quinta-feira, janeiro 20

(Con)viver com vizinhos

Só em 2009 a DECO recebeu 22.760 queixas relacionadas com a convivência entre condóminos. Em 2010, só entre Janeiro a Abril foram rececionadas 4.611 reclamações. Afinal, quem não passou pela experiência de ter vizinhos barulhentos ou ouvir música alta ou ruído de televisores a altas horas da madrugada? Apesar de as queixas serem muitas, poucos são os que avançam para tribunal ou apenas para os Julgados de Paz, optando por mudar de casa ou insonorizá-la, suportando os custos. Há outras formas de resolver a situação? Como evitar conflitos entre vizinhos? As empresas de gestão de condóminos são a melhor alternativa?

Convidados:
Susana Soutelinho, Administradora de condomínio e Advogada
Paulo Quaresma, Presidente da Junta de Freguesia de Carnide (Lisboa) e
Vice-presidente da Ass. Nacional de Freguesias
Joaquim Rodrigues da Silva, Responsável da revista Dinheiro & Direitos e
Jurista Deco e Autor principal do Guia dos Condóminos
Rui Alexandre, Pres. Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos

8 comentários:

Joaquim Faria disse...

Não deverão abordar também a forma urbanistica de como são colocadas as habitações?
Não deveriam ser parte do painel de convidados um Urbanista?
Não é à forma de urbanização que são imputadas muitas responsabilidades, incluindo a convivência com os vizinhos?

MARIA JOÃO disse...

Lamentávelmente a lei do condominio não se ajusta às realidades e fomenta mesmo a "guerra" entre vizinhos. Viver no campo ou na cidade é diferente. E se a lei se preocupasse mais com a boa organização de relações sociais de proximidade ue podem ser muito úteis, do que apenas com a gestão dos espaços ou dos ruidos, seria uma lei mais conciliadora. A própria lei está feita para gerar conflitos em vez de boas relações de vizinhança.

Sónia Fernandes disse...

Posso pedir a um vizinho de baixo para não fumar? Quando fuma o cheiro passa para minha casa, e tenho dois filhos pequeninos.

Sónia Fernandes disse...

Posso pedir a vizinho de baixo para não fumar dentro de casa? Passa fumo quando ele fuma dentro de casa; e tenho dois fiulhos menores, um deles bebé.

MARIA JOÃO disse...

O representante da DECO parece não gostar das soluções conciliatórias. Muita pena pelos seus comentários apelando à confrontação. A Polícia teve comentários de muito maior civilidade e conscienci<~encia da problema.
Há pessoas que deveriam viver sozinhas, no campo, sem caes, vacas, pásaros, gatos ou vento. Se conseguirem

Joana Sá Pires disse...

Compreendo a opinião dada sobre a inutilidade das marquises. Mas em casas pequenas pode dar muito jeito. Quando comprei casa já tinha a varanda fechada e montei lá o escritório que de outra forma seria impossível te-lo.

Valente disse...

Ainda a propósito do programa de 5ª feira, não ouvi falar da possibilidade de um proprietário de uma vivenda que tem instalado um sistema de painéis solares ou voltaicos, vê nascer um prédio que impede o funcionamento pleno desses mesmos equipamentos. O que pode ser feito?

MP disse...

Quando é que colocam o programa online? Há dias que aguardamos a possibilidade de o rever e divulgar junto dos nossos membros. Não deveria ser logo de seguida? O factor actualidade perde-se com muita facilidade, sobretudo num programa diário.
Margarida Portugal, assessora imprensa da OASRS