terça-feira, junho 23

Portugal vai arder?

Os meios de combate a incêndios em Portugal são suficientes, falta-nos é educação para aprender a preveni-los. A conclusão é do consultor norte-americano, Mark Beighley, que esteve em Portugal a avaliar a preparação do país para os incêndios. Às preocupações habituais desta época do ano vem juntar-se a polémica da restrição no uso de contra-fogos. A partir de 2009, é exigida a presença de um técnico da Autoridade Florestal Nacional para a utilização de contra-fogos. Caso optem por esta forma de combate a incêndios, os bombeiros arriscam-se a responsabilidade criminal.
O Fundo Mundial para a Natureza revelou que os fogos florestais têm maior impacto económico na Europa mediterrânica e que só em Portugal já causaram 3 mil milhões em prejuízos.

Convidados:
Comandante Fernando Vilaça
, Liga dos Bombeiros Portugueses
Murteira Nabo, Bastonário da Ordem dos Economistas e Presidente do Movimento ECO
José Sousa Uva, Engenheiro Florestal e Vogal do Colégio Nacional de Engenharia Florestal da Ordem dos Engenheiros
José Miguel Cardoso Pereira, Professor no Instituto Superior de Agronomia

11 comentários:

Piloto Automatico disse...

É obvio que um dos principais factores que contribuem para a escalada dos incêndios em portugal nas últimas décadas é o abandono da floresta (tanto pelos privados como pelo Estado). Esses terrenos sem manutenção ou limpeza são uma bomba relógio para os fogos florestais.
Parte da solução (a par da educação cívica) passaria pela mobilização das Forças Armadas e da população prisional em Portugal para efectivar um abrangente programa de limpeza das matas e florestas, bem como de vigilância e protecção das mesmas.

Strawberryzinha disse...

A este ritmo de incêndios Portugal não terá muito mais para queimar!

É desesperante ver o resultado de um fogo, e é importante de perceber que o conhecimento dos mais velhos pode ajudar em muito.

As gerações mais novas, não conhecem alguns métodos "artesanais" que podem ajudar à não propagação de um fogo, como as linhas de fogo, como a manutenção da limpeza dos terrenos, como os canais de rega que podem ser utilizados em caso de incêndio nas aldeias etc...

É preciso formar!!!!

Patrícia Santos

Cristina Rocha disse...

Boa tarde!

Deviam-se propôr maiores coimas para aqueles proprietários que só reclamam os terrenos quando lhes convém.
Se pudesse, colocava alguns desempregados e alguns presos a limparem as matas públicas ou não. As auto-estradas e equivalentes são todos os anos cortadas por causa dos incêndios; e os bombeiros é que pagam as favas.

Sylvie disse...

Boa tarde!
Na minha opinião, entre outros problemas, as nossas florestas (infelizmente não so!) estão a precisar de manutenção e limpeza! Até os reclusos poderiam fazer este tipo de trabalhos a favor da comunidade por exemplo!

Cristina Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joze disse...

porque e que nao se aposta mais na prevençao com brigadas durante o ano todo na floresta que tratem desta e que a remtabilizem melhor este recurso assim ja havia um maior conhecimento do local. muitas vezes os bombeiros nao estao familiarizados com o terreno e mais dificil para este combater as chamas.
por alguma razao existem casas florestais agora abandonadas ja nao sao precisas?
secalhar o problema nao esta na prevençao mas quem ganha a apagar incendios talvez quem tenha helicopetros

joze disse...

e criar brigadas para tratar da da floresta durante todo o ano?por alguma razao existem casas florestais.
ou o problema nao estara na prevençao?secalhar há quem ganhe mais a combater os incendios talvez quem tenha empresas de helicopetros?

Cristina Rocha disse...

Para imensas coisas, quem socorre? os bombeiros!
É necessário a população saber aplicar o conceito de cidadania. Todos ficam aflitos com os incêndios e com razão, mas e quem queima aquelas coisinhas, e similares, que tanto enerva...
Eu não sou bombeira, nunca fui, nem tenho familiares que o sejam, mas as pessoas já pensaram em ajudar? (muitas vezes nem custa nada) Falem e dá para reciclar muita coisa, penso eu... ou então os profissionais conseguem queimar com segurança.
Cumprimentos

Sylvie disse...

E porque não plantar MAIS? Há medida que se vão perdendo as matas prq n ir plantando tb??

rui disse...

As pessoas cortam as árvores ou ervas e são queimadas mas é proibido, mas não há alternativas para a proibição.
A ideia era ser as Juntas de Freguesia a fazerem a recolha desses derivados das limpezas.
Muitas das juntas já estão dotadas de tractores com reboque, assim era só fazer a recolha desses derivados para depois fazer fardos para fazer como é feito nas sucateiras, anda um camião com uma enfardadeira e vários camiões para serem carregados.
As juntas eram ajudadas financeiramente à tonelada, tanto pelo estado, como pelas empresas de reaproveitamento de derivados de madeira.
Assim as empresas de reaproveitamento de derivados de madeira já não precisavam de cortar tantas árvores e muitos dos fogos que há de derivado de fogueiras ilegais.
Assim já não havia tantos fogos.

Cristina Rocha disse...

Para imensas coisas, quem socorre? os bombeiros!
É necessário a população saber aplicar o conceito de cidadania. Todos ficam aflitos com os incêndios e com razão, mas e quem queima aquelas coisinhas, e similares, que tanto enerva...
Eu não sou bombeira, nunca fui, nem tenho familiares que o sejam, mas as pessoas já pensaram em ajudar? (muitas vezes nem custa nada) Falem e dá para reciclar muita coisa, penso eu... ou então os profissionais conseguem queimar com segurança.
Cumprimentos