quinta-feira, fevereiro 3

Ano Europeu do Voluntariado

O dia 3 de Fevereiro marca o arranque oficial do Ano Europeu do Voluntariado (AEV). O ano vai celebrar o compromisso de 94 milhões de voluntários europeus que, nos tempos livres, trabalham de forma gratuita nas suas comunidades, nomeadamente em escolas, hospitais, clubes desportivos, em actividades de protecção do ambiente, dinâmicas culturais ou no apoio às populações dos países em desenvolvimento.
E em Portugal quem faz voluntariado? Estamos na média europeia? Em que áreas há mais voluntários? E onde escasseiam? Como motivar os portugueses para este exercício de cidadania?

Convidados:
Elza Chambel, Pres. CNPV - Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado
Susana Ramos, Dir. do Departamento de Acção Social CMLisboa
Ana Patrícia Fonseca, Fundação Evangelização e Culturas - Plataforma ONGD
Murta Rosa, Director do Departamento de Programas do Instituo Português da
Juventude

12 comentários:

SD disse...

Podemos fazer toda a diferença ao darmos um pouco de nós, visitem-nos e ajudem-nos a ajudar.
A Corrente de Sorrisos pretende levar sorrisos às pediatrias... ao divulgarem-nos já estão a ser voluntários.(a falta de tempo nao é desculpa)
http://correntedesorrisos.blogspot.com/

Vejam como conseguimos tantos sorrisos.

Sara Diniz

Antístenes disse...

Não será o voluntariado uma forma de arranjar trabalhadores a custo zero?

Todo o trabalho merece remuneração!

O caso do Rock in Rio Lisboa foi escandaloso: voluntários para um evento que visava o lucro!

Já agora, se tivermos filhos, o nosso 1º voluntariado deve ser cuidar deles, e não ir "fazer voluntariado" para outrém.

Silvia disse...

Olá boa tarde,
Estou ouvir o vosso programa. Gostaria de saber como posso ser voluntaria, tendo em conta que sou de Santa Comba Dão, vistrito de Viseu.

Antístenes disse...

Antigamente, a reunião do aldeãos nas colheitas não era voluntariado,
era trabalho!
Se um vizinho ajudava, ele esperava retribuição em trabalho nas colheitas dele.

Formadora CLC2 disse...

Boa tarde! Antes de mais os meus parabéns pelo programa e hoje, em especial, pelo tema e abordagem feliz da partilha, em que todos ganham.
Profissionalmente, sou professora de Filosofia e, como contratada,todos os anos me vejo na contingência de mudar de sítio, não tendo oportunidade de entrar em projectos que requerem, penso, a minha entrega de forma honesta (não sei como fazê-lo de outra forma dada a importância e seriedade que para mim tem o voluntariado). A minha questão, aproveitando os convidados do programa, é a de saber se é possível ajudar de alguma forma à distância (edição de textos, redacção, etc.).
Grata pela atenção e com desejos de todo o sucesso
Andreia Ferreira

brisa disse...

é possível saber qual o calendário das acções que irão decorrer no Fórum Picoas até dia 9 de Fevereiro? Muito obrigada

Ana disse...

Além dos problemas mencionados até agora, temos também a má organização deste mesmo voluntariado.
Tive um acidente de viação em Novembro e fiquei 6 dias internada no Hospital. Durante todo o tempo que lá tive não houve ninguém que subisse para o piso dos internados e falasse com os doentes.

Tenho 35 anos, era a mais nova internada na ala, no meu quarto passava o dia a falar com as minhas colegas de infortúnio em que a mais nova tinha 63 anos.
Falei com a enfermeira que me disse que os voluntários gostavam era de estar na zona das consultas, a distribuir cafésinhos.

Haviam vários doentes abandonados no hospital. Velhotes que precisavam de uma palavra amiga.

Não há no HEM naquela enfermaria doenças contagiosas, eram operados dos mais variados orgãos.

Apenas lá passavam os senhores da capela, que não falavam com as pessoas apenas perguntavam se alguém queria ir à missa.

Eu ainda lá vou quando posso, mas não é perto da minha casa e tenho uma filha pequena, trabalho e estudo à noite.
Mas eles têm lá voluntários... só que não estão no local importante.
Bastava 1 horita por dia em que eles sentissem que alguém está lá por eles. A hora da visita que é tão triste para tantos.

Ana Rosado

autobiografia disse...

ola boa tarde!
Sou Ana Sofia Salazar, aluna do 12º ano da Escola secundária de Alexandre Herculano, faço parte de um grupo, cinco alunos surdos que na disciplina de área projecto e estamos a trabalhar o tema voluntariado.
Queremos principalmente sensibilizar os jovens desta escola para o voluntariado.
Eu já faço voluntariado da associação Portuguesa de Apoio dos Implantes Cocleares (APAIC) porque eu sou surda implantada e dá me muita felicidade ajudar os outros implantados.
Gostaria de saber que celebrações vão haver aqui no Porto.
O nosso blog é www.voluntariadoesah.blogs.sapo.pt

Muito obrigado
cumprimentos

Sofia-Pikinin@ disse...

ola boa tarde!sou finalista do curso de turismo e gostaria de saber como posso utilizar o meu curso na área do voluntariado?Como posso candidatar-me como voluntaria?
obrigada
votos de sucesso para o programa
Ana Sofia Santos

Ema disse...

Boa tarde, com mt pena não posso ver o programa diariamente mas. Este um tema pelo qual me interesso, mas a viver num meio rural pequeno não tenho conhecimento do que poderei fazer ou a quem ou onde me dirigir para ser útil nesta area.Mas gostava de ser útil à sociedade.

Maria disse...

De extrema importância a abordagem deste tema. Fui voluntária a tempo inteiro numa Ong cerca de dois anos. Na verdade a experiência não foi gratificante antes pelo contrário.
No ano passado entrei em contacto c a Cruz Vermelha de Lx( posso enviar mail e respectiva resposta) após me ter dirigido à congenere aqui onde vivo, no sentido de saber que tipo de acções estariam perspectivadas p/ intervir nesta pobreza envergonhada q se avoluma.
Sem comentários. Daí achar mto pertinaz este programa não só p/ as pessoas "regressarem"à entreajuda q existia entre todos nós, e tv.sensibilizar certas "instituições" a não criarem tantos obstaculos e ou "este pelouro é meu"... Entendo q ser voluntário, depende mto do perfil cada um tal como nas áreas em q pode intervir com przer de partilha.
A Comissão Europeia tem desde à anos o EVS ( Europeen Voluntary Service) direccionado aos jovens q a m/ filha fez durante sete meses fora de Portugal, após terminar o curso .
Sentiu q seria esse o caminho, colabora com uma Associação de Lx, pontualm/ e por sentir perfeitamente q lhe faltavam competencias , está a frequentar um mestrado no programa NOHA ( European Master's in International Humanitarian Action.
´Deveria fazer outro programa, qto a mim sobre este tema
Maria

M.José Vaz Vieira disse...

Parabéns pelo programa de hoje.
Sempre que posso acompanho o programa, mas hoje tinha para mim especial interesse. Parabéns.
Para quando um evento em Leiria para celebrar o Ano Europeu do Voluntariado.
Maria José Vaz Vieira
LEIRIA