quinta-feira, janeiro 13

Emissões de dióxido de carbono aumentam em Portugal

“Roadmap 2050” é um projeto que pretende fazer um levantamento exaustivo das políticas ambientais de emissões de dióxido carbono, que poderão ter atingido 1,1 milhões de toneladas em Portugal, sendo os fogos florestais os principais responsáveis. A outra grande fatia corresponde aos 29 milhões de automóveis que fazem o percurso Lisboa-Porto. Ao todo Portugal emite 80 milhões de toneladas de CO2 por ano.
Para Francisco Ferreira, vice-presidente da Quercus, "os dados de Portugal em comparação com o resto da Europa são animadores no combate às emissões de gases.” Mas o que podemos fazer para diminuir a nossa pegada ecológica? O que pode a indústria fazer para diminuir os danos?

Convidados:
Viriato Soromenho-Marques, Coordenador Programa Gulbenkian Ambiente
Francisco Ferreira, Vice-Presidente Quercus
Carlos Teixeira, Vice-presidente Liga para a Protecção da Natureza
José Manuel Martins, Engenheiro do Ambiente e Prof. Universidade de Aveiro

5 comentários:

João disse...

João

Os dados de Portugal são positivos porque a nossa frota automóvel é a mais limpa, ou seja, as nossas viaturas têm menos cilindrada/cilindros. Individualmente não podemos fazer muito mais. A nível global e nacional o PDM não existe e a nível das autarquias é obsoleto. Existe uma solução, mas essa decisão deveria ter sido tomada no princípio da industrialização moderna antecipando o fluxo de pessoas para o litoral.

inacio disse...

Ola,

Porque será que ninguém fala na proscrita Teoria do ARREFECIMENTO GLOBAL ? Ha cientistas que contradizem o aquecimento global e a teoria do co2 como consequência da actividade humana... Parece que também neste caso a pegada humana não tem a importância que se julga..

Cumprimentos.

inacio disse...

Sera o meu comentário ofensivo ou apenas inconveniente, para n ser publicado ?


Ola,

Porque será que ninguém fala na proscrita Teoria do ARREFECIMENTO GLOBAL ? Ha cientistas que contradizem o aquecimento global e a teoria do co2 como consequência da actividade humana... Parece que também neste caso a pegada humana não tem a importância que se julga..

Cumprimentos.

joao disse...

Boa tarde, como disse um dos vossos comentadores nos anos 8o os U.S.A. estavam à frente na corrida das renováveis, o que se passou até aos dias de hoje pode ser visto num documentário de 2006 intitulado: Who Killed The Electric Car.
Em relação às casas, é possível emissões zero, vejam este conceito "EARTHSHIPS". As casas evoluriam pouco em 2000 anos, os romanos já tinham janelas de vidro duplo.
Excelente programa, continuem.

Partido de Todos os Portugueses disse...

CO2 até pode aumentar... qual é o problema?

A actividade do Sol não mais importante?

Sem Sol não há aquecimento... com mais actividade solar (2001) temos temperatura como em 2003...

O custo de fazer e o custo não fazer...

Ao fazer... há que fazer bem...

Isolamento das casas?
Mais um imposto inútil?

O que vai fazer o isolamento térmico num sismo?