quinta-feira, outubro 1

Cuidar dos mais velhos

Há quase 2 milhões de idosos, representam 17,6% da população portuguesa e a maioria está na classe económica mais baixa.
Neste SC queremos esmiuçar sobre se cuidamos condignamente dos mais velhos. A aposta na área dos cuidados de saúde e sociais tem marcado a agenda nacional, mas será suficiente? Estamos preparados para o contínuo envelhecimento da população? A Rede Nacional de Cuidados Continuados responde às necessidades crescentes de abandono de idosos pelas famílias?
Convidados:
Maria Rodrigues Vacas, Associação Portuguesa de Apoio à Vítima
Cristina Louro, Vice-presidente da Cruz Vermelha Portuguesa
Gorjão Clara, Membro da academia Europeia de Medicina do Envelhecimento e Professor de Geriatria
Maria João Quintela, Chefe de Divisão de Saúde no Ciclo de Vida e em Ambientes Específicos da Direcção-Geral da Saúde

8 comentários:

Vitor disse...

Como é que é possível, os mais velhos terem uma vida digna!
Por exemplo, para terem uma consulta nos postos de saúde, tem que estarem na fla desde as 5 horas da manhã para terem direito a essa mesma consulta.
É tudo uma grande mentira, o apoio aos mais velhos necessitados.
Não esquecer que a maioria dos nossos velhos estão à espera da morte, sem apoio...
Até nisto, há diferenças de apoio nas classes sociais, pelo menos a morte é igual para todos.
A cruz vermelha é neste momento apoio de classes priveligiadas.
Obrigado
Vitor Manuel

PDD-NOS (Menina) disse...

Numa sociedade como a nossa, em que não podemos optar por ficar em casa e tomar conta dos nossos idosos e das nossas crianças, as respostas são poucas e caras.
Quem tem de procurar um local para colocar os nossos Pais, tem pouco por onde escolher.
Vagas fora do privado, não se consegue e o privado cobra de forma escandalosa e nem sempre trata os nossos idosos da melhor forma.
Precisamos de mais e melhor, a nossa população esta muito envelhecida.
A resposta era para ontem, hoje já estamos atrasados.

carica disse...

Boa tarde,

Também olho para os turistas idosos que visitam o nosso país e quem me dera que os nossos anciãos tivessem esse espírito.
Os meus avós octogenários são o oposto. Mesmo com o apoio e carinho da família são eles que se fazem inúteis, que se acreditam assim, que não são incapazes de encontrar alegria, que se recusam a isso mesmo com o esforço dos filhos e netos para tal.
Gostaria de salientar que muitas famílias tratam muito bem os seus idosos, mas que mesmo com muito amor e paciência tal não deixa de ser um desafio. Está muito longe de ser um mar de rosas ser responsável por idosos que necessitam de cuidados, especialmente se pensarmos que a geração de "filhos" está a entrar na terceira idade, ainda tem que trabalhar, tem os seus próprios problemas de saúde, provavelmente terá netos. E é sobretudo difícil por causa da mentalidade dos próprios idosos, que olham para a velhice como algo tão cinzento.

Obrigada, Ana Chagas

Borboleta disse...

Olà chamo-me Ana tenho 25 anos.
Primeiro gostaria de vos dar os parabéns pelo programa.POis não são apenas "mais um programa", tem muito interesse, e não estagna. Sempre que posso assisto.
Sobre o assunto de hoje, sinto-me principalmente tocada pois trabalho com idosos, e gosto muito da 3º idade, e respeito-a.
Penso que por vezes a sua saude poderia estar muito melhor com simples actos de afecto, pois como qualquer pessoa a saude psicologica é muito importante. Parece-me a mim, que por vezes os familiares de um idoso esquecem dessa parte da saude.
Sei que muitos lares tem boas condiçoes, mas nao podemos esquecer que Portugal é um país de idosos pobres e nem todos tem posses para esses locais.
gostaria que as pessoas tivessem noçao do que é ser um idoso e que ouve uma altura que estiverão a cuidar de nós, em certas alturas que precisamos. Porque não cuidar-mos nós deles agora?também eles alterarão a sua vida por nós.
acho injusto perante o que nos derao e o que nos são, avós ou pais.

nbsp disse...

"Formação dos profissionais de saúde" “ensinar os profissionais a trabalhar com idosos”. Concordo plenamente com as citações no entanto, para que é necessário a formação de profissionais se quando numa entrevista de trabalho para uma instituição de apoio a idosos aparece um gerontólogo (técnico especializado no processo de envelhecimento e velhice) e é contratado um outro profissional que não possui esse conhecimento?! Será que não será necessário primeiro mudar mentalidades?!
Quanto à violência na terceira idade, tudo mudaria se as pessoas pensassem “ daqui a x anos serei eu que estarei nesta situação!”
obrigada
Paula

carica disse...

Boa tarde,

Gostaria que se implementasse em Portugal o modelo que existe nos EUA, de micro cidades só para idosos, onde todos, mediante as capacidades, exercem um papel importante naquela sociedade e, onde têm acesso a todas as infraestruturas e cuidados.
Especialmente gostaria que este modelo fosse acessível a todos os idosos e não somente aos privilegiados que podem pagar.
Igualmente acredito que os idosos que recebem reformas parcas deveriam ter acesso à sua medicação gratuitamente.

Obrigada. Ana Chagas

Raul disse...

Com o país que temos todos nós nos deixamos andar sem nos preocupar-mos com coisa nenhuma e muito menos com os idosos. Quando finalmente acontece connosco culpamos a sociedade por não dar mais apoio. Não deviamos preocupar-nos com tudo isto a partir do momento em que vemos a miséria em que os nossos idosos vivem? Há muitas pessoas que chegam a esconder os seus problemas entre os quais está um idoso que precisa de cuidados e nem sempre a sua vida lhe permite estar sempre presente. Quais são as soluções? Que ofertas tem a sociedade para este tipo de cuidados?

Sylvie disse...

Boa tarde!
Infelizmente hoje não pude assistir ao programa mas não quero deixar passar a oportunidade de dizer algumas coisas sobre este tema tão importante e que atinge tantas pessoas.
Os nossos idosos não têm apoios nenhuns, têm reformas miseráveis, são mal tratados, vistos como um empecilho para a sociedade e constantemente são apelidados de velhos! Como podem eles sentirem-se felizes, capazes e/ou úteis? Como podem eles ter uma outra mentalidade numa sociedade/cultura como a nossa?
Concordo com o comentário do Vitor: "O apoio aos mais velhos necessitados é uma grande mentira!"
Apoio? um verdadeiro apoio seria (e como já aqui alguém referiu) medicação gratuita para os idosos que tem reformas baixas!