terça-feira, março 9

Comboio: o melhor meio de transporte?

O TGV e a renovação da rede ferroviária são investimentos necessários ao desenvolvimento do país? Alguns especialistas defendem que sim, outros que não. O transporte ferroviário é o mais barato meio de transporte de mercadorias de grande porte, o que levaria muitas empresas a poupar no transporte terrestre. Os comboios obrigariam a aumentar o consumo de electricidade, mas com as barragens previstas a produção interna de electricidade será exponencial e a nossa dependência externa irá reduzir-se. Outros afirmam que o TGV Lisboa-Madrid só por si não é solução, são precisas ligações alternativas entre as principais cidades do país.
Todos os pormenores sobre aquele que é considerado o meio de transporte mais ecológico, seguro e barato.

Convidados:
António Viana
, Director-Geral de Planeamento e Estratégia da REFER
José Teles de Menezes, Representante da Ordem dos Engenheiros, Especialista em Transportes e Vias de Comunicação
Francisco Ferreira, Vice-presidente da Quercus
Nelson Oliveira, Presidente da Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos-de-ferro

23 comentários:

sonharamar disse...

Costumo ir regularmente para Madrid. A semana passada paguei 39€ ida e volta de avião com taxas incluídas.
Que vantagem afinal tem o TGV?
Nem países ricos como a Suécia ou a Noruega ou a Suíça ou muitos outros têm alta velocidade. E de que serve o TGV sem uma rede ferroviária complementar?
E porque não uma rede de alta velocidade que não seja o TGV e que permita a circulação de outro tipo de composições nomeadamente de alta velocidade de mercadorias?

________ disse...

O Comboio é sem dúvida um bom meio de transporte! Mas agora será o TGV realmente necessário? Sim, se o tempo de deslocação de um determinado ponto a outro é reduzido, mas também é importante que ao se introduzir o TGV que os preços não sejam demasiado elevados. Com a subida dos preços na linha Porto-Vigo pergunto me quanto não custará uma viagem na mesma linha mas num TGV! É necessário um meio de transporte rápido, barato mas que também abranja um maior horário. Nessa mesma linha o último comboio a partir do Porto é por volta das 20:45 é necessário alargar os horários para horas posteriores.
Mónica Oliveira, Vila Nova de Famalicão

Joana disse...

Como é que um comboio dito rápido - AlFA - pára em 4 estações num percurso de 60Km, ou seja, Vila Nova de Gaia, Porto, Famalicão e Braga?

Não estaremos a pagar comboios rápidos mascarados de intercidades?

Para quem faz Lisboa-Braga regularmente essas paragens não fazem qualquer sentido!

Partido de Todos os Portugueses disse...

O alfa aumento o movimento 5% em Janeiro de 2010?

Quanto é que variou em 2009? Decresceu?

Qual a mais valia da alta velocidade relativamente ao alfa?

Qual a diferença de custo entre os dois?

Compensa?

Viajante disse...

Não tenho dúvidas que o meio de transporte ferroviário seja mais eficiente, ecológico e seguro. Aquilo que duvido, quando olho à minha volta é se existirá realmente esse interesse da parte de quem regula e incita hábitos de consumo.
A verdade é que a incitação à compra de carros é esmagadora... a minha pergunta é a seguinte:

Até que pondo os governos conseguem educar e consciencializar sobre o uso do comboio e alterar hábitos de uso contra o lobby automóvel que como todos sabemos é fortíssimo e há muito que tem os nossos governos na mão (Auto Europa entre muitos outros)...

Boa tarde!!!
LIBERTINAGEM.PT.VU

nuno disse...

A meu ver, a utilização do comboio realmente torna-se mais barata, mas a minha questão centra-se de facto na segurança que os comboios interurbanos oferecem aos passageiros, e um exemplo é a linha de Sintra, onde quase todos os dias pessoas são assaltadas.

Anjos disse...

Boa tarde.
Fiz à 2 ou 3 anos Viagem Afife-Viana do Castelo-Porto...terror...3h de viagem...sempre é preferível fazer o alfa de Lisboa-Porto e vice versa...pelo menos a quantidade de km justifica!
Aqui em Afife não existem quase horários para Viana...muitos dos que passam vem de Valença mas não param...vão directos para Viana do Castelo...obrigam as pessoas a quererem carro...ou ficam em casa!!!

Vera disse...

Gostaria de salientar que a via ferroviária a sul do país (lisboa- beja ou Faro) também bastante utilizada e também é necessário adquirir um bilhete com atecedência, devido aos investimentos da CP nesta zona do país ser quase nulo.

A CP e as restantes grandes empresas esquecem um pouco o sul do país... o Alentejo, nomeadamente. Devido a esse factor este meio de transporte também menos utilizado, uma vez que existem poucos comboios e poucos horários
Vera

Rodrigo disse...

É curiosa esta discussão em torno do TGV, há sempre tantos beneficios que apontam, nomeadamente entre eles o preço. O comboio é o meio de transporte mais barato...
Ora vejamos, se eu e outra pessoa quisermos ir do Porto a Lisboa de comboio, optando pelo Alfa, necessito a preços de hoje de 57 €, sem contar com a deslocação de e para as estações.
De automóvel, pela auto estrada e com um consumo médio de 10 l aos 100 km (como podem ver não estou a ser nada meigo nos consumos), gastaria um total de 53.57€, também a preços de hoje. Como duvido que o TGV seja mais barato que o Alfa diga-me lá para quem é que o comboio é o meio de transporte mais barato? Para o utente de certeza que não é.

Antístenes disse...

Boa tarde, o comboio pode ser uma alternativa, mas há que ter em conta uma série de questões que o rodeiam.

A 1ª é que é pouco flexível quando comparado com o transporte rodoviário, daí que tantos optem por este - mesmo em Inglaterra, que tem a mais extensa, proporcionalmente à sua área, e antiga rede ferroviária do mundo (eu, por não ter carro, deslocava-me de comboio e estava satisfeito).
A resolução passa pela ligação das várias linhas (como em Inglaterra) e a intermodalidade - existência de parques de estacionamento ou de transportes públicos eficientes.

Outra questão é a segurança dos passageiros dentro das carruagens - é sabido que a probabilidade de assaltos no comboio é maior, daí a existência de polícias ou seguranças privados a circularem nas carruagens, inclusive no Metro. As pessoas querem viajar descansadas!

Ao nível do investimento, o comboio exige muito dinheiro, quer na infraestrutura quer no material circulante.

E deste ultimo ponto, passo para a questão da avaliação dos custos e da satisfação das necessidades do mercado.

Caros senhores, as pessoas no dia-a-dia não andam de comboio "por causa da vista" (na Alta Velocidade isso até é complicado)!
Se esperais que a maioria das pessoas opte pelo comboio por causa dum suposto "romantismo", ou por causa do ambiente, estais enganados!
As pessoas querem que os transportes satisfaçam as suas necessidades diárias de deslocação.

Posso dizer-vos que num recente seminário sobre viagens de negócios, os responsáveis de diversas empresas mostraram-se totalmente contra a ideia de irem para Madrid por comboio em vez do avião, pois não compensa quer em termos financeiros quer em termos do tempo.

Portanto, caros senhores, se o comboio quer clientes precisa de fazer o que qualquer outro negócio faz para ter sucesso: preço competitivo, velocidade, frequência elevada, levar as pessoas aos seus destinos.

Daí que se deva pôr em causa o projecto da ligação a Madrid: por acaso haverá clientes que o justifiquem?

Se a linha incluir mercadorias directamente a partir de Sines e do Aeroporto de Beja é capaz de valer a pena, mas só com passageiros, que eu saiba, não há dados que sustentem o investimento.

Obrigado.

Pedro Alves

Ricardo Miguel disse...

uma questão para a REFER: A Refer não tem qualquer objectivo de redução dos carros nos centros de cidades, no entanto, ao não promover parques de estacionamento gratuitos (como os parques exteriores) e tarifas reduzidas para parques interiores, dá um tiro no pé. Porque o comodismo prevalece face à lógica e esse é o resultado dos congestionamentos de Lisboa e Porto!

Lovesign2u disse...

Boa Tarde,
Tenho estado a acompanhar o Programa contudo existem aspectos de modernização que os comboios e as linhas de ferro tém que sofrer no sentido de acompanhar os novos tempos. O automóvel prático e flexivel substituiu o Comboio. O comboio devia se modernizar no sentido de permitir o transporte das Cargas Rodoviárias entre os longos percursos. Os Passageiros deviam ter a possibilidade de transportar o seu veiculo por comboio de forma fácil para longos percursos. Ex.: Viana - Algarve. Assim se reduzia o tráfego nas Autoestradas tanto de Camiões como Automóveis. Viajar de comboio permitia nestas condições aumento da qualidade de Vida e redução do Stress rodoviário que estamos sujeitos. O transporte de Cargas seria depois assegurado no Destino por outros Camiões que levassem a carga ao destino utilizando o mesmo Condutor por exemplo. É tudo uma questão de visão onde a REFER e os caminhos de Ferro estão adormecidos e ultrapassados.

João Afonso disse...

Boa Tarde a todos. Chamo-me João Afonso, de Portalegre, e sou estudante de Geografia em Coimbra. Sendo eu natural de uma região do país onde o despovoamento e a falta de investimentos criadores de emprego, tanto por parte do estado como de privados impera, gostaria de acentuar a importância que as linhas de caminho de ferro que passam pelo Distrito de Portalegre tiveram em Portugal desde o a sua implantação no nosso território, à mais de 100 anos, e que ligaram Portugal ao estrangeiro pela 1ªvez. Quanto à minha questão é a seguinte: porque é que as Linhas do Este e de Elvas não são dotadas de serviços ferroviários de Intercidades, quando são estas linhas que servem directamente Lisboa a Madrid e ao resto da Europa? É uma situação altamente discriminatória para o interior do país, e que tira muitos investimentos e turistas, tanto ao país como ao meu Distrito. Será que por sermos do interior e termos menos densidade populacional do que a generalidade do país, teremos que estar remetidos ao esquecimento? Porque afinal de contas, sem a criação de vias de comunicação modernas,o interior do país nunca sairá da "cepa torta", e nunca conseguiremos atrair investimentos criadores de emprego que possam fixar a população no interior. Já agora, seria possível aproximar o caminho de ferro a Portalegre? Porque a estação dita "oficial" fica a 12km (!!). Muito obrigado e parabéns pelo vosso programa.

multih disse...

Muito boa tarde, o meu nome é Bruno Lopes, sou de Aveiro e sou utilizador assiduo do comboio, nas suas mais variadas vertentes e serviços. Desde as minhas desloçaoes regulares a coimbra (cp regional), deslocaçoes ao porto (cp porto) ou até lisboa (cp longo curso). Acho que uma das questoes que falta focar, é precisamente a descrepancia que existe entre todas as secçoes em que actualmente a Cp se divide.
Hoje, os caminhos de ferro portugueses ja nao oferecem aos seus clientes uma deslocaçao mas sim uma oferta de serviços. E acho que já que se tocou no tema da inter-modalidade entre transportes, que esse conceito seja tambem aplicado na propria cp. Hoje, eu nao pago a distancia entre o ponto a e o ponto b, mas sim, aquilo que a secçao da cp responsavel pelo troço acha justo cobrar por isso, e aí, a cp longo curso, a cp regional, a cp porto e a cp lisboa, teem tarifas ridiculamente descrepantes para iguais percursos e para condiçoes de transporte muitas vezes revoltantes face ao que é cobrado.
Com a subdivisao da cp, distancias semelhantes teem tarifas abismalmente diferentes: ex. aveiro - porto (2,15 eur.) e aveiro - coimbra (4,55 eur.). A cp deve acima de tudo mudar o seu modo de gestao de troços e equipamentos, e nao avançar com preocupaçoes sobre aqueles que teem a alternativa do carro e alicialos á mudança, mas começar por satisfazer e dar as melhores alternativas áqueles que nao teem ou nao querem outra alternativa que nao o comboio.

com os melhores cumprimentos, Bruno Lopes.

Carlos disse...

Olá.
Gosto do comboio e adoraria andar de TGV entre Évora e Lisboa.
Vai ficar a 30 minutos, mas a população comum, vai ter rendimento para fazer uma ida e volta de 80 euros/dia no percurso referido?

Carlos

Vera disse...

TGV é um projecto extremamente aliciante mas não prático, uma vez que será utilizado apenas por "elites" devido ao seu preço.

E que tal melhorar as linhas ferroviárias já existentes e os próprios comboios?
Na minha opinião este é um investimento mais útil e com lucros siginificativos certamente em menor período do que os lucros do TGV!!!

ramcarvalhal disse...

O comboio é sem duvida um bom meio de transporte, quer a nivel ambiental quer de segurança! no entanto não consigo compreender as politicas utilizadas pelas empresas que prestam este tipo de serviço. por exemplo: a CP tinha até ao ano de 2009 no serviço alfa desconto de cartão jovem de 3ª a 5ª, mas de 6ª a 2ª o desconto não existia. no ano de 2010 este tipo de desconto neste serviço deixou de existir. Como se compreende que uma empresa não tente atrair os seus passageiros nos dias em que eles necessitam realmente de viajar....

helena santos disse...

eu gosto muito de viajar de comboio. se calhar o lugar onde vivo, barcelos, não é o mais adequado porque, se por exemplo quero ir ao Porto e voltar a partir das 18.30, ao sábado, não tenho mais transporte para Barcelos e na maioria das vezes espera-se muito em Nine para fazer ligação a Barcelos. No entanto há uns anos atrás tinha comboios no minho até cerca da 1 da manhã! porque razão são cada vez menos os comboios da linha do Minho? se repararem eles vêm abarrotar, especialmente de juventude, com os polos universitários!
aforam retirados os co

Loureiro disse...

BELO DEBATE SOBRE O CAMINHO DE FERRO.COMO FERROVIÁRIO SOU UM FERVEROSO APOIANTE DO CF.MAIS SEGURO;MAIS BARATO;MAIS CÓMODO;MAIS AMIGO DO AMBIENTE.QUE QUEREM MAIS?O PROBLEMA É NÓS SOMOS MUITO COMODISTAS.SE FOR DE CARRO PARA O PORTO OU FARO E CUMPRINDO O CÓDIGO DA CESTRADA QUANTO TEMPO LEVO? E DE COMBOIO?AGORA VEJAM:APRECIAR A PAISAGEM EM SEGURANÇA;LER E OUVIR MÚSICA;ESCREVER;TIRAR FOTOS OU FILMAR;TOMAR UMA BEBIDA NO BAR;IR AO WC QUANDO TIVER NECESSIDADE.QUEREM MAIS?VIVA O COMBOIO.

Carlos disse...

A rede-expressos entre Évora e Lisboa é 20 euros ida e volta. 1,5 horas (sem paragem e no autoestrada) e a garagem dos autocarros é quase no centro de Évora. Eu não vou deixar de ir no autocarro. Não tenho dinheiro para o TGV.

Ricardo disse...

Sendo um fan de comboios, uso regularmente este transporte para me deslocar, mas vou me direccionar especialmente ao comboio internacional SudExpress. Já fiz algumas viagens neste comboio no qual adorei. Surge aqui uma questão. Com o TGV em vista estará o SudExpress em risco? espero bem que não, pois é um comboio único e com muita história.

jose disse...

Boa tarde,
Sou do Porto e estudo em Lisboa pelo que faço viagens frequentes entre as duas cidades. Gostaria de mencionar a qualidade dos comboios e do serviço no geral, o que falha é a qualidade das linhas e das estações. Não se explica como é que o alfa pode circular a 220 km/h e tem troços que não passa dos 80 km / h pois a linha es´tá péssima. A solução para demorar menos tempo de viagem passará pela alta velocidade mas urge remodelar as linhas bem como algumas estações que se encontram em estado crítico.

Bruno disse...

Boa tarde
Sou residente na zona de Fátima, e como sabem é uma zona com um enorme fluxo de turistas durante quase todo o ano chegando mesmo em certas alturas a bloquear as saidas da Auto-estrada A1, tendo um dos meus trabalhos já passado pela restauração onde era por inúmeras vezes questionado se Fátima tinha estação de Comboios as pessoas ficavam maravilhadas quando eu dizia que sim o problema vinha a seguir quando lhes dizia que ficava sensivelmente a 25kms de Fátima que é onde se situa a estação de Vale dos Ovos..........
Bruno Oliveira