sexta-feira, outubro 29

Cancro da mama: rastreio é a solução?

Cinco mil novos casos por ano, 1.500 mortes no mesmo período.
O cancro da mama é, depois do cancro de pele, aquele que mais atinge a mulher portuguesa e é também a segunda causa de morte por cancro no feminino.
Mas cada vez mais mulheres aderem aos rastreios de cancro da mama, facto que ajuda consideravelmente a reduzir os números da mortalidade.
Queremos aproveitar para falar das consequências que uma doença destas pode ter, assim como as causas e os mitos ainda associados. No ultimo dia de um mês destinado ao esclarecimento e prevenção do cancro da mama, saiba ainda tudo sobre os mais recentes tratamentos e os casos bem sucedidos de mulheres que venceram o cancro.

Convidados:
Cidália Ventura, Psicóloga Clínica e Ass. Viva Mulher Viva
Luís Costa, Diretor Clínico do Serviço de Oncologia do Hospital de Santa Maria
Sara Valadares, Médica Ginecologista-Obstetra
Alberto Pereira, Cirurgião Plástico no IPO Lisboa

17 comentários:

Mafalda disse...

Boa tarde!
Gostaria de saber se uma mulher a amamentar pode fazer rastreio (palpação ou eco).
Obrigada.

Sociedade Civil disse...

Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010
Tosta mista
Hoje comecei o dia a sentir-me uma tosta mista.
A prensa esmagou-me primeiro a mama esquerda, depois a direita. A técnica viu, depois, no ecrã, e apontou para uma mancha escura. Pediu-me para repetir. O meu coração acelerou. Depois disse-me para aguardar um pouco, que o doutor já chamava. Pensei que me chamasse para discutir o que viram. Aguardei. Um nervoso parvo começou a crescer. Ouvi o meu nome, entrei.
- Dispa-se da cintura para cima que já a chamamos.
Aí, sim, o coração disparou. Mandaram-me deitar numa maca e percebi que iam fazer ecografia. Pronto. Já foste. A mancha é suspeita e vão vê-la melhor. Tenho de ser valente. Depois, o médico chegou, simpático. Fez a ecografia enquanto falou de coisas que sabe sobre o Governo. E até me deu uma grande dica para uma reportagem. Mas mesmo boa, tão boa que até me esqueci do medo. No final, disse-me que podia ir, estava tudo bem. Afinal, fazem sempre uma eco no final e eu não sabia.
Hoje comecei o dia a sentir-me uma tosta mista. Prensada e tostada. Já passou.
(E vocês? Têm ido ver as maminhas? Vão!)

http://coconafralda.blogspot.com/2010/10/tosta-mista.html

Sociedade Civil disse...

http://www.lux.iol.pt/oncologia/joana-paes-ferreira-cancro-oncologia-testemunho-medico-nuno-lobo-antunes/1148702-5038.html

Natália disse...

Faz Amanhã 3 anos que numa mamografia de rotina me foi diagnosticado o cancro da mama.
Fiz cirurgia......quimio,radio e herceptin.
Estou bem.
Não deixem de fazer a vosso rastreio.
Ele salva vidas .

Joana disse...

Penso que também seria importante alertar para o facto de que o cancro da mama não ser exclusivo das mulheres e poder também afectar os homens.

pereirinha disse...

Boa tarde!

Eu tenho 28 anos, não tenho qualquer história de cancro da mama na família, mas tenho muitos nódulozinhos de tecido adiposo que me impedem de perceber seja o que for no autodiagnóstico. O que faço é pedir ao médico do centro de saúde de serviço (não tenho médico de família, estou em lista de espera...), para fazer ecografias mamárias, como forma de rastreio. Fiz 3, nos últimos 10 anos. Estou no bom caminho? Ou devia fazer outra coisa qualquer?

Cumprimentos
Diana

Daniel disse...

Boa tarde,
A minha namorada tem um índice de massa corporal normal, mas tem uma mama grande (copa F). Além disso, tem multi-nodularidade, o que dificulta/impossibilita o auto-exame. Como podemos proceder para contornar esta situação? Obrigado.

Lurdes Soares disse...

Fernanda,é linda a forma como aborda,os temas que desenvolve ao longo dos programas,que sigo,no seu programa,esse título do ;chá dos chapeus; neste programa,Cancro da mama:foi delicioso,PARABÉNS,você é uma força como profissional,e como ser humano.:):)

Mónica Tátá disse...

Gostaria aqui de mais uma vez aproveitar a oportunidade e agradecer ao professor Luís Costa a sua dedicação aos seus doentes. Eu própria uma sua paciente embora atipica fui Mãe de 2 crianças a 1.º aos 26 e a 2. aos 30, amantei ambas as crianças até aos 10 meses, fui sempre desportista, nunca fumei,alimentação mediterranica; infelizmente poucos meses após ter terminado a amamentação da minha 2. criança senti um caroço no peito e após um primeiro diagnostico errado ( calcificação mamaria) foi-me detectado um carcinoma ductal invasivo na primeira ressonancia com 45mm. o processo que passei, e ainda atravesso é desgastante, mastectomia radical, 18 meses de quimio 29 sessões de radio. Contudo a atenção que o Professor Luís Costa dedica aos seus doentes deixo aqui o meu sincero Agradecimento á sua irrepreensível ética profissional!
Atenciosamente
Mónica Tátá

Lucy disse...

Boa tarde

Gostaria de um esclarecimento sobre fibroadenomas.Na última ecografia que efectuei em Maio deste ano o relatório descreve: "várias imagens de formações nodulares sólidas de configuração eliptica,a maior na transicção dos quadrantes supreiores à direita, com cerca de 20mm de maior eixo e todas tradutoras da presença de fibroadenomas a controlar ecograficamente".
Um dos fibroadenomas que tenho, já é visivel no peito, será melhor removê-lo?ou se algum crescer?
Gostaria de saber se estes fibroadenomas podem degenerar em algo maligno?
Fazer ecografia de meio em meio ano é suficiente para evitar um cancro de mamã?
Aproveito para dar os parabéns pelo programa que assisto com assiduidade e que enriquece a vida de quem o vê.
Patrícia

carla nunes disse...

Boa tarde. Tenho 34 anos e tenho bastantes fibroadenomas nas duas mamas, já tirei um há alguns anos e faço o seguimento anualmente excepto o ano passado devido a gravidez. Estes fibromas podem degenerar e originar situações de cancro? è que já não ligo, pois já estou habituada a conviver c eles! Obrigada

lovemefool disse...

Tenho 27 anos. Pedi à minha médica de família para fazer um rastreio (pela primeira vez),e ela disse que eu era demasiado jovem!! Não me passou o exame, e agora sinto uns nódulos no peito!
Sofia

kittysite disse...

Olá.Boa Tarde.
Penso que estes progamas de divulgação,deveriam ir para o ar a horas mais tardias.
Considero muito importante o vosso trabalho.
A prevenção do cancro da Mama(Factores de risco) deveria ser divulgado com destaque em horas de ponta pela TV.

Nós mulheres não ligamos,por vezes ,a esses factores...
Sem dúvida que o nosso estilo e padrão de vida tem muito a ver com esta situação assim como a alimentação.
É importante que tenhamos esse conhecimento para que não seja tarde de mais...
Um abraço apertado a todos os que
lutam contra o cancro(doentes ,
profissionais de saúde ,associações).

Luisenia Paz disse...

Boa Tarde!
Tenho 37 anos, fiz histerectomia com anexocectomia bilateral há 2 anos e gostava de saber se o facto de eu estar em menopausa precoce aumentam as minhas chances de desenvolver cancro de mama?

Paula disse...

Boa tarde.

Em Maio de 2009 fiz uma mamografia, não havendo nada de preocupante. Em Agosto seguinte (4 meses depois) palpei um nódulo na mama direita. Diagnóstico: carcinoma da mama.
Passei pela quimioterapia seguida de mastectomia radical e hoje encontro-me a aguardar uma cirurgia hepática, pois já havia metastização...

Paula

Paulo Moscoso disse...

a minha esposa foi operada à cerca de um ano a um carcinoma in situ da mama e correu lindamente,fez radio e esta a fazer tratamento hormonal. devido a vivermos no interior norte do pais e aqui pura e simplesmente o serviço de oncologia nao funcionar, o acompanhamento nao correu como o esperado. burocracias entre centros hospitalares levou a que este acompanhamento nao tivesse sido feito como deve ser. de modo ke lhe apareceram agora quistos no utero que irao ser removidos no proximo mes. situação que poderia ter sido detectada muito atempadamente se houvesse melhor acompanhamento. como é possivel que tendo um serviço de excelencia em vilareal, os pacientes do distrito de bragança tenham de ir para o ipo do porto, com os inconvenientes que isso acarreta??
felizmente conseguimos a muito custo passar a ser seguidos neste centro oncologico.

Cumprimentos e coragem a todos

Rute Inacio disse...

Boa tarde!
Chamo-me Rute Inacio e tenho 32 anos sou positiva em BRCA2 e já fiz profilaccia das duas mamas à 2 anos. Gostava de saber o porquê de não se falar da profilaccia como prevenção. Embora saiba que posso escolher o anonimato estou pronta para dar a cara pela doença e sou prevenção. Se possivel gostava de receber resposta da sociedade civil.
Muito obrigada.