quarta-feira, julho 21

Abandono de animais

“Os animais são abandonados durante todo o ano.” Esta crítica é lançada em uníssono por todas as associações que se dedicam a dar apoio aos animais. Todas as justificações são válidas: por mudança de localidade ou emprego, divórcio dos donos ou até mesmo falta de condições económicas. As associações alertam que apesar do pico do abandono ser perto dos períodos de férias, no final de cada ano o saldo de animais “deitados fora” pelos donos ultrapassa os 15 mil.

Convidados:
Luísa Barroso
, Presidente União Zoófila
Ana Vieira da Silva, Pres. da ANVETEM - Ass. Nacional de Médicos Veterinários dos Municípios
Paula Teixeira, Cantora e Tradutora de Língua Gestual
Pedro Ferreira, Vice-presidente da Câmara Municipal de Torres Novas

48 comentários:

carlos disse...

Não é considerado crime mas deve ser, alguém disse que quando as sociedades humanas perceberem o íntimo dos animais irão perceber muito mais de elas próprias.
Existe o racismo, neste caso é o mesmo mas chama-se especimismo.

Diogo Correia disse...

Não sei se existe, mas deveria de haver a possibilidade de (nos canis municipais) se deixar o nosso cão durante a nossa ausência, em troca pagaríamos o "alojamento" fazendo com que estas instituições ainda ganhassem algum dinheiro. Acho que desta forma todos ganhariam pois os canis receberiam algum dinheiro pelo alojamento de animais que por outro lado irão lá parar e provavelmente levarão a algum tempo para de lá sair.

Joana O. disse...

Muito boa tarde. O abandono dos animais é algo que me sensibiliza muito. Não sei como é que alguém é capaz de o fazer. São dos seres mais puros, leais e amigos que temos no mundo e o seu amor é incondicional e paras a vida. Dão a vida por nós. para além das coimas pesadas acho que quem abandona os animais deveria prestar serviço comunitário numa Câmara Municipal ou num canil para ver de perto o sofrimento destes seres que também têm direito à vida.

Ana disse...

Todos os dias quando vou trabalhar passo numa zona isolada de floresta, por aqui são abandonados muitos cães, ao longo de todo ano. Dou-lhes de comer e beber que é a única forma que tenho de os ajudar, uma vez que as associações estão lotadas. De ano para ano fico cada vez mais revoltada com a forma como o nosso país trata os animais...
Raquel Queirós, Funchal

CAP CRÉUS disse...

Enquanto não houver uma política séria de serem os donos a pagar, e bem caro pelos abandonos, não vamos a lado nenhum.
As pessoas têm os cães por capricho sem pesarem as consequências e nem obrigadas são a chipar e a registar os pobres dos bichos, nada disto muda. Vivemos num país demasiado brando com quem maltrata.
Não podem ser sempre os mesmos a preocuparem-se com os gatos e cães abandonados à sorte e ainda por cima sem apoios de ninguém. Pior! Ainda são olhados de lado, como se fossem uns malucos que vivem num planeta desconhecido!
Urge alterar a mentalidade tacanha deste País!

Rosa Redondo disse...

Quando fiz a declaração para IRS tentei encontrar uma entidade, associação, etc. que se dedicasse a cuidar dos animais para poder consignar-lhe 5% do meu imposto, tal como se pode fazer para igrejas, associações de apoio a crianças, etc.
Parece que nenhuma é considerada.
Do mesmo modo, se eu fizer um donativo à UNICEF, tenho uma dedução nos impostos. Se fizer ``a União Zoófila, não tenho.
Não se pode fazer nada para alterar isto?
Rosa Redondo
Lisboa

João disse...

JOÃO

Já me aconteceu ir a conduzir e o carro da frente parar e largar um cão no meio da estrada.
Parei o carro a frente do outro e quando me dirigi para a condutora vejo que ostentava sinais evidentes de riqueza, vi logo que o cão para aquela senhora era um objecto descartável. Só ao fim de 5 minutos é que a senhora percebeu que não saia dali enquanto não mete-se o cão no carro.
Estas pessoas deviam ter os papéis invertidos como castigo, levarem com uma trela ao pescoço e serem passeados pelos cães.

bee disse...

quero adoptar labrador bege bébé ou pequeno.

gleite4520@gmail.com

Hera Lopes disse...

Esta temática é extremamente importante. Infelizmente, o abandono dos animais é um realidade bastante presente na nossa sociedade, mas também, não é de estranhar... se nem se tratam bem as pessoas, como esperamos que se tratem os animais? Uma das formas que possivelmente, poderia atenuar estas situações de abandono, seria a promoção de campanhas de esterilização durante todo o ano, dado que, se os animais não vierem de um canil ou de um gatil, os custos da esterilização são muitas vezes elevadíssimos, o que contribui para uma desresponsabilização por parte dos donos nesse sentido. Outra forma, seria a de punir as pessoas que tenham esse tipo de comportamento de abandono dos animais, visto que, com a obrigatoriedade do chip, é mais fácil encontrar e identificar os donos dos animais abandonados.

Shadow_Fighter disse...

Falando nos Direitos do Animal e nas contraordenações no abandono de animais umas perguntas se fazem:
- Como e onde se pode fazer uma queixa de abandono?
- No caso de termos animais em casa, que tenham um acidente promovido por alguém estranho à casa (agressão, acidente por negligência, por exemplo, um muro vizinho que cai em cima de um animal nosso) será que poderemos também exigir o tratamento do animal? Ou o animal nesse sentido perde os direitos?
- Para quando um melhor apoio fiscal no que concerne às despesas inerentes ao cuidar de um animal com o Veterinário? Se queremos cuidar dele com responsabilidade porque é que o Estado não promove algum tipo de incentivo fiscal, dado que trata-se também de uma prevenção de saúde pública?
Fico à espera dos vossos esclarecimentos...
Hugo Loureiro

Sociedade Civil disse...

Quem está ligado a associações de protecção animal ou a canis municipais, já á algum tempo que deve ter percebido que o problema do abandono tem vindo a agravar-se progressivamente nos últimos tempos. Já não se abandona só no verão… abandona-se durante todo o ano, muitas das vezes pelas razões mais absurdas ou banais. Ter um cão está na moda…. Percebe-lo e compreende-lo é que nem por isso.

Qualquer pretexto serve para abandonar um animal de estimação quando este se torna num incómodo ou num entrave: está grande demais, já não brinca tanto, está velho, vou mudar para uma casa onde o senhorio não permite animais, não o quero junto ao bebé, ladra muito, larga muito pêlo, sou alérgico, não se sabe comportar, roeu o sofá… enfim… a lista é infinita…
A situação é dramática, o número de animais deixados para trás é imenso e a crise económica só veio agravar ainda mais a situação…

Cada vez mais é fundamental fazer um esforço para mudar mentalidades e fazer as pessoas entender que os animais são uma responsabidade do dono e que têm necessidades básicas que precisam de ser cumpridas. A constante desresponsabilização a que se assiste na nossa sociedade leva à escolha da solução aparentemente mais fácil até porque esta dificilmente trará consequências.
O problema do abandono e dos maus tratos não é só um problema das autoridades ou das associações de animais, é sim um problema de TODOS.

--
Elsa Cunha

Maria disse...

Tenho 3 cães e 2 gatos que amo mais que certas pessoas da minha família...
Mas em questões monetárias não tenho benefícios nenhuns, penso que pelo menos as consultas do veterinário deveria ser dedutível no IRS

Sandra disse...

Boa tarde. Os meus parabéns pelo programa que, infelizmente, nem sempre posso acompanhar. Gostaria de colocar a seguinte questão: a colocação do chip é obrigatória em todos os cães? Tenho um cão de dois anos (pai labrador e mãe rafeira). Obrigada.

CAP CRÉUS disse...

Chamo a atenção para o facto de não haver apenas a UZ. Existem dezenas de instituições de apoio aos animais abandonados que vivem às custas da boa vontade das pessoas que gostam dos animais.
Mas como têm menos visibilidade, esse apoio torna-se bastante escasso.
É uma pouca vergonha!

amadeu disse...

No Alentejo e na Costa de Caparica, existem matilhas de cães abandonados que adoptam o comportamento selvagem natural em matilha que lhes permite sobreviverem. Caçam mas tb recorrem aos caixotes do lixo sobretudo no Verão. Um restaurante da Costa em vez de lutar contra eles ( aparecem sempre novos...) "juntou-se a eles e dá-lhes de comer mantendo-o s calmos e contraolados não representando perigo para os banhistas. Conclusão os cães não precisam de estar em apartamentos e espaços fechados.

js disse...

Animais!!!...

É irritante ouvir uns “tipinhos” que comem hambúrgueres sem perceber minimamente do que é que estes são feitos, outorgarem-se no direito de se considerarem defensores dos bichos ... animais!!!...
Lembro-me das complicações que causaram à população de Barrancos só porque esta, na sua festa anual, mata 5-Toiros-5 ... quando esta localidade Alentejana está mais familiarizada com a cultura Espanhola do que com a Portuguesa (não lhes bastaria já o azar de terem nascido do lado de cá da fronteira?...), no fim Barrancos ficou a ganhar, dada a publicidade que foi feita às suas festas... e muita gente, mesmo não gostando de toiros de morte acabaram por tomar partido pela população Barranquenha.
Fico indignado quando vejo animais abandonados e/ou mortos na estrada e não são poucos, não sendo difícil perceber que muitas vezes a causa de tais acontecimentos está na ligeireza com que se induz as pessoas a adoptarem ou a comprarem animais, isto porque se fala nos benefícios que os bichos podem trazer para a estabilidade emocional das crianças sem se avisar que no caso destas sofrerem de doenças respiratórias terão os seus problemas agravados ... já para não dizer que a grande maioria das crianças trata os animais de estimação como sendo mais um brinquedo ... como funciona? onde se metem as pilhas?... e ao fim de pouco tempo perde-se o efeito “novidade” e o animal passa a ser mais um “brinquedo na prateleira”, as pessoas não são alertadas para o que pode acontecer quando forem de férias, não lhes é ensinado que os animais precisarão de cuidados especiais e que os passeios e os pneus dos veículos não são uma “casa de banho” para animais de estimação... esquecem-se igualmente de chamar à atenção de que os animais crescem... e como a maioria dos habitantes de Portugal ainda são portugueses, não percebem que os bichos quando são grandes, o espaço que ocupam é maior ... e simultaneamente aquele efeito “que gracinha ...” ... dá lugar ao efeito “se não arranjo quem o queira, não sei o que faça!”... a solução normalmente encontrada para resolver todos estes casos de falta de comunicação, é o ... abandono.
Portanto, defensores de animais, deixo-vos um repto, se optarem por iniciativas que conduzam a um maior cuidado na aquisição ou adopção de animais ..., que levem a que cães de guarda estejam presos e não soltos nas propriedades dado que podem saltar as vedações e causar problemas ..., que induzam a que quem vai passear o cachorro e este dê em fazer as necessidades no meio do passeio, deixe o método de assobiar para o ar enquanto o cão faz o serviço e depois siga o seu caminho impávido e sereno com aquela teoria tão nossa “a merda ‘tá feita!... agora quem quiser que limpe!”... e que induzam, igualmente, a um maior controle na natalidade dos animais de estimação ... Se se preocuparem com estes assuntos, ganharão o respeito da generalidade da população portuguesa!... se optarem por continuar armados em “betinhos birrentos” a chatear tudo e todos, poucos serão aqueles que darão atenção aos vossos protestos!... por maior que seja a razão que vos assista!...

Jose Carlos Boto disse...

Sem retirar o mérito a estas empenhadas pessoas e entidades é lamentável que sejam necessárias para prestar auxílio aos animais. Este tema nunca deveria ser motivo de um programa televisivo.
Esta nossa Sociedade Civil hipócrita, consegue ter os animais por categorias, conforme o nosso interesse. Temos os que comemos, os que usamos como auxiliares para trabalho, os que temos como propriedade para uso comercial, os que queremos em cativeiro em Zoos, os que participam em espectáculos e aqueles que amamos ou queremos que nos amem. A estes últimos todos os direitos cada vez mais humanizados, aos restantes ... são bichos.
Ofereçam um coelhinho a uma criança e dias depois digam-lhe que o vai comer ao almoço.
Todos os animais têm os mesmos direitos, pelo menos à vida.

CAP CRÉUS disse...

Agora reparei que está no programa, a Pres. da ANVETEM - Ass. Nacional de Médicos Veterinários dos Municípios. Gostaria que me explicasse como é possivel haver veterinários nos canis a abater cães e gatos e permitir que estes vivam nas condições em que os obrigam. Os vetrinários não têm de fazer um juramento qualquer no final do curso?

André disse...

É desumano o que fazem ao abandonar os animais eu não tenho nenhum mas gostava de adoptar(um gato) mas a uma duvida que eu tenho os gatos arranham os moveis e os sofás e isso é uma das causas pela qual não à tantas adopções desses animais.

Mas a duvida é eles arranham mesmo ou não?

João Areosa disse...

Boa tarde estou a ver o vosso programa muito interessante e gostaria de saber o que posso fazer para obrigara a Junta de Freguesia a registar os micro chips pois esta junta (PONTEVEL) Cartaxo não tem um unico cão registado.
João Areosa

ana catarina disse...

a maioria das pessoas adopta cães de raça ... o "rafeiros" são sempre deixados para trás .. pelo menos a maioria . porque?

Yara disse...

Para evitar o abandono é preciso também observar outras entidades, como por exemplo, as companhias aéreas e empresas de serviço às mesmas. Há uma semana um cãozinho de 2 meses que viajava com sua família para os Açores, foi morto atropelado na pista do aeroporto quando transportado na sua caixa de transporte para a aeronave! Recebem dinheiro e tratam um animal, um filhote, como uma mercadoria qualquer, que não importa que caia no meio do chão imediatamente para debaixo da roda! Para eles não se passou nada, para muitas famílias que amavam aquela criaturinha ficou a dor quase insuportável e a revolta! Como confiar???

Ana Caçador disse...

Boa tarde

Em Novembro de 2008 adoptei um cãozinho no canil de Vila Franca de Xira. Na altura teria cerca de 2 anos.
Estava muito magro e doente. Em pouco tempo curou-se, engordou e adaptou-se à casa nova.
É claro que a vida se alterou cá em casa, mas o Luca passou a fazer parte da família.
Vai connosco para todo o lado: na próxima semana vai para a praia. Aliás, foi procurada uma casa que aceitasse cães.

Acho inacreditável que alguém o tenha abandonado depois de ter convivido com ele.

Naquele dia de Novembro ganhei um amigo para toda a vida..


--
Ana Chambel Caçador

Gonçalves disse...

Não posso ouvir este tipo de coisas... Os animais são os nossos melhores amigos, e quem os maltrata não tem sensibilidade nem pelos animais irracionais nem pelos racionais!!

Eu adoro os meus animais, são como pessoas da minha família e são tratados como tal... É claro que devia haver mais controlo sobre estas situações e com coimas bem mais pesadas! Em relação às férias e não ter onde deixar os animais, isso é desculpas, pois ou existe pessoas da família, amigos, etc. que conseguem tratar deles ou até mesmo ficar com eles...

Agora atenção que ter um animal não é fácil... Há que ter espaço adequado, possibilidades, e compreensão acima de tudo. Ir ao veterinário não é fácil, pois são caros e não têm qualquer tipo de comparticipação por parte do estado! Já tive animais doentes, e entre tratamentos e operações somou quantias bastantes elevadas, o que por vezes não pode ser para qualquer pessoa...

E não se esqueçam: «Existem pessoas que merecem menos que os animais!!!»

dinny disse...

Provavelmente isto daria outro programa, mas que podem dizer sobre a dificuldade de fazer um seguro para um cão "rafeiro"? E porque cessa quando atingem 9 ou 10 anos?
Para não falar em medicação, internamentos, cirurgias, tratamentos que necessitam e nada podemos deduzir, por exemplo no iRS...
Quanto ao abandono, é inqualificável.
Típico de uma sociedade "doente" em algum aspecto.
Quanto a férias, sempre as fiz (quando as fiz... - atendendo a situações de saúde deles)com os meus cachorros.
Vê-los crescer é um privilégio e não uma razão para o abandono.

Joana disse...

Será possível criar em Portugal, uma espécie de Assistência Social, a qual tivesse poder para retirar aos donos, animais que apresentassem sinais evidentes de maus tratos? Poder proibir certas pessoas de terem animais?
Sou enfermeira veterinária e já assisti a algumas situações degradantes. Revolta-me que "a comunidade veterinária" não tenha poder para agir em determinados casos.

José Ricardo Silva disse...

Há uma frase de Mahatma Gandhi que diz: "A grandeza de um país e seu progresso podem ser medidos pela maneira como trata seus animais."
Como está o nosso país classificado neste tipo de grandeza?

Será que quando ensinamos às nossas crianças uma canção como "Atirei o pau ao gato..." estamos a educar para serem amigos dos animais?

Rafeiros S.O.S disse...

Olá!

Será que podem colocar o link do fórum Rafeiros SOS (um fórum de apoio aos animais abandonados) no cabeçalho onde estão a passar link´s?

www.rafeiros-s-o-s.com

Agradeço,
Cumps

Rafeiros S.O.S disse...

Olá!

Será que podem colocar o link do fórum Rafeiros SOS (um fórum de apoio aos animais abandonados) no cabeçalho onde estão a passar link´s?

www.rafeiros-s-o-s.com

Agradeço,
Cumps

Ancient astray soul disse...

(1) Boa tarde,
Eu sou voluntário há mais de um ano numa associação zoófila local (que tem entre 500 a 600 animais – bem tratados e com boas condições) e gostaria de esclarecer uma coisa – infelizmente as pessoas continuam a fazer a distinção entre animais de companhia (maioritariamente cães e gatos) e os animais que comem… Eu gosto verdadeiramente de todos animais e por isso sou vegano (vegetariano desde 1997 e fiz a transição para veganismo há cerca de 3 anos).
Pergunto o seguinte – e os que passam toda a sua a vida em condições horríveis e são mortos de forma cruel para que os humanos possam alimentar-se dos seus cadáveres?
Se as pessoas quiserem saber mesmo a realidade sobre os maus tratos aos animais, em geral, então aconselho que vejam o documentário ‘Earthlings’ (http://www.earthlings.com/earthlings/video-full.php)

cont.

Ancient astray soul disse...

(2) Relativamente ao abandono e maus tratos de animais em particular no nosso país, posso confirmar que acontecem durante todo o ano e a todo o tipo de animais (de raça e ‘rafeiros’), e pela minha experiência pessoal e pela crueldade que vejo os humanos cometerem contra os animais estou mais do que convicto que os humanos não são a espécie mais inteligente e superior do planeta mas sim a mais cruel e arrogante.
E esta situação não vai acabar enquanto os humanos continuarem a ser ‘especistas’ (discriminação baseada na diferença entre espécies).

cont.

Ancient astray soul disse...

(3) Adicionalmente também queria referir que algumas associações zoófilas se aproveitam dos donativos monetários de particulares e de instituições e empresas e esse dinheiro não vai para ajudar animais (informem-se antes de doarem dinheiro). Também quero alertar para o facto de que algumas organizações que fazem campanhas de recolha de alimentos e donativos não entregam os respectivos às associações zoófilas para as quais dizem estar a pedir esses mesmos donativos e alimentos.
Há também o problema dos canis municipais, cuja maioria não são mais do que matadouros de cães e gatos e por isso peço às pessoas que se informem antes de chamarem as autoridades locais para recolherem animais que estão na rua.

cont.

FoAm TriCot disse...

Estou ligada no facebook ao grupo "Adopta-nos" que apesar de diariamente publicar 40 a 50 posts que me partem o coração têm tido várias iniciativas louváveis nomeadamente as de publicar com imagens vários animais (canis ou encontrados) a necessitar urgentemente de um dono ou um padrinho a fim de evitar o Abate. Algumas vezes as coisas correm bem. Muitas vezes lá se vê a sentença ir até ao fim. No lugar onde moro vejo imensa gente COMPRAR animais que muito provavelmente nasceram em condições indignas de que produz crias como quem multiplica objectos numa fábrica. Além disso vou ouvindo gente que vê gente ir abandonar os bichos em estradas movimentadas ou em zonas armorizadas longe dos centros, às vezes até são encontrados amarrados e esfomeados.
EU PERGUNTO-ME PORQUÊ TANTO DESIQUILÍBRIO? O que está na minha (e na vossa) sensibilidade que não está nos outros?! Sei que não é possível mudarmos a sensibilidade de todos, mas dado que como disseram, isto é um assunto também de Saúde Pública e de utilização de dinheiros públicos, não será importantíssimo bombardear todos os canais de TV com imagens do que acontece todos os dias, do que acontece a esses animais, e do que pode acontecer DE BOM às nossas vidas quando temos um companheiro fiel, dedicado, de sentimentos puros, simples, meigo, sempre disponível e guardião como são estes bicho quando têm um verdadeiro Dono???
Sofia

Ancient astray soul disse...

(4) Por fim peço que não comprem animais em lojas ou a criadores e que vão às associações zoófilas locais fazerem voluntariado e se possível adoptarem animais (e se já os tiverem que os esterilizem).
“Pode ver-se o nível de evolução de um povo pela maneira como trata os ‘seus’ animais.” (Dalai Lama)

P.S. Peço desculpa pela quantidade de comentários que aqui deixei.

Gonçalves disse...

Isso dos animais perigosos é tudo uma grande treta! Primeiro os animais são o espelho dos seus donos, depois são idênticos às pessoas! Existem pessoas mais agressivas e outras menos agressivas... Assim como existem pessoas violentas, etc... Normalmente isso reflecte a educação e o passado dessa pessoa, nos animais passa-se o mesmo, e o animal como irracional tem que ter um dono para ser responsabilizado!
Eu por exemplo não gosto em especial de gatos, mas no entanto levaram-me um lá para casa e era um amor... com pequenos ensinamentos, não fazia nada de mal, somente gostava de poder andar por todo o lado e dormir em cima do portátil :) infelizmente, como tinha acesso ao exterior foi morto pelo cão do meu vizinho!! :( Ainda o levei ao vet., mas acabou por morrer...

Sweet Caroline disse...

Muito obrigada por dar voz aos animais!
Gostaria que fosse abordada a questão da esterilização pelos canis municipais que, salvo raríssimas excepções, são canis de abate.
Outro assunto que considero fulcral, é a mudança da lei que atribui aos animais o estatudo de "coisa".
Segundo o tratado de Lisboa eles são considerados sencientes, mas daqui à nossa realidade vai uma diferença abissal.
A semana passada nos Estados Unidos, uma senhora foi presa por ter deixado o seu cão dentro do carro. Consequencia desse acto negligente, o animal morreu.
A policia foi chamada, partiu o vidro do carro para retirar o animal, mas este não resistiu.
Aqui no nosso País, eu já chamei a policia por estar a ssistir a uma situação identica, e foi-me perguntado pela PSP o que eu queria que fosse feito. Respondi qu7e seria simplesmente partir o vidro! Resposta..."não podemos, é propriedade privada!
Educar nas escolas, sensibilizar as crianças desde pequenas, será uma ajuda tremenda.
ENSINAR E SENSIBILIZAR as autoridades que normalmente desconhecem a lei.

Obrigada
Aida

Gisela disse...

Não consigo entender como é que alguém abandona um animal... Tenho duas gatas, uma delas que encontrei na rua e só não tenho mais porque infelizmente vivo num apartamento. Mas há uma questão para a qual não consigo encontrar uma resposta. Porque é que é gasto dinheiro no abate dos animais dos canis em vez da esterilização ser mais barata!! Diminuíamos provavelmente o numero de animais na rua que não têm culpa de ter nascido e merecem todos o amor e carinho.

Sweet Caroline disse...

Muito obrigada por dar voz aos animais!
Gostaria que fosse abordada a questão da esterilização pelos canis municipais que, salvo raríssimas excepções, são canis de abate.
Outro assunto que considero fulcral, é a mudança da lei que atribui aos animais o estatudo de "coisa".
Segundo o tratado de Lisboa eles são considerados sencientes, mas daqui à nossa realidade vai uma diferença abissal.
A semana passada nos Estados Unidos, uma senhora foi presa por ter deixado o seu cão dentro do carro. Consequencia desse acto negligente, o animal morreu.
A policia foi chamada, partiu o vidro do carro para retirar o animal, mas este não resistiu.
Aqui no nosso País, eu já chamei a policia por estar a ssistir a uma situação identica, e foi-me perguntado pela PSP o que eu queria que fosse feito. Respondi qu7e seria simplesmente partir o vidro! Resposta..."não podemos, é propriedade privada!
Educar nas escolas, sensibilizar as crianças desde pequenas, será uma ajuda tremenda.
ENSINAR E SENSIBILIZAR as autoridades que normalmente desconhecem a lei.

Obrigada
Aida

Elsa Cunha disse...

O Gatil Simãozinho é um excelente projecto. Devia ser implementado em todas as escolas! A Escola Santos Simões, em Guimarães, construiu um gatil para acolher 30 gatos que são tratados por alunos e professores, uma experiência única em Portugal que uniu a comunidade escolar contra o abandono dos animais

Madalena disse...

Faço parte de um Movimento de Apoio à Vítima Animal chamado MAVAP, que teve a sua primeira campanha de 9 a 16/7 em vários centros comerciais do país. O nosso MOVIMENTO foi criado com a intenção firme de SENSIBILIZAR AS PESSOAS PARA OS ABANDONOS DOS ANIMAIS, OS MAUS TRATOS, AS LUTAS ILEGAIS. Pretende ACORDAR AS CONSCIÊNCIAS ADORMECIDAS de adultos e crianças para toda esta realidade. Pretende GERAR UMA ONDA ENERGÉTICA DE SOLIDARIEDADE EM TORNO NOS NOSSOS AMIGUINHOS DE 4 PATAS. Entre os nossos objectivos, pretendemos TRANSFORMAR OS CANIS DE ABATE em CANIS DE ADOPÇÃO, PROMOVER A CASTRAÇÃO E A ESTERILIZAÇÃO DE ANIMAIS, o que evitaria o nascimento de mais crias e consequentemente, MENOS ABANDONOS, ACELERAR TODO O PROCESSO LEGISLATIVO para que, finalmente, se POSSAM ACCIONAR OS MEIOS LEGAIS, no SENTIDO DE PUNIR QUEM MALTRATE (E OS ABANDONOS SÃO AQUI INCLUÍDOS) ESTES SERES INDEFESOS. Uma das situações com que fomos mais confrontados, à qual as pessoas pediam ajuda ou questionavam sobre o que deveriam fazer, era sobre os animais que, todos os dias, são encontrados nas ruas,na sua maioria em mísero estado, são atirados pelas janelas dos carros nas estradas, e ficam vagueando, completamente perdidos. E que acabam, na maioria dos casos, por serem atropelados. As associações estão cheias e lutam com imensas dificuldades, chamar o SEPNA está fora de questão, porque são enviados para o canil, que não é a melhor solução, pois passados 8 dias (quando a lei se cumpre o que nem sempre acontece)são abatidos. Que fazer então perguntavam-nos?
Deixo esta pergunta no ar. Gostaria que a colocassem à vossa plateia de entrevistados. E gostaria de pedir para que TODOS JUNTOS tornemos PORTUGAL um país MAIS HUMANO, MAIS GENEROSO, MAIS RESPEITADOR, MAIS ATENTO AO QUE O RODEIA. "O HOMEM SÓ ERRA POR IGNORÂNCIA". Pel'MAVAP Madalena Cereja

Joao Real disse...

Olá boa tarde sou Joao, sou detentor de um Dogue Argentino de 4 meses muito meigo no entanto faz parte das raças potencialmente perigosas, porque que caes como caniche como ja foi abordado que ja morderam mais que uma vez nao sao englobados tambem nessa lista? curioso....
obrigado e cumprimentos

Filipe disse...

O Problema é que a generalidade da sociedade não tem uma cultura de protecção dos animais e o seu bem estar. Basta dizer que muito novos na virilidade da adolescência é apedrejar gatos, cães etc...

Não há fiscalização, existem leis que não são cumpridas.

Deviamos meter os olhos na rspca em inglaterra de como funcionam.

Filipe

Jorge disse...

Eu queria adoptar um cão, mas como vivo num apartamento a minha mãe não me deixa, pois eu tenho um vizinho que deixa o cão fazer as necessidades no elevador e deixar pêlo por todo o lado, e a minha mãe tem medo que que possa acontecer o mesmo, já para não falar no barulho que faz, mas mesmo assim eu adorava ter um cão, porque como sou filho único gostava de ter um "amigo" em casa.

FoAm TriCot disse...

Às vezes os animais são deitados aos caixotes de lixo. Às vezes vivem em pocilgas presos dias sem agua ou comida. Às vezes tão apertados que deixam de ter músculos nas pernas para se levantarem. (para não falar do que se sabe doutras partes do mundo onde, os têm, vivos esmagados uns contra os outros como bacalhaus à espera de serem comprados e comidos). É uma tortura.
E depois tenho visto pessoas que se oferecem para transportar os animais, comprar ração e levá-la a sítios, divulgar as situações, pagar contas de veterinários, internamentos medicamentos e esterilizações, tantas tantas...
Todas estas pessoas não poderiam juntar-se num sentido de mudar a lei (como aconteceu com a Oprah no EU e as leis dos "produtores" intensivos de crias para venda)? Fernanda, fala por favor mais com o Sr. Pedro Ferreira sobre ideias de mobilização possíveis para todos nós, que sofremos tanto TODOS OS DIAS...
Sofia

CAP CRÉUS disse...

A história dos cães potencialmente perigosos também é bastante curiosa.
Os cães são o espelho do dono!
No final de contas, o cão é abatido e o dono pouco ou nada sofre!
Mais uma pérola deste portugal tão pequenino!

FoAm TriCot disse...

Queria também lembrar que é perigoso que a lei que viesse a ser mais dura em cima das pessoas seja através da identificação do "chip" dado que isso pode fazer com que quem abandona os bichos ainda se lembre de arrancar à força o bocado de pele onde puseram o chip..

A lei tem de ser como as outras e ter a força pública como vigilância natural. Vemos alguém fazer uma tortura destas, sabemos de alguém que o vai fazer ou fez, pedimos apoio da entidades competentes para agir processar e tornar público LOGO. A polícia também tem de ser e estar MAIS informada e sensibilizada...

Sofia
(obrigada pelo programa)

Hugo disse...

Não há cães perigosos. O que existe são donos perigosos que não educam (ou educam mal) os cães e têm cães desajustados ao seu perfil físico e mental. Se não ensinarmos uma criança como se comportar correctamente ela não saberá fazê-lo sozinha. Com os animais passa-se o mesmo. É preciso saber educá-los. Existem cursos para os donos aprenderem a educar os cães. Se um cão faz algo errado é porque o dono o ensinou (mesmo que involuntariamente) de forma errada.
Há quem se lamente dos cães serem agressivos. Já pararam para imaginar um ser humano que tenha sido maltratado vezes sem conta? Acham que é uma pessoa meiga? Como é óbvio ficou com sequelas. Acham que os animais são de pedra, que os podem pisar e eles não sentem? São como nós! Seres vivos que sofrem com o mal que lhe fazem! Se não querem animais agressivos, parem de os maltratar!

eufonseka disse...

Olá! Concordo com a maioria dos comentários aqui deixados e: cães, gatos, pássaros, coelhos de estimação, peixes de aquário ou até répteis (embora estes não sejam domésticos e deviam estar no seu habitat), todos merecem respeito e bons tratos.
Uma curiosidade acerca de peixes: como eles sofrem em ambientes pequenos e fechados, para além de ser trabalhoso e gastarem muita preciosa água potável, porque não, fazer como os japoneses e arranjar aquários com peixes artificiais? Nunca morrem e quase não se troca a água e tem o mesmo efeito anti-stress.
Tenho um único filho e ele adora brincar com o nosso cão rafeiro e adoptado aos 4 meses, já o temos desde os 5 anos do meu filho e fez-lhe muito bem! Dá trabalho a educar o cachorro no início, mas com um esforço ou pedindo ajuda a quem sabe, eles adaptam-se bem desde que os donos tenham afecto, bons tratos, algum tempo diário para ele/ela e o/a levem a passear.
Quem gosta muito de dar, receber carinho e ter obediência do seu animal de estimação, é melhor escolher cão: os gatos não gostam de demasiado controle neles, muito afecto constante, proibições e mudanças.
Os cães são imprescindíveis a apanhar bandidos, descobrir drogas, guiar os cegos, etc.
Já repararam que o cão é a espécie animal que se conhece com mais variação de tamanho, peso, feitio, pêlo e cores, tem? E parece-me, segundo vi num documentário, que têm como antepassado o urso...o lobo já é da espécie dos canídeos, suponho.
Há que aprender a separar os cães dos lobos, pois a junção extingue o selvagem e bonito lobo, nobre animal.
Mas voltando ao assunto aqui, primeiro as pessoas tem de aprender a respeitar-se, a bem cuidar-se a si próprio (quase ninguém fumava ou se intoxicaria com outras drogas ou substâncias prejudiciais à saúde e ao seu ambiente) e logo a seguir o seus próximos. Com isto, respeitaria também as outras espécies, incluindo fauna e flora e toda a natureza!
Eduquem-se bem os humanos e não haverá "donos perigosos", abandonos e maus tratos a seres...
Ás vezes acho que a palavra racismo também se aplica a quem SÓ gosta de cães de raça pura. Ou será elitismo de espécies? Há cães VIPs?! Muitos cães "absorvem" a personalidade dos donos...
Para acabar com a abandono é preciso curar a sociedade.