quinta-feira, junho 4

Europa: porquê votar?

Só 34% dos 375 milhões de eleitores de toda a União Europeia pretendem votar nas próximas eleições, sendo Portugal um dos países onde a abstenção poderá ser superior. Ainda segundo os dados do Eurobarómetro, 18% dos eleitores não estão “nada interessados” nesta eleição e 35% afirmam “não estar interessados”.
Mas por que razões os portugueses, e o resto dos europeus, não estão interessados nestas eleições?
Matérias como o sistema social europeu ou a militarização da Europa não interessarão aos eleitores? Nem a crise motiva as pessoas a participarem num projecto-solução europeu? Todas as opiniões neste SC.

Convidados:
Margarida Marques
, Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal
Graça Franco, Directora de Informação da Rádio Renascença
Paulo Sande, Director do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal
Pedro Pita Barros, Economista

52 comentários:

Rosa Branca Pinto disse...

Bom dia.

Eu penso que as pessoas não sabem aproveitar as oportunidades para se fazerem 'ouvir' e nem sequer têm noção de quais são os seus deveres. Se isto não fosse verdade, as pessoas iam votar e se não têm alterenativas, votavam em branco - que é sempre uma forma de dizer que algo está mal, uma forma válida na contagem dos votos. Agora abandonar a questão e deixar-se no comodismo de não ir, é cooperar e colaborar com as errantes medidas dos sistemas políticos. Por isso, votem!

Os meus cumprimentos,

Rosa Branca.

Eva disse...

Boa Tarde,


numa altura em que parece ser da maior importância a consciência da gravidade das várias crises mundiais,desde a financeira à ambiental, e da necessidade de envolvimento pró-activo na defesa dos interesses europeus ,vejo paradoxalmente em meu redor uma apatia e uma espécie de depressão colectiva...originando um afastamento progressivamente maior de tudo o que é participação cívica...

A crise financeira global,que a todos afecta não só de uma forma colectiva, mas de uma forma tremendamente individual...a corrupção instalada em todos os sectores da vida pública...o descrédito dos políticos...a sensação de distanciamento e de inutilidade eleitoral generalizada
...

conheço muitas pessoas que não vão votar...muitas!! Transversalmente a todas as gerações e extractos socio-económicos...nem nestas...nem nas legislativas....

Tenho 45 anos...vivi o entusiasmo dos primeiros anos a seguir ao 25 Abril e o interesse natural da minha geração na política...está "entranhado" em mim...o imenso privilégio de poder votar, como direito conquistado a não ser banalizado e também como dever cívico de não alienação...mas...sinceramente...vou votar porque não sou capaz de o não fazer...mas...

Hoje em dia,não me revejo em qualquer partido político...não vejo campanha política digna desse nome...não vejo propostas claras e distintas em relação à Europa...os políticos fazem dos eleitores "parvos"...numa pré campanha para as legislativas que deixam os Portugueses ainda mais distantes da Europa...e dos políticos no processo...

mas vou votar...no meu partido do costume...

cumprimentos

Cristina Rocha disse...

Boa tarde!
Acho que votar é um direito e um dever cívico, porque podemos e devemos manifestar as nossas vontades.
Não se esqueçam que as mulheres não se manifestavam em praticamente nada.
Eu tenho 27 anos, estou tetraplégica e vou votar como sempre fiz.
Quem achar que não está esclarecido ou que não deve votar em ninguém, na minha opinião deve ir às urnas e votar em branco, mas vai.
Cumprimentos

Márcio Pereira disse...

Boa Tarde,

Porquê votar?

O parlamento não tem autonomia legislativa e quando hoje saem noticias que um eurodeputado vai ganhar 7665€.

O que um eurodeputado faz para merecer esse vencimento?

Espero que me consigam convencer.

Pedro disse...

Boa tarde,
A cidadania requer a participação nos actos eleitorais, é o momento em que o cidadão pode claramente demonstrar a sua visão do panorama político. Sempre cumpri com o meu direito e dever de voto e mais uma vez tenciono votar, e posso abertamente dizer que vou votar em branco. Não reconheço nas várias candidaturas mensagens objectivas sobre Portugal na Europa e os desafios do futuro. Apenas vejo tricas de "comadres" que apenas querem o voto para se acomodarem. A verdade é que mesmo que haja menos votantes, o número de deputados eleitos vai ser o mesmo. É um modelo representativo algo duvidoso quando a abstenção é o grande vencedor. O que seria do Parlamento Europeu se no hemiciclo estivem de facto o número de deputados referentes ao número de eleitores que facto votou? Estava com 40% de cadeiras vazias! A Europa está lá longe e os políticos nada fazem para a tornar mais próxima.

Pedro C (29 anos)
Lisboa

Manuel Pinto de Rezende disse...

A população portuguesa e europeia não se interessam pelas instituições europeias pelo pouco significado que as mesmas têm na consciência popular.
O interesse do cidadão em votar está em fazer-se ouvir no que toca à administração do meio que o envolve, protegendo os seus interesses.
Para o Homem Médio, o comerciante, o trabalhador, a classe média, não há qualquer interesse a defender na votação para o Parlamento Europeu.

Os europeístas são, na sua generalidade, frenéticos defensores de uma limitação sem precedentes da autonomia dos parlamentos nacionais.
Esse radicalismo provoca a reacção contrária, que também é radical e desproporcional. Bem como ilógica.

Uma constituição europeia bem definida, cujas competências esteja bem limitadas e se pautem por uma separação de poderes exemplar, relegando aos países o seu dever intrínseco de pautar as suas políticas fiscais, sociais e económicas, bem como os seus sistemas jurídicos, deve ser o fim último da discussão europeia.

Resumindo: Façam primeiro uma constituição, votem-na, e depois constituam Parlamentos, em vez destas reuniões caras cuja legitimidade paira no ar como uma nuvem de fumo.

Pedro disse...

Quem estiver em dúvida sobre ir votar pense nisto: A abstenção é sempre encarada pela classe política como um desinteresse por parte dos eleitores face às questões nacionais e internacionais. Na realidade muitas pessoas estão insatisfeitas com o panorama actual mas pensam que não vale a pena sequer votar porque fica tudo na mesma. Em democracia o voto de protesto é o voto em BRANCO e esse não pode ser minimizado e subvalorizado pela classe política pois é o voto que demonstra interesse por parte dos eleitores mas não se revêm nas propostas apresentadas. Pergunto qual é a legitimidade de um governo ou partido político se houver 40% de votos em branco em vez de abstenção? Votem em consciência, mas votem. Eu vou votar em BRANCO para que a mudança aconteça.

Cláudio disse...

Boa Tarde,

Não sei se este comentário será lido no programa de hoje, mas gostava de salientar-me naquela questão que foi posta aí, acerca de um Portugal fora da Zona EURO. Bem como disse o professor disse seria tudo bastante diferente, eu tenho 20 anos e vivi muito pouco o Escudo conscientemente disso, uma vez que só começei a andar com dinheiro dos meus 13 anos para cima, mas posso afirmar com toda a certeza que Portugal com o Escudo seria um estado de 3º Mundo na Europa que com o Euro, é a maior potência economica do mundo, pena é que não tenha-mos decidido unirmo-nos como uma só naçao. Apesar de eu gostar e admirar a minha identidade como Português e compreender o sentimento que pode ser ainda mais forte noutras pessoas, eu acho que o sonho europeu devia andar por aí, a União Europeia, sob uma bandeira.
Como ultimamente estavam aí a falar dos Estados Unidos, só gostava de acrescentar que os americanos, só escolheram e bem o Sr. Obama, porque o sonho Americano tem vindo a ser manipulado por cada novo presidente que tem passado pela casa Branca, e Barrak Obama que já era conhecido por um homem do povo antes, foi visto como uma pessoa que o seria depois. E sinceramente eu acredito que enquanto o Sr. Obama estiver a cargo dos Estados Unidos alguma coisa irá mudar.

Continuação de bom dia a todos. E falem por favor mais vezes no tema Europa ;)

Alexandre, Braga

Pedro de Castro disse...

Porque é que tem de existir justiça de vencimentos no Parlamento Europeu quando os restantes 400 milhoes de europeus não têm jsutiça de rendimentos?? É descaradamente vergolhoso! Porque é que então todos os funcionários do Estado não recebem por tabelas europeias? Os polícias, os médicos, etc..
Se existem realidade distintas pela Europa então não queiram unifiormizar em Bruxelas

Luisa disse...

Boa tarde.

Eu tenho 19 anos e fico muito triste em verificar que pouca gente da minha idade vai votar neste domingo. Dediquei inclusivamente um post no meu blog com a informação necessária a essas pessoas, que gostaria que vissem, se tiverem oportunidade, para que mais não seja me corrigirem nalguma gafe. (http://analisedecadente.blogspot.com/2009/06/chato-mas-necessario.html)

Hoje em dia não se dá valor ao voto. Parece que as pessoas estão a pedir uma ditadura...

Penso que nestas alturas se deveria falar mais do voto em branco. Se as pessoas querem mostrar o seu desagrado devem votar em branco em vez de não irem votar.

Obrigada pelo programa,

Cumprimentos
Luísa Soares

Pedro de Castro disse...

Se queremos pegar no argumento que temos de pagar bem a pessoas competentes para desempenhar os cargos então vamos passar para o sistema de gestores contratados! Quem se candidata já sabe as condições que lhe são oferecidas, não têm de existir contrapartidas nenhumas. Quem aceita concorrer faz por sua conta. Deixemos de lado o argumento que temos de pagar bem para que as pessoas com competência se disponibilizem pois isso é ser mercenário.

soraia silva disse...

Eu penso que é muito importante votar e este domingo vou fazê-lo...mas na minha opinião este sistema político está falido. o modelo europeu vigente não serve já para criar uma união comercial e política forte...a Europa devia ter um papel bem mais importante na política mundial do que tem actualmente e parece-me a mim que não temos figuras politicas carismáticaS que consigam criar uma liderança forte...por essa razão vou votar em branco...quero dizer que não me identifico com nenhum candidato português e que gostava de ter mais alternaivas...não fiquem em casa...vamos mostrar um lenço branco a estes governantes.
Quanto á remuneração dos deputados, o que dizer dos húngaros que têm de sobreviver em Bruxelas com pouco mais de 1000 euros?
Estou a pensar ir fazer o meu mestrado em Setembro para o UK e por isso sei bem a importância da União Europeia, mas penso que a sua estrutura e linhas de acção têm de ser repensadas.

roler33 disse...

Olá Fernanda Freitas,

Desculpem mas eu acho uma piada imensa a determinadas afirmações.
Diz-se que se deve pagar bons salários aos políticos para se ter os melhores, neste caso aos eurodeputados. Ainda por cima por tem que se compensar de possiveis salários que teriam se não fossem eurodeputados.
Agora eu pergunto, as entidades empregadores e os patrões também pensam em pagarem os melhores salários para terem os melhores trabalhadores?

Obrigado pela resposta.

Cumprimentos,
José Maria Bompastor
(Vila do Conde)

Ângelo Caçoilo disse...

Boa Tarde
Na verdade as pessoas são muito mais activas politicamente e informadas acerca de vários assuntos,inclusivamente Europa basta ver os baixo assinado que circulam na internet. A verdade é que a discussão desetes e outros assuntos mudou para outra plataforma : internet . Outro assunto , estas Europeias não vou poder votar, uma vez que me encontro na Espanha a fazer u Leonardo da Vinci. Após este estágio há uma grande probabilidade de trabalhar num outro país europeu . No entanto estou limitado no meu voto, uma vez que nem sempre me vou encontrar em Portugal ao longo da minha vida. Porque é que não é possível votar usando o cartão do cidadão ( acaba por ser tão seguro om a assinatura digital como o voto presencial ). Como eu há cada vez mais pessoas na Europa que não têm a chance de votar , e não me digam que posso votar nas embaixadas, porque com o pouco tempo livre que tenho, claro que não tenho disponibilidade para isso.

FOAM_BORN disse...

Mais importante que apelar ao voto como obrigação do cidadão, é apelar ao voto consciente.
Quão melhor seria se a abstinência tendesse para 0 mas com um o voto comum, num país alheio à politica (eu culpo a deficiência na comunicação ou crise de prioridade da informação)no geral inconsciente, quase aleatório etc

A obrigação do cidadão é estar realmente envolvido no cenário politico que à posteriori o motiva ao voto, e não simplesmente votar num golpe seco dintervenção politica.

Mesmo eu, nao sendo alheio a estes assuntos estou confuso, não sei em quem votar porque desconheço os vectores que motivam o candidato e que o diferencie dos demais, no meio de tanta picardia e mesquinhice sei dizer que se pratica e comunica péssima politica em portugal.

E.rafael

Pedro Teixeira disse...

Boa Tarde!

Apesar de todos os problemas e situações com que a Europa e o mundo se debatem hoje em dia, mais do que suficientes para convencer a população da importância do voto, penso que os políticos são a grande causa do aparente desinteresse actual. Ataques e mais ataques, mesquinhices, troca de galhardetes e pouco mais, numa altura em que a pedagogia e a verdade são mais importantes do que nunca...

alien aboard disse...

mas votar em k programas partidários (mas por acaso há algum!?)e em k alternativas ideológicas? axo k os humanos tugas n tão longe da Europa, tão é longe dos políticos, pk os políticos tão longe do povo...e pasme-se c um comentário ke as minhas antenas captaram daí do estúdio: viver c um salário abaixo dos 7665€ é condenar os eurodeputados à indigência?! mas pk carga d'água?!...pensava k indigência era condenar meio mundo a sair de casa às 6.30h para trabalhar 8 horas por dia ( e n produzir nd) em troca dum salário mínimo...mas devo tar enganado de certeza...afinal eu n sou deste planeta aterrei aki por engano lol

joao disse...

boa tarde

porque votar?

todos os portugueses devem votar pois é um dever civico e tambem porque devem mostrar a sua opiniao...

mas eu proprio ainda nao sei se devo votar pois vejo os partidos essencialmente preocupados em atingir os outros partidos e nao preocupados em ajudar a europa e o proprio pais...assim vejo a abstençao uma optima ideia para mostrar a nossa indignaçao em relaçao a isto...

cumprimentos

joao mendes 19 anos

Cláudio disse...

Boa Tarde Novamente... Gostava de Comentar acerca do tema do programa, uma vez que dispercei um pouco no ultimo comentário XD
Ora Bem, 1º assunto os votos, eu vou votar no Domingo, em branco, porquê? É simples, não temos nenhum partido com opcções, que falem numa europa, como eu gostaria que fosse, um país só.
2º Porque razão um politico ganha tanto dinheiro? Não é a politica afinal um serviço que é feito ao que é nosso? ao que acreditamos? Não podiamos nos organizar a politica de forma a que fosse possivel aos politicos terem um trabalho para o qual estudaram, alguns outros enfim... Mas o que eu gostava de salientar é que mesmo pagos os politicos, procuram sempre mais encher o bolso... e as eleições europeias, não passam de um sorteio de pessoas que irão nos proximos 5 anos enxer o tacho à custa dos europeus, portugueses ou não...

joao disse...

boa tarde

porque votar?

todos os portugueses devem votar pois é um dever civico e tambem porque devem mostrar sempre a sua opiniao...

mas eu proprio vejo os partidos essencialmente preocupados em atingir os outros partidos e nao preocupados com os problemas da europa e do seu proprio pais...

e ao nao votar vejo uma boa forma de protestar contra este tipo de politica...

nao msei se sera desta vez que vou votar pela primeira vez...

cumprimentos,

joao mendes
19 anos

Pedro de Castro disse...

VOTO EM BRANCO É FOLCLORICO? Estou chocado! Então uma das opções válidas de voto é folclorica? Assim vai a democracia...
Se 90% dos eleitores votar em Branco muito mal vai a democracia e a nossa sociedade.
Agora não me digam que tenho de escolher o menor de 13 males porque o meu voto não pode ser em branco! Em pequenos comentários se vê o que as pessoas realmente acreditam...

Sylvie disse...

Boa tarde! Eu não devo ir votar ou se for voto em branco isto prq n percebo nada de política (infelizmente), pelo que vejo "eles" são basicamente iguais, pretendem todos ter um tacho e para isso eu não voto!
Além disso, penso que há mt pouca informação disponível e os cidadãos ficam sem saber o que fazer!

Kate Kista disse...

A minha ideia de Europa ficou consolidada quando os Europeus gritavam em peso contra a guerra no Iraque, e a Europa Institucional assistiu sentada e aplaudiu. Aplaudiu de tal forma que deu a presidência a uma das pessoas que organizou a Cimeira da Vergonha.
A inconsistência em relação à Palestina, as politicas de Agricultura demasiado imperialistas e desvantajosas para os paises Africanos, o silêncio em relação às politicas da China...
Parece-me claro que a ruptura não se faz somente por ignorância do "trabalho" dos deputados, faz-se por pequenas más experiências históricas.

roler33 disse...

Olá de novo,

Somos europeus para pagar, mas não somos europeus para receber. Veja-se por exemplo o imposto automóvel que já deveriamos ter deixado de pagar.

Cumprimentos,
José Maria Bompastor
(Vila do Conde)

heber disse...

Ola:
Espero que nestas eleições os votos em branco surjam nas listas publicadas pelas juntas de freguesia.
Moro em avelãs de cima e numa das ultimas eleições, este nº de votos não foram afixados, parece que contabilizara como se fossem nulos. O que torna estranho a estatística divulgada pelos meios de comunicação acerca deste tipo de voto. Pois o voto em branco é uma alternativa de voto que deveria ser considerada, pois é algo que os cidadãos estão a declarar ao sistema politico.
Saudações do Héber

Anaquariana disse...

Votar é um direito do qual não vou abdicar. Três quartos das leis que nos regem vêem de Bruxelas e partem do Parlamento Europeu. Decisões bem dramáticas tomadas pelos líderes Sarkozy, Merkel e os seus pares, já foram chumbadas pelos eurodeputados. Recorde-se a lei das 60 horas de trabalho bem ao estilo da China. É no Parlamento Europeu que o debate de ideias mais profundo se vai fazendo de uma forma crescente. É pois conveniente e desejável que participemos na escolha dos deputados, candidatos que na nossa perspectiva tenham vontade e capacidade para fazer esse debate e para fazer a diferença. O ano da crise pode ser o ano da transformação, se nós quisermos, para que isso possa acontecer, teremos que nos envolver. O preço de subestimar esta crise será alto. Será não ter solução para a próxima. A nossa demissão dará razão aos líderes que acham ter a situação sob controlo, as decisões todas tomadas e dadas como acertadas, não é assim. Governantes e Banqueiros, voltarão aos velhos hábitos e tudo ficará na mesma se não participarmos, se não nos envolvermos na escolha daqueles que nos irão representar. Ou será que, como acham os nossos governantes, somos tão europeus para as europeias, como pacóvios e ignorantes para nos pronunciarmos em referendo sobre o próprio futuro da Europa? Recuso fazer parte deste retrato.
Não vamos deixar que a pobreza se transforme em paisagem!
Políticos e fraldas têm uma coisa em comum. Precisam ser trocados regularmente e pelas mesmas razões.
Saudações Democráticas
Um grande abraço
Ana

Sylvie disse...

O que é que um jovem com 18 anos sabe de política para poder fazer um voto responsável?
Mais vale ter toda a gente a votar mesmo que "á toa"??

antónio disse...

a questão é muito linear: votar para quê, se a seguir os eleitos podem fazer, e fazem, tudo ao contrário do que prometeram? E impunemente.
Se isto fosse uma democracia, o sr. Durão Barroso estava preso por ter mentido aos portugueses. Em vez disso, até os seus opositores o apoiam para um segundo mandatao.
Se isto fosse uma democracia, o sr. Sócrates estaria preso por mentir aos portugueses. Em vez disso, é bem capaz de fazer um segundo mandato. E a lista continua.
Que pode fazer a maioria dos portugueses (sim, que já é visivelmente a maioria) para acabar com esta aldrabice, com esta partidocracia, com esta impunidade?
Para quando votarmos em políticas e não em políticos?
O que pode fazer uma pessoa que ainda está a evitar dar em terrorista mas que não quer, com o seu voto, perpetuar esta mentira?
É que a desvalorização que os media permite que se faça da abstenção, resulta em Antónios Costas eleitos com 57 mil votos, quando houve 330 mil abstenções?
E ele lá está, a destruir Lisboa, a pagar a campanha aos seus patrocinadores, como se tivesse legitimidade.
Resta-nos, portanto, escolher entre os mentirosos? Não, com isso não compactuo. Nem me conformo.

heber disse...

Ola rosa branco:
Subscrevo totalmente as tuas palavras.
saudações do héber

joao disse...

boa tarde

porque votar?

todos os portugueses devem votar pois é um dever civico e tambem porque devem mostrar a sua opiniao...

mas eu proprio ainda nao sei se devo votar pois vejo os partidos essencialmente preocupados em atingir os outros partidos e nao preocupados em ajudar a europa e o proprio pais...assim vejo a abstençao uma optima ideia para mostrar a nossa indignaçao em relaçao a isto...
nao sei se vai ser desta que vou votar pela primeira vez...

cumprimentos

Joao Mendes 19 anos

heber disse...

Ola Eva:
Ainda bem que vais votar no "teu partido do costume", não é isso que queria te dizer. Aos que te dizem que não vão votar pk duvidam disso, recomenda-lhes o voto em branco. É importantíssimo, como concerteza concordas comigo...
saudações do héber

rduso disse...

Boa tarde,

Encontro-me actualmente no Porto a frequentar à quatro anos o Ensino Superior, e visto ser RESIDENTE na Região Autónoma da Madeira, nunca me foi possibilitado até ao momento exercer o meu poder de voto.
De qualquer forma, não vou alterar a minha residência, para poder votar no Porto, visto estar cá apenas durante o período lectivo, e por motivos puramente educacionais.
Agora podem haver alternativas para ultrapassar a distância geográfica

Cumprimentos

heber disse...

ola cristina:
Lamento a tua tetraplagia, pois eu sou coxo, e vamos votar!!!!!!
Que fixe!!!!!
lol
saudações do héber

heber disse...

Ola Marcio:
Voto em branco diz-te algo?...
saudações do héber

heber disse...

ola Pedro:
idem aspas!!!
saudações do héber

heber disse...

Ola manuel resende:
Essa legislação já existia antes das votações, concordo é que as pessoas pouco se interessam por isso e que nem todos os governos deram o aval ao povo para decidir se... pois os referendos!!!
saudações do héber

heber disse...

Ola Alexandre:
Sugiro-te uma leitura sobre livros que toquem em temáticas de ficção e verás um dislumbre do futuro. Sim será esse o futuro... a flamigerada globalização, a destituição de culturas, a destruição de civilizações, etc etc etc.
É inevitavel, mesmo vivendo individualizados, estamos sempre dependentes dos outros. Portugal não viveu uma ditadura por mero acaso, não teve monarquia por mero acaso, não se lançou nos descobrimentos por mero acaso. Apesar de termos sido preconizadores de uma serie de coisas importantíssximas a nível mundial. A abolição da pena de morte, da escravatura, na luta pela liberdade de um outro povo, apesar da responsabilidade histórica (mereceríamos à muito um nobel da paz)(lol). Fiz-me entender?
saudações do héber

aderitus disse...

Votar? Votar em quem? quem lhes deu legitimidade? alguém perguntou ao povo se queria entrar na CEE? alguém perguntou ao povo se queria um qualquer tratado Europeu?
Eu nasci Europeu, pois nasci no Continente Europa,não porque um qualquer um o tenha decretado. não preciso que ninguém me venha dar palmadinhas nas costas. Sou Português com muito orgulho, que vê a sua nação a ser destruída aos poucos, sem produção,sem trabalho. Ninguém cá fica, esta tudo a sair, mas segundo os políticos, estamos muito bem. Cada vez mais se vê o português a dar lugar a línguas estranhas, basta ver televisão para perceber que não conseguem dizer uma frase sem um estrangeirismo no meio, que chiques que eles são...Vergonha...Democracia, é povo , o que temos por cá é Partidocracia e cada vez mais grave...Eleições Europeias servem apenas para que alguns ganhem um tacho, que agora até sofreu um aumento( bela crise heim ;-))..vão gozar com outro...Viva a Europa das Nações Livres e verdadeiramente Democráticas!!! Viva Portugal!!!e Viva a nova revolução!!!

heber disse...

ola luisa:
Obrigado!!!!!!
saudações do héber

alien aboard disse...

"Políticos e fraldas têm uma coisa em comum. Precisam ser trocados regularmente e pelas mesmas razões."

é um pensamento a reter lol...mas tb há um outro k diz " as moscas mudam mas a ***erda é a msm" huum e inda por cima amanhã é dia do ambiente...será k assim tou a criar mau ambiente? lol

P.S: acredito sinceramente no movimento associativo no poder de mobilização, de intervenção da sociedade civil versus estruturas partidárias/ instituições e n creio k a cidadania se esgote na ida às urnas...NÃO votar é um acto de rebeldia, de protesto e n apenas d desinteresse e preguiça! é td uma kestão d interpretação...cada um faz a sua

Cláudio disse...

Boas novamente, este comentário é para ajudar quem ainda está em dúvida das motivações que devem fazer que se cumpra o dever civico de votar. O Voto, nem que seja em branco é sempre a melhor altenativa, e a unica forma de funcionamento pleno da Democracia, se não escolhemos quem governa, seja para bem ou mal, seja apenas para nos representar na Europa mais uma vez para bem ou mal, mas uma coisa é certa quem não vota nao tem direito a resmungar contra o governo, e mais quem não vota está a submeter-se a um governo que não gosta! o mesmo se aplica aos depotados europeus, quem nao vota neles nao pode criticar nem queixar-se... Se ainda duvidam do porquê do dever de voto... leiam um pouco de História. Acerca dos tempos em que nao existiam Eleiçoes, e digam-me que Democracia é aquela!

Continuaçao... e VOTEM!

heber disse...

Ola a todos os que estão no estrangeiro:
Para votarem podem usar os consulados portuguese, as embaixadas e também há a possibilidade de em algumas eleições do voto por carta, informem-se!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Nos organismos publicos relacionados com este tema, lamento se nem eles vos esclareecerem claramente...
saudações do héber

heber disse...

ola alien:
Todos nós estamos nessa circunstancia, até mesmo os tais politicos, mesmo aqueles que fazem carreira disso... adorei o que disseste e subscrevo.
saudações do héber

heber disse...

Ola João:
Direito ou dever? Direito em votar ou dever em votar?
Tu, se fores condutor, tens o dever de cumprir com o código da estrada.
Tu, numa democracia, no exercicio desta, tens o dieito de votar, não o dever, .... ARTENÇÃO!!! Senão exerceres esse direito ficas restrito a ocupares determinados cargos publicos. Sabias? Sabias que não podes te candidatar a presidente da republica senão tiveres exercido o direito (digo eu) de voto? Não será já este direito um dever?
No voto, na escolha individual de cada um de nós não se afecta mais ninguem da mesma forma como na obediência do código da estrada. Ou será que não?
Deixo te esta pequena provocação para reflectitres bem acerca do teu comentario acerca do dever de votar.
saudações do héber

heber disse...

ola sylvie:
É uma opção que te é dada, que deveria vir anunciada nos impressos afixados pelas juntas de freguesia, distinto da contagem dos votos em branco. E se nesses impressoas o ítem dos votos em bramco não existirem, sempre se poderá colocar nas observações, local em que todas as circunstâncias devem ser referidas, sejam elas de que tipo forem.
saudações do héber

heber disse...

ola Kate:
Nem te digo nada, sugiro-te voto em branco... tá tudo dito...
saudações do héber

heber disse...

Ola roler 33:
Interpela os candidatos com essa questão do imposto autumovel, tens 4 anos para julgar o teu voto, se o partido que votares for eleito, alteras o voto, caso não verifiques nada da parte do(s) candidato(a)(s). Está resolvida a tua questão.
saudações do héber

heber disse...

Ola anaquariana:
Subscrevo tudo!!!
Saudações anarquicas (lol)

heber disse...

ola outra vez sylvie:
"à toa"??? O que significa isso?? Mesmo que à toa não terá direito de exercer a sua aparente irresponsabilidade, ignorancia, ingenuidade, etc etc etc???
Há quem defenda que atá a idade para se poder votar deveria decrescer. Repara em algo, o que é que as escolas actualmente são? Senão pedacinhos de algo, aparentemente, democrático. Os alunos elegem uma lista, membros dessa lista têm lugar no conselho de escola. Na turma o(a) delegado(a) e/ou subdelegado(a) têm lugar nos conselhos disciplinares do grupo de professores da turma, etc etc etc. E estás tu a colocar em causa a "democracidade" do mais puéberes?! Fica informada, que antes de se formar um zigoto já se estabelece um discurso "politico" entre as pessoas envolvidas. E não falo só da grávida com o seu hipotético rebento, falo de tudo...
saudações do héber

heber disse...

Ola antonio:
Subscrevo tudo o que dizes e recomendo-te a memória colectiva para isso. Vamos fazer futurologia...
Se esses srs. regressassem a portugal para se candidatarem a cargos publico que lhes aconteceriam? Sim eu sei... é dificil prever. E denota-se que o povo português é esquecido. Ou será mesmo??? Lembras te de Timor? Eu só tinha ouvido falar nele quando dei os descobrimentos, não fazia a menor ideia do que se passara sob a egídia do "antigo" regime político. E o NOSSO povo fez o que fez, foi para a rua, revoltou-se consigo próprio, não ganhou o premio nobel da paz (LOL), mas fez com que os politicos libertassem um povo, dessem independencia formal a um país, antga colónia portuguesa. Ainda não te convenci?
saudações do héber

heber disse...

OLa joão:
Vai ver um dos meus anteriores comentarios. Tens a resposta para ti.
Bom voto(lol)

heber disse...

ola rduso:
Há alternativas para ti, devido ao teu impedimento geográfico, o voto pode exercer-se por correio, por carta, informa-te junto à junta de freguesia de onde resides e ou Câmara Municipal, eles auxiliarão-te. Mas, atenção, pode der de interesse deles que te tornes eleitor daquele municipio, por isso confirma todo o tipo de informações com as hierarquias superiores.
Boa sorte, bom voto!