quinta-feira, maio 13

Por que acreditamos em Deus?

Anthony Flew, um dos maiores filósofos do séc. XX, foi um defensor do agnosticismo e crítico feroz das religiões. Em 2007, escreveu “Deus Existe” e justificou ter-se tornado um deísta devido às descobertas na astrofísica e na quântica. Para este filósofo recentemente falecido, a ciência não explica tudo. Para a maioria dos cientistas explica ou há-de explicar. Para os crentes há e continuará a haver fenómenos inexplicáveis sem a existência de Deus. Curas milagrosas a que a medicina chama “espontâneas”, explicações para a origem do universo, respostas sobre o que pode estar para além da morte.

Convidados:
Pe. Joaquim Carreira das Neves, Professor Jubilado da Universidade Católica
Álvaro Ladeira, Pastor da Aliança Evangélica Portuguesa
Isaac Assor, Oficiante da Sinagoga de Lisboa e Membro da Comunidade Israelita de Lisboa
Sheik David Munir, Imã da Mesquita de Lisboa

86 comentários:

*Andreia de Jesus* disse...

A crença e a Fé, não se explicam. Sentem-se. Manifestam-se em nós e transformam-nos. Por isso, a Ciência nunca poderá explicar. Não há factualidade, não há quantificação. Há sentimento, há espiritualidade. Nem tudo se mede, explica ou percebe. Tal como existe dificuldade em explicar ou definir o amor, também o existe para com a fé. É algo que sempre ultrapassará o entendimento humano. E curioso é pensar que a fé se molda no amor, e o amor se intensifica na fé. Tal como existe a emoção e a razão, e ambas co-existem, também a fé pode co-existir com a ciência. Não são contraditórias, antes, se complementam, e melhor "constróem" o ser humano.

Andreia de Jesus

angela disse...

Gostaria de ver neste programa de hoje a explicação do porquê de muitas vezes duvidarmos a existencia de DEUS , pois á tanta maldade no mundo e por vezes só os bons sofrem , Porquê?????

Etc disse...

Só podemos dizer que algo não existe quando temos o conhecimento de tudo o que existe.E não creio que algum ser humano possa ter tal conhecimento para conseguir dizer com tanta convicção que Deus não existe.

angela disse...

por vezes são os proprios superiores da igreja que nos deixa cheios de duvidas na existencia de Deus, pois quantas vezes são os proprios a renunciar a existencia dele

sininho disse...

Eu acredito essencialmente em algo maior e melhor que nós, que me serve de guia e inspiração, que nos transpõe para uma Paz interior... Algo que nos aconchega e nos faz sentir plenos.
É um farol numa noite de nevoeiro onde deposito todas as esperanças quando o mundo lá fora parece perdido...
Deus também é a harmonia e beleza em cada arte, palavra, pensamento... enfim tudo aquilo que nos incita a ser melhores.

Vera

Scotex disse...

Já alguma vez vos aconteceu ouvirem alguém dizer exactamente aquilo que vocês pensam mas que nunca antes conseguiram expressar por palavras? Pois bem, dêmos então a palavra ao gigante da Stand-Up Comedy, o grande George Carlin:

«A religião tem a maior história da treta alguma vez contada. Pensem nisso: a religião conseguiu realmente convencer as pessoas de que existe um homem invisível, que vive no céu e vê tudo o que fazemos, durante todos os minutos de todos os dias; e que o homem invisível tem uma lista especial de 10 coisas que ele não quer que façamos; e que se fizermos alguma destas 10 coisas, ele tem um lugar especial cheio de fogo e fumo e queimaduras e tortura e sofrimento, para onde ele nós enviará para sofrermos e sufocarmos e gritarmos e chorarmos para todo o sempre. Mas ele ama-vos. Ele ama-vos e precisa do vosso dinheiro!»

Rafael disse...

acredito em tudo que vejo...
nas pessoas, na natureza, na criatividade, no aleatório, no crosinwuver, nos sentimentos, em mim mesmo, sem preconceitos, sem bem nem mal, amor é o principal motor de acreditar...

angela disse...

acreditamos sempre que algo de bom nos acontece, e deixamos de acreditar quando algo menos bom nos acontece.

Este é um pouco o sentimento geral

angela disse...

vamos esperar que o santo padre tenha trazido a portugal um pouco mais de fé e esperança na credibilidade de um DEus , eu acredito que ele consegue surtir esse efeito nos portugueses

angela disse...

realmente é impossivel comprar a fé mas é possivel mantê-la acessa a acendê-la se alguem com poderes para tal nos ajudar( os sacerdotes por exemplo) tem essa missão tal como uns pais orientam os seus filhos

juanna Inês Pontes disse...

Existem muitas razões para acreditarmos e os filósofos têm apresentado diversas teorias. por exemplo, para Freud trata-se de um desejo de protecção infantil; para Marx é o "ópio do povo", para outros trata-se de uma necessidade para explicar o sentido da nossa existência (tolstoi).
O que importa esclarecer às pessoas é que estudar o tema das crenças religiosas não é tarefa fácil, pelo contrário, é muito complexo; as pessoas formam crenças acerca de tudo e todos.
Para Dawkins, acreditar em Deus é a mesma coisa que acreditar no monsto da esparguete ou no Pai Natal, não há provas da sua existência, mas cada um pode formar crenças acerca daquilo que quiser, desde que as mesmas o satisfaçam de alguma forma.
A minha tese é a mesma que Dennett, a religião é um fenómeno natural, tal como o evolucionismo, a religião modifica-se, evolui conforme as necessidades e exigências do homem; não há nada de divino ou sobrenatural na religião, o que existem são crenças humanas, decisões colectivas de homens e uma enorme necessidade de encontrar conforto, unir as comunidades em torno de uma explicação que acreditamos transcender-nos.
Uma vez que não há prova racional da existência de deus, daqui se segue que o ateísmo é lógico. Qualquer razão esclarecida a ele chega, embora com algum esforço e, talvez, para mujitos tristeza. É que aceitar a religião como um fenómeno natural não é fácil, assim como ter de dizer às pessoas que o "seu conforto" ou ombro direito não existe e que vão morrer sem reino dos Céus também é complicado. Estragar os sonhos aos homens é como tirar um chocolate a uma criança. Seria desastroso dizer à "velhinha que reza na igreja e tem muito poucos anos de vida que afinal tudo aquilo em que ela sempre acreditou não tem sentido". Todas as pessoas procuram o sentido da vida e perceber que ela não tem mais sentido que a vida de um tigre ou leão, é desconfortante.

obrigada.

Scotex disse...

Eu tenho uma novidade para vocês, algo que por certo vocês desconhecem e que poderá abalar as vossas crenças mais profundas. Preparados? Cá vai: Os seres humanos não são especiais. Repito: Nós não somos especiais. A única coisa que nos distingue dos animais é a consciência de nós próprios – estive a uma unha negra de incluir a “inteligência”, mas depois lembrei-me que há quem realmente ache que a Luciana Abreu é boa actriz; e mesmo em relação à consciência de nós próprios, não sei não, pois aparentemente existem certas espécies de mamíferos (orcas e golfinhos, ao que parece) que são capazes de se reconhecer quando confrontadas com um espelho. Ou seja, no fundo no fundo, não passamos de animais. Animais que nascem, vivem e morrem como todos os restantes seres vivos desde planeta. Tu não és especial. Tu vais morrer como um cão, vais para debaixo da terra e vais ser devorado por vermes do tamanho de salsichas. Morres, autopsiam-te, metem-te num caixão, vais para debaixo da terra e acabou. Tu não acreditas em Deus. Tu tens é medo de morrer. E porquê? Porque te achas mais especial que um cão ou um gato? Porque achas que tens uma “coisa” chamada alma? Porque achas que a vida não faz sentido se não existir algo para além da morte? É isso? Isso é treta – e quanto mais depressa te aperceberes disso, melhor. Não há cá reencarnações, nem vida eterna, nem paraíso, nem inferno...

pixie disse...

Eu não encontro dificudade nenhuma em acreditar em Deus, a dificuladade reside em acreditar no Homem...

Helio disse...

A minha perspectiva é a de separar ciência e religião: a primeira ocupa-se da explicação racional da realidade e a segunda serve para uma vivência emocional e subjectiva. E as duas podem coexistir do mesmo modo que o facto de sabermos que os nossos sentimentos derivam de processos químicos não nos impede de os vivermos de uma forma emocional.

Se pedirem à Fernanda uma prova de amor, o que é que prefere? Um poema e um jantar romântico ou uma análise ao sangue para demonstrar que os processos químicos X e Y estão em acção no organismo da outra pessoa?

A ciência explica racional e objectivamente, a religião vive-se emocional e subjectivamente.

libelinha disse...

A nao pertenca a nenhuma religiao nao exclui a dimensao espiritual existente em cada pessoa. Esta e a dimensao que nos leva a questionar sobre o sentido da vida e da nossa existencia. Ora ate para afirmarmos que a vida nao tem sentido esta implicito o questionamento sobre esse mesmo sentido, pelo que esta dimensao e inevitavel, ate para quem diz que e ateu.

Scotex disse...

A uma minoria que acredita em algo que não existe chamamos loucura. A uma maioria que acredita em algo que não existe chamamos religião.

Helio disse...

E seria interessante levar esta discussão para lá do conceito abraamico de divindade (única, omnipotente e omnisciente). Há religiões monoteístas, monistas, politeístas, panteístas, conceitos de divindades imortais, mortais, todo-poderosas ou sujeitas a regras, que tudo sabem ou que buscam sabedoria.

O debate seria tão mais interessante se à mesa estivessem pessoas com diferentes conceitos em vez de serem todos representantes do mesmo tipo de crença...

ﻣﺤﻤﺪ Rachid disse...

tenho uma pergunta aos Cristãos.
Foram os cristãos que incorporaram elementos da cultura pagã e adequaram-nos às suas tradições, por exemplo adorar aimagens, feriados, inventaram que Deus criou o homem a sua semelhança ( tal como os gregos só veneravam heróis que sejam filhos de deuses)
Sendo os cristãos ainda se consideram monoteístas?
Na minha opinião só os Judeus e os Muçulmanos é que são os verdadeiros monoteístas.

bonequinhoda bic disse...

Boa tarde.
Não sei se os convidados a Fernanda Freitas e as pessoas em caa se apercebem que o próprio debate ameno e compreensível que está a decorrer baseia-se na própria existência de Deus.
Não falo de religião nem de profetas mas sim de Deus.
Pois a junção de diversas religiões de origens diferentes unidas em comunhão e dialogando pacificamente,sem ódios, com cosciência e clareza para esclarecer pontos de vista é ou não um modo real e objectivo de chegar-mos perto do Divino ?
Obrigado.

sonharamar disse...

O problema é que muitos insistem em negarem factos dando como desculpa a Bíblia, obviamente que mal interpretada.
É bastante grave negar factos, pode levar ao holocausto.

RuiCorreia disse...

Presumo que em breve possa o sociedade civil responder à questão: "Por que não acreditamos em Deus?", tendo um painel integralmente composto de ateus ou agnósticos. Tenho pen porque um programa que permite um contraditório que inclua moderados e pessoas que falem baixo e pensem com elevação, pode ser bem mais útil do que um programa onde todos cantam algo gregorianamente a uma só voz.

Mari Fernandes disse...

Se a religião é algo tão fantastico como o caracterização porque não ajudam os necessitados, estamos num país em crise. Tantos valores para que? se na prática não ajudam quem realmente precisa?
E acerca de dinheiro, bastou ir uma unica vez a Fátima para ver as pequenas fortunas que as pessoas depositavam em nome da sua fé. Religião ou Negócio?

Cumprimentos

RuiCorreia disse...

Como pode alguém pretender acreditar em Deus, quando admite não lhe ser fácil acreditar no Homem? Haverá maior blasfémia? Maior ateísmo? Nem eu chegaria tão longe. (Mas lá que a frase soa bem catita... lá isso soa...)

Deformography disse...

“Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois as suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar.”
-Carl Sagan

A humanidade precisa de alguma coisa onde se agarrar, precisa de um apoio e encontra esse apoio num ser que está sempre lá e que os ama incondicionalmente.
Quando estão doentes "sabem" que está lá sempre "alguém" com eles e que nunca estão sozinhos.
As pessoas necessitam de acreditar e é tão confortável que nem questionam a fé, não querem correr o risco de ficarem desamparados e por isso não percebem que nada daquilo em que eles acreditam é verdade.

A religião foi a pior coisa que o Homem se lembrou de inventar.
Ignorância, culpa e morte. É o que a religião é.
A Igreja é simplesmente um modo de controlar as massas. Já viram bem o poder do Papa?

E faço minhas as palavras do/a Scotex.

libelinha disse...

O ser superior significa para mim algo para o qual desejo evoluir, desejo ser. E para mim uma ansia e um desejo de que e possivel fazer melhor, de que tenho algo dentro de mim por revelar e que me pode fazer ir mais longe. E, esse desejo e ansiedade torna-se evidente e sentido interiormente quando percebo que sou vulneravel, que sou um ser dependente e em necessidade.

Ana disse...

Eu acho que as pessoas acreditam cada vez menos nas relegiões devido ao fanatismo. O fanatismo não respeita as crenças dos outros mas obriga a acreditas numa só crença.

Helio disse...

O Sheik Munir disse que todas as religiões baseiam-se em escritos. Não é correcto! Há religiões tradicionais, panteístas e politeístas, baseadas em tradições orais e práticas ancestrais.

O conceito abraamico e monoteísta de divindade está longe de esgotar este tema de conversa.

E Fernanda, também não é verdade que todas incitem à prática de um bem moral: há religiões de natureza ortopráxica (prática ritual correcta) sem mandamentos que indiquem regras de comportamento social.

Pinheiro disse...

O meu acordo para o comentário da Juanna Inês Pontes.
Acreditar em deus não é nada difícil à partida pois é o que nos é ensinado, mas uma reflexão pessoal facilmente nos afasta de deus, o qual é uma criação do homem.
O que vi do programa a ser transmitido contribui para dar uma versão sectária, a das religiões.
Várias afirmações consistem em pôr na boca dos que não acreditam em deus o que eles não afirmam para assim poderem os religiosos aparecer como detentores de uma verdade indiscutível.
Assim não esclarecemos as pessoas.

paula disse...

Boa tarde, o meu nome é Paula e sou professora de EMRC Educação Mortal e Religiosa Católica numa Escola Básica e numa Secundária e sou Psicóloga. Acredito em Deus porquê, porque Ele preenche a minha vida. A minha fé é esclarecida, ou seja, fui educada no contexto da fé católica cristã, mas ao longe dos meus 40 anos fui vivendo e sentindo Deus na minha vida. Deus é uma experiência muito pessoal. Com momentos de maior fé e outros de menor, mas sempre sabendo quem acredita em Deus nunca está só. E permitam-me dizer que a Ciência não tem definitivamente explicação para tudo. Quanto maior for a nossa curiosidade em conhecer Deus, maior é a nossa fé, porque mais inesplicável e ao mesmo tempo mais simples é o seu papel na nossa vida e a compreensão da sua existencia. Ter fé é um Dom e sinto-me grata por senti-la.

Paulina disse...

Deus é a negação da solidão humana. Acreditamos porque nos sentimos impotentes, desprotegidos, sozinhos no universo, e Deus tomará conta de nós, guiando-nos, e nós remetemos para Deus tudo o que nos acontece... Julgo que estamos a voltar às religiões porque o capitalismo frio se vai sobrepondo aos valores morais através de políticas que cavam a desigualdade entre os homens, a falta de solidariedade, de amor ao próximo. E as Religiões transmitem nos seus ensinamentos algo que transcende a sociedade na sua mediocridade numérica: a esperança num mundo melhor, e a recompensa pela nossa bondade e partilha. Não sei se acredito em Deus... principalmente quando se questiona o seu sentido de justiça. O que leva o criador a permitir as maiores atrocidades humanas? Será que só é responsável pelas coisas boas? Ou então comanda o universo como se fossemos joguetes à mercê da sua vontade?

Helena Trigo disse...

Para mim a maior prova que tenho da existência de Deus está na nossa existência, na nossa capacidade de inteligência, na nossa sensibilidade. Não somos meros seres vivos!

Jerónimo disse...

Na minha oponião o problema não está em acreditar em Deus ou não?
Em quanto jovem, também frequentava a Igreja e inclusivamente até fui crismado com 22 anos, no presente tenho dificuldadse em acreditar na hipocrisia que existe na Igreja.
Ensinaram-me que: por exemplo - Gula é pecado, Luxuria é pecado; o Sr. Papa também fala muito em opulencia, será que não existe tudo isto no Vaticano - Veja-se as faustas refeicoes. Quanto não custou aquela rosa em ouro?
Penso que é a preposito, pois quando houver algum padre que siga o cristianismo quue aconselhe a pessoa a não entregar ouro em Fátima, a pensou pensa
assim - se o papa entregou porque não posso...
Modesto Vitoria

libelinha disse...

Quando vou a Fatima experimento a sensacao intensa que foi expressa por muito peregrinos hoje. Para mim isso nao e mais do que sentir que, naquele local e naquele momento, todos somos iguais na vulneralidade que temos, independentemente da raca e do estatuto social, temos um mesmo objectivo: ali, todos assumimos que precisamos de proteccao e que somos faliveis.
O ritual de despedida significa para mim a dor da saida desse lugar de conforto (como o ventre da mae) e a perspectiva de voltar para uma rotina de vida social em que esse espirito nao se encontra presente mas dominado por hierarquias, estatutos e preconceitos e que me devolve a minha propria incapacidade para manter o espirito de comunhao que experimento quando estou em celebracao em Fatima.

paula disse...

Por vezes têm-se a tendência de achar que quem acredita em Deus é portador de menor inteligencia ou conhecimento, contudo cada vez ha um maior numero de cienctista, de eruditos, de fislósofos, teólogos, fisicos/quimicos que encontram na existencia de Deus algo que não conseguem negar.

Ana disse...

Porque não respeitar os 10 mandamentos se nós homens tivemos de criar a declaração dos direitos humanos....

11ºCT6 disse...

Quanto ao argumento que eu já ouvi várias vezes: "Os cientistas estão a chegar à conclusão que Deus existe". Sei que dizem isso principalmente por Darwin ter "desmentido" a sua teoria. Mas não podemos deixar de reparar no contexto da sociedade em que Darwin viveu. Como Kuhn defende, a ciência passa por períodos normais, e períodos extraordinários, e os cientistas oferecem resistência a mudar do período normal para o período extraordinário. Porque é difícil, para qualquer ser humano deixar as ideias que sempre teve e mudar para uma ideia completamente diferente. Darwin viveu numa sociedade completamente religiosa, a teoria dele teve muitas implicações sociais. Se um cientista actualmente criasse uma nova teoria completamente revolucionária, provavelmente a maioria da comunidade não a aceitaria, e isso desmotiva o cientista. Temos de ver também que Darwin tinha uma esposa muitíssimo católica.
A ciência não responde a muita coisa, mas tenta aproximar-se da verdade.
Se foi Deus que criou o Homem, e se a Bíblia explica tudo, como se explica a existência de fósseis com milhões de anos?

Leteia disse...

As pessoas confundem fé com religião, eu nasci numa família culturalmente católica, isto significa que neste momento não praticam, embora tenham efectuado algumas praticas religiosas pelo peso que isso tinha na sociedade.

Eu própria fui a catequese e andei em religião moral ate aos 14s ano e sempre tive grande interesse sobre esse assunto, principalmente numa perspectiva histórica.

Eu pessoalmente não acredito na ICAR nem em nenhuma religião, e não acho que seja uma questão de não quer assumir responsabilidades mas sim porque nenhuma religião representa os meus valores, como posso eu dizer que pertenço a esta ou aquela religião e ser tolerante, quando maior parte das religiões são intolerantes.

Por exemplo se eu pertencer a religião islâmica ou judaica posso continuar com o meu quotidiano, eu gostava de saber? ou tenho que seguir certas regras que são impostas, isso é uma das poucas coisas que gosto da católica, existe muita gente que pertence a esta religião mas não é praticante será que o mesmo se pode aplicar as outras religiões?

Se disser que acredito em elfos, em fadas ou anões pensam que sou maluca, esta dualidade é ridícula porque se eu acreditar num ser superior a olhar para mim que nasceu de uma virgem parece-me tão ridículo como acreditar em outra coisa qualquer, para mim temos que respeitar quem acredita, quem não acredita, quem esta na duvida, tem que se parar com as imposições e intolerâncias que se vêem todas os dias.

Os dias da religião ser o opio do povo já devia ter acabado, os extremismo destroem as civilizações.

lfcarlos disse...

Nos dias de hoje o homem vive para o seu umbigo, esquecendo-se de olhar para o lado para o seu irmão, por isso existe um vazio e uma escassez de fé.
Deus é Uno é omnipresente quer se profece qualquer uma das religiões, Deus é amor. Por que será que uma pessoa que passa uma viva sem acreditar e de um momento para o outro uma contrariadade da vida se viram para Deus?... Deus é esperança.
o mal das religões é o fanatismo...
ja agora se fosse possivel deixar no blog o nome dos livros que mostraram neste programa.
obrigado

paula disse...

Permitam-me cumprimentar tão digna mesa, e que esperançoso que é ver quem simplesmente acredita em Deus, independentemente da orientação.. Obrigada

Mari Fernandes disse...

passamos metade da vida e levar injecções de religião, Deus é tudo, protector de tudo, faz milagres... não será tudo isto um filme psicológico?

bonequinhoda bic disse...

Vamos esquecer por um momento palavras tais como Razão,verdade,perdão,respeito,Deus ou Fé.
Ao dar esses pequenos passos atrás e se pensarmos na importancia que é por exemplo o fim da guerra,ou da fome,ou a verdadeira caridade ao próximo, ao realmente unir esforços e vontades para cessar estes erros da Humanidade, aí sim existirá em cada um de nós a compreensão verdadeira de todas estas palavras e aí sim estaremos perto de Deus.

mirsa disse...

Eu acredito em Deus porque sei que as minhas características Humanas incluem uma necessidade de transcendência, e Deus puxa-me para fora de mim, o que me faz ser mais eu próprio.
Mas como Cristão é mais do que acreditar em Deus, é ter uma relação pessoal com ele, é experimentá-lo em relação e viver com ele, e isso já vai para além do acreditar. Mas por isso compreendo que quem ainda não experimentou uma relação assim se questione.
Apesar de tudo não é a mesma coisa que dizer que tenho uma relação pessoal com fadas ou dragões, ou de outra forma, se tenho uma relação pessoal com fadas ou dragões que me leva a sair de mim e a transcender-me então estou a chamar fadas e dragões a Deus.

Abel disse...

Um pergunta simples:

Será preciso acreditar numa religião para acreditar em Deus ?

samuel disse...

acredito em deus por experiencia pessoal , e aconselho a todos a falarem de forma pessoal com jesus,pode nao resolver todos os nossos problemas ,mas ajuda a superar los ,sem duvida ....quem e mais amigo quem nos da o peixe ou quem nos ensina a pescar?

Partido de Todos os Portugueses disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luís disse...

Parece-me que por vezes, inclusivamente neste debate, se confunde "a necessidade de acreditar", com "a existência de Deus". É verdade que acreditar em Deus nos pode ajudar e facilitar a vida. Mas isso é suficiente para nos dizer que Deus existe?

Miguel disse...

Deus é a última palavra a definir na primeira fase da verdade relativa, porque é tudo. Isto é, para definir aquilo que é tudo nenhum homem teve a necessária experiência cognitiva. Daí se alerta que nenhum homem pode ter qualquer opinião, excepto positiva.


Miguel Meireles

Scotex disse...

Será que não percebem? Será que não percebem que a religião foi um conceito criado por um grupo de indivíduos que subitamente descobriram que a melhor forma de manter a ordem e controlar a plebe é fazê-la crer que Deus – outro conceito fabricado pelo ser humano – lhes deu uma “lista de 10 coisas que ele não quer que façamos”, como dizia o George Carlin. Por isso é que se trata – hélas - de uma lista de proibições:


1° AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS;
2° NÃO TOMAR SEU SANTO NOME EM VÃO;
3° GUARDAR DOMINGOS E FESTAS DE GUARDA;
4° HONRAR PAI E MÃE;
5° NÃO MATAR;
6° NÃO PECAR CONTRA A CASTIDADE;
7° NÃO ROUBAR;
8° NÃO LEVANTAR FALSO TESTEMUNHO;
9° NÃO DESEJAR A MULHER DO PRÓXIMO;
10° NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS.

Ou será que deus, todo misericordioso e benevolente como o pintam, não diria mais depressa “Amai-vos” do que “Não vos matais”. Quer-me parecer que sim. Mas sabem o que mais me assusta em toda esta cena da religião? Na verdade são duas coisas. A primeira é a ideia de que para acreditar em Deus é forçosamente necessário professar uma religião. Disparate! Mais uma novidade para vocês: pode-se muito bem acreditar em Deus sem termos de acordar cedo ao Domingo para ir à missa. Melhor ainda: pode-se muito bem acreditar em Jesus Cristo sem acreditar em Deus. Eu pessoalmente acredito em Jesus Cristo, não fosse ele uma figura histórica cuja existência ninguém questiona. E a segunda é o facto das pessoas religiosas acharem que todos os hereges (leia-se: ateus e agnósticos) vivem uma vida de crime e pecado. Se disserem a um católico que são ateus, ele olhar-vos-á como se fossem um daqueles animais que andaram a violar os miúdos da Casa Pia. Sabem o que isso implica? Que as pessoas religiosas apenas vivem em sociedade e respeitam o seu semelhante porque professam uma religião. Sabem o que isso implica? Que as pessoas só praticam o Bem, ou melhor, que só não praticam o Mal por que tem medo de ir parar aos quintos dos infernos. Sabem o que isso implica? Que o mundo ficaria imediatamente em estado de sítio se de hoje para amanhã um cientista conseguisse provar por A+B que Deus não existe. Eu não preciso de professar uma religião para ser “boa” pessoa. Tenho a minha consciência e a educação ministrada pelos meus pais – o que é mais do que suficiente para não andar por aí com uma caçadeira a limpar o sebo a todos os que não concordam com a minha opinião.

maria madalena fernandes disse...

Ouço falar em Deus como Algo exterior a nós, eterno culto da dualidade que é tão só a limitação da Linguagem tridimensional, da Mente Concreta. Para falar de Deus versus Homem é imprescindível transcender a visão dualista da existência terrena, transcender a Mente.
Deus manifesta-se na trialidade do Ser, linguagem quântica de que é feita a beleza, amúsica, a poesia, o amor. Esta trialidade é alcançável por cada homem depois de realizar o casamento alquímico entre mente e coração – os dois terem o mesmo peso na acção humana!
Tal como a Luz (DEUS) se manifesta a partir e depois da atracção e fusão de dois pólos antagónicos mas complementares (+/-, que é o “Mal “e o “Bem”, a noite e o dia, a mulher e o homem…), assim se torna realidade em nós, a presença do Deus Vivo, Deus activado a partir de dentro pois é dentro, no próprio ADN que ele se encontra aguardando nosso processo evolutivo, nosso equilíbrio entre hemisférios cerebrais direito (mente abstracta) e esquerdo (mente concreta), para se manifestar em nós e através de nós.
O “Carbono”/Deus manifesta-se nos seus extremos como carvão e diamante, é inerente em toda a criação e, passa pelo processo evolutivo, polindo “a ganga” até alcançar a transcendência da sua natureza material, quando se torna diamante, já o era à espera de TEMPO para se revelar!
Creador e creaturas são o macro e o micro de uma mesma realidade, tal como o Espírito é a subtilização da Matéria e a Matéria é a densificação do Espírito!
Crentes e descrentes são simplesmente graus diferenciados de consciência; há os que estão predominantemente centrados na consciência dos centros dos sentidos da mente concreta/mundana e há os que estão em outras gradações que suplantam os cinco sentidos!
Não precisamos de Instituições religiosas porque somos intrinsecamente religiosos; só temos que perceber que Deus somos nós Próprios à espera de ser revelado!

MMF

Beastboy disse...

Eu acredito em Deus, simplesmente não acredito em nenhuma das religiões existentes!
Deus é provavelmente um ser superior, mas não tenho razões para acreditar que ele é um ser puro e bondoso que faz tudo para ajudar os outros, como a maioria das religiões o põe!

Para mim Deus é alguém, ou algo simplesmente mais poderoso, com poderes suficientes para conceder todas as coincidencias necessárias para a vida. Será ele que governa o lugar para onde vamos quando morremos, mas bom ele não é... na prórpia biblia há uma passagem em que ele faz um homem, cujo nome desconheço, ir para o deserto com o intuito de o fazer matar o seu filho, mas no fim, aparece um anjo que lhe diz que tinha passado o teste, que podia parar...
Isto faz deus parecer uma entidade que gosta de testar a fé das pessoas, e de jogos, não absolutamente mau, nem absolutamente bom. Deus construi-nos a sua imagem, logo ele também terá os mesmos defeitos que nós! Deus é o criador, que se esqueceu de por um butão reset na sua melhor criação, e por isso não a pode parar de se auto destruir :)

Yara disse...

Crer que o universo surgiu por acaso faz tanto sentido quanto crer que os livros se formam sozinhos pelas leis da soletração e da gramática. Quando se vê uma bela casa logo se pensa em quem construiu. Se alguém lhe dissesse que ela não foi construída por ninguém, mas que simplesmente apareceu ali, acreditaria nisso? É claro que não. Como disse certo escritor: "porque toda casa é construída por alguém." É uma afirmação óbvia. Todos concordam, então por que não aceitar a conclusão lógica a que chegou o mesmo escritor bíblico: "Mas que edificou todas as coisas é Deus". Hebreus 3:4. Qualquer um que tenha bom senso terá de, mais cedo ou mais tarde, admitir a necessidade da existência de um criador. O princípio da causalidade mesmo certifica que todo fenômeno tem uma causa. Esta é uma verdade incontestável, a existência de uma causa primária! Albert Einstein, o maior físico do século XX, admitiu: " Para mim basta…meditar na maravilhosa estrutura do universo a nós vagamente perceptível, e tentar compreender humildemente nem que seja uma infinitésima parte da inteligência manifesta na natureza."

Yara disse...

Crer que o universo surgiu por acaso faz tanto sentido quanto crer que os livros se formam sozinhos pelas leis da soletração e da gramática. Quando se vê uma bela casa logo se pensa em quem construiu. Se alguém lhe dissesse que ela não foi construída por ninguém, mas que simplesmente apareceu ali, acreditaria nisso? É claro que não. Como disse certo escritor: "porque toda casa é construída por alguém." É uma afirmação óbvia. Todos concordam, então por que não aceitar a conclusão lógica a que chegou o mesmo escritor bíblico: "Mas que edificou todas as coisas é Deus". Hebreus 3:4. Qualquer um que tenha bom senso terá de, mais cedo ou mais tarde, admitir a necessidade da existência de um criador. O princípio da causalidade mesmo certifica que todo fenômeno tem uma causa. Esta é uma verdade incontestável, a existência de uma causa primária! Albert Einstein, o maior físico do século XX, admitiu: " Para mim basta…meditar na maravilhosa estrutura do universo a nós vagamente perceptível, e tentar compreender humildemente nem que seja uma infinitésima parte da inteligência manifesta na natureza."

Partido de Todos os Portugueses disse...

Perguntem sobre o Oblisco no centro da praça de Pedro no Vaticano...

O Oblisco sobre Calígula...

Porquê?

Yara disse...

Crer que o universo surgiu por acaso faz tanto sentido quanto crer que os livros se formam sozinhos pelas leis da soletração e da gramática. Quando se vê uma bela casa logo se pensa em quem construiu. Se alguém lhe dissesse que ela não foi construída por ninguém, mas que simplesmente apareceu ali, acreditaria nisso? É claro que não. Como disse certo escritor: "porque toda casa é construída por alguém." É uma afirmação óbvia. Todos concordam, então por que não aceitar a conclusão lógica a que chegou o mesmo escritor bíblico: "Mas que edificou todas as coisas é Deus". Hebreus 3:4. Qualquer um que tenha bom senso terá de, mais cedo ou mais tarde, admitir a necessidade da existência de um criador. O princípio da causalidade mesmo certifica que todo fenômeno tem uma causa. Esta é uma verdade incontestável, a existência de uma causa primária! Albert Einstein, o maior físico do século XX, admitiu: " Para mim basta…meditar na maravilhosa estrutura do universo a nós vagamente perceptível, e tentar compreender humildemente nem que seja uma infinitésima parte da inteligência manifesta na natureza."

Yara disse...

Crer que o universo surgiu por acaso faz tanto sentido quanto crer que os livros se formam sozinhos pelas leis da soletração e da gramática. Quando se vê uma bela casa logo se pensa em quem construiu. Se alguém lhe dissesse que ela não foi construída por ninguém, mas que simplesmente apareceu ali, acreditaria nisso? É claro que não. Como disse certo escritor: "porque toda casa é construída por alguém." É uma afirmação óbvia. Todos concordam, então por que não aceitar a conclusão lógica a que chegou o mesmo escritor bíblico: "Mas que edificou todas as coisas é Deus". Hebreus 3:4. Qualquer um que tenha bom senso terá de, mais cedo ou mais tarde, admitir a necessidade da existência de um criador. O princípio da causalidade mesmo certifica que todo fenômeno tem uma causa. Esta é uma verdade incontestável, a existência de uma causa primária! Albert Einstein, o maior físico do século XX, admitiu: " Para mim basta…meditar na maravilhosa estrutura do universo a nós vagamente perceptível, e tentar compreender humildemente nem que seja uma infinitésima parte da inteligência manifesta na natureza."

António Santos disse...

Como é que se pode afirmar de ânimo leve que a existência de Deus não pode ser provada pela ciência? A ciência veio ampliar os nossos conhecimentos de tal maneira, que torna-se completamente lógico, acreditar na existência de Deus, por meio das coisas feitas. As complexidade dos mecanismos biológicos, físicos e químicos, vem mostrar que tal não poderia ser o produto de um acaso, de um acontecimento fortuito. A Bíblia, que infelizmente alguns sacerdotes negam em programas de televisão, de uma forma directa ou indirecta, para ficaram bem vistos no meio social, revela a seguinte verdade: "Cada casa é construída por alguém mas quem construiu todas as coisas é Deus" (Carta do apóstolo S.Paulo aos Hebreus capítulo 3, versículo 4)

natenine disse...

Meu argumento contra Deus era o de que o universo parecia injusto e cruel.

No entanto, de onde eu tirara essa idéia de justo e injusto? Um homem não diz que uma linha é torta se não souber o que é uma linha reta.

Com o que eu comparava o universo quando o chamava de injusto?

C.S.Lewis

CET Robótica disse...

É uma demonstração de pouca racionalidade acreditar em Deus. Porque não se libertam das crenças não provadas?
Vocês só são católicos e cristãos porque alguém vós disse, desde que nasceram, para a acreditar nessa historia. Se nascessem no Japão não o seriam católicos. E o grande deus todo poderoso não consegue demonstrar aos japoneses que existe?
Porque é que alguém que se diz justo aparece para alguns filhos transformando agua em vinho e para outros, se quiserem que acreditem num livro com mais de 2mil anos, cheio de explicações que em grande parte a ciência já provou estarem erradas.

Pensamentos livres disse...

Eu acredito que existe algo além desta vida e do que somos. Senão então expliquem-me como é possível uma pessoa ser possuída por um espírito?!Já presenciei uma situação destas e digo, a quem não acredita que existe algo além deste mundo, se vivenciassem uma situação como essa, passariam a acreditar e deixavam de falar de qualquer maneira acerca destas coisas, pois tenho a certeza que teriam muito mais respeito. Senão expliquem-me como é possível uma mulher, pequena e magra, quando possuída, ter mais força do que 4 homens juntos que a tentam segurar. Eu presenciei uma situação destas e digo-vos, há algo muito superior e tive bastante medo e respeito pelo que vi. Também tive dúvidas sobre a existencia de algo superior, mas nesse dia, as minhas dúvidas acabaram.

VRMM disse...

Deus só pode ser um.
como e´possivel a igreja falar em Deus se não respeita o que a Biblia " a palavra de Deus" diz.
por ex: a adoração de estatuas ou a idolatria entre outros.
se o Deus da biblia requer exclusiva devoção porque não é dada?

11ºCT6 disse...

Além de concordar com o scotex disse, acrescento ainda que o ser humano (utilizando palavras do scotex), os animais que acham ser superiores, ainda não perceberam bem um animal por todos nós conhecidos, o polvo, há cientistas que pensam que este polvo possa ter inteligência. Porque que o golfinho e as orcas tem consciência já muita gente sabe, mas que o polvo tem inteligência ninguém pensa. O Homem nesta pequena era da vida da Terra domina, como noutros tempos dominaram outros animais (Dinossaurios no mesozoico p.e.).
O Homem é um ser vivo como muitos outros que "chegou" á Terra á muito pouco tempo, e conseguiu "destrui-la". Religião? Só para nos contentar-mos em saber algo, porque na verdade, nao sabemos nada.
Assemelho a religião ao que os portugueses pensavam no tempo dos descobrimentos, aludiam à existência de seres marinhos que engoliam as caravelas. Nós criticamos porque achamos actualmente que não faz sentido. Quem nos garante que daqui a uns milhões de anos outro ser vivo não se vai rir de "nós" acreditarmos em entidades superiores?

butterfly* disse...

Por vezes precisamos de nos agarrar a algo abstracto para nos sentirmos seguros na vida, chamamos a isso FÈ... A algo que nos transcende e que nos dê força para continuarmos em frente. o problema é quando o Homem tenta usar isso em benefício próprio.

terebi disse...

Uma vez que fé muitas vezes implica acreditar sem ter que mostrar provas, como é que eu posso justificar, para mim próprio, que a religião que escolhi é que é a certa? Como é que posso acreditar com toda a certeza que, por exemplo, o Corão está correcto mas o Livro de Mórmon não?

Pensamentos livres disse...

Queria deixar esta resposta para a Angela que deixou um comentário. Angela, Deus deu-nos o livre arbítrio e deixou-nos os seus ensinamentos (10 mandamentos), temos a bíblia que acima de tudo é um guia para a vida e só seguimos se quisermos, pois somos livres de decidir. Sabes porque só os bons sofrem, precisamente porque os bons são bons e o mal os afecta. Não sei se Deus é uma divindade como a maior parte das pessoas imagina, mas tenho a certeza que foi ou é uma grande sábio que disse palavras que se aplicaram, aplicam e que se aplicarão sempre às sociedades ao longo dos tempos.

Partido de Todos os Portugueses disse...

Se acreditamos em Deus?
Sim.
Calígula foi o primeiro imperador Romano a se autodenominar, em vida, Deus.

Na Mesopotâmia ummanus (humanos) era uma classe social que serviam uma outra classe social superior (Deus).

O Homem se fez Deus e
Deus se fez homem...

Os Romanos que mataram Cristo
dominam a "Religião Cristã" passados 300 anos...

A católica apostólica Romana...

Um só baptismo... de preferência
à nascença (não vá a criança pensar)...

Não se percebe a dependencia de Roma, ainda hoje...

A concordata com o Vaticano é uma vergonha para Portugal.

Há muitos que ainda acreditam no conto do vigário... ainda mais quando é o vigário de Cristo a contar um...

António Santos disse...

Alguns admitem que se Deus nos criou então deveremos ter os mesmos defeitos de Deus. Quando um pai gera um filho, significa que se ele tornar ladrão, é legítimo concluir que o pai já era ladrão, antes de tal filho nascer. Não faz sentido? O homem foi criado com livre arbítrio, com a capacidade de fazer escolhas. Deus não criou autómatos. Criou pessoas inteligentes. Assim, se tomarmos decisões que nos prejudiquem, não temos que atribuir as culpas a um ente superior. Estamos simplesmente a colher o efeito das más decisões assumidas. Quando alguém fuma por muitos anos, contraindo cancro do pulmão, não faz sentido afirmar que Deus tem defeitos, os quais herdámos e, por isso, tomámos a péssima decisão de fumar.

António Santos disse...

Alguns admitem que se Deus nos criou então deveremos ter os mesmos defeitos de Deus. Quando um pai gera um filho, significa que se ele tornar ladrão, é legítimo concluir que o pai já era ladrão, antes de tal filho nascer. Não faz sentido? O homem foi criado com livre arbítrio, com a capacidade de fazer escolhas. Deus não criou autómatos. Criou pessoas inteligentes. Assim, se tomarmos decisões que nos prejudiquem, não temos que atribuir as culpas a um ente superior. Estamos simplesmente a colher o efeito das más decisões assumidas. Quando alguém fuma por muitos anos, contraindo cancro do pulmão, não faz sentido afirmar que Deus tem defeitos, os quais herdámos e, por isso, tomámos a péssima decisão de fumar.

Scotex disse...

O senhor António Santos não sabe o que diz.

A religião foi a primeira aproximação do ser humano à medicina, à filosofia, à astrologia, à biologia, etc. E há que felicita'-la por isso. Mas actualmente a religião não faz qualquer sentido, pois toda a vida na terra (desde a sua origem à sua evolução até aos dias de hoje) pode ser explicada pela ciência - melhor explicada, pelo menos - através da teoria da selecção natural do Darwin combinada com pontuais mutações genéticas. O mesmo se aplica à ciência em relação ao universo, com a excepção da sua origem. Ninguém ainda sabe qual é a origem do universo - conhecemos a sua evolução (através da muito consensual teoria do Bigbang) mas não a sua origem. E é aqui que a religião se tem refugiado para justificar a existência de Deus. O argumento deles é o de que tudo o que foi criado tem de ter um criado - o que este argumento tem de falacioso é que então deus também teria de ter um criador e o criador do criador de deus teria também de ter um criador and so on and so on... O outro argumento mais recorrente na religião tem a ver com a sua suposta vantagem moral. Para rebater este argumento, nada mais fácil do que chamar a discussão o Christopher Hitchens, na forma de 2 simples perguntas: "Dêem-me um exemplo de um acto de bondade que um crente faça e que um não crente não consiga fazer?" Não se lembram de nenhum; pois não? "E agora dêem-me um exemplo de um acto de maldade que apenas um crente consiga fazer?" Já se lembraram de meia dúzia deles, não já? 11 de Setembro, a mutilação genital das crianças pelos judeus, os bombardeamentos Israelitas sobre a Palestina, o rebentamento de homens bomba palestinianos, os confrontos entre católicos e protestantes na Irlanda do Norte, etc, etc, etc.

dj @ service disse...

O meu comentario é dirigido á ANGELA, se voce me permitir e estiver interressada em ouvir as respostas ás suas perguntas eu teria muito gosto em lhe explicar, especialmente a pergunta "porque sofremos?", visto que isto nao funciona como chat gostaria de lhe deixar o meu email "djricardof@hotmail.com", por email podemos trocar mensagens mais longas e falaremos um para o outro, e lembre-se se voce nao procurar as respostas, irá ficar sempre na duvida....
Veja o que Deus tem a dizer na sua Palavra "a Biblia" sobre qualquer duvida que voce tenha, e voce irá ficar surpreendida com o que se passou, com o que se passa e com o que se vai passar....
Por favor ouça o que diz a Palavra de Deus.
Joao 17:3 - "Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo"
Joao 17:17 - "Santifica-os por meio da verdade; a tua palavra é a verdade"

dj @ service disse...

O meu comentario é dirigido á ANGELA, se voce me permitir e estiver interressada em ouvir as respostas ás suas perguntas eu teria muito gosto em lhe explicar, especialmente a pergunta "porque sofremos?", visto que isto nao funciona como chat gostaria de lhe deixar o meu email "djricardof@hotmail.com", por email podemos trocar mensagens mais longas e falaremos um para o outro, e lembre-se se voce nao procurar as respostas, irá ficar sempre na duvida....
Veja o que Deus tem a dizer na sua Palavra "a Biblia" sobre qualquer duvida que voce tenha, e voce irá ficar surpreendida com o que se passou, com o que se passa e com o que se vai passar....
Por favor ouça o que diz a Palavra de Deus.
Joao 17:3 - "Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo"
Joao 17:17 - "Santifica-os por meio da verdade; a tua palavra é a verdade"

dj @ service disse...

O meu comentario é dirigido á ANGELA, se voce me permitir e estiver interressada em ouvir as respostas ás suas perguntas eu teria muito gosto em lhe explicar, especialmente a pergunta "porque sofremos?", visto que isto nao funciona como chat gostaria de lhe deixar o meu email "djricardof@hotmail.com", por email podemos trocar mensagens mais longas e falaremos um para o outro, e lembre-se se voce nao procurar as respostas, irá ficar sempre na duvida....
Veja o que Deus tem a dizer na sua Palavra "a Biblia" sobre qualquer duvida que voce tenha, e voce irá ficar surpreendida com o que se passou, com o que se passa e com o que se vai passar....
Por favor ouça o que diz a Palavra de Deus.
Joao 17:3 - "Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo"
Joao 17:17 - "Santifica-os por meio da verdade; a tua palavra é a verdade"

Patrícia-Chaves disse...

Eu acredito na mensagem em que fui educada, na doutrina cristã.
A mensagem que nos transmite, orienta-nos para a prática dos valores éticos e morais, que a meu ver, são o único caminho para orientar a sociedade "confundida", que segundo o nosso tão iluminado Papa Bento xv1 apenas se consegue através da solidariedade, da fraternidade e ao amor ao próximo.
Penso que o mais importante é sentirmo-nos transfigurados pela espiritualidade divina, que apenas se consegue com a meditação e com o recolhimento, com a procura do espírito interior, esta verdade interior que nos vem de DEUS.
Esta verdade vem do iluminismo e do humanismo e o mais importante é que despidos de preconceitos, humildes e como pecadores que todos somos, termos consciência que há fenónemos que a nossa racionalidade, a nossa inteligência não consegue explicar.
É importante imitar-mos a Sagrada Família, a Jesus que se fez o mais humilde de todos os homens e que por nosso grande amor, para nos salvar, se deixou "escarnizar" e não exigiu "templos" majestosos.

Este é o mal dos homens, da igreija que todos somos. Não coloquemos o nome de Deus nas nossas bocas quando esquecemos a humildade, a castidade, a pobreza...
Jesus destruiu o templo, casa de Deus, transformada num espaço de comércio...e ele disse que o re-ergueria em 3 dias,, que seria na sua ressureição. Na minha opinião seria um templo de verdade, de amor, dentro do coração dos homens, em que "onde estiver 2 ou 3 reunidos em seu nome ele estará dentro de nós".


Patrícia Silva

Chaves.

terebi disse...

Com o conhecimento que temos hoje em dia, já sabemos que a diversidade de vida que existe não apareceu "por acaso": apareceu através de um processo lento, gradual, a que chamá-mos evolução.

Embora as mudanças que movem a evolução sejam aleatórias, a evolução em si, como processo natural, não é aleatória. O processo tem tendência a filtrar aquelas mudanças que prejudicam, e a exacerbar aquelas mudanças que ajudam, na reprodução de um indivíduo em particular. Indivíduo esse que passará essas mesmas características à geração seguinte. Isto repetido por milhões e milhões de anos.

porto disse...

Não podemos dizer que só acreditamos no que vemos! Acreditamos na electrecidade, porque sentimos os seus efeitos; acreditamos no vento, pois sentimos os seus efeitos. Deveríamos acreditar em Deus? Sentimos os seus efeitos?
Basta olhar para a natureza (por onde o homem copia seus inventos) que ela revela a glória de Deus. Também os efeitos da sua existência são revelados por seu povo. Basta olhar à nossa volta e ver que existe um povo que não participa nas Guerras das Nações, que se esforça na sua imperfeição por mostrar a verdadeira glória de Deus. Por isso não há desorientação, basta perguntar-Lhe a razão de Ele ter permitido a iniquidade até hoje, porque ela existe, e o Seu povo dá-lhe a resposta razoável que a Bíblia apresenta. A questão universal de Deus. Mas acima de tudo, o que em breve fará para que as coisas sigam o rumo que Ele destinou para a humanidade no princípio da criação: vida eterna em perfeição aqui na terra. Contribuído!

Patrícia-Chaves disse...

Eu acredito na mensagem em que fui educada, na doutrina cristã.
A mensagem que nos transmite, orienta-nos para a prática dos valores éticos e morais, que a meu ver, são o único caminho para orientar a sociedade "confundida", que segundo o nosso tão iluminado Papa Bento xv1 apenas se consegue através da solidariedade, da fraternidade e ao amor ao próximo.
Penso que o mais importante é sentirmo-nos transfigurados pela espiritualidade divina, que apenas se consegue com a meditação e com o recolhimento, com a procura do espírito interior, esta verdade interior que nos vem de DEUS.
Esta verdade vem do iluminismo e do humanismo e o mais importante é que despidos de preconceitos, humildes e como pecadores que todos somos, termos consciência que há fenónemos que a nossa racionalidade, a nossa inteligência não consegue explicar.
É importante imitar-mos a Sagrada Família, a Jesus que se fez o mais humilde de todos os homens e que por nosso grande amor, para nos salvar, se deixou "escarnizar" e não exigiu "templos" majestosos.

Este é o mal dos homens, da igreija que todos somos. Não coloquemos o nome de Deus nas nossas bocas quando esquecemos a humildade, a castidade, a pobreza...
Jesus destruiu o templo, casa de Deus, transformada num espaço de comércio...e ele disse que o re-ergueria em 3 dias,, que seria na sua ressureição. Na minha opinião seria um templo de verdade, de amor, dentro do coração dos homens, em que "onde estiver 2 ou 3 reunidos em seu nome ele estará dentro de nós".


Patrícia Silva

Chaves.

porto disse...

Não podemos dizer que só acreditamos no que vemos! Acreditamos na electrecidade, porque sentimos os seus efeitos; acreditamos no vento, pois sentimos os seus efeitos. Deveríamos acreditar em Deus? Sentimos os seus efeitos?
Basta olhar para a natureza (por onde o homem copia seus inventos) que ela revela a glória de Deus. Também os efeitos da sua existência são revelados por seu povo. Basta olhar à nossa volta e ver que existe um povo que não participa nas Guerras das Nações, que se esforça na sua imperfeição por mostrar a verdadeira glória de Deus. Por isso não há desorientação, basta perguntar-Lhe a razão de Ele ter permitido a iniquidade até hoje, porque ela existe, e o Seu povo dá-lhe a resposta razoável que a Bíblia apresenta. A questão universal de Deus. Mas acima de tudo, o que em breve fará para que as coisas sigam o rumo que Ele destinou para a humanidade no princípio da criação: vida eterna em perfeição aqui na terra. Contribuído!

Ditalexa disse...

Para a Mari Fernandes e todos quantos querem conhecer Deus: a religião pode ser um filme psicológico, mas Deus não é! É REAL, tão real como a necessidade que o Ser Humano tem de O conhecer!

É Ele próprio quem diz: "Provai, e vede que o SENHOR é bom;" (Salmos 34:8) Foi isso que eu fiz, e também milhares de pessoas por todo o mundo. Falem com Deus, falem connosco, ousem conhecer-nos...
O pastor Ladeira não disse que se converteu a uma religião, mas que entregou a sua vida a Deus e VIU o resultado (as curas e outras intervenções de Deus na minha vida são reais, não são nenhum filme).

O problema do Ser Humano é querer ser ele próprio a dirijir a sua vida, e é só por isso que nega a existência de Deus. Mas a todos quantos conseguirem optar pela via da humildade deixo o meu desafio: Deus absolutamente NÃO exije nada em troca!!!

A quem não O quer conhecer, digam-Lho directamente, falem também com Ele, têm pelo menos o dever de Lhe agradecer o facto de vos ter criado com LIVRE ARBÍTRIO...

virgínia disse...

Eu acredito que haja algo por aí além, se é Deus ou não isso não sei mas há fenómenos inexplicáveis, uns conhecidos por todos nós, outros, conhecidos apenas por aqueles que passam por determinadas situações bizarras, milagrosas e muitas vezes estranhas.O mundo está de tal maneira perdido que precisamos de nos agarrar em algo bom que nos possa ajudar a continuar a ter esperança e força.Deus é uma crença, uma fé e todos nós no fundo acreditamos nele porque nos piores momentos todos gritamos " Aí meu Deus!". Agora estou ansiosa pelo programa de hoje.

luis martins disse...

Acreditar em deus é uma reacção tão natural como ter medo do escuro. A partir do momento em que o homem começou a prever o futuro, a morte tornou-se omnipresente. A unica forma de lidar com o stress que isso acarreta foi criar um mundo paralelo de fantasia.

Fonseca disse...

Acreditamos em Deus, seja que nome lhe derem, essencialmente porque queremos sentir-nos seguros e protegidos e alguns indivíduos para evitar "pecar".
Uma conhecida minha dizia que ia à missa para lavar a alma...então para que a sujava?
Eu só acredito num "Deus" bondoso, poderoso, interligado com a natureza... não aquele que castiga e fustiga sem piedade, e não entendo porque abandona tantos inocentes...sou um bocado agnóstica.
Na Bíblia diz-se algures que "Deus criou o Homem à sua imagem e semelhança"... então nós temos o "poder" de nos autocurarmo-nos, por exemplo? Os ditos milagres ou curas milagrosas que a medicina não explicou, não terão sido feitos pela forte fé da própria pessoa?
No tema do celibato acusaram-me de dizer que "a mulher é a solução para os problemas", mas não é isso que quis dizer. Existem pessoas bondosas de ambos os sexos, é indiferente! A alma não é masculina nem feminina, acho eu...
Vejam só a quantidade de filósofos que existem em Portugal, estive sem vir à internet e surpreendeu-me a participação intensa neste tema.

Fonseca disse...

Estive a ler melhor o que muitos escreveram aqui e concordo com algumas pessoas nalguns aspectos.
Por exemplo, eu considero-me Cristã, pois acredito em Jesus Cristo e na sua história no geral, pois há aspectos que poderão ter sido acrescentados pelos historiadores (ou apóstolos, que são padres) da época e como já referi outrora, não confio plenamente em tudo o que a Bíblia diz, porque foi escrita por pessoas antigas há mais de 2000 anos e sujeita a muitas traduções. Por isso, apesar de acreditar que houve um Criador para toda este mundo onde surgiram os seres humanos tão distintos dos animais irracionais (muitos de nós destroem o planeta, os animais irracionais vivem em harmonia com ela), apesar de tudo, considero-me agnóstica: não sei se existe Deus ou não! Sei praticar o Bem, com as minhas imperfeições e erros, tenho a minha moral e ética, não gosto quando vem um católico dito praticante (só de cerimónias) me "olhar de soslaio" quando sabe que não vou à missa ou o meu filho não anda na catequese.
Alguém disse. "A fé não está entre quatro paredes (igreja), a fé está dentro de nós."
Ser positivo, ser bondoso, praticar o que está certo, em suma, o que é de Bem, é mais importante que ir à missa e frequentar cerimónias religiosas e depois maltratar a família e os que o rodeiam e/ou ser materialista, ganancioso, cínico, vigarista, invejoso e não solidário.
Houve alguém que escreveu aqui que "os bons são atacados ou a sua vida corre mal, porque como são bons, o mal ataca-os"?! Terei entendido este disparate? Conheço muita gente bondosa a quem a vida corre bem e não quer dizer que sejam ricos, mas estão felizes, dentro do que esta crise financeira e moral geral, permite.
É preciso ter coragem para se ser bondoso e demonstrá-lo, até o "Grande Alma" e bondoso Gandhi mataram...mas os bons morrem gloriosos, beneficiam e bem influenciam muita gente e para sempre são imitados, relembrados com carinho e vangloriados.
A visita do Papa Bento XVI em Portugal, tornou alguém mais bondoso e crente em Deus? E que fé é essa em Fátima onde que se dá dinheiro aos santos ou à nossa Senhora de Fátima para pagar pecados? Rastejar ou percorrer Kms só para pagar promessas, muitas vezes de outros, será isso que Jesus Cristo e sua Santa mãe Maria, queriam? Acho a religião muito estranha...

Fonseca disse...

Tenho uma sugestão de um livro para quem acredita que há coisas que a medicina e a ciência não explica e nem comprova: " O Poder do Corpo - O segredo da autocura" de Vernon Colemam da editora Livros do Brasil. Este autor era médico e teve de deixar a sua profissão para o deixarem publicar este livro que chegou ser proibido de se vender no Brasil há uns anos, pelo que soube. Só porque afirma, algo que eu já desconfiava: a cura da maioria das nossa doenças depende de nós, depende da nossa atitude, dos nossos bons pensamentos, etc, ele ensina lá como.
Primitivamente, o ser humano andava sem acreditar em nada, só no que via e experimentava, andava à sorte, até que inventou Deuses para justificar fenómenos da natureza e depois para dizer que os Deuses é que tinham a culpa das catástrofes naturais, etc. Posteriormente, disse que era um só Deus e todos tinham de acreditar sem provas sem nada e fez guerras por causa isso...
Mas mesmo assim, acho que o que as boas religiões são necessárias, porque há pessoas que não conseguem meditar, reflectir ou agir correctamente sozinhas, tem de ser em grupo e orientadas por um líder, neste caso espiritual.
Para mim, a maioria das leis são óbvias tais como, por exemplo: eu não mato nem roubo ninguém, não só porque está na lei ou porque Deus não quer, mas porque sei distinguir o certo do errado, é simples!
Normalmente, as pessoas sãs que fazem frequentemente o que está errado, são infelizes. Os que desconfiam que fizeram algo de mal grave e não sentem nada, nenhum arrependimento, remorso ou culpa, é melhor procurarem um bom psicólogo...
Somente ficar a rezar à espera que Deus solucione os nossos problemas, sem agir para que tal solução aconteça ou apareça, não me parece nada eficaz. Ás vezes acho que é perda de tempo. Mas isto só sou eu a divagar os pensamentos. Não pretendo ofender ninguém.

Ricardo disse...

Há várias coisas que gostaria de abordar com os ateus, mas vou começar por dar um pequeno "grande exemplo", toda a gente já ouviu falar no vaivem espacial da nasa, nao sei se ainda o é mas até à bem pouco tempo era a máquina mais complexa projectada pelo homem, 2,5 milhoes de peças, os engenheiros demoraram anos a projecta-la e monta-la.
Agora vejamos o corpo humano, ele é formado por 7 octilhoes de átomos, 100 trilhoes de células, dezenas de orgaos e pelo menos 9 sistemas organicos principais.
Conclusao:
Se dissermos a qualquer ateu que o vaivem foi obra do acaso, eles dizem que somos malucos, mas quando dizem aos ateus que o ser humano, muitíssimo mais complexo que essa nave, com capacidade para pensar, projectar, construir, raciocinar, sonhar, falar, ver, ouvir, decidir, reproduzir e equipados com uma consciencia, sim, é verdade, quando dizem aos ateus que o ser humano foi obra do acaso, eles acreditam......!!!!!
Vá-se lá entender.....?x?*?#?

d@entreamigos disse...

Antes de tudo, devemos ter a consciência que não nos compete explicar o Criador.Depois precisamos consciencializar que é de facto um exercício tremendo, entender o Infinito e contê-lo no finito. De igual forma é complexo entender o poder do absoluto, contido nas circunstâncias do Relativo. Dito de outra forma, como se podem sentir as crianças, ao tentarem compreender as atitudes dos adultos?
Viver por convicções é diferente de viver por ideias pré-concebidas.
Segundo um dos maiores Gurus da actualidade, podemos compreender, segundo ele que "tudo começa e acaba na Liderança". Neste campo a principal qualidade de um lider está por dentro e não por fora. Daqui, de forma simples podemos inferir, que caracter não é a mesma coisa que personalidade.
Pessoalmente, defendo que não podemos por mais tempo, a não ser que estejamos a utilizar algo que nos foi dado, o livre arbítrio, refutar a evidência, que somos diferentes, comparativamente a todos os outros seres vivos e sistemas, pensamos continuamente, sonhamos, e temos um vazio dentro de nós que precisa ser preenchido. E tudo isto, naturalmente é um processo.
Aprendi recentemente que o Homem é um animal à parte, é um ser criativo, à imagem do seu CRIADOR e é constituido por tres partes, ALMA, ESPÍRITO e Corpo.
Porque acreditamos em DEUS? podia esta pergunta ser evolucionada para outra, talvez mais importante;
Devemos obedecer ao chamado de DEUS?
Segundo o Cientista Albert Einstein, afirmava, seria necessário ser muito louco, para acreditar que tudo isto, seria obra do acaso.

Ricardo disse...

Há várias coisas que gostaria de abordar com os ateus, mas vou começar por dar um pequeno "grande exemplo", toda a gente já ouviu falar no vaivem espacial da nasa, nao sei se ainda o é mas até à bem pouco tempo era a máquina mais complexa projectada pelo homem, 2,5 milhoes de peças, os engenheiros demoraram anos a projecta-la e monta-la.
Agora vejamos o corpo humano, ele é formado por 7 octilhoes de átomos, 100 trilhoes de células, dezenas de orgaos e pelo menos 9 sistemas organicos principais.
Conclusao:
Se dissermos a qualquer ateu que o vaivem foi obra do acaso, eles dizem que somos malucos, mas quando dizem aos ateus que o ser humano, muitíssimo mais complexo que essa nave, com capacidade para pensar, projectar, construir, raciocinar, sonhar, falar, ver, ouvir, decidir, reproduzir e equipados com uma consciencia, sim, é verdade, quando dizem aos ateus que o ser humano foi obra do acaso, eles acreditam......!!!!!
Vá-se lá entender.....?x?*?#?

Fonseca disse...

Acho que o que interessava é todos respeitarem a opinião uns dos outros dialogando os seus pontos de vista, colocando o outro a pensar por si mesmo sem pressionar e verificar se o outro está somente a seguir cegamente algo que lhe impuseram desde cedo ou alguém manipula para pensar assim e enfim, somos livres de pensar. Isto é psicologia.
Einsteins afirmou mais ou menos isto: que "a religião sem a ciência é cega, e a ciência sem a religião é coxa." Tem de haver um equilíbrio.
Todos devemos querer saber um pouco de outras religiões para além da nossa, para saber respeitar e de ciência para não sermos uns fanáticos obsoletos sem informação. Os que dizem ser ateus, provavelmente acreditam noutras coisas, mas mesmo assim respeito se se justificam convenientemente e tem uma boa conduta moral.
Veja-se que a Igreja há séculos cometeu grandes crimes, a guerra das Cruzadas para impor o cristianismo à força (Jesus, veio sem obrigar ninguém, deu-nos o livre arbítrio) e a triste e criminosa inquisição (em que se dizia matar gente sábia em nome de Deus) que acabou há dois séculos apenas. Uma vez, há uns 15 anos, a minha ignorante sogra, quando tentávamos explicar-lhe o que era a lua e porque é verdade que o homem foi à lua disse: -" Calai-vos, querem saber mais que Deus! A mania de quererem saber mais...Deus é que sabe." Acreditem que ainda existe muita gente a pensar assim principalmente nas aldeias e vilas de Portugal.
A muitos católicos faz-lhes confusão a ciência e assim andam cegos. Noutros países o isolamento da tecnologia, a ditadura ou a ignorância total e, juntando às vezes a pobreza extrema com alguma a perturbação mental leva à formação de terroristas e talibãs.
Mas acreditar pacificamente em Deus, pode ser reconfortante, é preciso é ser equilibrado...