quarta-feira, julho 14

Parques Naturais

Sabia que Portugal tem 13 parques naturais e que a criação do parque Peneda-Gerês coincidiu com a primeira lei de ambiente criada em Portugal em 1971? O objetivo na altura passava pela conservação dos solos, água, flora e fauna. Marcava o ínicio de uma política ambiental, mas também a criação de parques e reservas naturais protegidas. E hoje? Que projectos de conservação da biodiversidade estão em curso? A população tem conhecimento deles? Que ofertas existem para se desfrutar dos Parques Naturais? Há estâncias de eco-turismo? De que forma os fogos de Verão ameaçam estas áreas? Que espécies protegidas ali habitam?

Convidados:
José Guerreiro
, Ordem dos Biólogos
Eugénio Sequeira, Presidente da Assembleia-Geral da LPN
Lagido Domingos, Dir. Departamento de Gestão de Áreas Classificadas do Norte do ICNB
Paulo do Carmo, Vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Grândola

16 comentários:

José Mota disse...

Boa tarde. Sei que o tema tem a ver com coisas positivas mas não posso deixar de ser negativo quanto à fiscalização das ditas áreas protegidas e do total desinteresse do Estado na preservação do nosso potencial ecológico. A ver: as descargas criminosas de fábricas e suiniculturas, os incêndios de origem criminosa, o desordenamento territorial a que o Pais está votado, a demora na reposição de situações ilegais (como é o exemplo da casa da Arrábida da esposa do sr. scretário de Estado que foi recentemente demolida após um processo que se arrastou por 12 ano), já para não falar das cimenteiras, todos estes são alguns dos factores que diluem a beleza deste belo território. Só temos estes oásis enquanto os grandes grupos e interesses estiverem na mira das associações de protecção da natureza, porque, de outra forma, há já muito só restariam pedras e cinzas. falem (da falta...)das leis e da fiscalização, alertem os irresponsáveis que deitam beatas acesas pela janela do carro durante a época de incêndios (os 500€ da coima não os assustam nem as campanhas publicitárias) e divulguem o Portugal selvagem ao mundo... Um bem haja cara Fernanda. Cumprimentos

João disse...

JOÃO

Um parque natural é uma área que se destina a proteger a fauna e flora desse local e a criar zonas de lazer onde as pessoas possam tirar o máximo partido da natureza com o mínimo impacto.
Todavia de tempos a tempos em alguns parques naturais neste país tendem a crescer "ervas daninhas" tipo: vivendas, moradias, outlets entre outras.

A biodiversidade de hoje neste país comparada com a de há 300 anos é no mínimo decepcionante!

Miguel Midões disse...

Boa tarde, em Macedo de Cavaleiros, tem sido feito um trabalho exemplar ao nível da preservação da natureza da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo, que até já tem duas praias fluviais com bandeira azul. A Câmara tem dado provas de que consegue associar desenvolvimento, turismo e ambiente. Contudo, agora há a intenção de privados em construir um Ecoresort, mas o parecer do ICNB é negativo, não apoiando esta iniciativa de Ecoturismo. Uma vez que temos aí hoje um responsável deste organismo, gostaria de saber porquê?

Ângelo Rodrigues

Filipe Carvalho disse...

Boa Tarde !

Visto que o tema do vosso programa de hoje tem a ver com os parques naturais e espécies protegidas gostaria der colocar uma questão para a qual ainda não obtive resposta até hoje.
Eu moro numa aldeia perto do parque natural do Alvão, e esta é uma zona com algumas espécies protegidas, nomeadamente o lobo e a raposa.
É sobre a raposa que vou lançar a minha questão, na minha casa existe um galinheiro, que nas últimas noites tem sido atacado pela raposa e na última semana tive um prejuízo de cinco galinhas que foram mortas por este animal, sendo a raposa uma espécie protegida, e visto que não a posso matar gostaria de saber, aonde devo reclamar o montante relativo a este prejuízo. Caso ninguém assuma a responsabilidade de pagar o prejuízo causado pelo animal, terei de arranjar alguma forma de travar esta situação.


Muito Obrigado e cumprimentos para o vosso programa e todos os convidados.

Miguel Midões disse...

Há empresas privadas interessadas em construir Ecoresort's na Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros. Mas, segundo a autarquia local, ICNB não dá parecer positivo e o Plano de Ordenamento que pretende para a zona impede aquilo que a Câmara chama de desenvolvimento sustentável. Porquê este parecer, se o Azibo é o principal ponto de atracção turística do concelho e o município já provou saber fazer a gestão do espaço, pois as praias fluviais existentes são ambas de bandeira azul, o município ficou em 4º lugar no Eco XXI e tem um grande número de escolas com bandeira verde?

José Reis disse...

Boa tarde. Na região de Torres Novas, próximo do paúl do boquilobo, há, desde há pelo menos 20 anos, poluição das águas, de tal modo que a água pareçe óleo e é viscosa. Todos sabem da situação, afectando o problema até concelhos vizinhos, tendo já o caso sido documentado várias vezes na comunicação social. O problema é que, quem de direito, poderia fazer algo, tais como cargos públicos e fiscais, assobiam para o lado. Como é que uma pessoa pode acreditar que a lei funciona, quando os próprios agentes da lei não a aplicam?

BB disse...

Boas Tarde SC e Fernanda.
Apenas queria sugerir muito rapidamente 3 coisas.
1.Portugal tem uma necessidade urgente de conhecer e educar-se relativamente ao seu Património ecológico coisa que me pergunto porque é que não é incluida nas escolas.
Obviamente que estes assuntos são abordados nas escolas mas de um modo muito leviano.
2. A sugestão da leitura de um livro entre muitos o Livro Vermelho - ICNB,aconselho a sua leitura para todos aqueles que de facto se preocupam com a vida selvagem em Portugal e recomendo o uso do mesmo nas escolas.
Também aos cidadãos que veêm Tv que vejam um programa Magnifico produzido Que dá na 2 que se intitula BIOSFERA.
3.Aos senhores que caçam, considerem em trocar a caçadeira por uma máquina fotográfica,garanto-lhes que a satisfação será maior.
Obrigado.

João disse...

Boa tarde,

Tenho 38 anos e desde os 6 anos que frequento a lagoa e praia de Melides.
Sempre me chocou ver a envolvente da entrada da praia e foi com muito agrado que vi tudo ser retirado.
No entanto, o recuar do estacionamento para uma área a cerca de 500 m da praia, no meu entender trouxe algumas dificuldades, tais como a deslocação de pessoas idosas até à praia e a ocupação ilicita de terrenos junto ás dunas do lado esquerdo da praia, pelos mais afoitos, para aí deixarem a sua viatura.
Teria sido melhor, para evitar estas situações, que tivessem construido um parque de estacionamento ordenado junto á praia.
Em relação à lagoa, lamento que ainda não tenho sido estabelacida uma proibição de colocar redes de pesca nas suas águas. Seria uma boa zona para desportos aquatáticos, não poluentes, tal como velegar, a que praticava da lagoa e que tive de o deixar de fazer devido às faltas de condições.
Em termos urbanisticos, a proibição de construir até 1000 m da praia tem feito com que surjam alguns exemplos de como não construir. Seria melhor autorizar com as devidas condicionantes.

Obrigado,

João Luís Ferreira
Arquitecto

Luis Avelar disse...

Centro de Interpretação da Torre no Parque Nacional da Serra da Estrela, inaugurado em 2008, foi uma medida certa no local errado. Não só não fomenta o acesso ao mesmo (nevões, inacessibilidade, falta de transporte colectivo) como agrava ainda mais os problemas de massificação no Planalto Central onde convergem 4 estatutos de conservação. Um erro gravíssimo (a antítese do que se faz no estrangeiro) de uma estratégia de promoção de um Turismo Sustentável. Inqualificável!

Luis

Julieta Rodrigues Martins disse...

Existe a Marca Parques Com Vida no norte de Portugal - Produto turístico estruturado! Conhecem?
Marca ligada aos 4 Parques Naturais e Nacional do Norte!

Julieta Rodrigues Martins disse...

Só comecei a assistir ao programa agora é muito importante falar de turismo associado a áreas protegidas - existe efectivamente uma marca e um produto associado aos Parques, ao contrário do que foi até agora citado - a marca Parques Com Vida! é importante citar este assunto: www.parquescomvida.pt

Luis Avelar disse...

Correcção ao comentário de Luis Avelar: Onde se lê: Parque Nacional, deve ler-se Parque NATURAL.

Obrigado pela compreensão
Luis Avelar

BB disse...

Já que o emprego está em primeiro lugar segundo a opinião de certos(falta-me a palavra),e o turismo está é imperativo então vamos ser drásticos.
Proponho que todas as áreas protegidas sejam cilindradas, as árvores abatidas e o País tenha uma fartura sem fim de campos de golfe para os turistas e condomínios de luxo com piscininhas e.t.c.
O importante é facturar porque afinal existe o papão da crise.
Quanto aos animais, lince ibérico,lobo ibérico e afins façam panelas de guisado e sirvam em cima da ponte 25 de Abril para os pobres.

V disse...

Quando escuto o Sr Vereador de AMBIENTE da Câmara Municipal de Grândola dizer que a Praia da Comporta é de destacar pelo ambiente ou elogiar o Tróia Resort (que destruiu e retalhou dunas primárias, secundárias, terciárias e quaternárias - que antes eram de todos e agora só de quem pode comprar lá moradia) até me arrepio todo!

Doutor Reset disse...

Também é lamentável ver a Serra da Boa Viagem na Figueira da Foz, com a Cimpor implantada a poluir o ar e a água, com tóxicos.
Mas ninguém mexe na situação porque a Cimpor tem um capital de 2000 Milhões euros.

laurinda disse...

Boa tarde!
Estranho ainda não ter ouvido falar do conceito de indice glicémico, que considero ser uma das respostas mais eficázes para ajudar a resolver o problema da obesidade...
Se pudessem introduzir-lo na conversa, seria um bom serviço público :)
Laurinda