facto de as pessoas quererem sempre ser mais ou mostrar ter mais do que o vizinho. Se ganham 5 gastam 10 ou 15.

antónio disse...

Já agora, algo para se ir pensando:
porquê votar em políticos, que nos aldrabam, dizem o que queremos ouvir e depois fazem o que os seus patrocinadores lhes mandam. Impunemente.
Talvez o caminho seja, depois de re-cultivarmos as populações, passarmos a votar em políticas, em orientações, e depois nomear técnicos de valor reconhecido, para cumprirem com o que nós votámos. Com avaliações constantes.
E que tal acabar com a vergonhosa imunidade dos políticos? Têm que dar o exemplo, não ficar impunes.
Para deixarmos de processar o Estado ou a Câmara (acabamos por pagar nós outra vez)e passarmos a processar e mandar para a cadeia os verdadeiros responsáveis?
Antes que seja preciso ir partir assembleias, bancos e a cara de alguns destes senhores. Antes que ainda demos todos em terroristas.
2009, com eleições, vai ser mais um ano de inaugurações e mentiras fantásticas. E depois? Nem as moscas vão mudar, pelos vistos...

antónio disse...

Já agora, algo para se ir pensando:
porquê votar em políticos, que nos aldrabam, dizem o que queremos ouvir e depois fazem o que os seus patrocinadores lhes mandam. Impunemente.
Talvez o caminho seja, depois de re-cultivarmos as populações, passarmos a votar em políticas, em orientações, e depois nomear técnicos de valor reconhecido, para cumprirem com o que nós votámos. Com avaliações constantes.
E que tal acabar com a vergonhosa imunidade dos políticos? Têm que dar o exemplo, não ficar impunes.
Para deixarmos de processar o Estado ou a Câmara (acabamos por pagar nós outra vez)e passarmos a processar e mandar para a cadeia os verdadeiros responsáveis?
Antes que seja preciso ir partir assembleias, bancos e a cara de alguns destes senhores. Antes que ainda demos todos em terroristas.
2009, com eleições, vai ser mais um ano de inaugurações e mentiras fantásticas. E depois? Nem as moscas vão mudar, pelos vistos...

me disse...

Olá boa tarde! Eu acho que 2009 vai ser o ano do maior desemprego na Europa, mas ainda vai ser pior em Portugal! Notei que no programa já estão a usar a nova ortografia (ao escrever diretor em vez de director), com a exceção (excepção) da palavra directo que se encontra no logotipo da RTP2.
Um bom ano a toda a produção ou todos os colaboradores do programa.

me disse...

Olá boa tarde! Eu acho que 2009 vai ser o ano do maior desemprego na Europa, mas ainda vai ser pior em Portugal! Notei que no programa já estão a usar a nova ortografia (ao escrever diretor em vez de director), com a exceção (excepção) da palavra directo que se encontra no logotipo da RTP2.
Um bom ano a toda a produção ou todos os colaboradores do programa.

JBilro disse...

Olá António
Vamos com calma, todos concordamos que há muito a corrigir; este não é um verdadeiro Sistema Democrático na sua essência ( não pensemos mal da democracia), este sistema resulta de um modelo mal copiado pelo famoso movimento Povo/MFA, que deu neste resultado. Compreendemos que à época todos tinham pouca experiência, muito ódio, muita ignorância e mta vontade de liberdade e terão cometido erros graves até hoje não reparados, embora acredite que na altura houvesse boa fé (não hoje).
Primeiro temos que reparar os erros para nos reencontrarmos com o nosso passado e com a justiça.
Depois temos que alterar o nosso Ordenamento Jurídico, que em certos casos legitima os ilícitos...
Poderia continuar...mas não quero retirar credibilidade ao Blog... sabe também sou bloguista...
Saudações. JBilro