sexta-feira, abril 16

Cuidado com a voz!

Não Beber álcool, não fumar e ter hábitos de alimentação saudáveis parecem ser conselhos simples para quem quer cuidar da voz.
Um dos mitos mais comuns refere que só os cantores líricos ou atores de teatro é que devem ter cuidado com a voz – nada mais errado! Todos devemos cuidar do aparelho vocal, sob pena de ficarmos afónicos.
Mutos sofrem de rouquidão, tosse ou sensação de garganta irritada, mas não procuram apoio médico.
Porém, quanto mais avançados forem os sintomas mais dificil será tratar qualquer uma das doenças que afetam a voz.
Uma conversa no tom certo, hoje, no SC.

Convidados:
António Sala
, Comunicador
Rui de Matos, Prof. de Voz, Canto e Estratégias da Comunicação
Óscar Dias, Médico Otorrinolaringologista
Cristina Villa Simões, Terapeuta da fala

7 comentários:

Fonseca disse...

A voz é um instrumento, alguém disse...
Não fumar, não frequentar constantemente ambientes com o ar poluído, não beber bebidas muito quentes repentinamente, etc, são algumas medidas básicas que todos sabemos, ou não?
Ao fim de semana fujo da cidade e vou, com família, para zonas verdes ou para a beira mar, o fumo do trânsito e das fábricas incomoda-me bastante.
Tenho tendência para rinite alérgica o que me afecta a garganta e consequentemente a voz, que mais cuidados posso ter?
Continuação de excelentes programas!
Um abraço a todos os que gostam do Sociedade Civil!

Eugénia Fonseca (40 anos)

joao disse...

Tenho uma filha com 4 anos que por vezes fala "sopinha de massa".
Acham que será "mimo"? Com a idade tenderá a desaparecer?
Obrigada

isabel lopes disse...

Olá Fernanda
Parabéns pelo seu programa que é excelente.
Felizmente não tenho problemas com a voz, mas não podia deixar passar este dia para manifestar o meu contentamente, por voltar a ver esse Grande Senhor e Grande comunicador que é António Sala, para ele vai um grande beijinho.

Isabel

Fonseca disse...

O que é certo é que o chá de limão com mel morno, o chá de laranjeira, ou de cebola e a canja de galinha ajudam, são uma grande ajuda para aliviar os problemas de garganta.
Nas escolas muitos dos professores falam demasiado alto criando maus hábitos nos alunos. Todos nós devíamos ter noções básicas, desde cedo, de como colocar bem a voz, controlar a intensidade do tom e tudo isso, é um facto.
Infelizmente, ao longo dos anos fui a vários otorrinolaringologistas e quase nada ajudaram para os cuidados da garganta. Por exemplo, uns diziam que as bebidas frias fazem mal à garganta, outros não. Afinal como é?
O que se passa com aquelas pessoas que desde crianças até adultas, são roucas da voz?

Cumprimentos a todos e especialmente ao António Sala convidado hoje no programa, pois já respondeu a muitas dúvidas minhas, embora os outros convidados também.

Paulo disse...

Boa Tarde

Chamo-me Paulo Barroca,sou espectador assíduo do seu programa o qual aproveito desde já por congratular.

Estou a escrever pois já há um ou 2 meses que tenho uma dor que vai e vem (não é constante, há semanas em que me doi outras em que não) mesmo na entrada da garganta. Tenho tido bastantes vezes aftas na boca, e foi-me diagnosticado uma esofagite de grau II dado que tenho refluxo.

Estou assustado que possa ter algum problema grave como um tumor ou algo do género, porém realizeis análises gerais e estão normais. A dor que sinto à entrada da garganta é parecida com a dor das aftas. O que pode ser? Devo preocupar-me?

Obrigado e bom programa

Paulo Barroca

Sónia disse...

Boa tarde,
Gostaria de fazer uma pergunta, tenho uma filha com 4 anos e costuma ter mau hálito será um problema?

Fonseca disse...

Não sou médica, mas a minha experiência tendo em conta o que assisti, soube e li de boas fontes, acho que o mau hálito resolve-se facilmente. A Sónia, aqui nesta página, perguntava como ajudar a filha de 4 anos a ter melhor hálito, eu julgo que uma boa higiene oral, comer mais fruta e legumes, evitar alimentos ácidos e os doces, beber mais água, já é meio caminho andado. Mas eu especifico: hoje em dia vejo muitas crianças a ingerir chocolates demasiado novas, deviam só comer a partir dos 5 anos e com moderação, e rebuçados ou chupas-chupas em excesso, para além dos prejudicais refrigerantes (coca-cola, ice-tea, 7-up, etc) e demasiados alimentos fritos. Se a criança andar muitas vezes stressada, frequentando ambientes de fumo e lhe darem maus hábitos alimentares sem certificarem que lava os dentes sempre antes de dormir, pois claro que surgirão problemas orais. É preciso saber se o problema é do estômago e/ou dos dentes apodrecidos. Existem líquidos de bochechar infantis, aos 4 anos já é possível ensinar a criança a não ingerir o produto, basta ter paciência e bom método. Dar o exemplo, é uma forma.
Se apesar dos cuidados básicos o problema persistir é óbvio que tem de ir ao médico, o que provavelmente disseram no programa, infelizmente, não assisti à última parte, pois tive de me ausentar.
Para os adultos, há um truque simples que me ensinaram: mastigar umas folhas de salsa e talvez resulte também com coentros frescos. Mas a maioria preferem as pastilhas de mentol, etc.
Eu e família preferimos seguir o que é saudável.
Comer maçã ou uma cenoura crua quando não se pode lavar imediatamente os dentes, também é uma boa medida.

Tudo de bom!

Até breve!