segunda-feira, maio 18

Profissão: militar

O desemprego e as médias elevadas para entrada na Universidade estão a levar muitos jovens a equacionar uma carreira nas Forças Armadas como alternativa para uma vida profissional estável. O número de candidatos para as Forças Armadas Portuguesas tinha diminuído de 2007 para 2008, contrariando a tendência de países como a Espanha ou os EUA (o “New York Times" noticiava 21.433 novos soldados só no ultimo trimestre de 2008). Mas os primeiros meses deste ano registaram um afluxo invulgar aos centros de recrutamento. Onde fica a vocação? Faz sentido ingressar numa força de defesa só para não integrar a lista de desempregados?

Convidados:
Coronel António Delfim, Chefe do Centro de Recrutamento da Força Aérea
Tenente-coronel César Reis, Diretor de Serviços de Recrutamento Militar do Ministério da Defesa Nacional
Helena Carreiras, Docente ISCTE e Especialista em defesa e forças armadas
Vitor Matos, Jornalista Revista Sábado

27 comentários:

Pedro disse...

Boa tarde,
A profissão de militar é algo muito presente na minha família pois já incluí 4 gerações de militares remontando já ao tempo da 1ª Guerra Mundial, na qual o meu bisavô serviu o país.
Algo que considero peculiar é o facto de na nossa sociedade termos uma esperança média de vida cada vez maior, onde cada cidadão terá de trabalhar durante mais anos e paradoxalmente assistirmos como critério de selecção para a admissão numa carreira militar o factor idade. Como se justifica que um jovem adulto entre os 27 e os 30 anos já não possa concorrer para uma carreira militar? Considero que se desperdiçam muitos bons profissionais por um factor altamente discutivel. Se uma pessoa aos 30 anos já não está apto fisicamente então como se justifica a aptidão física dos profissioanis dessas forças já com 40 e mais anos?

A Gerência disse...

O gosto pelo emprego via-se se não tivesse de ser pago um salário.
O orgulho pela camisola torna-se secundário quando está em causa o poder pagar uma renda e as despesas.

Quanto a mim julgo que não se perdia nada em manter a frequência obrigatória ao serviço militar. Desta forma disciplinavam-se gerações e ao invés de candidaturas expontâneas poderia caber aos oficiais convidar alguns recrutas a prosseguir a profissão.

Miguel Almeida, Loures

Artur disse...

Boa tarde
Tive a honra de servir o meu País, na Força Aérea, como Cabo Especialista Enfermeiro. Foi-me ministrado formação avançada no que respeita ao desempenho das funções de enfermeiro auxiliar, nomeadamente na área de primeiro socorro, evacuação em helicóptero e ambulâncias. Quando passei à vida civil, tentei por todos os meios continuar a trabalhar na mesma área, o que me foi sempre vedado. Temos excelentes formações nas Forças Armadas e que não são aproveitadas, posteriormente. Veja-se o caso dos bombeiros e pessoal de saúde, entre outros. O Estado gasta milhões na formação quando nos encontramos nas fileiras e depois não servimos para continuar a desempenhar essas funções. Veja-se o caso do INEM cujos membros não têm formação, nem lá perto, que o Especialista do Serviço de Saúde, como tripulante de ambulância. E o que dizer daqueles camaradas que passam a sua vida militar a trabalhar com armamento, o que fará na vida civil? Qual a formação que a instituição militar oferece para essas pessoas?
Agradeço o esclarecimento por parte dos Senhores Militares presentes, porque tanto as pessoas como o País, não merecem ser sujeitos a publicidade enganosa.
Parabéns pelo programa.
Artur Ceia
Mogofores-Anadia

delta disse...

boa tarde,
a profissão de militar é simplesmente uma conjuntura entre disciplina ,honra ,lealdade e patriotismo e quem serve com honra e "amor a camisola" sempre com empenho,e desdobra-se em sacrificios por uma carreira de sonho pessoal ao fim de 8 anos frequentando formações militares ve-se obrigado a sair da instituição por motivos meramente politicos que por sinal essas pessoas não percebem a arte militar; estes militares vão integrar a sociedade civil com que habilitações???? no meu conhecimento ainda não ha organizações terroristas legais a isto se deve uma grande fatia do desemprego são ex-militares do antigo regime que fazem esses ex-militares??? porque não ha quadros permanentes para a classe de praças??? não axam que se abrissem o efectivo não se manteria??? não deixavam de se preocupar com a falta de efectivo praça???? se quizerem eu explico como fazer e até se poupava dinheiro.....


helder matos

Ju disse...

Boa tarde,
Num tempo em que a instabilidade profissional é a tónica no mercado de trabalho, a vida militar torna-se uma alternativa atractiva para garantir uma subsistência mais ou menos tranquila.Lamento profundamente que isto aconteça pois a vida militar é redutora da criatividade individual,fortemente hierarquizada e fomenta situações de autoritarismo gatuito e pouco sensível.Este tipo de valores não se pretendem numa sociedade que procure espalhar a paz e não a a guerra e duvido que muitas pessoas ingressassem neste tipo de profissão voluntariamente se vivessemos uma realidade mais abastada e com mais alternativas profissionais para os jovens.

Ana Rita disse...

Tenho 36 anos, sou mulher, e sempre tive fascínio pela vida militar. Cheguei a fazer psicotécnicos na base do lumiar com 15 anos apenas para obter uma orientação escolar, nomedadamente, para definir áreas de aptidão e definição de perfil psicológico.

Na altura, acabei por fazer outra opção, talvez influenciada pelas amizades. O que é certo é que a idade máxima permitida para a admissão tem vindo sempre a aumentar. No entanto, tenho estado sempre acima da idade permitida.

Mas o fascínio e a vontade permanece.....
Sou licenciada em Comunicação Empresarial e questiono porque não posso contribuir na vida militar, só porque tenho 36 anos. Mesmo Administrativamente não posso ser útil?

Antecipadamente grata.

Ana Rita Vinagre

Vera disse...

Boa tarde,
Eu estou no 11º ano e gostava de ingressar no ensino superior, em Medicina.
Como as médias de entrada de curso são muito altas, algumas pessoas aconselharam-me a seguir a carreira militar e através desta tirar o curso.
No entanto, e apesar de já ter algumas informações acerca do assunto ainda tenho algumas dúvidas.Por exemplo, quando tenho de me inscrever para entrar numa das Forças Armadas? Se conseguir entrar, sou eu que tenho de me inscrever na Universidade ou é a instituição que me inscreve?Etc.

slice_of_soul disse...

Boa tarde,

Aproveito este programa para esclarecer mais uma duvida referente á idade...
A situação é a seguinte, sou recem licenciada em arquitectura, e tenho 23 anos, (ou quase 24) contudo investir numa carreira militar não é algo que ponha de parte, sei que existem restrições quanto á idade dos candidatos, mas tambem julgo que perante militares e tambem perante licenciados a idade de candidatura estende-se por mais algum tempo, contudo nao estou certa desta informação, pois julgo que variam entre os diversos ramos.
Agradeço deste já a atenção, e aguardo uma resposta.

Cumprimentos. Diana Marcos

éme disse...

A minha filha era militar , recebeu louvores e foi distinguida por mérito próprio.
Numa prova de atletismo fez mais 4 segundos do que era permitido.
Até que ponto estas situações são justas e correctas?

Obrigado,

Adalberto Ribeiro

Sergio disse...

Eu por 3 meses não me deixaram entrar para a vida militar! Muito injusto!

Tenho 26 anos.

Joao disse...

ola,
Fui , penso eu, o militar miliciano mais antigo do exercito portugues, completei 10 anos de contratos em 2000 no posto de Tenente e graduado Capitao em anos anteriores para efeitos de funçoes e vencimento, claro, com respetivos louvores que proporcionaram continuidade dos contratos. Apos o encerramento do Presidio militar, em 2001, o ultimo contrato terminou em Dezembro de 2000, na altura com 32 anos, vejo-me na rua. claro com uma pequena indeminizaçao, e na incapacidade do Centro de emprego em conseguir encontrar funçoes equivalentes, fui obrigado a emigrar para os Estados Unidos onde desde essa altura me encontro.
Procurei inicialmente as Forças Armadas por estabilidade, que foi enquanto durou, a melhor que poderia ter encontrado, mas tambem encontrei o vazio quando sai e todas as portas fechadas pela minha idade para ingressar noutras forças civis. Abraço para todos, vou continuar a ve-los via internet, no meu Estudio em New Jersey, onde sou tecnico de informatica em part-time e Supervisor de construçao.
Ex tenente Ferreira do Presidio Militar Santarem
tenferre.spaces.live.com
tenferre1.hi5.com

Diogo disse...

boa tarde, chamo me diogo oliveira, tenho 18 anos e o ano passado concorri às academias da força aérea e academia militar. Penso que a vida militar cada vez mais está a ser vista como uma carreira de futuro com valores e estabilidade. Recomendo vivamente a todos os jovens que ambicionem ter uma carreira estável, promissora e com algumas regalias,e ao mesmo tempo sempre com a disciplina e as hierarquias bem presentes, o concurso ao serviço militar seja ele o serviço de voluntariado ou o ensino superior como as academias.
Eu este ano irei concorrer novamente às academias pois procuro aliar a minha vocação medicina às forças armadas.

Lokus disse...

Boa tarde
Eu tenho 19 anos e estou a pensar ingressar nas forças armadas precisamente pelo motivo económico, já que hoje em dia não é fácil encontrar um bom emprego.
Hoje em dia é muito importante ter um ordenado para alimentar uma familia, pagar uma renda, um carro, etc.
Mais vale ser militar, fazer um esforço e receber um salário do que viver no desemprego.

Paulo Tavares disse...

Se existem 1800 vagas por preencher nas FA, porque razão mandam militares, jovens, ao final de 6 ou 9 anos de contrato, para a "rua"?
Não seria proveitoso que esses militares tivessem uma hipotese de aceder a um quadro especial, sem ser necessario o ingresso em Escolas Militares?
Não nenhum existe acompanhamento nem apoio a empregabilidade, conforme dito, e que pode ser testemunhado por muitos militares RV/RC que estão na disponibilidade.

Vera disse...

Boa Tarde,
Sou licenciada em cerâmica,tenho 27 anos e 1,62m.A vida militar sempre fez parte dos meus sonhos, mas por questões familiares não a segui.
Ainda poderei engressar numa carreira militar?

diogo disse...

Boa tarde, antes de mais gostaria de deixar os meus parabéns ao programa.
Em relação ao tema encontro-me com 21 anos e gostaria de entrar para PILAV (é a minha ultima oportunidade devido a minha idade) tenho uma pequena escoleose e gostaria de saber se isso me poderá afastar (depende do seu grau?) bem como a minha idade.(preferem pessoas mais novas).
Já ouvi falar que ás vezes afastam as pessoas nos testes de preprosito devido a certas cunhas.

Cumprimentos

p377660784--tenferre_Joao+Ferreira--html disse...

ola,
Fui , penso eu, o militar miliciano mais antigo do exercito portugues, completei 10 anos de contratos em 2000 no posto de Tenente e graduado Capitao em anos anteriores para efeitos de funçoes e vencimento, claro, com respetivos louvores que proporcionaram continuidade dos contratos. Apos o encerramento do Presidio militar, em 2001, o ultimo contrato terminou em Dezembro de 2000, na altura com 32 anos, vejo-me na rua. claro com uma pequena indeminizaçao, e na incapacidade do Centro de emprego em conseguir encontrar funçoes equivalentes, fui obrigado a emigrar para os Estados Unidos onde desde essa altura me encontro.
Procurei inicialmente as Forças Armadas por estabilidade, que foi enquanto durou, a melhor que poderia ter encontrado, mas tambem encontrei o vazio quando sai e todas as portas fechadas pela minha idade para ingressar noutras forças civis. Abraço para todos, vou continuar a ve-los via internet, no meu Estudio em New Jersey, onde sou tecnico de informatica em part-time e Supervisor de construçao.
Ex tenente Ferreira do Presidio Militar Santarem
tenferre.spaces.live.com
tenferre1.hi5.com

joao disse...

boa tarde
ola eu sou o joao tenho 18 anos e tenho o curso de cozinheiro e quero entrar para os fuzileiros mas tenho uma duvida se eu entrar para os fuzileiros posso ficar ate que idade nos fuzileiros?
obrigado e quero dar os parabens ao vosso programa

naíla disse...

Boa Tarde!

Gostaria de saber se uma pessoa de nacionalidade brasileira pode alistar-se ao serviço militar em Portugal?
O meu pai é um militar reformado no Brasil e eu semprte tive fascínio por essa área.
Caso seja possivel gostaria de sabre a q orgãos devo recorrer.

Obrigada!

João Correia disse...

Boas,
A vida militar vive de muitas contrariedades.
Quem arrisca a vida na Guerra são mal pagos e maltratados, as patentes mais baixas.
As patentes mais altas, vivem como reis e não arriscam nada, especialmente a vida. Tem grandes salarios, motoristas e carros privados e não fazem nada.
Onde está a justiça na vida militar?

João Correia

Sociedade Civil disse...

info sobre recrutamento


www.mdn.gov.pt
www.marinha.pt
www.exercito.pt
www.emfa.pt

Queques disse...

Boa tarde,
tenho 18 e estive na Força Aérea a pdeir informações sobre os cursos e métodos para entrar nesta entidade. Informaram-me, que no Regime de Contrato tinha que estar no máximo 6 anos, e escolher um curso - no meu caso seria Saúde. Ao fim de dois anos (a duração deste curso) que me poderia candidatar aos Quadros Permanentes para a secção de Sargentos, de modo a tirar o curso de Fisioterapia. Não sei se fui bem esclarecida e é uma dúvida que queria perguntar.
Já agora gostava também de saber até quando nos podemos inscrever e se podemos treinar para as Provas de Aptidao no vosso estabelecimento.

Obrigada, e boa tarde

Joana disse...

Boa Tarde!
Recentemente o meu médico disse que poderia ter EM.
O diagnóstico tem sido muito demorado. Gostaria de saber quais os principais sintomas desta doença. Tenho 28 anos e os meus sintomas são a incontinência (apenas durante o sono) e espamos não dolorosos). Poderei sofrer de EM?

Obrigado,
Joana Guedes

Marcel disse...

Como posso ser militar mas tenho mais de 27 anos de idade

alberlane disse...

Oi! sou Lany frança, tenho 18 anos. O meu maior sonho é se ingressar no serviço militar.Pretendo ter uma profissão de militar. Mas infelizmente nunca , concerteza, jamais vou ter uma chance de realizar o meu maior sonho. Moro no interior em Santa Isabel do rio Negro . É dificil de realizar o meu sonho nesse municipio pequeno. E também não tenho condicões de Sair desse lugar para realizar meu sonho. Mas eu digo uma coisa "Omeu maior sonho é ter uma profissão Militar". Porque acho muito bonito as pessoas que trabalham nessa área. Poxa! sonho tanto em vestir uma dadquelas fardas lindassssss....

by RDS gangster forever production disse...

Meu nome É Rosário Daniel natural de cidade de montepuez, residente na terceira maior baia do mundo pemba cabo delgado,de 20 anos nascido a 30 de setembro de 1995,amante da sabedoria e amigo do saber,conclui a 12ª clsse do ESG em 2013,na turma de medicina da escola secundaria januario pedro mocimboa da praia,no norte da cabo delgado,sendo assim, orfao de pais,o meu maior desejo É de fazer ensino superior + pela falta de condição passo momentos pemsando como sair dessa vida,+ o espirito me da força em seguir o meu sonho"Defender a patria" ser um defensor dessa patria que cada dia ha conflitos armados pela força da oposição e força da defesa nacional moçambicana,mudanxa e revoluxao xta no meu sangue,assim ja fiz o exame de pcs para ingresso da vida militar, vejo como se perdessse muito tempo deoois de eu ter concluido o meu nivel medio,moral paciencia e corragem podemos ultrapasaar as dificuldades e realizarmos nossos sonhos

Jorge Pereira disse...

Fdssss cumpri nove anos e meio de soldado a fazer porta de armas/ reforço, cerimónias oficiais entre outras,obtive duas especialidades uma em transmissões optm/tti e outra em serviços de material MVA/car com duas comissões pelas nações unidas e que faço agora???????? Alguém ajuda? Njpm76@gmail.com obrigado a toda a ajuda possível.