quarta-feira, março 18

Prevenir a diabetes tipo 2

Existem cerca de 670.000 diabéticos em Portugal, um valor que pode atingir 1 milhão em 2025 – estamos perante uma epidemia? A tendência deste crescimento da diabetes tipo 2 (não insulino-dependente) deve-se em grande parte à passagem de uma alimentação tradicional para uma vida sedentária e uma alimentação rica em gorduras e açúcares de absorção rápida. Será possível inverter estes números e incutir de forma definitiva nos portugueses um estilo de vida saudável? Ou a receita é diagnosticar de forma precoce? O que dizem as associações de doentes? Os especialistas? E os investigadores? As respostas neste SC.


Convidados:
José Manuel Boavida, Presidente da Sociedade Portuguesa de Diabetologia e Coordenador do Plano Nacional de Prevenção e Controlo da Diabetes
Luis Gardete Correia, Presidente da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal
Flora Correia, Professora Catedrática da Faculdade de Nutrição Faculdade do Porto e Nutricionista no Serviço de Endrocrinologia do Hospital São João
Paulo Madureira, Presidente da Associação de Jovens Diabéticos de Portugal

9 comentários:

Martinha disse...

Oláa

As crianças fazem cada vez menos exercício físico, estão muito sedentárias, engordam e comem muitos alimentos industrializados. Culpa delas? Não, claro que não.
Culpa dos adultos que são a todo o instante desacreditados.
Estes adultos vivem dizendo tudo muito certo, depois eis que no momento de verdade fazem tudo errado. Um verdadeiro contra-senso entre a teoria e a prática.
Nas escolas não faltam as máquinas de vending e em casa, não há despensa que se preze que não tenha refrigerantes, batatas fritas e tudo o que seja dentro desta linha. Boa!!!!!
A minha não tem, só mesmo nas festas de aniversário.
Enfim e que tal uma sopinha cheia de legumes, alguns deles por passar? Ah, pois é!
E a fruta fresca no final ou nos intervalos das refeições?
A sobremesa doce só ao domingo, está bem?
E então os 3 pratos de comida que a criança come e a seguir vai jogar computador? "- É massa com carne", apressam-se a dizer os avós!!!!

Martinha
Oiçam o ábum dos Coldplay - "Viva la vida" - é simplesmente fabuloso

Pedro disse...

Falamos em evolução nas últimas décadas... é evolução viver em stress sem tempo para ter qualidade de vida para tratarmos de nós prórpios e daqueles que amamos?
O modelo de sociedade em que vivemos precisa de mudanças reflectidas e drásticas.
Desde mais tenra idade tem de se ensinar as crianças a criarem os filtros que as permitam não serem influenciadas por publicidade agressiva que as leva a querer consumir quase em exclusividade alimentos prejudiciais. Hoje em dia é a comida processada, os doces, os chocolates, etc...
No meu caso posso dizer que tenho uma alimentação saudável e equilibrada. O meu nível de glicose é estável nas várias análises que vou fazendo e o meu peso tem mantido-se constante. São esses cuidados que procuro passar em casa e no caso das crianças os doces são esporádicos e algo recebem quando comem os alimentos saudáveis.
Gostava de saber o que está a ser feito nas escolas, porque posso dizer que em criança a única oferta no bar da escola eram os bolos. E faço mea culpa pois chegava a comer dois numa manhã de aulas.

Pedro
Lisboa

Daniela disse...

as crianças têm uma alimentação muito má, mas a culpa não é só dos pais.
as cantinhas das escolas também nem sempre dão a melhor alimentação.
na minha escola, é muito frequente haver fritos para o almoço... o que não é lá muito saudavel......

amr disse...

Viva,

eu ainda não tenho filhos mas sempre me preocupei muito com a correcção dos hábitos alimentares cá em casa, até porque existe um historial de diabetes na família do meu marido. Acho que há pequeníssimas coisas que podemos fazer, mesmo por nós, adultos, e obviamente também pelas crianças, que farão certamente muita diferença. Eu tenho sempre, sempre, sopa feita, e preparo todas as manhãs um lanchinho para mim e outro para o meu marido, para levarmos para o trabalho. São dois minutos! Normalmente inclui um iogurte, um pão com queijo e uma peça de fruta, que vamos comendo ao longo do dia. Estamos tão habituados a isto que a ideia de ir lanchar ao café até nos parece estranha! Todos temos a nossa costela gulosa, mas fica guardada para ocasiões especiais...
Boa tarde a todos.
Ana Marta

PEDRO DE CASTRO disse...

Gostava de perguntar se episódios de hipoglicémia e quebra de tensão por esse facto pode ser um factor de alerta.
Por vezes acontecem-me situações dessas e outras vezes sinto mesmo a necessidade de ingerir alimentos doces, embora esporadicamente.

Marta Sofia Silva disse...

Boa tarde a todos!

Uma questão rápida: o aparecimento excessivo de varizes em pessoas com diabetes pode estar mutuamente relacionado?

Obrigado

a. silva disse...

boas

liga dos amigos do centro de saúde da foz do sousa disse...

Olá!!
Trabalho numa associação (Liga de Amigos do Centro de Saúde da Foz do Sousa), e neste momento temos em curso um projecto "Saber Comer Para Bem Crescer", que se enquadra no Programa Nacional de Combate à Obesidade.
Este projecto destina-se às crianças que frequentam os Jardins de Infância do Concelho de Gondomar,num total de 380 crianças. Após uma avaliação antropométricam, concluiu-se que 34% tem excesso de peso, das quais 18% são obesas.
O que se constata é que existem muitos erros alimentares e que a população em geral/sociedade ainda não está preparada para esta epidemia, até porque muitos ainda dizem que: "é gordinho, mas é giro. Quando crescer vai ao sitio!"
As crianças sinalizadas com excesso de peso e com obesidade tem acompanhamento por uma nutricionista.

Ana Luísa

Tiago Araújo disse...

as crianças maior parte das vezes fazem um alimentação má, e as escolas são um exemplo disse na minha é quase cozidos, fritos etc... se tivesse sopa que é importante para a saude.

Um abraço