segunda-feira, novembro 9

A queda do comunismo

Com o muro de Berlim caiu também a ideologia comunista enquanto forma de governo, perpetuada durante mais de 70 anos. A democracia galgou os escombros e chegou ao império soviético. Desfizeram-se pactos militares, devolveu-se a independência a países-satélites da URSS e, acima de tudo, atrasou-se o relógio nuclear. Tinha início o fim da escalada ao armamento que poderia levar à extinção da humanidade – uma espada de Dâmocles que a geração seguinte já não sentiu.
20 anos volvidos, o que mudou? Como evoluiu a União Europeia, cujas fronteiras são agora as do antigo império soviético? Como irá evoluir? A imigração de Leste é ainda uma fuga à pobreza? O que falta fazer?
Convidados:
Katarzyna Skórzynska, Embaixadora da Polónia em Portugal
Luís Moita, Professor na Universidade Autónoma de Lisboa
Margarida Marques, Chefe de Representação da Comissão Europeia em Portugal
Paulo Sande, Dir. Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal

6 comentários:

antonio disse...

creio que o que melhor define a queda do muro de Berlim é a frase: perderam os maus, ganharam os piores. e são esses que governam agora o mundo. qualquer voz que se levante agora contra este status quo, é terrorismo.
é com enorme amargo de boca que começo a ter saudades da guerra fria...

antonio disse...

e...
"A democracia galgou os escombros e chegou ao império soviético".
ó meus amigos, 'democracia' no meu dicionário não é sinónimo de 'ditadura do dinheiro, em que as pessoas se podem queixar à vontade'.
o vosso convidado disse a frase certa: economia criminal. é nisso que vivemos. e os russos então...

Emporium Person disse...

O muro de Berlim foi derrubado. Mas pressinto que está a erguer-se outro muro, omnipresente em todas as sociedades ocidentais. Este "muro" sente-se quando se fala na intromissão do governo em áreas como a justiça e a investigação criminal, na tomada de decisões arbitrárias, por exemplo, na atribuição de concessões e contratos a entidades privadas. Estarão os estados a ser democráticos, tomando estas atitudes, ou estaremos a caminhar para novas formas de absolutismo?

José Reis

sonharamar disse...

Só tenho a apontar que a ideologia comunista não caiu com o muro de Berlim. Tal afirmação é ´falsa um insulto a todos aqueles que abraçam tão nobre ideal. Sem fazer qualquer juízo de valor, por este mundo fora existem países com governos comunistas com alguns resultados sociais melhores do que por exemplo os de Portugal seja na educação ou na cultura ou mesmo na saúde como acontece com Cuba. Em Portugal é costume ir-se a Cuba resolver problemas graves de saúde. É também claramente visível que existem mesmo na Europa inúmeros partidos de ideologia comunista com grande expressão parlamentar e Portugal também não é excepção.
A crise do mercado capitalista a que assistimos nos dias de hoje acentua as virtudes do comunismo e aumenta o numero de pessoas que abraçam tal ideologia. O comunismo não caiu com o muro de Berlim, apenas se renovou.
É óbvio que haverá coisas boas e más como qualquer outra ideologia. E apesar de não ser esta a minha orientação politica sinto-me insultado ao dizerem que a ideologia comunista caiu como forma de governo com o muro de Berlim.

ASS: Pedro Silva

antonio disse...

"esta crise apanhou-nos a todos de surpresa"?! a quem? é dos manuais, este sistema vai dar nisto ciclicamente. e é nestas fases que aqueles que já mais usufruem deste sistema têm oportunidade de ficar ainda mais milionários, enquanto todos os demais perdem a casa, passam de bife para feijão e acumulam dívidas aos bancos.
quando os milhões e milhões de sacrificados começarem a ir para a rua mais sistematicamente fazer barulho e partir coisas, também será uma uma surpresa? para quem?

sonharamar disse...

A ameaça nuclear nunca foi tão grande. O relógio nuclear não se atrasou com o muro de Berlim, houve de facto uma redução no numero de ogivas nucleares. Mas o numero continuam tão elevado que pode levar na mesma à extinção da humanidade. Se 500 são suficientes, não serve de muito diminuir de 20000 para 10000.
Além disso hoje em dia são muito mais os países com armamento nuclear do que aquando a queda do muro de Berlim.
A juntar a isso uma nova corrida ás armas criada pelo ex presidente Bush devido ao seu escudo anti míssil que fez com que a Rússia desenvolvesse outro tipo de misseis balísticos intercontinentais capazes de penetrar nesse escudo.
A seguir ao aquecimento global, as armas nucleares continuam a ser e cada vez mais a maior ameaça à extinção da humanidade.
A queda do muro de Berlim nada mudou nesse sentido.

ASS: Pedro Silva